facebook_pixel
  • João Luiz Silva Cruz

    Enfim a Voyager conseguiu sem melhor em algo 😀

  • FSPOK

    Tem um viés nessa pesquisa que é a falta de lançamento em dvds fora dos EUA, na época ,das temps 4 em diante de VOY e DS9…e por isso muitos não haviam visto ainda nada dessas temps e agora na Netflix puderam… e nem sempre dá pra ver todo episódio de uma vez e por isso clicam duas ou mais vezes pra ver o episodio todo uma vez …mas pela pesquisa parece q. estão re vendo….

  • DS9/BSG

    O Jovem nerd trouxe um lista de episódios vistos no Brasil e foi surpreendente porque estou cada dia adorando mais Voyager.

    https://www.youtube.com/watch?v=zcSs3jQmylw

  • DS9/BSG

    Sei la mas comparando Voyager com varias series scifi, até mesmo da franquia, ela tem uma consistência absurda,… a mitologia da serie é bem amarrada e Dark frontier e End Game são os melhores momentos dos Borgs na franquia. O visual da serie é incrivel, o melhor da franquia e o trio Janeway, Sete e o Doutor …olha… só perde pro grupo do Kirk…

  • João Luiz Silva Cruz

    Bem isso mesmo, muitas pessoas não tiveram acesso a essas temporadas, a pesquisa peca nesse sentido. Apesar de eu achar que a série Voyager foi inútil e mais prejudicou a franquia do que qualquer outra coisa, foi bom tê-la em um destaque.
    Serviu para mostrar que Jornada continua rentável e também é um termômetro que mostra o porquê da Netflix ter investido pesado em Discovery.

  • Vedek Pedro

    Voyager é uma das melhores séries para assistir episódios isolados. O visual é bacana e tem um ar bem leve.

    Mas a história foi muito mal aproveitada, a tripulação é ruim de doer (tirando o Doutor e a Sete). Com certeza é a última da minha preferência.

  • Leandro Henrique Pereira Neto

    Voyager tem excelentes episódios, mas no geral sua premissa básica foi mal aproveitada gerando uma quantidade ainda maior de episódios ruins.
    O pessoalmente gosto da série e revi no netflix vários de seus episódios, e toda a sétima temporada pois não a tinha visto toda ainda.
    Mas não assistiria toda a serie completa novamente, até porque acho a segunda e terceira temporada bem fracas. Mesmo assim devo ter revisto no netflix mais de 30% dos seus episódios.
    Porém não deixa de ser interessante o fato de seus episódios serem os mais revistos.
    O que me faz pensar se Vovager fosse produzida hoje num estilo mas serial não teria sido uma grande série, afinal a ideia principal é ótima.
    Outro dado interessante é que Enterprise não aparece nem como boa audiência nem com repetições … Ou seja a série não agradou mesmo …
    Eu só revi meia duzia de episódios da série no Netflix, sempre penso em assisti-la mas acabo encontrando algo mais interessante da ver.

  • Leandro Henrique Pereira Neto

    Tem razão eu me encaixo bem neste perfil, pois não vi as temporadas finais de VOY e DS9 na TV, somente alguns episódios.
    No Netflix consegui zerar estas temporadas finais.

  • Leandro Henrique Pereira Neto

    O que nos deixa triste é que a série tinha potencial para ser algo realmente fantástico, mas ficou no meio do caminho.

  • DS9/BSG

    Desculpe o jornal, mas queria deixar minhas impressões da serie para os amigos trekkers.

    Sou um daqueles que só pode assistir Voyager completa pela Netflix, antes só tinha visto alguma coisa no tempo do canal Universal e alguma coisa do amigo torresmo.

    Sempre li algumas criticas que a serie tinha que ser igual a Battlestar Galactica, mais dramática, afinal, esta perdida no fim do mundo ou que ela tinha muitos contatos alienígenas ou que a tripulação não estava com vontade de retornar pra casa.

