Na primeira parte da entrevista do Star Trek.com com o veterano ex-diretor de elenco Ron Surma, ele nos deu sua opinião a respeito dos prós e contras da escolha que fez para os atores e atrizes das séries A Nova Geração e Deep Space Nine. Agora, na sua segunda parte, Surma discute sobre Voyager, Enterprise, os filmes de A Nova Geração (exceto Nemesis), os jogos para video game da franquia, além de revelar o que ele está fazendo no momento atual.

Você não trabalhou no elenco do piloto de Voyager, certo?

“Certo. Eu estava fazendo Deep Space Nine e Junie estava de licença porque ela tinha acabado de ter gêmeos. Então trouxeram Nan Dutton.”

Dutton é conhecido como “o diretor de elenco original”. Então, em que ponto você se envolveu com Voyager?

“Bem, foi o primeiro episódio após o piloto. E eu sabia o que estava acontecendo com Voyager.”

OK, vamos falar sobre astros convidados. Você comenta. John Rhys-Davies, que interpretou Leonardo da Vinci …

“John foi ótimo. Ele gostou. Depois que ele esteve na trilogia O Senhor dos Anéis (o anão Gimli), ele não fez  muita TV. Então tivemos a sorte de pegá-lo quando nós fizemos o episódio. Ele é um cara incrível e é uma pessoas de grande personalidade. Ele é muito extrovertido e divertido.”

Sharon Lawrence desempenhou Amelia Earhart …

“Junie e eu tínhamos trabalhado juntos em NYPD Blue ((Nova York Contra o Crime) e por isso conhecíamos Sharon. Nós a conhecíamos antes que ela se tornasse famosa em NYPD Blue e ela é uma atriz fabulosa. Foi muito divertido tê-la fazendo esse papel, e foi algo muito diferente para ela.”

E com Susanna Thompson como a Rainha Borg?

“Alice (Krige) não estava disponível. Junie e eu tínhamos usado Susanna em muitos filmes da semana e outros espectáculos, e eu sabia o que tinha dentro dela. Alice não estava disponível e tivemos que encontrar outra pessoa, e Susanna foi realmente a única opção para o papel. E então ela foi magnífica. Então era Alice. Ambos foram ótimas. Mas isso não foi fácil para Susanna entrar e fazer isso. Alice tinha estabelecido um padrão muito alto e eu acho que Susanna combinou isso. Posso dizer-lhe que ambas odiavam a maquiagem, e você não pode culpá-las.”

E não vamos esquecer Jeri Ryan. Jennifer Lien ficou fora da série como Kes, e a tarefa do departamento de elenco era encontrar a nova Borg sexy, Sete de Nove. Como Ryan conseguiu o papel?

“Sempre que havia um papel para uma mulher bonita era um desafio, porque Jornada era muito específica no que eles queriam. Você não poderia ser uma bela mulher contemporânea. Ela não se encaixava na série. Junie e eu escolhemos Jeri para o elenco em vários filmes da semana, quando ela ficou disponível, porque vivia em Chicago. Então nós sabíamos quem ela era. Tínhamos passado por muitas atrizes para esse papel, muito boas atrizes, que só perderam. No início do processo eu não acho que ela estava em Los Angeles Ela geralmente sai por uns dois ou três meses, e estava na cidade. E deu certo. Ela é uma pessoa maravilhosa e uma atriz muito boa. Como eu disse, felizmente, ela estava na cidade.”

Você começou do zero para escolher o elenco de Enterprise?

“Sim. Todos nós queríamos Scott Bakula, houve uma lista de desejos que deu certo. Ele estava no topo de cada lista e deu certo, graças a Deus, porque ele era fantástico. Connor Trinneer, eu não tinha idéia de quem era, realmente. Ele entrou e leu (o texto do ensaio) para mim, e pensei: – “Acho que esse é o cara”. E ele foi. Seu teste foi excelente. Jolene (Blalock) … Esse foi o papel mais difícil de escolher. Minha assistente, naquele momento, Chad, havia colocado seu retrato em cima de sua mesa no início. Seus agentes disseram “não” inúmeras vezes. Ela não estava interessada. Mas na última semana, ela decidiu vir, Graças a Deus, porque ela era maravilhosa. Mas esse foi o papel mais difícil do elenco de Enterprise. Dominic Keating tinha entrado em um teste para um episódio de Voyager um ou dois anos anteriores. E nós não o descartamos porque Rick (Berman) disse: – “Eu acho que há algo para ele. Ele veio e pegou o papel desde o início. Todo mundo foi muito bem.”

