Novo filme de Jornada terá miniaturas pela Corgi

corgi1701.jpgA companhia Corgi International anunciou esta semana que renovará a licença da franquia de Jornada nas Estrelas para 2010. A empresa disse que a licença incluirá especificamente o filme de J. J. Abrams, o qual poderá produzir réplicas das novas naves, bonecos e equipamentos que porventura venham a surgir nas telas do cinema.

A Corgi International Limited é uma junção da Corgi com a Master Replicas, empresas especializadas em miniaturas. O negócio foi bom para a Master Replicas, que perdeu um bom dinheiro com o fim da licença para a produção de réplicas de Guerra nas Estrelas.

De acordo com o presidente da Corgi International, Michael Cookson, o filme de Abrams poderá abrir novas perspectivas para o mercado da franquia. “Jornada é a licença que tem grande ressonância com nossos consumidores e esperamos que o novo filme traga uma nova onda de entusiastas da franquia. O mercado está animado com o próximo filme e nosso alcance se refletirá nessa agitação, com as produções planejadas para 2008”.

A Master Replicas tem um contrato de licença com a Viacom para produzir mercadorias com a marca Jornada nas Estrelas. Atualmente produz réplicas das naves da Série Clássica e de A Nova Geração, e estará lançando em breve tricorders e phasers em escala normal. Não há previsão de venda para o Brasil.

Fonte: Trek Movie

2 Comments on "Novo filme de Jornada terá miniaturas pela Corgi"

  1. Luís Henrique Campos Braune | 29 de janeiro de 2008 at 10:39 am |

    Acho legal tudo isso, apesar de soar “comercial demais” para alguns. O mundo é isso aí ($$$). Não podemos esquecer de que, apesar de ST ser “papo cabeça”, ela foi criada na cultura pop (de massa) e continua sendo. Este tipo de coisa pode até atrair mais fâs para ST. Num outro post, foi comentada que a faixa etária será de 13 anos em diante, o que faz com que a molecada se anime a comprar as miniaturas. Eu comecei a entender/gostar de ST com esta idade (+-). Eu via 2 vezes no mesmo dia episódios de ST (na Band). Cheguei até a montar uma Enterprise de papelão (3D, bastante fiel ao original – na medida do possível). Beleza!

  2. Me incomoda um pouco as pessoas pararem de chamar Jornada de “série” e começarem a chamar de “franquia”. Óbvio que o lado comercial é necessário, mas o público deve desejar uma obra cinematográfica, e não um “produto” de uma franquia.
    Ou não?

Leave a comment

Your email address will not be published.


*