    Mas assistindo a serie me deparo com explicações plausíveis pra vários questionamentos.

    A serie tem episódios ruins claro, mas na soma total é uma boa aventura de família, diria até que Voyager consegue ter aquele espirito da serie clássica, a exploração de novos mundos com uma linguagem moderna.

    A serie é bem lógica com a proposta da franquia, uma sociedade de 300 anos no futuro, portanto a falta de dramaticidade nos episódios faz sentido, a própria franquia não investe em conflitos pessoais, é tudo sempre leve… eles não são mais aqueles bárbaros de uma era pós industrial… não se utiliza mais aquelas “metáforas coloridas” como diria Spock…

    Inclusive ao longo da série tem episódios chaves que vão sedimentando o caminho da série, tipo T02E01 os 37, onde a tripulação decide ficar com a Capitão, num episódio maravilhoso sobre o espirito da franquia, a exploração.

    Temos os episódios onde eles vão aos poucos conseguindo contato com a Terra e a esperança é sempre renovada…a presença do Barclay é fundamental para o animo dos personagens.

    A tripulação vive num ambiente melhor que muita gente hoje em dia, um lugar profissional, limpo, organizado, com acesso ao holodeck, tem uma alimentação excelente e em geral são oficiais da Frota, portanto a ideia de viagens longas e uma vida disciplinada, não é algo absurdo, até tem um episódio onde o Chakotay afirma que tem uma boa vida na Voyager….melhor que tentar a sorte no estilo Apolo de BSG .

    Os contatos alienígenas são incríveis, porque constatamos que a galaxia é superpovoada, com base na mitologia da franquia e o mais interessante é a Voyager evoluindo ao longo da jornada, fazendo alianças, pesquisas, adquirindo novas tecnologias, evoluindo a tecnologia da Frota estelar, algo que poderia ser explorado em uma nova série… e quando tem que ser realista, a série é full.. como demonstrado em Ano infernal ou Escorpião.

    Uma das coisas mais legal é o clima de família e pra mim isso fica brilhantemente claro na presença avulsa da personagem Samantha Wildman e sua filha Naomi, que nasce inclusive num dos melhores episódios que já vi de FC, na 2 temporada e ainda temos as crianças Borg e a relação que a Sete desenvolve com um deles, de mãe e filho e a gravidez da B`Elanna… sem contar que a Sete é praticamente uma filha pra Janeway.

    A serie consegue ser fantástica nos exemplos que fornece para a vida, em Dark Frontier, tem um momento que a Naomi “sugere” meios para o resgate da Sete e a Capitão naquele jeitão de mãe calma e compreensiva até diz que a menina esta indo muito a engenharia… olha só, sem alarde a série incentiva meninas a serem engenheiras…. tem episódios maravilhosos onde se fala sobre a importância do estudo…e tudo isso com um humor leve e gostoso…

    Existem os episódios de cada personagem e quase todos tem uma história memorável, mas aquele da B`Elanna Torres, Musa, é talvez o melhor final de um episódio que já vi…

    E a Voyager continuará sua viagem rumo as cintilantes cidades da Terra.
    Onde reina a paz…
    E o ódio não existe.

  • Trekker

    Gostei da sua avaliação. Deu vontade de assistir.

  • Vedek Pedro

    A voyager é o que melhor agradaria no formato adotado por Discovery. Tipo, no primeiro ano o conflito com os kazons (em menos episódios). Na segunda os vidianos. Na terceira os borgs. Na quarta os borgs e a espécie 8476. Na quinta com aquela espécie que estava caçando um 8476, o nome me fugiu.

    Pena que criaram temporadas longas e cansativas, a premissa era a melhor, a execução, de todas, só é melhor que o arco xindi que tbm cansa.

