O co-roteirsta e produtor Roberto Orci foi convidado em um programa de rádio do sul da Califórnia, no fim de semana. Ele não deu nenhum grande spoiler sobre o filme Star Trek XII, mas descartou o aparecimento de alguns personagens clássicos da série original. E também comentou em detalhes algumas das discussões que vêm acontecendo em relação a trazer Jornada de volta à TV.

Um dos editores e colaboradores do  AICN, Hercules noticiou sobre um bate papo de Orci no programa Mr. Ask Kern. No programa de rádio ele disse que no próximo filme  existe uma “chance de 75%” do título conter as palavras “Star Trek”, o que abre a possibilidade de termos pela primeira vez um filme sem um subtítulo ou numeração ou mesmo a marca do nome “Jornada”.

Orci também descartou a aparição de alguns personagens e raças clássicos na sequência …Janice Rand, Gary Mitchell (“Where No Man Has Gone Before”), Charlie X (“Charlie X”), Ruk o andróide (“What Are Little Girls Made Of”) e os temidos Borgs.

Ele também disse que considera o uso do nome para o planeta como “Delta Vega” no filme Star Trek (um planeta que não era suposto estar em lugar perto de Vulcano) como a coisa mais chata que ele já nomeou. Ele disse que sabiam onde era suposto estar esse planeta, mas “nós fizemo-lo porque podíamos, me desculpe!”

Em outra parte do comentário, o roteirista disse que uma série de Jornada poderia acontecer novamente, mas ele também expôs os problemas sobre sua produção, dizendo:

Há duas questões principais. Primeiro, Alex, eu e a Bad Robot queremos ter certeza de que nada fique no caminho dos filmes. Segundo, a Paramount controla os filmes e a CBS controla a TV. Portanto, há um pouco de luta pelo poder em termos do que acontece. Eu mencionei na CBS, a ideia de uma série de Jornada e eles ficaram interessados nela, mas teriam que coordenar com a Paramount e teriam que coordenar com Bad Robot. É algo que nós estamos tentando descobrir. Se pudermos descobrir uma época boa para isso, é algo que todos nós adoraríamos fazer. É complicado, com vários chefes de cozinha. É algo que muitos de nós está pensando e eu quero ver uma série também.

Quanto à definição de qualquer potencial de série para TV, disse:

Nós nem sequer chegamos nesse ponto. Nós nem sequer fomos a campo, porque os direitos de como fazê-lo são tão complicados que é melhor esperar para ver o que pode realmente acontecer. E ver onde as avenidas da liberdade vão. Pelo que sei, talvez seria melhor fazê-lo separado ou talvez seja melhor amarrá-lo ao universo (do filme). Eu não sei ainda.

Orci também observou que uma série de animação foi “a primeira coisa que perguntaram para eles”. O site Trek Movie disse que falou com Orci sobre o assunto e o mesmo revelou que nas discussões iniciais sobre uma série de animação, a equipe também falou sobre um potencial live-action para TV.  Parece que alguns estúdios estão apostando nesse caminho de filme/série animada como está acontecendo com Tron, Star Wars, Lanterna Verde, etc. Se vai ocorrer o mesmo com Jornada, não sabemos, mas se esse segundo longametragem de J. J. Abrams for um sucesso, parece ser uma escolha lógica.

Fonte: Trek Movie

ATUALIZADO.

O site Popodecay postou uma nova entrevista com Chris Pine e os escritores Roberto Orci e Alex Kurtzman, que continuam promovendo sua série “People Like Us”.

Mesmo sem reveler spoilers, eles fizeram alguns comentários sobre o filme.

“Muito das tomadas ocorrem no espaço sideral”, disse Orci.

Segundo Pine, Orci e Kurtzman a tripulação da Enterprise ainda tem muito o que crescer. “O que nós não queríamos fazer era assumir que apenas porque a tripulação da ponte foi reunída no final do primeiro filme, vai ser agora a tripulação da ponte que você se lembra da série original”, disse Kurtzman. “Eles ainda estão trabalhando nisso. Kirk ainda está trabalhando no que significa ser um capitão e o que isso significa para conduzir os homens e mulheres potencialmente a sua morte.”

“Shatner, pelo tempo que ele começou, era um capitão maduro. O cara que eu estou fazendo está no seu caminho”, disse Pine. “Jim Kirk está no caminho para ser o capitão que conhecemos.”

Ao Capone do AICN Pine mostrou sua aflição em não revelar nada sobre o filme, “Eu quero dizer que estou muito nervoso por estar algemado”.

“Nós literalmente estamos acorrentados uns aos outros”, completou Kurtzman.

Pine: “Eu vou dar a resposta segura, mas é verdade, é implacável. O filme é implacável, e para as pessoas visualmente inclinadas a verem grandes sequências, há algumas especificamente que eu acho que … Eu não sou um grande fã de 3-D, mas eu acho que vai ser incrível. Mas o que eu estou mais animado e sobre o que eu acho que eles fizeram tão bem é que realmente a história é muito melhor, e a viagem que esses caras seguiram é muito mais, e o que eles sempre falaram é que, apesar de ser um grupo a partir do que sabemos sobre a equipe original, a diversão em chegar lá é seguir essa viagem para onde eles se tornaram a tripulação unida. Não fica divertido se eles já são um grupo muito unido. Então basta dizer, eles ainda estão aprendendo a conviver.

Então ainda estamos naquele lugar onde eles estão se juntando?

Kurtzman: “Cem por cento. Eles só vieram a se juntar como uma equipe no final do primeiro filme em função da história. Mas quanto a tripulação da ponte da série original, eles não são essas pessoas ainda, nem em idade nem em experiência. Então eu acho que o pior erro que poderíamos ter feito seria assumir que eles estavam lá já em cima do filme e ignorar essas coisas. E a outra coisa eu vou dizer, sem revelar demais é que no primeiro, fizemos escolhas – em nossa invenção da história – que eram extremamente controversas. Explodir Vulcano, a escolha extremamente controversa, e sabíamos que os Trekkers mais conservadores ou vão criticar-lo ou aceitá-lo com base na arquitetura emocional em torno dessa escolha. Acho que para nós, Jornada está no seu melhor quando está fazendo movimentos extremamente ousados como esse, e haverá movimentos extremamente ousados neste.”

Fonte: Trek Web