Especialistas opinam sobre linha temporal do filme

time-travel-entO roteirista Roberto Orci, ao explicar a trama do filme envolvendo linha temporal alternativa, usou a ciência real como base. O site TrekMovie procurou a ajuda de especialistas no assunto para opinarem sobre as declarações de Orci e a teoria da viagem no tempo. Veja também uma entrevista exclusiva com o produtor André Bormanis.

No início de novembro, em uma entrevista publicada pelo TB, o escritor Roberto Orci confirmou que a história do filme começa no mesmo universo que estamos familiarizados, mas que grande parte do roteiro tem lugar em um universo alternativo, que foi criado quando o vilão Nero volta no tempo a partir da época de A Nova Geração e destrói a USS Kelvin (com os pais de Kirk a bordo).

Para basear sua opinião, Orci cita tanto o episódio Paralelos (7ª temporada de A Nova Geração), quanto a mecânica quântica e, especificamente, a teoria da “Interpretação de Muitos Mundos”, onde postula que qualquer decisão cria um novo universo. Esta opinião não só permite que ambos os universos co-existam, mas também resolve muitos paradoxos normalmente associados com a viagem no tempo. De acordo com o co-escritor Alex Kurtzman, no que diz respeito à ciência teórica de viajar no tempo e da mecânica quântica, eles utilizaram quatro livros que foram particularmente úteis para o script: “Black Holes and Time Warps” por Kip Thorne, “Parallel Universes” por Fred Wolf, “The Fabric of Reality” por David Deutsch e “Hyperspace” por Michio Kaku.

O site TrekMovie procurou ouvir alguns entendidos no assunto, sobre a premissa do filme. Um deles foi André Bormanis, autor de “Star Trek Science Logs”. Bormains iniciou sua carreira profissional como físico e acabou se tornando um roteirista de Jornada. Seu primeiro trabalho na franquia foi como consultor científico a partir da sétima temporada de A Nova Geração, seguindo com Deep Space Nine e Voyager. Mas quando Enterprise começou, ele foi promovido a escritor da série. Bormanis diz que concorda com Orci sobre a mecânica quântica ser “o maior sucesso na teoria física”, mas observa também, que não é uma simples forma de considerar a solução correta, “Interpretação de Muitos Mundos é uma maneira de olhar a mecânica quântica, mas nem todo mundo concorda que seja o caminho correto, certamente não é o único caminho. “Muitos Mundos” é divertido em termos de ficção científica, mas não é necessariamente o modo como pensa cada físico da mecânica quântica. É uma de várias interpretações”. Bormanis diz também que a teoria de “Interpretação de Muitos Mundos” tem o benefício de resolver as questões de viagens temporais, “mas não se destina a resolver o paradoxo do avô, apenas dá uma resposta para ele”, afirma o produtor.

Outro entrevistado pelo site foi Lawrence M. Krauss. Professor de Física da Universidade do Arizona, Krauss é autor do livro “The Physics of Star Trek” (A Física de Jornada) e “Beyond Star Trek” (não lançado no Brasil). Ele também concorda sobre Interpretação de Muitos Mundos, dizendo que “é uma abordagem perfeitamente adequada para tentar compreender a mecânica quântica em termos da nossa realidade clássica”. Contudo, Krauss também adverte, “Saltar para trás no tempo e começar uma nova linha tem sido sugerida como uma maneira de evitar os paradoxos da viagem no tempo. É provavelmente a única maneira de evitar isso, a não ser ter de repetir-se o tempo exatamente. Entretanto, não estou convencido de que isto permaneça consistente com as leis da física, como nós a compreendemos. No entanto, é certamente coerente com a forma como Jornada tem tentado lidar com a viagem no tempo”.

Os especialistas concordam que a idéia do tempo alternativo no novo filme é aceitável, pelo menos, como uma possível interpretação válida, mas o mais importante ainda é que tem coerência com as  histórias de Jornada. Bormanis diz que sente em Orci e na equipe uma espécie de “respeito pela história da franquia”, mas a sua abordagem permite-lhes tomar certas liberdades, “Eu acho que é uma bela maneira inteligente de continuar”, disse Bormains, “baseado nessa hipótese o “universo espelho” (visto no episódio da série original Espelho, Espelho) poderia ter sido criado no episódio Cidade à Beira da Eternidade, em uma versão alternativa, onde Kirk e Spock não tiveram êxito na sua missão e Edith Keeler sobrevivido”.

