Selecione a Página

Mês: setembro 2010

Shatner brinca com música Sabotage e série original

Neste final de semana estreou na CBS  “*#% Que Meu Pai Diz”, o primeiro seriado da televisão a ser baseado em uma conta no Twitter e tendo a presença do incansável ator William Shatner. O site Vulture teve a oportunidade de falar com Bill que brincou sobre os sempre presentes boatos a respeito de sua participação na continuação de Star Trek e a relação da série original com a música “Sabotage”. Abaixo, parte de entrevista referente a Jornada. Quando o remake de Star Trek saiu, houve relatos de briga entre você e diretor J.J. Abrams por não mais ser escalado para o filme. Vocês estão mantendo distância agora? “Bem, ele está tão ocupado com sua nova série que eu não consigo mais pegá-lo no celular. E eu estou ocupado com a minha série, que ele não pode mais me pegar no celular. Mas nós vamos nos encontrar para o sushi um dias desses.” Você faria lobby por um papel na sequência de Star Trek? “Ele pode ter um papel na minha série. Até agora ele não recusou.” Houve um vídeo on-line que especulou que o uso dos Beastie Boys “Sabotage”, durante uma cena em Star Trek, foi uma referência a um famoso vídeo de você pronunciar a palavra “sabotagem” de uma forma única na série original . Você já ouviu falar disso? “Eu já. Um cara maldoso no meio de uma fita libera ensaios que nunca deveriam ter sido vistos. Isso é realmente inaceitável. Eu não sei quem...

Ler Mais

Resistência é inútil, e São Paulo perde Gemini

O domingo foi de tristeza para os cinéfilos de São Paulo. As duas salas do tradicional Cine Gemini, muito defasado em suas instalações, fecharam as portas ontem (26/9) após 35 anos de atividades na Avenida Paulista. Para os fãs de Jornada nas Estrelas, o local tinha um significado ainda mais especial do que apenas um espaço de fácil acesso para se assistir filmes. Lá foram realizados alguns eventos trekkers, como convenções da Frota Estelar Brasil em 1993 e 1994, além de uma sessão especial, em 22 de fevereiro de 1997, para a exibição de Jornada nas Estrelas: Primeiro Contato em seu fim de semana de estreia.  As salas, inauguradas em maio de 1975, também tiveram em sua programação todos os filmes de Star Trek para o cinema quando de seus lançamentos, com exceção dos dois últimos. Essa exibição de Primeiro Contato para uma sala com cerca de 350 trekkers em 1997 foi organizada também pela Frota Estelar Brasil, fã-clube paulista que estava em seu auge nesta época. Como a Paramount não liberou uma cópia para pré-estreia, o clube se mobilizou para encher uma sessão na tarde de sábado, o dia 22/2/97, e conseguiu. Vibrando como uma torcida de futebol assistindo seu time em campo, os trekkers, muitos fantasiados, aplaudiram os nomes dos atores durantes os créditos iniciais, chegando a urrar quando o nome do criador Gene Roddenberry apareceu. A...

Ler Mais

Entrevista com Jonathan Frakes

Continuando com sua série de entrevistas, o site oficial StarTrek.com foi encontrar Jonathan Frakes (William Riker), em Dallas, Texas, quando se encaminhava para o cenário da comédia The Good Guys, para dirigir o segundo episódio dessa série. Frakes, amável como sempre, falou sobre Jornada, de sua vida atual e de seus novos projetos. Jonathan Frakes ainda é o número um nos corações e mentes de muitos fãs de Jornada. Frakes deixou sua marca na franquia, em muitos aspectos, ao longo dos anos. Ele, claro, teve o Comandante William Riker através de todas as sete temporadas de A Nova Geração, bem como nos filmes da série. Ele também atuou como Riker em Voyager e Enterprise, e como gêmeo do personagem, Thomas, em Deep Space Nine. Frakes também dirigiu vários episódios de A Nova Geração, Deep Space Nine e Voyager, bem como os filme Star Trek VIII: First Contact e Star Trek IX: Insurrection. Desde que terminou seu trabalho na franquia, Frakes manteve-se ocupado, atuando apenas muito ocasionalmente, e concentrando-se em dirigir. Só nos últimos dois anos ele dirigiu episódios de Dollhouse, NCIS: Los Angeles, V, Castle, The Good Guys, The Glades, Persons Unknown e Leverage.  Você interpretou pela última vez Riker há seis anos, no final da série Enterprise. Qual sentimento passa por você? “Parece um longo tempo. Parece um longo, longo tempo. E ainda parece que foi ontem. Eu estava na Dragon Con no último fim de semana com Marina (Sirtis), Brent (Spiner), LeVar (Burton),...