Infelizmente, a série nunca engrenou…

“Há quantos anos Jornada estava no ar naquele momento?”

Provavelmente 14 ou 15 anos.

“A série ficou provavelmente no ar por muito tempo, todas as diferentes séries.”

E sobre as estrelas convidadas e os atores recorrente em Enterprise?

“Eu gostei dos caras Xindis quando estávamos fazendo “The Void” (sétimo ano da série Voyager). Nós tínhamos usado Randy Oglesby (Degra) em vários episódios de todas as séries, e foi a mesma coisa com Rick Worthy (Jannar) e Scott MacDonald (Dolim). Esses caras foram muito divertidos.”

Nota do Editor:

Randy Oglesby já teve participação nas séries A Nova Geração (“Loud As A Whisper”), Deep Space Nine (“Vortex”, “The Darkness and the Light”), Voyager (“Counterpoint”) e no quarto episódio de Enterprise (“Unexpected”).

Rick Worthy fez um Klingon em Deep Space Nine (“Soldiers of the Empire”), o robô em Voyager (“Prototype”), além de tripulante da USS Equinox (“Equinox”), e esteve no filme Star Trek IX: Inssurreição.

Scott MacDonald foi um romulano em A Nova Geração (“Face of the Enemy”), um tripulante em Voyager (“Caretaker”), fez Tosk em Deep Space Nine (“Captive Pursuit”) e um Jem´Hadar em “Hippocratic Oath”.

Você também trabalhou nos três primeiros longas-metragens de A Nova Geração. Em geral, o quanto diferente é escolher elenco num filme em relação a uma série de TV?

“Muito diferente. Você tem um grupo de atores que não querem fazer séries de TV, mas são mais do que interessados em fazer um filme. Qualquer ator está interessado em fazer um filme. Portanto, há um amplo conjunto de atores para escolher.”

Os filmes de A Nova Geração tinham um monte de gente importante. Com quem você ficou particularmente feliz? Quem mais se destacou em sua mente?

“Eu acho que Alice Krige. Ela se destacou como a Rainha Borg (em Star Trek VIII: Primeiro Contato). Tivemos atores maravilhosos nos filmes. Tivemos Malcolm McDowell, F. Murray Abraham, Alfre Woodard. Mas, para mim, Alice como a Rainha Borg se destaca.”

Como você acabou escolhendo elenco para tantos games de Jornada?

“Os games (risos). Eu não sei como isso aconteceu. Eu me lembro que o primeiro que fizemos foi dirigido por Jonathan Frakes. O dia depois que recebi o roteiro, Jonathan entrou no escritório e ele ficou surpreso. O roteiro era de centenas de páginas, por causa das diferentes maneiras que você poderia ir no jogo. Mas nós tivemos realmente um tempo divertido fazendo isso primeiro. Aquele jogo tinha um monte de atores live-action. Em seguida, eles se tornaram muito mais locutores. Eu nunca joguei nenhum dos jogos. Eles estão todos guardados em um armário em algum lugar.”

Você já apareceu fazendo um papel em alguma coisa?

“Não.”

Você já ficou tentado?

“Não.”

Você tem uma cara de quem sabe atuar?

“(Risos) Não. Você sabe o porquê? É uma espécie de conflito de interesse para um diretor de elenco colocar-se em uma série. Esse problema deixei há muitos, muitos anos atrás.”

OK, mas quase todo mundo da produção que tinha algo a ver com Deep Space Nine apareceu na cena final …

“Eu não fiz porque estava trabalhando em alguma coisa naquele dia.”

Você não escolheu o lenco para Nemesis e você deixou Jornada após a terceira temporada de Enterprise. Por que era hora de ir embora?

“Eu não estava tendo mais diversão. É um trabalho muito duro e eu sempre dizia a mim mesmo que, se não fosse divertido eu pararia. E chegou a esse ponto no final da terceira temporada. Não foi por causa de Jornada. Eu adorei fazer Jornada. Mas eu estava cansado de todo o processo de escolha de elenco. E em vez de tentar passar por mais um ano – e todos nós meio que já sabíamos que (a quarta temporada de Enterprise) ia ser a última – eu simplesmente não podia fazê-la.”

Isso foi em 2004. Então, como é a vida que você agora está levando?

“Eu estou aposentado e estou curtindo minha vida.”