Michael Okuda condecorado pela NASA

okudaComo reporta a Wired, Michael Okuda, designer de longa data da franquia de Jornada nas Estrelas, irá receber a Medalha de Serviço Público da NASA, por seus serviços para a agência e para o programa espacial dos EUA. “Para um garoto que cresceu vendo os astronautas da Apollo caminharem na Lua, isto é incrivelmente legal” comentou Okuda.

A agência espacia dos EUA tem uma longa tradição de patches e logotipia relacionada a missões espaciais, e Michael Okuda inúmeras vezes foi comissionado para criar estas imagens ilustrativas, que remetem ao espírito da exploração espacial na mesma veia de nossa favorita franquia de ficção-científica.

sts-125O mais recente trabalho de Okuda para a NASA foi o emblema da missão STS-125, do shuttle Atlantis para reparar o telescópio espacial Hubble — e você pode conferir exemplos deste e outros trabalhos do artista nesta sua página. A cerimônia está marcada para o dia 9 de julho, no Centro Espacial Johnson, em Houston.

Fonte, Wired.com

17 Comments on "Michael Okuda condecorado pela NASA"

  1. Acho que Okuda foi mais injustiçado com o fim da era B&B, ele era diferente deles, tinha uma visão mais realista do que ST precisava.
    E se dessem mais um tempinho a ele acho que teriamos um filme muito bom e sem “quebra pau” que este último teve.

    Agora falando dos logos : O da Defiant com cara de mau, com boca com dentes serrados e olhos bravios e com a escrição “Assimilem isso, Borgs!”, é bem a mensagem que a nave queria passar.
    O da Danube também, com aquela muchilona nas costas dizendo: “Nós também vamos!”.

  2. Este é o cara que devia ter continuado na franquia, pois os seus designers davam uma ar de realidade orgânica à Jornada nas Estrelas. Concordo plenamente com o Padô no comentário precedente.
    A sua presença em Star trek 2.0 nao seria um ato de justiça, mas de competência, pois evitaria constragimentos como a desgraça daquela USS Kelvin e uma Enterprise mais proxima daquela que estavamos acostumados, ja que a Frota retratada ao meu ver é totalmente diferente daquela que conheciamos. Linha temporal alternativa para mim nao serve como desculpa para que uma nave e outros elementos sejam modificados radicalmente, como os estaleiros ou o porto de Star Trek III, IV, V, VI – Jornada perde, e muito, com sua ausência daqui em diante.
    PS – nao estou falando qua a enterprise deveria ser a mesma dos anos 60, mas com certeza Okuda teria desenhado uma Enterprise melhor do que essa, mantendo a identidade original da frota um pouco descaracterizada neste filme. Repito, linha temporal alternativa nao é desculpa para falta de criatividade.

  3. Leonardo Fukushima | 4 de junho de 2009 at 4:32 am |

    Acho que não é só bom trabalho,ele também é um cara legal.Por isso tá trabalhando a tanto tempo.
    O Lula,por exemplo,ligou pro presidente da frança outro dia e disse que não sabia o que dizer.Ficando lá a toa.Isso é coisa de cara chato.
    Senhor Lula,por favor mais respeito com o presidente da nação francesa !
    Essa noticia do presidenciavel Lula,eu lí no jornal Folha de São Paulo.

  4. Concordo plenamente que o Okuda seria uma mais do que bem-vinda adição às fileiras de ST 2.0. O cara realmente sempre mandou muito bem.

    Mas dizer que as naves foram “modificadas radicalmente”, acho um pouco exagerado. Até mesmo o “porto” ou doca espacial, embora diferente do modelo usado nos filmes anteriores, se assemelha bastante com o modelo usado na série clássica (como vista no episódio dos pingos). O visual como um todo não mudou “radicalmente”. A única exceção que eu faria seria para a seção de engenharia que, essa sim, mudou bastante do conceito original. No mais acho que as mudanças foram bem leves.

  5. Eu gostaria muito também que o Michael Okuda tivesse continuado na equipe técnica de ST. Os comentários dele e da esposa nas edições especiais dos filmes e em episódios de TOS foram muito bons.

    Sempre achei interessante o conceito dos LCARS surgidos na TNG, e, só mais tarde, descobri que tinha partido dele.