Ler Mais

Série Clássica remasterizada na Rede TV

De acordo com a coluna Outro Canal, do jornal Folha de S.Paulo, a emissora Rede TV está preparando mudanças na sua grade de programação a partir de novembro. Além de um novo programa de auditório, teremos um pacote de seriados antigos norte-americanos da CBS que serão reprisados para o público. Dos conhecidos temos Blue Bloods, Havaí – 5.0, The Defender, Dexter, entre outros e, para alegria dos trekkers, a Série Clássica de Jornada nas Estrelas, versão remasterizada, também está nessa lista. Ainda não existe uma data para estréia de Kirk e cia com efeitos digitalizados, mas acredita-se que seja a partir do começo de 2011 e provavelmente nas noites de segunda-feira. A versão remasterizada nunca passou nas TVs do Brasil. É uma ótima oportunidade para quem ainda não viu essa nova roupagem da série original e a REDE TV transmite tudo em alta definição.  Agradecimentos ao colega ramelo pela informação. fonte: Terra e...

Ler Mais

Shatner fala de sua nova série #! Que Meu Pai Diz

Em uma recente entrevista ao site Collider para promover sua primeira comédia, “* #! Que Meu Pai Diz”, o ator William Shatner falou sobre o personagem, tentando algo que ele nunca fez antes e o que lhe dá o desejo de continuar a atuar, quando muitos de seus colegas já se aposentaram. Também mencionou novos projetos na música e em livros, e não poderia deixar de falar sobre Jornada. O que você achou desse personagem quando o viu pela primeira vez? “Quando o livro saiu, eu li com muita curiosidade e, no livro, há uma genuína cordialidade e um relacionamento entre pai e filho. Para sustentar um personagem como esse, ao longo de semanas, e para torná-lo palatável para que as pessoas venham assistir e aprender a amar o personagem, mesmo através de suas idiossincrasias, você tem que ser cuidadoso para que não seja arrogante e impressione as pessoas. Tenho certeza que foi um estilo de escrita, embora nunca tenha discutido isso tão especificamente como estamos agora, e certamente foi um estilo de atuação. Este não é apenas um momento. Nós estamos visando que todos vocês assistam toda semana e vejam a evolução desta relação entre filho e pai.” Como foi aprender num novo fórum, como a sitcom (comédia)? “Inacreditável. Você não pode imaginar o choque que tive quando eu caracterizei isso pela primeira vez. Primeiro de tudo, há essa coisa toda sobre fazer sitcom comédia. Eu não queria fazer essa coisa de comédia, mas eu não sabia mais o que...

Ler Mais

Abrams vai manter a boca fechada para Star Trek 2

A última edição da SFX Magazine trouxe um artigo sobre o diretor e produtor J.J. Abrams. Ele fala a respeito de seus próximos projetos para a televisão e cinema. A revista tentou tirar alguma coisa dele quanto a sequência de Star Trek, mas parece que Abrams deseja que tudo continue no mais perfeito mistério. A afinidade de Abrams para combinar gêneros é evidente num novo projeto que ele anunciou, Micronauts, com base na linha de brinquedos dos anos 70, dos guerreiros em miniatura do outro mundo. Lançado originalmente no Japão em 1974 com o nome Microman, os brinquedos chegaram nos EUA dois anos depois e ficaram conhecidos pelo nome de Micronauts. Diversas séries foram licenciadas para os quadrinhos, por editoras como Marvel, Image e Devil’s Due. A primeira aparição dos Micronautas nos quadrinhos aconteceu em 1979, pela Marvel. “É um dos filmes que estamos desenvolvendo”, disse Abrams, “Eu sinto que o meu tipo favorito de filmes combina espetáculo, horror, sci-fi e boa música, com efeitos surpreendentes … Quero dizer, esse é o meu filme favorito. Então, estou esperando que Micronauts tenha tudo isso. ” Paralelamente, Abrams está produzindo uma nova série de TV, Undercovers, que envolve um casal de espiões. O episódio-piloto é dirigido pelo próprio Abrams e apresentado para a NBC, com estréia prevista para este ano. Ao que parece ele está longe de ficar só nestes projetos. Especula-se que esteja trabalhando também numa outra série intitulada 500 Rads. Seria uma produção rodada na Europa, com argumento de Abrams...