  • alysson

    Minha experiência é como as demais com relação a Voyager. Não tive a oportunidade de ver as temporadas 3 a 7! Estou finalizando a 6a temporada e gostando bastante. O episódio ‘Blink of an Eye’ (6-12) é uma pérola, excelente! Sem dúvidas que comparada a TNG, VOY tem mais episódios medianos e fracos mas não é a essa bomba que eu acreditva. Fiquei surpreso posivitivamente e recomendo a todos que não tiveram a oportunidade de ver a ver a série.

  • David Gaertner Curitiba

    Pena que entre os episódios com Borgs não está aquele de Enterprise. Foi um episódio excelente! Pena que ficou deslocado dentro da série.

  • David Gaertner Curitiba

    Hirogen. Estou revendo Voyager e tirando um outro episódio, estou curtindo bastante.

  • GILSON P. DE FARIAS

    Eu, tenho tudo de jornada!, em: dvd; box; vhs, é dvd-r.

  • Sandro

    Na minha opinião Voyager tem uma produção impecável, sem dúvida o melhor em cenários e efeitos que uma produção televisiva da sua época poderia ter.
    De resto sofre de problemas enormes.
    Os personagens são muito mal construídos, eles têm uma postura professoral que chega a ser arrogante ou ingênua que chega a ser infantil. A tentativa da série de mostrar os membros da Frota como seres “evoluídos” na verdade os tornou chatos e frios. Não acho que tinham que ser neuróticos pela situação em que se encontram ou agressivos ou algo assim, mas um pouco de angústia e questionamentos ajudaria nas tramas.
    Em vários epísódios parece que roteiristas e personagens esquecem que estão perdidos muito longe de casa.
    E ter, desculpem-me os que discordam, o pior elenco de todas as séries não ajuda em nada o desenvolvimento dos personagens. Nenhum ator tem uma atuação memorável na série, com exceção da Jery Ryan. Aliás, Garret Wang e Jennifer Lien, nem dá pra considerar como atores.
    Mas o pior a meu ver é que em Voyager alguns “vícios” que vinham desde TNG ficam muito evidentes.
    A tecnologia se torna milagrosa, a nave foi semidestruída várias vezes e na semana seguinte está lá brilhando.
    No que me parece uma certa preguiça dos roteiristas as soluções fáceis, do tipo sintetizadores que criam tudo a partir de qualquer coisa, fazem questionar até a necessidade de existirem naves mercantes ou situações como crises de fome em planetas. Acho que a situação ficou tão forçada que até compromete novas produções que se passem no período pós Voyager.
    Claro que existem alguns episódios muito bons, mas não acho que sejam o suficiente para salvar a série.

  • Leandro Henrique Pereira Neto

    Adoro este episódio, acho um dos melhores de toda a franquia por ter um componente de FC clássica muito forte, parecendo algo que Issac Asimov ou Arthur Clarke. escreveria. Não esta FC atual do cinema e de várias séries atuais onde na maioria das vezes é uma história de ação ou de drama com elementos espaciais.

  • alysson

    Concordo, a continuidade é lastimável em VOY. Quanto ao comportamento talvez os tripulantes da Equinox represesntem um extremo e os da Voyager o outro em relação a estar perdidos e há 70 anos de casa.

  • Sandro

    É um ponto interessante o seu.

  • Carlos Pastorello

    Acho “End Game” fraco. Afinal, uma série que teve uma história desenhada tão longe de casa, merecia algo mais digno. Esqueceram da vida dos personagens e focaram numa viagem temporal bem estranha, pois onde estava os “guardiões temporais” que apareceram em outros episódios para evitar que a Voyager alterasse a linha do tempo ???

  • DS9/BSG

    Se analisarmos que uma nau de guerra do século 19, coo mostrado em Mestres dos mares, era reconstruida varias vezes após uma batalha, a tecnologia do século 24 não é milagrosa, é eficiente.