Bormanis também salienta que, embora existam dezenas de episódios e longas metragens que lidam com a viagem no tempo, não houve uma abordagem uniforme sobre o assunto, “A abordagem de Jornada sobre a viagem no tempo não foi consistente. Eles têm considerado ambos os lados da rua. Muita gente se esquece, quando olha para trás na série original, que houve uma série de incoerências, desde o início. Penso que Abrams, Kurtzman e Orci estão perfeitamente dentro dos seus direitos, essencialmente, para reinventarem a série original. Isso cria a impressão de que eles deram duro para serem coerentes com o universo estabelecido e qualquer desvio que introduzam vai ser contabilizado pelo elemento da viagem no tempo, a qual é considerada na interpretação de muitos mundos pela mecânica quântica”.

Outro questionamento levantado pelos fãs refere-se aos personagens de uma linha temporal alternativa. Seriam os mesmos ou totalmente diferentes? Orci disse ao TrekMovie que o seu lema para o filme é “mesma nave, dia diferente”. O site perguntou a Bormanis sobre como vê essa questão, “São diferentes tonalidades da mesma cor”, disse ele, “Assim, esse Picard de Yesterday’s Enterprise (Elo Perdido) era reconhecidamente o Picard de muitas maneiras. Ele era o mesmo, tinha os mesmos traços de caráter e o mesmo aconteceu com os outros, mas eles viviam em um universo diferente e eles foram moldados por diferentes eventos. Se seus personagens ocupam um universo diferente e tem uma história diferente, então é certo que são personagens diferentes, mas como diferente é a questão crítica envolvida. Não creio que Picard e Guinan de Yesterday’s Enterprise fossem diferentes em tudo dos personagens que estamos familiarizados”.

Orci já havia citado anteriormente Yesterday’s Enterprise, como um dos principais episódios referência ao script e na sua mais recente entrevista o escritor ressaltou que “algumas coisas são diferentes, mas nem tudo é diferente” neste universo alternativo.

Viagem no tempo, universos alternativos não são novidades para o trekker e, portanto, apesar de alguns comentários críticos, ninguém foi surpreendido com isso. A dúvida que fica é que implicações poderá ter essa mudança no que diz respeito a futuros filmes e séries da franquia? Realmente, só o tempo dirá.

Fonte: TrekMovie

43 Comments on "Especialistas opinam sobre linha temporal do filme"

  1. Bom, tá na cara que a coisa vai mudar. E na verdade eu acho que essa história toda de universo alternativo e pra dar uma explicação pros fãs, pq pra quem não é fã, não faz diferença nenhuma.

    Eu duvido muito que exista no filme alguma explicação sobre universo alternativo.

    Só acho que essa saída é a maneira mais fácil de contar uma história que já existe e colocar elementos novos, sem medo de comprometer com o que já foi feito.

    Do meu ponto de vista, dava pra fazer um bom filme, sem mudar tanto, que é o que parece que vai acontecer.

  2. Os dois escritores de livros cientificos disseram mesma coisa. Que a equipe de produção escolheu as alternativas que melhor lhes resolveriam suas questões de roteiro.
    Pois eles disseram que a teorias do futuro filme são tão possiveis quanto todas as outras teorias de viagem do tempo e/ou paralelos.
    Viajar no próprio passado, em um passado paralelo, o futuro é alterado, o futuro é apenas influenciado a até um certo ponto, o futuro não é influenciado em nada e por ai vai é completamente uma incógnita cientifica. Ou seja, ST fez (e continuará fazendo) uma bagunça de viagens no tempo fazendo cocktails de teorias de realidade e linha temporal só limitado pelos objetivos de cada roteirista com sua ideia de viajar além do nosso universso.
    Mais duas coisas. Primeiro, os dois escritores foram claramente coniventes com $J$J$ e Cia., como já disse acima não há nenhuma teoria mais ou menos comprovada, só há teorias, sem absolutamente nehuma comprovação ou prova, sem nenhum calculo se quer que comprove que exista uma possibilidade a mais ou a menos de ser mais provavel ou improvavel que outra teoria.
    E segundo e por último. Os títulos do quatro livros utilizados por $J$J$ e sua trupe são traduziveis como:Buracos Negros e Dobras de Tempo, Universos Paralelos, A Fábrica da Realidade e o Hiperespaço. Estremamente teóricos, complicados, que esplicam apenas certas teorias. Não acredito que alguém de Holywood teria tempo para ler tanto e compreender, é lógico que eles escreveram um roteiro meia boca e depois deram a um colaborador entendido reescrever e depois eles o re-escreveram estragando muito as teorias.

