Desde que o primeiro trailer de Star Trek Discovery saiu há muita expectativa dos fãs quanto ao verdadeiro potencial da série. Os produtores e roteiristas Nicholas Meyer e Alex Kurtzman voltaram a falar mais um pouco a respeito desta nova produção de Jornada, dando algumas dicas e informações.  Inclusive Meyer mencionou sobre um novo projeto para a franquia.

Enquanto divulgava o seu novo filme A Múmia, o produtor executivo de Discovery, Alex Kurtzman, tirou um tempo para falar com o site Collider sobre a próxima série. Ele falou sobre a saída de Bryan Fuller,  em outubro passado  e disse que, mesmo sem Fuller, sua influência permanece fortemente na produção:

“Ele é incrivelmente brilhante e eu realmente adorei trabalhar com ele e adorei ver a maneira como sua mente funcionava. Bryan estava muito envolvido com American Gods e acho que a dimensão e escala de Star Trek tornou-se de tal maneira que levou Bryan a dizer: “Eu não quero alterar essas duas coisas de forma curta”, que são duas séries amadas por ele. Então nos sentamos e descobrimos como iríamos pegar o que pudéssemos ter dele e continuar com isso não apenas nesta temporada, mas, espero, configurar as coisas que virão na próxima temporada. Tanto do que há em termos de história e, certamente, em termos de configuração, personagem, grandes ideias, o grande movimento da temporada, é tudo o que Bryan e eu falamos”.

 

Cinco episódios e pistas sobre participações especiais.

Quanto ao status das filmagens, que começaram no final de janeiro, Kurtzman confirmou que estão gravando o 5º episódio da primeira temporada de 15 episódios.

“Estou muito animado para que todos vejam a série e fiquei extremamente satisfeito com a recepção que o nosso trailer conseguiu. Foi incrível, foi muito legal. Tudo o que vou dizer agora é que você está falando sobre uma série que está sendo escrita por um grupo de fãs que têm relações muito diferentes com Jornada, e acho que isso é algo saudável e é uma coisa boa. Eles adoram os diferentes aspectos de Jornada. Estamos realmente entusiasmados com a forma como os scripts estão indo. Os scripts estão indo muito bem.”

O produtor abordou sobre os atrasos na produção e a compreensão da CBS.

“Nós adiamos nossa agenda porque a verdade é que não queríamos colocar algo que era subjacente, e à medida que (a visão da história) expandia começamos a sentir que não seríamos capazes de entregar na dimensão e na escala que estava na página. E a CBS foi extremamente favorável ao dizer: “Ok, vocês sabem, isso está indo por streaming, não é como se tivéssemos que lançar imediatamente, vamos fazer a melhor versão disso, Trek é muito importante para todos nós”.

Kutzman também insinuou que podemos ver algumas celebridades na série, observando:

“Muitos atores são fãs. Nós literalmente obtivemos uma lista deles do tipo, ‘Aqui estão as pessoas que disseram que querem estar em Star Trek’. Foi fantástico … Estar em um episódio ou entrar ou sair”.

Uma das principais coisas que Fuller queria trazer para Discovery foi a representação LGBT, uma discussão mais que atual e que refere-se ao futuro da humanidade. Kurtzman disse que isso irá prevalecer nesta série:

“Eu não sinto isso (aumento do conservadorismo) – voltando ao que você disse sobre onde a televisão está no momento agora – seria tolo não apenas ignorá-lo, mas não tirar proveito do fato de que é assim que as pessoas estão consumindo histórias e elas estão mais ansiosas para histórias mais complicadas. O que teria sido um assunto tabu há 10, 15 anos atrás, está agora em todos os lugares, e isso é uma coisa bonita”.

 

Novo projeto de Jornada.

Em entrevista ao TreMovie, Nicholas Meyer acredita que Discovery estabeleceu seu nicho dentre a cronologia da franquia.

Obviamente há muito mais de Jornada empilhada na prateleira agora que seria mais difícil de ignorar. Com A Ira de Khan, realmente não havia muito. Agora, pode haver muito para lidar.

Meyer: Creio que isso é correto. O que posso dizer é que quando Bryan Fuller inventou Star Trek: Discovery e o concebeu, ele encontrou um nicho na cronologia que permite outro fluxo.

Mas ainda se encaixa como parte dessa cronologia, mas você sente que há liberdade nesse nicho?

Meyer: Sim.

Embora Meyer tenha se negado a continuar falando mais sobre a série, revelou algo, que causou surpresa e esperança aos fãs.

Meyer: Uma coisa que não tem nada a ver com Discovery é que estou trabalhando em outro projeto Star Trek, mas também não posso discutir isso.

Quando se fala em novo projeto, a primeira coisa que vem a nossa mente é um longametragem, mas ao ser indagado pelo TrekMovie,  Meyer deixou em suspense que poderia ser outra coisa.

Estamos falando de mais longa-metragem porque, tanto quanto eu sei, existe apenas um projeto de televisão, suponho.

Meyer: Você pode supor.

O misterioso projeto de Meyer não é “um livro, nem documentário e não é um videogame”, segundo uma fonte do site AICN (aintitcool).

Os últimos trabalhos de Meyer em Jornada foram nos roteiros para Star Trek IV: A Volta Para Casa e Star Trek VI: A Terra Desconhecida, que também dirigiu.

O fato é que a Paramount ficou para trás na competição em retornos de franquias globais que são apreciadas pelo público. E o último filme Star Trek, pela turma da Bad Robot, não obteve o sucesso de bilheteria esperado.

A nova direção da Paramount, através de Gianopulos, pretende mudar esta situação. Gianopulos, que comandou a Fox por 16 anos, vem de vasta experiência em franquias conhecidas e de sucesso como X-Men, Avatar, Deadpool, entre outros.

Não há nenhuma palavra oficial sobre o que está acontecendo com este projeto, ou se ele vai ter o sinal verde do estúdio.

Poderia ser um filme a frente das séries passadas ou mesmo um reboot de A Nova Geração ou quem sabe um projeto de vários longas do tipo que a Disney quer fazer com Star Wars.  De qualquer modo, fica a expectativa de todos para que seja uma boa coisa, afinal Meyer tem aceitação da maioria dos fãs.

Fonte: TrekMovie e Collider.