  • FRSilva

    Os humanos tendem a criticar o que julgam diferente e isto é ilógico, como diriam os vulcanos.
    Isto é mimimi de quem tem medo do novo, como diriam os klingons.
    Há anos eu acompanho o Trekbrasilis e quase nunca me manifesto e vamos ser sinceros, os trekkers antigos criticam sem dó qualquer coisa que não seja TOS anos 60. E olha que nem falei do episodio do cérebro do Spock.

  • alysson

    Exatamente por isso gostei muito do episódio, ficcão científica clássica. Me lembrou um conto de Asimov, Bradbury ou Clarke. E sim, é um do melhores da franquia também na minha opinião.

  • Leandro Henrique Pereira Neto

    Também não gosto do final de Voyager em relação ao desenvolvimento da série como um todo.
    Mas entendo o por quê dela ser tão revista, pois como história isolada em si tirando todo o resto do contexto os episódios são bons, e afinal é um fim de série e tem aquele ar de notalgia.

  • Leandro Henrique Pereira Neto

    Sou da opinião que devemos criticar e avaliar as séries no contexto histórico que elas foram produzidas originalmente.

    Em relação ao contexto da década de 60 TOS foi revolucionária, apesar dos vários episódios fracos e uma produção mediana. Afinal a ideia da série é tão boa que até hoje gera filhotes, e fás por todo o mundo.

    O problema de Voyager é que ela foi lançada numa época 1995-2001 que o modo de fazer séries já começava a mudar, e já existiam séries na própria franquia (DS9) com um sentido de história geral , continuidade, etc que o publico começava a gostar de ver.
    Veja que Babylon 5 é anterior a Vovager mas tinha uma história geral sendo contada muito boa.
    Porém os produtores foram no automático usando um modelo de episódios isolados que deu certo em TNG, mas que para Voyager não fazia sentido, até por que idéia da nave isolada longe da federação exigia uma abordagem diferente, e esta ideia base da série é brilhante.
    Foi a série certa conduzida de modo errado, no momento errado talvez.
    Mas como falei antes gosto dela, pois me lembra um pouco o espirito de TOS (novos mundos, novas civilizaçõe) sem o suporte e a sombra da Frota Estelar que aparece muito em TNG.

    Gostaria muito de ver por exemplo uma série de ST pós TNG e DS9 explorando por exemplo uma nova galaxia.

  • Ricardo Pinheiro

    Vale lembrar q B5 tem uma história geral muito boa pq foi escrita quase toda por um sujeito só, o J. Michael Straczynski. E ele disse que iria escrever 5 temporadas, n seriam 4 nem 6.

    Mesmo qdo ameaçaram de terminar a série na 4a, ele reclamou um bocado mas fez um episódio falando do futuro, só pra tentar fechar as pontas. Bem, teve a 5a temporada e o último episódio mostra a morte do Presidente Sheridan… E era uma morte gloriosa como essa que eu queria ter visto para o Kirk. Mas aí eu começarei a reclamar de Generations.

  • Leandro Henrique Pereira Neto

    Sempre quando vejo fico com lágrimas nos olhos nesta cena do Sheridan.
    Uma das minhas cenas preferidas entre todas as produções de TV e cinema que já vi …

  • Rafael Marques

    Interessante… eu assinei Netflix recentemente e quando vi que tinha episódios de todas as séries Star Trek eu decidi ver alguns aleatórios de cada uma. Na hora que eu decidi ver um episódio da Guerra do Dominion em DS9 eu acabei revendo quase a série toda. Pelo visto eu estou na média…

  • Rafael Marques

    De fato. Outro dia fui rever um episódio de Voyager depois de vários anos. Eu descobri que não me lembra da existência da Kes nas primeiras temporadas. Em todas as séries, mesmo em Enterprise, se alguém me perguntasse quem estava nas tripulações, eu te falo personagem por personagem, ator por ator. Em Voyager é um sofrimento lembrar tudo. Me lembro da história de alguns episódios e só.