    Gente, tá muito CHATO e complicado para a mulecada, esse filme já é só para fãs, pode escrever. Só vou avisando os que querem um novo filme de qualquer jeito, não tá legal.

  3. O site http://www.ditl.org em fórum contou que seus usuários não tem gostado do novo TOS e que gostariam que o novo TOS na realidade fosse mais parecido com a da série clássica remasterializada.
    E resumindo o meu post “pequenininho” acima eu quiz dizer que Orci e sua turma disseram que vão mudar o que quizer de TOS (só TOS por enquanto) mas disseram que vão mudar tudo do futuro, e por outro lado que não vão mudar nada do futuro. Ou seja, a medida que suas produções forem fazendo sucesso eles continuaram com mudaças. Se eles forem chutados por um fracasso tudo ficará como está.

  4. Lindo, lindo… E kd as novas fotos da ENTERPRISE?

    😀

  5. Com certeza não teremos nada de novo até a virada do ano.

    Quanto ao tema, essa discussão toda é só blablabla pra deixar os antigos trekkes entretidos com alguma coisa. Vc acredita que esses caras pesquisaram a fundo as teorias temporais e física quântica?
    Eu levei dois anos estudando parte dela na Universidade e só sei 10% do que se trata.
    Para a mídia e o público em geral não importa se pode voltar no tempo, se a linha temporal de Kirk em TOS não será a mesma, se tudo isso chamam de tempo alternativo.
    Na verdade, eles querem ver um bom filme, com muita ação, bons efeitos, algum drama e boas gargalhadas.
    Pra mulecada isso não importa, não vai fazer diferença.

    E garanto que se J. J. preencher esses requisitos acima, não importa se o tema vai ser coerente ou não com o que já passou ou com a ciência, será sucesso de bilheteria, mas não terá o charme da velha Jornada.

  6. Tá cheio de “físico” esperto…..

  7. O conceito básico de viagem no tempo, qualquer um entende, não é preciso muita explicação, meia dúzia de palavras e algumas imagens já fazem o público entender e viajar.

    Um dos maiores representantes do genero, Terminator, já provou que o público não vê problemas nessas situações, desde que a história seja INTERESSANTE, e isso não quer dizer somente pauleira e efeitos especiais, pois o T3 falhou.

    Não substimem a molecadinha, Lost pode não ser um bom representante de ficção cientifica, mas mesmo assim não é pra qualquer um e faz um sucesso absurdo.

    A série Heroes NO COMEÇO agradou muita gente e inclusive seu personagem principal tinha o poder de viajar no tempo, sempre citando nossa adorada Star Trek.

  8. Leandro Martins | 29 de dezembro de 2008 at 9:14 pm |

    Eu tenho a impressão de que o típico cinéfilo regular, que só conhece Jornada de passagem, vai se preocupar exatamente três segundos ou menos com questões relativas a paradoxos temporais, e a partir daí vai querer somente aproveitar os personagens, a história, a ação e os efeitos. Se isto o satisfazer, vai sair feliz do cinema.