    Li algo a respeito, não tenho certeza, de que o Okuda também trabalhou nas “alterações” para disponibilizar TOS em HD. Alguém confirmaria? Pelos comentários do review do Saldan, realmente ficou muito bom o trabalho dele lá.

    Bom, tomara que ele volte a trabalhar em ST. Aliás, da era do Rick Berman e Branon Braga, eu gostava muito da equipe técnica de design nas naves (Herman Zimmerman, Rick Sternbach, Michael Okuda, e do outro ilustrador que trabalhou no design da Enterprise E, agora me fugiu o nome dele). Essa equipe técnica acho que nem chegou a ser alvo de críticas dos fãs. Era a parte de criatividade de roteiros de voyager e enterprise que sofria muitas queixas.

  6. Ele realmente gosta de ficção-científica, seu dom nasce desse gosto.

    Uma coisa que nunca entendi é:
    O que é o LCARS? É alguma sigla/abreviatura especial definido pelo Okudasan a respeito dos gráficos do séc.XXIV?

  7. Ao menos deveriam ter concedido a ele o lugar de consultor de design do filme STAR TREK.

    Mas quem sabe isso ainda seja possível nos próximos filmes…

  8. Nossa…que legal…além de talentoso, ele deve ser muito gente boa…que bom. E post 1- concordo com vc…ele foi realmente injustiçado…com o fim da era B&b. quem sabe ele ainda pode ser reaproveitado….para futuros projetos.

  9. Raul, sobre o LCARS, segue um link interessante a respeito do assunto: http://en.wikipedia.org/wiki/LCARS

  10. Esse Japa é mto fera. Merece cada homenagem.

  11. Waldomiro Vitorino | 4 de junho de 2009 at 4:42 pm |

    Okuda também servia como consultor de cronologia para os roteiristas e sempre fazia de tudo que podia para tentar deixar o visual das coisas, gráficos, e afins com um senso de realismo e ao mesmo tempo pra ficar coerente com o já havia sido estabelecido em episódios e filmes anteriores. E sempre tentou ser inovador. Ele era um dos que tentava deixar tudo coeso, na medida do possível. Esse cara eu admiro muito, eu pagaria pra ver uma palestra dele sobre sua experiência em Jornada.

  12. O legal sobre os L-Cards é que teve muito nerd nos anos 90 que apostava seus Cobols que ele seria o futuro sistema operacional da Apple. E em alguns sites de Downloads você pode baixar patchs ou skins que transformam seu Windows ou Linux, ficam igualzinhos aos monitores da Enterprise. Tentem no http://www.baixaqui.com.br e http://www.superdownloads.com.br. É só digitar lcards nas barras de busca.

    Sobre o filme do $J$J$ eu acho que o pior depois do roteiro imbecil e modificações bobinhas sem resultado no cannon foi o visual complicado, pobre e sem estética artistica, o que é contrário ao que Okuda fez na sua permanência em ST. Ele com certesa absoluta, incontesta e comprovada teria feito um filme no minímo muito mais bonito.

  13. Mais uma vez ST está na mídia, graças a um dos maiores trekkers da nossa história.
    Barak, esse é o cara … e nao aquele barbudinho deficiente.

  14. Leandro Martins | 4 de junho de 2009 at 9:44 pm |

    LCARS, Padô, LCARS.

  15. Pode até nao ter virado sistema da Apple, mas variaçoes tem sido bastante utilizado pelos designers gráficos de revistas ultimamente…

  16. Jorge Rodrigues | 10 de junho de 2009 at 3:51 pm |

    LULA e SARKOZY

    Contexto é tudo. Lula disse a Sarkozy que “não sabia o que dizer” sobre o acidente do vôo 447, expressão corrente em, casos de pesar e catátrofes. Mas, claro, quem prefere o fascista francês ao operário brasileiro sempre interpretará o que quiser…

  17. O cara é um genio!

    Foi ele que criou o LCARS isso ainda na decada de 80, ou seja antes mesmo da interface grafica do windows 95!!!

    Realmente um cara a frente do seu tempo!!!

    Alias existe um pacote para IPHONE que o transforma em um tricord rodando LCARS!

Leave a comment

Your email address will not be published.


*