Tarantino soa confuso sobre seu filme de Star Trek

Quentin Tarantino acha que sabe o que quer de seu potencial filme de Star Trek. Mas só acha. Participando de um podcast chamado Happy Sad Confused, o cineasta se mostrou tão confuso quanto o título do programa.

De saída, ele repetiu a história conhecida: que teve uma ideia nascida depois do lançamento de Star Trek: Sem Fronteiras, em 2016, e a apresentou ao produtor J.J. Abrams. Ao receber aprovação, a ideia foi transformada em roteiro por Mark Smith, escritor do filme O Regresso.

Ao ser perguntado sobre a trama, Tarantino não revelou nada, mas pelo menos pareceu taxativo quanto ao universo em que ela se passa:

Eu não sei o quanto posso dizer. A única coisa que posso dizer é que lidaria com a linha de tempo de Chris Pine.

Pareceria uma informação bastante definitiva, confirmando que o potencial longa se passaria na chamada linha do tempo da Kelvin, o universo alternativo criado a partir de Star Trek (2009). Mas o que veio depois no podcast embaralhou todas as cartas. Na conversa com Josh Horowitz, Tarantino mostra não entender muito bem o que aconteceu nos filmes de Abrams.

Tarantino:  Agora, eu ainda não entendi muito bem – e J.J. não conseguiu explicar para mim, e meu editor tentou me explicar isso e eu ainda não entendi… Algo aconteceu no primeiro filme que meio que apagou tudo que veio antes? Eu não compro isso. Eu não gosto disso. Eu não aprecio isso. Eu não … foda-se isso! Tudo bem? Eu não gosto disso.

Horowitz: Eu vou levar você por um caminho. Você quer que o Guardião da Eternidade [“Cidade À Beira da Eternidade”] tenha acontecido, não é mesmo?

Tarantino:  Eu quero que toda a série tenha acontecido, isso ainda não aconteceu. Não, Benedict Cumberbatch ou qualquer que seja seu nome, não é Khan. Khan é Khan. Eu disse a J.J. que não entendo isso, não gosto disso. E ele disse: “Ignore isso! Ninguém gosta disso! Eu não entendo isso. Faça o que você quiser. Se você quer que aconteça da maneira exata que aconteceu na série, pode fazer.”

Ou seja, juntando as duas coisas, parece que ele quer os atores da linha do tempo da Kelvin fazendo um filme que se passe no mesmo universo em que aconteceu a série original, a chamada linha do tempo prime. Confuso, né?

O que não é nada complicado é entender a razão pela qual Tarantino ama Star Trek.

Tarantino:  Alguém me perguntou o que é que me faz gostar de Star Trek. Fácil. William Shatner. Eu amo William Shatner como James T. Kirk. É por isso que gosto de Star Trek. A razão pela qual gosto de Star Trek mais do que gosto de Star Wars é: William Shatner não está em Star Wars… William Shatner como James T. Kirk, essa é a minha conexão. É por isso que eu gostei… Então a razão pela qual eu fiquei intrigado com a versão de J.J. Abrams é porque eu achei que Chris Pine fez um trabalho fantástico, não apenas fazendo o capitão Kirk, mas fazendo o capitão de William Shatner. Ele é William Shatner. Ele não é apenas outro cara. Ele é o capitão Kirk, de William Shatner. E Zachary Quinto é literalmente o Spock de Leonard Nimoy — porque eles tiveram aquela cena juntos — ele é seu Spock. E eles conseguem. Eles conseguem.

Tente aí entender o que Tarantino pretende com seu projeto. Terá Chris Pine? Terá William Shatner? Será na linha do tempo da Kelvin? Será na linha do tempo prime com atores da Kelvin? A impressão que dá é que nem ele sabe.

O que pode nem ser importante, no final. O projeto não recebeu ainda sinalização do estúdio para ir adiante, e com a iminente fusão entre Viacom e CBS, pode acabar escanteado.

Be the first to comment on "Tarantino soa confuso sobre seu filme de Star Trek"

Leave a comment

Your email address will not be published.


*