  9. Pelo o que eu ví em Trailer do Terminator 4, ST do JJ já foi pro vinagre.

  10. Parece que o jogo está mais aberto, agora. Mas as informaçoes ainda sao escassas.

  11. VIAGENS NO TEMPO E NO ESPAÇO

    Se as coisas continuarem do jeito que estão indo, a probabilidade de os Srs. Tony e Doug do Tunel do Tempo aparecerem na ponte da Enterprise será gigantesca.
    É tanta viagem no tempo que não sei mais se realmente estamos no universo original em se tratando do tempo presente pertencente ao Sr. Spock Velho.
    Esse negócio de viagem no tempo, bem que podia ter nascido e morrido com TOS.
    Viagens no espaço profundo é um sonho tangível, no entanto viagens no tempo, é algo que nos leva para “Além da Imaginação”. Gostaria que ST se aproximasse mais da nossa realidade, da realidade humana, do anseio humano de ultrapassar a Fronteira Final e não vai ser com viagens no tempo que ela conquistará isso, será com muito esforço e trabalho de mentes brilhantes engajadas em desenvolver sistemas de propulsão mais potentes, sistemas de navegação, gravidade artificial, campos de força (escudos), armamentos e tudo mais que nos conduza audaciosamente aonde nenhum homem jamais esteve.
    Se viagens no tempo fosse possível com certeza alguem já teria botado a boca no trombone e relatado sua experiência com algum possível viajante do futuro, por mais perfeita e avançada que seja essa civilização do futuro sempre existe um brecha, ou sempre fica um rastro, ou com certeza a humanidade já teria virado escrava de alguma civilização alienigena do futuro. No entanto não temos nenhum relato disto, desta forma chego as seguintes conclusões:
    1. Viagem no tempo não é possível, ou
    2. O futuro da humanidade é sombrio, e talvez nem exista, da forma como pensamos que será. Impossibilitando os habitantes do futuro de realizarem ou pensarem em desenvolver qualquer tecnologia de viagem no tempo.

    Ai, ai, ai, isso já esta causando do nas têmporas.

  12. post. 9
    Os ingredientes de Terminator 4 são simples, mas agradam bastante ao público: batalhas, muita ação, máquinas de guerra fantásticas e recheadas de efeitos, um mundo sombrio. Com um bom roteiro e elenco vai ser um sucesso.

    Achei a estratégia da Paramount furada ao transferir STXI para maio. Acho que neste fim de ano o filme não teria concorrentes e seria uma barbada faturar. Abrams enxerga longe e sabe disso.

    Já em 2009 a concorrência será pesada com Wolverine, Watchman, Terminator e Transformers.

    Mas a força de um filme está em seu roteiro e seu elenco. Se Abrams e equipe conseguirem criar uma boa história, com um bom elenco, não há o que se preocupar com os demais filmes.

  13. Estou torcendo pelo filme!
    Universo paralelo, trifásico ou transversal, não tem problema!

    Sei que a equipe de Star Trek 2009 tentou o melhor, pensaram em nós, nos novos fãs, e na continuidade da franquia, na repercussão, nos problemas futuros e em suas próprias carreiras.

    Mas digo uma coisa, só uma coisa:
    Não precisavam ter voltado no tempo, bastariam ter revelado que toda TOS é, na verdade, parte do livro “Memórias de Spock”, finalizado um pouco antes de sua morte.

    Mas tenhamos sempre o olhar sereno de Kirk que, depois de muita tribulação, sempre dá aquele olhar de “É… é isso aí!” e diz:
    “Vamos em frente… Por aí!”

  14. Fotinha já conhecida, agora com 1280 x 542 pixels, pra vcs, caros amigos:

    http://www.comingsoon.net/gallery/15645/hr_Star_Trek_18.jpg

    FELIZ ANO NOVO!!!

    Vida Longa & Próspera! \//_

    😀

  15. Entre os muitos furos que Jornada mostrou sobre viagens no tempo acho o pior deles odo filme Primeiro Contato.
    Afinal, Cochrane não era de Alfa Centauro segundo a Série Clássica? Ou a Nova Geração já se passa em um universo paralelo?
    O universo trekker “tradicional” continuará existindo em livros baseados em tudo que foi produzido até agora e outros produtos.
    Se o filme for um sucesso haverá continuações e todo um novo universo se expandindo.
    Não acho que estejam violentando nosso adorado universo e sim criando uma réplica dele com algumas alterações. Se esse novo universo mantiver o que o tradicional tem de fascinante, e até agora não vejo nada que indique o contrário, muita gente pode começar a entender porque sempre gostamos de Jornada.