Ler Mais

Kellerman e Lockwood falam do piloto de Jornada

Recordar é viver, já diz o ditado. E nada melhor do que relembrarmos das grandes aventuras da Série Clássica, na visão de seus atores. Sally Kellerman e Gary Lockwood interpretaram respectivamente, a tenente Elizabeth Dehner e o oficial Gary Mitchell, e foram um dos protagonistas do piloto, Where No Man Has Gone Before, que deu a arrancada para a franquia ser como a conhecemos hoje. Os atores foram entrevistados pelo site Star Trek.com e falaram desse memorável episódio. Sally Kellerman é uma atriz premiada, que inclusive já foi indicada ao Oscar por seu desempenho como Hot Lips Houlihan no filme de Robert Altman, o cult M * A * S * H, enquanto que Gary Lockwood ficou conhecido como o Dr. Frank Poole no clássico espacial de Stanley Kubrick, 2001: Uma Odisséia no Espaço. Antes de M * A * S * H ou 2001: Uma Odisséia no Espaço, Kellerman e Lockwood uniram forças para criarem um pouco da história de Jornada. Nos anos 60, os dois co-estrelaram na série original, como amigos de Kirk, a psicóloga, Dra. Elizabeth Dehner e o comandante Gary Mitchell  – no episódio Where No Man Has Gone Before (Onde Nenhum Homem Jamais Esteve). O episódio foi o segundo piloto da série, já que o primeiro não conseguiu ir ao ar (The Cage), e estreou em 22 de setembro de 1966, tendo como sequência The Man Trap (O Sal da Terra) e Charlie X.  Numa rara entrevista conjunta (e essa deve ficar para...

Ler Mais

Atriz diz como foi ser Klingon em Star Trek V

O site TrekWeb publicou uma entrevista exclusiva com a atriz Spice Williams-Crosby, que falou sobre seu papel como a guerreira Klingon Vixis no criticado longametragem  Star Trek V: A Fronteira Final, e que passou pelos cinemas em 1989. O filme teve a primeira experiência na franquia de William Shatner como diretor e produtor. Spice Williams-Crosby é uma atriz dublê e coordenadora de dublês. Vixis não foi seu único personagem de Jornada. Em 1993, ela apareceu como a seqüestradora Klaestron em Deep Space Nine no  episódio “Dax”. Um ano mais tarde, ela foi dublê da atriz Megan Gallagher no episódio da segunda temporada “Invasive Procedures” em uma cena de luta com sua colega dublê Patricia Tallman. Sua última performance foi em Voyager onde foi dublê da atriz Jeri Ryan. Suas calças de “Dax” foram vendidas em leilão no eBay e mais tarde foram re-utilizadas pela dublê de Roxann Dawson Susan Lewis em Voyager. Como você inicialmente se interessou pela atuação? “Bem, eu nasci em Hollywood com a minha irmã gêmea e saímos praticamente com sapatos de sapateado, penteado rabo de cavalo, cantando e dançando !!!!! Nós sempre amamos fazer essa performance e quando estávamos com 12 anos, fomos convidadas para ser as Golden Arch Girls de Ray Kroc, que criou o McDonalds e cantamos nas convenções! Sendo uma vegetariana de 30 anos, eu penso nesses dias e acho graça!” “Enfim, minha irmã gêmea e eu tocavamos violão e piano e, em seguida, começamos a estudar drama na escola. Nós amamos Joan Crawford, Agnes Moorehead,...

