TB já viu o documentário ‘What We Left Behind’, de DS9

Você pode não ter percebido, mas ontem, 25 de abril 2019, foi uma data histórica para Jornada nas Estrelas. Exatamente às 22h09, horário de Brasília, um seleto grupo de fãs pôde assistir em primeiríssima mão ao novo e aguardado documentário What We Left Behind – Looking Back at Star Trek – Deep Space Nine.

Produto de uma ideia que Ira Steven Behr teve ainda em 2013, durante as comemorações dos 20 anos da série, foram seis anos entre a concepção da ideia e a primeira exibição em larga escala. Após várias sessões de gravação com atores e equipe de produção, e vendo o resultado do crowdfunding que permitiu a realização do documentário For the Love of Spock, Behr decidiu seguir o exemplo e criar uma campanha para arrecadar fundos visando finalizar a produção. Lançada em fevereiro de 2017, por meio do portal Indiegogo, a campanha começou relativamente modesta, buscando levantar US$ 250 mil para ampliar a duração do documentário para 90 minutos, e incluir animações. O que ocorreu em seguida, ninguém esperava, nem mesmo o niner (como são chamados os fãs mais intensos de Deep Space Nine) mais otimista.

Em poucos dias, a campanha foi batendo sucessivos recordes de arrecadação. Ao final, conseguiu US$ 647.891,00, com um total de 9.552 doadores distintos – um tributo da lealdade dos fãs, e da longevidade da série. Com todo o dinheiro adicional, o escopo do projeto aumentou – e muito.

Foram incluídos trilha sonora composta especialmente para o documentário, gravada por uma orquestra; todo um segmento com Ira e outros quatro roteiristas originais da série fazendo um brainstorm sobre como seria o primeiro episódio da oitava temporada de DS9 (se fosse produzida hoje, 20 anos após o final); novas entrevistas com elenco e equipe; e a cereja do bolo: conversão para HD de cenas da série, incluindo algumas envolvendo efeitos especiais.

Todo esse trabalho adicional adiou o projeto – e muito. Inicialmente previsto para lançamento em fevereiro de 2018, apenas agora, em abril de 2019, é que aqueles que contribuíram no crowdfunding puderam finalmente assistir ao produto final (na verdade, houve uma pré-estreia em novembro de 2017 para alguns contribuintes, mas ainda não era a versão final). Eu, Fernando Rodrigues, fui um dentre quase dez mil fãs que contribuíram com o projeto, e tive o privilégio de assistir por streaming ontem. Após uma primeira meia hora frustrante – o acesso simultâneo de todos derrubou o servidor do serviço – pude me deleitar com duas horas (sim, duas horas!) de um documentário magnífico.

A USS Emmett Till, comandada pela capitã Ezri Dax, apareceria num hipotético oitavo ano da série, que se passaria décadas depois do sétimo ano.

Infelizmente, por questões contratuais ligadas a todo o processo do crowdfunding, não posso ainda dar detalhes sobre o conteúdo em si. Quando for lançado nos cinemas dos EUA (ainda em maio) poderei fazer uma análise mais detalhada. Mas a impressão geral é a seguinte:

  • Não se trata de um documentário tradicional, mostrando o início, o meio e o fim da série, com histórias de bastidores por trás. É na verdade uma eloquente declaração de amor à série, não só pelo Behr, mas por todos os envolvidos. Alguns inclusive chegaram às lágrimas em suas entrevistas.
  • As ideias dos roteiristas para a oitava temporada são fantásticas, considerando a passagem do tempo e imaginando o que cada personagem estaria fazendo no momento.
  • As cenas em HD estão belíssimas. Tanto as de personagens e ambientes, como as de efeitos especiais. Mesmo 25 anos depois, as cenas de batalha, como planejadas, apenas com os efeitos especiais refeitos em CGI, continuam funcionando muito bem.
  • Críticas históricas à série são abordadas com muito bom humor, inclusive com Rick Berman e Ira Behr fazendo um “mea culpa” sobre algumas decisões.
  • Até os piores momentos da série aparecem, de uma forma muito divertida (alamarein? Drag Quark?).
  • Muito material ficou na sala de edição e não entrou na montagem final. Mas serão incluídos como material extra em blu-ray a ser lançado em breve.
  • Há muitos depoimentos tanto de fãs, quanto daqueles que não consideram DS9 verdadeiramente Star Trek.

Em resumo, é uma obra de amor de um niner, para todos os niners. Dos documentários recentes lançados sobre a franquia (The Captains, Chaos on the Bridge, For the Love of Spock) com certeza é o melhor. Ainda não há previsão para exibição no Brasil, seja em cinemas, seja em streaming. O blu-ray ainda não tem data para lançamento nos EUA, e muito menos no Brasil. Porém, vamos aguardar por alguma boa notícia relacionada a isso… quem sabe?

Os nomes dos contribuidores no crowdfunding foram eternizados nos créditos do documentário, entre eles o de Fernando Rodrigues, autor do texto.

 

Be the first to comment on "TB já viu o documentário ‘What We Left Behind’, de DS9"

Leave a comment

Your email address will not be published.


*