  16. Post 15:

    Cochrane não era de Alfa Centauro. Ele era humano e depois de ter inventado o motor de dobra, foi pra Alfa Centauro passar sua aposentadoria.

  17. ^15: Zefran é introduzido em TOS como:
    Zefran? De Alfa-Centauro? Isso induz a crer que ele nasceu lá, mas também pode ser interpretado como aquele que passou um longo tempo em Alfa-Centauro.

    Porém, não adianta querer tapar todos os furos na canocidade de Jornada porque é uma perda de tempo. Esqueçam isso.

    Quanto ao assunto de viagem no tempo, a melhor justificativa seria evitar justificar para não acabar virando um amontoado de tecnobable. Espero que o filme não perca mais do que 2 minutos tentando justificar isso.

  18. “o “universo espelho” (visto no episódio da série original Espelho, Espelho) poderia ter sido criado no episódio Cidade à Beira da Eternidade, em uma versão alternativa, onde Kirk e Spock não tiveram êxito na sua missão e Edith Keeler sobrevivido”

    Ei… essa idéia é minha 🙁

  19. Aquele caso chamado “Edith Keeler” me pôs uma dúvida.

    Aquela enorme pedra furada era uma espécie de Nexus ou uma verdadeira fenda temporal?

    Me dá a impressão que o passado em que a “tríade” se meteu, foi algo criado pela brecha/Nexus.
    Um tipo de “entretenimento” temporal.
    Ou seja era uma máquina do tipo “Total Recall”.

    Tsc! Sei lá…

  20. Caso tenham interesse, vejam aqui:
    http://www.trekbrasilis.org/forum/viewtopic.php?f=6&t=345&start=30
    Uma obra que trata quase à perfeição o tema viagens & paradoxos temporais e realidades alternativas… 🙂

  21. Já disse, $J$J$ e Cia. escreveram o filme com o pouco que sabiam de ST. Nem imaginavam que ia chover crítica de fãs que não gostaram de seu amado cannon jogado fora. Disseram então que “o filme seria para novos fãs”, vocês se lembram disso não.
    Más TEORISO que através de pesquisa a Paramount descobriu que o filme já está muito “CHATO” para a mulecada e mandou $J$J$ e a trupe calar a boca mexer os pauzinhos e o espaço agora não tão continuo para recuperar um pouco dos antigos fãs. Pode ver, é muita explicação para nós, o filme foi agora é pra gente, só nós iremos ver.

  22. Francamente, isso é o que acontece quando o JJ Abrams perde o seu tempo tentando agradar os “fans”: toma mais porretada na nuca.

    Todo “fans” que se preze adora ficar HORAS explicando a tecnobaboseira que salvou a enterprise A/enterprise D/Voyager/Defiant nos últimos 2 minutos do episódio da semana. Pois bem, os “fans” deviam estar orgulhosos da tecnobaboseira usada pelo Orci em ST XI, tecbobaboseira essa nada diferente do que já foi vista em ST IV, ST VII e ST VIII só para citar os filmes do cinema. Preocupado com os efeitos do ritmo do novo filme no glaucoma dos “fans” (pessoalmente, eu me preocupo também com possíveis problemas cardíacos que os “fans” podem ter ao assistir esse filme) ele deu mais essa colher de chá. Lamentável! Tudo isso só vai se justificar se for usada para eliminar baboseiras do tipo morar em “Alpha Centauro”, Terceira Guerra Mundial nos anos 90, combate com Romulanos usando “bombas atômicas” e computadores funcionando com cartões perfurados.

  23. Vou dizer mais uma vez. $J$J$ não está usando tecnobabozeira. Ele está tentando tampar os buracos abertos pelas produções antigas e os buracos que ele mesmo abriu. Só espero que os buracos se juntem e se tornem uma cova rasa.

  24. Nao acredito que ST vai perder para um tema já gasto como Terminator.

  25. cesar antonio r martins | 30 de dezembro de 2008 at 8:13 pm |

    Post ^18, Sr. Madruga:

    Infelizmente não é sua idéia, Sr. Madruga.

