Enquanto aguardamos o San Diego Comic-Con, sobre Star Trek: Discovery, a Entertainment Weekly vem dando mais algumas dicas. Na continuação da entrevista com os produtores, ficamos sabendo que a série está se inspirando em Game of Thrones com relação a duração dos personagens e podemos esperar por mortes de elementos importantes. Além de mais Klingons e um Mudd diferente.

 

Morte súbita.

Tirando algumas ocasiões especiais, os fãs de Jornada foram poupados de mortes inesperadas durante as séries e filmes. No entanto, com Discovery, parece que talvez não seja prudente ficar muito apegado a certos personagens.

Os “red shirts”, oficiais de segurança e engenheiros da Frota, eram os personagens mais suscetíveis a morrer nas antigas séries, virando alvo de brincadeiras e até símbolo daqueles destinados ao sofrimento ou à “morte certa”.

Mas houve algumas mortes icônicas na franquia. Como a de Spock (Leonard Nimoy) em  Star Trek II: A Ira de Khan, Kirk (William Shatner) em Star Trek Generations e Data em Star Trek Nemesis. 

Embora não tenha havido grande impacto emocional pelos fãs, tivemos alguns outros exemplos de morte súbita e inesperada de personagens regulares: Tasha Yar (Denise Crosby), Jadzia Dax (Terry Farrell), Trip Tucker (Connor Trinneer). Contudo, elas ocorreram mais por problemas de contratos com os atores do que propriamente por um roteiro previamente planejado.

Falando para a  EW, os produtores de Discovery, Aaron Harberts e Gretchen J. Berg, declararam que os principais personagens da série não estarão seguros. Eles poderiam ser mortos a qualquer momento, mas sua mortalidade não seria em vão. Para justificar essa mudança de atitude, eles fizeram um paralelo com a série Game of Thrones da HBO. Disse Berg:

Game of Thrones  mudou a televisão. Eles quase tornaram difícil se apaixonar pelas pessoas, porque você não sabia se elas seriam tiradas de você. Essa série teve influência em todos os dramas de TV que vieram depois.

Harberts trava uma relação com Discovery:

“A morte não será tratada gratuitamente nesta série. Não é para ser chocante. Mas quando acontecer, queremos ter certeza de que as pessoas realmente sintam isso “.

Podemos esperar que a nova série irá ignorar algumas “antigas regras” usadas nas velhas séries. É aguardar para ver.

Veja a seguir, algumas outras dicas dos produtores sobre a série na entrevista com a EW.

 

USS Discovery, uma nave de pesquisa.

De acordo com a EW, a nave Discovery é principalmente uma nave científica, e é aí que o tenente comandante Michael Burnham (Sonequa Martin-Green) se encontrará após uma “escolha difícil que levará sua vida em um caminho muito diferente” descrito por Aaron Harberts, que acrescentou,

Essa escolha a leva a uma nave diferente, a USS  Discovery  e lá começamos o que [co-produtor] Gretchen Berg e eu chamamos de nosso segundo piloto.

A descrição de “nave de ciência” não foi anunciada oficialmente. O que sabemos é que o capitão Lorca (Jason Isaacs) foi mencionado como um brilhante militar tático. Isso poderia levar a alguns dos conflitos dentro da equipe.

 

Harry Mudd menos espalhafatoso

A EW nos deu um pouco mais de informações sobre o personagem Harry Mudd, interpretado Rainn Wilson. A nova informação é que conheceremos “uma versão mais estável” do que aquela dos episódios da série original. Ele vai ser mais jovem que o da série antiga, devido ao período de tempo de Discovery. Se esta é uma versão mais calma de Mudd, podemos esperar alguém menos atrapalhado, mas ainda ardiloso? Só os episódios dirão.

 

Mais Klingons.

O artigo da EW diz que podemos esperar por “muitos Klingons”. O período de tempo em que nos encontramos é durante a guerra fria entre o Império Klingon e a Federação, mas mais coisas irão aparecer no início da série e o Klingon que vimos no trailer é T’Kuvma, interpretado por Chris Obi. T’Kvuma é um líder Klingon e está determinado a unir as casas Klingon “por qualquer meio necessário”.

Embora ele pareça ser um dos principais personagens vilões da série, no site IMDb o ator Chris Obi está creditado para 2 episódios apenas, assim como os demais atores que interpretarão Klingons, exceto por Kenneth Mitchell, que fará Kol, e está creditado para 13 episódios. Observando que o site IMDb não tem 100% de confiabilidade em suas informações.

Fonte: TrekMovie.