Walter Koenig lembra “The Infinite Vulcan”

Walter Koenig é mais conhecido pelos fãs de Jornada fazendo o personagem Chekov da série original, mas ele também escreveu um livro sobre o primeiro filme da franquia, uma autobiografia e até mesmo um episódio da série animada intitulada “The Infinite Vulcan”. O site Star Trek.com entrevistou o ator que comentou sobre a história no desenho e sua decepção por não ter seu personagem na série.

O episódio é centrado numa espécie de planta inteligente, conduzida por um clone de um cientista do tempo das Guerras Eugênicas, que tenta clonar Spock com as intenções de criar uma raça superior. “The Infinite Vulcan” foi novelizado por Alan Dean Foster no livro “Star Trek Log Two”, publicado pela Ballantine Books em setembro de 1974.

A primeira coisa sobre a Série Animada que faz Koenig infeliz está em não ser incluído como o resto do elenco. “Eu me senti realmente ofendido por não estar envolvido”, disse ele. “Eu aplaudo a postura do Leonard Nimoy, durante toda esta coisa, não em termos de mim, mas em termos do George (Takei) e da Nichelle (Nichols), porque ele tomou uma posição, dizendo que ele não iria entrar na série animada a menos que eles fossem incluídos, uma vez que faziam parte da série original e ajudaram a fazer dela um sucesso. Fazia sentido, em termos de não direcionar suas forças em meu nome, porque eu não fazia parte da série original. Mas mesmo assim eu senti que foi uma espécie de traição, porque eu perguntei se poderia entrar e ler o papel de Keniclius (cientista clone) e eles disseram ‘Sim’, e foi realmente uma aprovação. Eu cheguei e fiz a leitura, mas não tinham a intenção de contratar. Assim, me chateou”.

“E então o insulto final foi que eu descobri que eu não ia ser um dos atores na animação de Jornada até estar em uma convenção em Los Angeles. Dorothy Fontana tinha acabado de dar uma palestra. Ela era a produtora/editora das histórias da série, e ela disse aos fãs que não iria estar um ator na mesma. Eu não sabia (ainda). E os fãs apareceram e me viram, e a primeira coisa que disseram foi: “Como você se sente sobre não ser um ator na série”. Eu não estava preparado para isso. Eu fiquei um pouco desconcertado por isso. Eu então, um pouco mais tarde no mesmo dia, em um painel com Gene, tentei levar esse assunto. Ele me disse: “Bem, isso é apenas o modo como as coisas acontecem”. Então, a coisa toda não foi muito agradável.”

Trabalhar com Roddenberry na Série Animada como roteirista provou ser a segunda frustração para Koenig, tanto quanto foi não estar como ator. “Bem, a coisa toda foi um pouco desagradável para mim”, disse ele. “Primeiro de tudo, fiz cerca de dez projetos. Eu nunca pensei que poderia passar de dez projetos. Isso era um processo insuportável. Gene ficava dizendo: – ‘Vamos usar vegetais conversando. Esta é uma animação. Vamos fazer isso. Vamos fazer aquilo”. Então eu tinha que continuar fazendo ajustes para acomodar o meio em que estávamos trabalhando. Então isso não foi muito agradável”. 

O trabalho atual Koenig inclui o comic “Raver”, o segundo de vampiro “Things to Come” em quadrinhos. Koenig esteve recentemente na televisão no programa da Raw Nerve de Shatner, na segunda 14 de março. 

Fonte: TrekToday.

6 Comments on "Walter Koenig lembra “The Infinite Vulcan”"

  1. Gene podia ser genial e nos dado Jornada nas Estrelas, mas era uma pessoal muito difícil. Koening foi só mis um dentre muitos a sentir isso na série. Porém, creio que essa teimosia fez com que Jornada nas Estrelas fosse uma linha continua, da pra ver que quanto mais o tempo passa de sua “partida” mais a franquia se distância dos coceitos que ele criou e lutou para manter.

  2. É parece que sempre tem umas coisas estranhas!!!

  3. Que falta de respeito….

  4. Eu sei que esse não é o lugar mais apropriado para perguntar essas coisas, mas qual o nome daquela HQ onde aparecem personagens do The Next Generations lutando na guerra de Dominnium?

  5. Obrigado Ralph…

Leave a comment

Your email address will not be published.


*