    No episódio “Cidade à Beira da Eternidade”, durante o período no qual Spock/Kirk procuram por uma brecha para ir buscar McCoy, há um intervalo no qual a Terra é mostrada já mudada pela sobrevivência da Edith, inclusive com a vitória dos Nazis.
    Assista mais atentamente e verás.
    Ou seja, a criação do UE já estava lá, no episódio.

    A-koo-che-moya, Gene …

  26. POST 23

    Vai me desculpar, Pado, mas o argumento de “Mundos Possíveis” é tecnobaboseira sim e das grandes. Ela ficaria perfeita na boca de um Spock/Data/Bashir/Doutor. Ficaria ainda mais perfeita se tivesse alguma “explicação” do tipo “sub partículas beta-cronotrônicas formadas pelo bombardeamento bifásico de antí-táquions por geradores em campos de energia ponto zero”. Mas pode ficar calmo…o JJ Abrams não vai descer tão baixo assim.

  27. Opa…onde eu disse Doutor era para ser Seven

    Corrigido

  28. Ricardo, estou sim dizendo literalmente que não é tecnobaboseira, não por que se não é ou é. Mas porque eles não escrevram isso pro filme, foi tudo escrito depois do filme pronto. É tudo para agradar aos fãs, que agora são mais que necessários, por que mesmo que muitos que não são trekers vão ver o filme serão um minoria. A maioria dos pagantes serão trekers de carteirinha que não gostaram do novo ROS-CocaCola. Todas as explicações teóricas sobre estas realidades são furadas. Porque na verdade elas são filosofias de um produtor que atirou pro lado errado (sem trocadilhos chulos hein).

  29. Desculpe, onde escrevi ROS-CocaCola eu queria ter escrito TOS-CocaCola.

  30. Cesar ( post 25)

    Estou dizendo que a idéia de ligar o universo espelho ao futuro alternativo “criado” em The City. É minha.

    Pelo menos, eu fui a primeira pessoa que conheço a levantar isso.

    Mas obviamente não fui o unico.

  31. Post do 24,

    Não tem nada a ver essa de “…vai perder para o Terminator“…

    São filmes completamente diferentes para públicos diferentes, que só tem em comum o mês de lançamento, o tema viagem no tempo e a participação de Anton Yelchin (como Pavel Chekov em Star Trek e como Kyle Reese em Terminator Salvation).

    😀

  32. post 28.
    “…por que mesmo que muitos que não são trekers vão ver o filme serão um minoria. A maioria dos pagantes serão trekers de carteirinha…”

    Não é bem assim.

    Se o filme tiver um atrativo para o público, esse fará a diferença de bilheteria que eles estão esperando. Não tenha dúvida.
    A produção foi altíssima e o estúdio espera muito mais do que trekkers no cinema. O público aprecia tudo aquilo que lhe prenda a atenção, não importa se é ficção ou drama ou comédia.

    Além do mais, como disse um colega antes, existem apreciadores de gêneros específicos e aqueles que gostam de todos os gêneros. E são esses últimos que acrescentam as bilheterias. Vamos esperar que Abrams faça com que os dois apreciadores saiam satisfeitos.

  33. cesar antonio r martins | 30 de dezembro de 2008 at 10:52 pm |

    Post^30, do Madruga:

    ” … eu fui a primeira pessoa que conheço …”

    Dáááááááá-lhe, Madrugaaaaaa …

    Não seria melhor dizer: “… que eu saiba, fui o primeiro …”?

    A-koo-che-moya, Gene …

  34. sem trocadilhos chulos hein

    …longe de mim!

  35. CIDADE À BEIRA DA ETERNIDADE

    Post 19:Raul Mamoru
    Aquela enorme pedra furada era uma espécie de Nexus ou uma verdadeira fenda temporal?
    A meu ver se tratava de um Stargate Temporal com um guardião (Inteligência Artificial) controlando-o.

    Post 25: cesar antonio r martins
    Ou seja, a criação do UE já estava lá, no episódio
    Acredito que não se tratava de um “Universo Espelho” e sim de uma “Realidade Alternativa” pois logo que o Sr. McCoy passa pelo portal tudo aquilo que estava fora do planeta deixou de existir, isto é, Enterprise e Companhia Ltda. No UE a coexistência é mutua como vemos em “Mirror, Mirror”.

