O site oficial StarTrek.com entrevistou o ator Kenneth Mitchell, que interpreta Kol, um líder Klingon da Casa de Kor, em Star Trek: Discovery. Mitchell, que exibia uma camisa com a estampa da Enterprise-D, durante a convenção Star Trek Las Vegas, em que teve um painel sobre Discovery, falou sobre seu trabalho na série e sua familiaridade com Jornada nas Estrelas.

Você fez alguns trabalhos no gênero scifi, incluindo Odyssey 5, Jericho e Frequency. O que sabe sobre Star Trek antes de Discovery chegar?

Quando criança, assisti um pouco das séries. Foi com a série original, e alguns episódios de A Nova Geração. Provavelmente eu estava mais familiarizado com esses personagens porque estava no momento em que eu era garoto. Eu também lembro especificamente de assistir A Ira de Khan. Foi isso que solidificou a franquia para mim. E então estar na série, neste elenco, me deu uma oportunidade de visitar Star Trek. Eu senti a responsabilidade de voltar e revisitar tudo.

E você fez isso com outro veterano de gênero, seu amigo Sam Witwer …

Sam é um dos meus melhores amigos, e eu o recrutei. Ele me levou para sua casa e nós fomos assistindo episódio por episódio de Jornada. Ele sentou-se lá e me ensinava enquanto eu assistia. Nós aderimos especificamente aos episódios de Klingons, mas se houvesse um episódio em que ele pensasse que eu devia assistir, olhar e estudar, ele também destacava aquele para mim.

Nota: o ator Samuel Witwer interpretou um Xindi-Arboreal no episódio da série Enterprise The Shipment“. Há especulações de que ele esteja fazendo o misterioso Voq, personagem Klingon ainda não revelado.

Dê-nos uma sensação de Kol. Qual é a forma dele para você, como o ator, que faz este poderoso Klingon?

Bem, ele é … o líder. Você primeiro o conhece em forma holográfica, e ele é um tipo de alfa Klingon entre os líderes da casa, entre os 24 líderes das casas. Ele tem esses desentendimentos e conflitos com T’Kuvma e sua casa, e isso leva essa relação durante todo o resto da temporada. Kol está um pouco no caminho para o poder, e também quer proteger seu povo, não só de outras casas Klingons, mas também da Federação. Eu realmente meio que me apoiei sobre isso.

Vamos falar sobre sua elaborada roupa e maquiagem de Kol, além de falar em Klingon. O quanto útil é para você entrar na mentalidade de um Klingon irritado quando você está nesse traje? Você fica tremendo de raiva mesmo com a menção do traje.

Não não. (risos). O traje é pesado e quente e as próteses são pesadas e quentes, mas sempre fui um ator que trabalha de dentro para fora. Esses trajes e próteses, quando você os coloca, são como camadas do seu personagem, e quanto mais você colocar, mais você começa a se sentir como seu personagem. Então você adiciona o idioma, essa linguagem muito visceral e gutural, e se presta muito ao meu personagem, sendo uma espécie de Klingon agressivo. Eu acho que o idioma em si é um pouco agressivo e descobri isso quando falo, eu meio que começo a mover meu corpo um pouco e usando meus braços e movendo meu pescoço um pouco. Todas essas camadas adicionadas me ajudam a criar meu personagem.

Você entrou na série com um preconceito dos Klingons? Você disse: “Oh, eu vou fazer um dos vilões?” Ou você conheceu melhor e entendeu que eles certamente não pensam em si mesmos como vilões?

Eu sabia que era melhor que isso, desde o início, porque, como eu mencionei antes, quando conversei com Gretchen (Berg) e Aaron (Harberts) e Bryan (Fuller) no meu teste de tela, eles estavam me explicando como eles queriam uma abordagem diferente para os Klingons e mostraram um lado um pouco diferente do mundo Klingon. Realmente, se alguém é bom ou ruim depende da perspectiva, e isso é sobre a compreensão dessa cultura. Você conhecerá os Klingons na nossa série, e então as pessoas poderão decidir se realmente somos os vilões.

Haverá uma tonelada de mercadorias à venda associadas a Discovery. Qual item você está mais animado para ver?

Gostaria de ver os figurinos de Kol. Se eu voltar (a convenção Star Trek Las Vegas ) no próximo ano, seria excitante ver gente vestida como Kol, com capa de peles.