Ler Mais

HQ de “A Ira de Khan” supre ausência histórica

Quase trinta anos após seu lançamento nos cinemas, em 1982, Jornada nas Estrelas 2: A Ira de Khan ganhou uma quadrinização tardia pela IDW Publishing, no ano passado. Em três edições, a obra adaptada por Andy Schmidt, com arte de Chee Yang Ong e cores de Moose Baumann, completa a coleção de revistas em quadrinhos dos seis primeiros filmes da Série Clássica, lançadas nos Estados Unidos ao longo das últimas décadas pela Marvel (primeiro filme) e DC Comics (todos os demais, exceto o filme 2). Star Trek II: The Wrath of Khan da IDW não traz novidades. A história foi produzida exatamente em cima dos acontecimentos vistos em tela, sem nenhuma das cenas adicionais lançadas no DVD duplo. A arte segue um padrão diferente da maioria das HQs que a editora tem lançado, pois Chee Yang Ong é um desenhista oriundo de revistas com histórias de terror e policiais. As caracterizações dos personagens estão ótimas, com exceção de alguns desenhos de Scotty e McCoy, que poderiam ter sido melhor desenhados. A primeira edição conta desde o início do filme, com a simulação do Kobayashi Maru, até o almirante Kirk assumir a Enterprise para ir a Regula 1. A segunda vai daí até a sequência da tripulação presa dentro de Regula, na caverna criado pelo efeito Genesis. A revista final, claro, continua deste ponto ao final da história, com o caixão de...

Ler Mais

Alexandre Siddig critica séries Voyager e Enterprise

A última edição da revista Star Trek Magazine publicou uma nova entrevista com o ator Alexander Siddig, que interpretou o Dr. Bashir da série Deep Space Nine. Ele falou novamente de seu trabalho na franquia, dos produtores Ronald D. Moore e Ira Behr, além de criticar a produção das sucessoras Voyager e  Enterprise. Veja alguns trechos. Siddig parece realmente orgulhoso de ter feito parte da forma como Deep Space Nine extrapolou os limites de Jornada. “Eu acho que ela ainda permanece como uma série individual, em todo o gênero de Jornada”, comenta. “É a única que alguém gosta. É muito diferente. Possui o selo de Ron Moore e Ira Behr.” O ator disse que no início não era bem visto pelo estúdio, por causa de sua interpretação do personagem, “Não aconteceu realmente até a quarta ou quinta temporada, quando o produtor executivo se abriu para mim e disse: ‘Olha, nos dois primeiros anos desta série, a cada vez que tínhamos uma reunião com os chefes executivos do estúdio, eles estavam tentando te detonar!”, lembra Siddig. “Eles olham para os números, e vêem que você é simplesmente o personagem mais impopular da série. Mas nós fizemos um acordo, o produtor Rick Berman e eu, que o cara iria começar sem esperança, e evoluir. Tivemos o luxo do tempo. Sabíamos que íamos conseguir, pelo menos, seis temporadas.” Deep Space Nine  também inovou, apresentando tantas relações interpessoais. Bashir particularmente ficou ligado (no início um pouco antagônico) a Miles O’Brien (Colm Meaney) e Garak (Andrew J. Robinson). “Eles exploraram a clássica desavença britânica/irlandesa”,...

Ler Mais
  • 1
  • 2

Assine o canal do TB

Tuítes do Pingo

  • Pelo amor de São Gene, regula direito essa merda de teleporte aí, Scotty! https://t.co/BRvatrpLyO
  • Our fellow writer Luiz Castanheira from @trekbrasilis pays his homage to Voyager during our annual retreat.twitter.com/i/web/status/9…0D
  • Putz, voar com essa tralha é mais difícil do que eu imaginava. https://t.co/vgkOwCq4Ce
  • Me falaram que esse vinho do Picard é de uva do tipo cabriolet saveiro, um troço assim. https://t.co/iZi2acwR8G
  • Vai, deixem de frescura e me arrumem uma tigela. https://t.co/QJCXkFAqUE
  • Meio primitivo de viajar assim mas beleza, sem dobra ou esporo é o jeito. https://t.co/83lGyNtIw7