  36. Marcos Jacobyrk | 31 de dezembro de 2008 at 9:43 am |

    Techno por techno, viagens temporais e universos paralelos, se formos levar a sério em todos os episódios, entaum o que temos hj não é a tripulação oriiginal da Ent em nenhuma das séries…
    Um dos últimos que lembro é o do filme Geneerations…
    Temos dois finais possíveis prá trip. da Ent.
    Uma foi pulverizada com o planeta Veridian 3 e a outra seguiu viva graças a alteraação feita por um Picard e um Kirk que também não são so mesmos e de um Dr. Sohran que morreu enquantgo o outro está no Nexus do outro universo…
    Zilhões de possibilidades. Open Mind folks!

  37. Moderação, favor arrumar o nome do post anterior que eu não vi o estrago antes de postar

  38. Eu estou dizendo que as explicações de universo paralelo, apresentadas pela produção estaria colocando em risco as caracteristicas de “filme legal e divertido”. Por isso acho que vai dar mais é a gente nas salas de exibição, que gosta de coisas mais adultas e teorisadas.

  39. Eu acho que essa questão dos universos paralelos e tal só vai importar mesmo para os fãs.

    O JJ ja dizia isso:

    Os Trekkers verão um filme e os não-trekkers verão outro filme.

  40. Olha só gente..

    eu posto aqui ja a um tempo e eu sempre defendi o reset na franquia..

    eu acho o seguinte com relação a essa historia da universos paralelos..
    em In a Mirror, Darkly, Part I e II eu achei um dos melhores episódios.. e se tratava de um universo paralelo ..
    uma coisa a gente tem que lembrar.
    estamos se nennhum fuilme de jornada a muito anos..
    nenhuma novidade..
    nada..
    agora que a paramount que fazer a franquia ressugir., vamos ficar discutindo , que nao eh canonico o kirk usar a camila amarela ou nao ..
    que a ponte da Enterprise nova para a de SW.
    caramba gente.. vamos curtir o filme.. vamos olha jornada como ela tem que ser olhada.. como um universo imaginario….

  41. Não é bom sinal, quando tem que se dar muita desculpa no roteiro, explicar muita coisa…. sei não….

  42. Mais uma desculpa esfarrapada, absurda e ainda mais errada: A produção de STXI disse pelo site oficial da Microsoft que a USS Kelvin tem sim só uma nancele. Más como os fãs estão reclamando muito isso, eles (a produção) penssaram que por um motivo de física as naves só podem ter dois motores. Agora eles estão dizendo nesse mesmo site, que por dentro daquela nancele única tem dois motores. Não estão nem mesmo que ela tem um motor duplo (uma fileira de molas de dobla em forma de D a direita e outra em forma de D invertido do lado esquerdo), como as naves Cardassiana. Más o que eles não sabem é que o motivo de as naves de ST terem quase sempre mais de um motor não tem nenhum motivo real. Assim como as maiorias de marinhas atuais equipadas com aeronaves, por segurança. Se um motor falhar ou quebrar, o outro ainda pode te levar a um lugar seguro.
    Então por isso e por muito mais (como os posts neste artigo), que acho que em matéria de conteudo essa equipe de produção não me parece nada confiavél.

  43. Jorge Rodrigues | 8 de janeiro de 2009 at 6:09 am |

    ORCI É UM PEQUENO ASNO!

    Tempos atrás soltou uma entrevista na qual afirmava o universo paralelo como intrínseco à mecânica quântica (quando na verdade é apenas uma explicação confortável para o “paradoxo do avô”, segundo a nossa lógica temporal linear, ela mesma pouco afim à mecânica quântica) e esta como uma teoria de “provada”.

    Ficção científica não é só tecno-baboseira, mas estruturação inteligente de divulgação científica e crítica à realidade, desde Verne e Wells. E um requisito fundamental para um roteiro inteligente é um roteirista inteligente.

    Bem vindos a “Star Trek” segundo Paulo Coelho. Estejam prontos para as viagens da “EnTEENprise”

Leave a comment

Your email address will not be published.


*