Easter eggs e referências em “Broken Pieces”

Como temos feito em todos os episódios de Picard, encontramos muitas referências e informações escondidas das séries e filmes anteriores. Veja os easter eggs e curiosidades do oitavo episódio “Broken Pieces”. Você conseguiu identificar todas elas? Confira a nossa lista:

Resistir é inútil

Resultado de imagem para "Q Who?" star trekNarissa visita sua tia e mãe adotiva Ramdha, em coma. Ela diz que Ramdha quebrou o cubo de Borg quando sua nave da Tal Shiar foi assimilada. Ao dizer que ela seria uma Borg muito melhor do que sua tia menciona a frase “Resistir é inútil”, que é a expressão usada na segunda aparição dos Borg em “The Best of Both Worlds”, de A Nova Geração.

 Viridium

A Comodoro Oh fez a Dra. Agnes Jurati engolir um comprimido de viridium, o que possibilitou seu seguimento por Narek, quando a bordo da nave La Sirena. No filme “Star Trek VI: The Undiscovered Country”, o Capitão Spock colocou um aplique de viridium no uniforme do Capitão Kirk, quando ele foi teletransportado para Kronos 1, após o assassinato do Chanceler Klingon Gorkon, o que, mais tarde, possibilitou seu salvamento e de Leonard McCoy da prisão em Rura Penthe.

Dom Quixote

Em conversa com a Almirante Clancy, Picard se compara a Dom Quixote, lutando contra gigantes que se tornam moinhos de vento. “Dom Quixote de la Mancha”  é um livro escrito pelo espanhol Miguel de Cervantes, em 1605. O personagem confunde moinhos de ventos com gigantes e luta contra eles. Essa é a origem da expressão “lutar contra moinhos de vento”, no sentido de atacar inimigos imaginários ou de realizar esforços em vão. Mas Picard fala para Clancy que seus moinho de vento se transformaram em gigantes de verdade.

 Nu Scorpii

ENH Enoch

Quando Raffi está conversando com Enoch, o Holograma de Emergência de Navegação (ENH – Emergency Navigation Hologram), ele cita Nu Scorpii, um sistema planetário setenário, muito raro na Via Láctea. No mundo real, Nu Scorpii é um sistema de sete estrelas localizado a cerca de 474 anos-luz da Terra. Este holograma tem sotaque irlandês, em homenagem aos engenheiros de navegação, antigos imigrantes irlandeses, que foram trazidos para o trabalho nas ferrovias nos Estados Unidos.

Piadas do Data

Picard descreve Data para Soji e diz que ele fazia todos rirem, menos quando ele queria fazer todos rirem. Em A Nova Geração vários episódios retratam a inabilidade de Data para contar piadas, especialmente no episódio “The Outrageous Okona”, onde ele tenta ser um comediante stand-up, sem sucesso.

Holograma Engenheiro de Emergência

Este holograma (EEH – Emergency Engineering Hologram), chamado Ian, tem sotaque escocês, em homenagem ao engenheiro Montgomery “Scotty “ Scott, de Star Trek: TOS (James Doohan) e dos filmes da linha Kelvin (com Simon Pegg).

Chá de yridium

Quando o holograma de Hospitalidade falou sobre as modificações que o Rios fez nos hologramas, disse que ele não sabia mais a temperatura ideal para fazer chá de yridium. Os Yridians eram uma raça de comerciantes de informação e contrabandistas, geralmente considerados desonestos e não confiáveis, que apareceram em 22 episódios de Deep Space Nine e em outros episódios de Voyager, Enterprise e A Nova Geração. O chá de yridium foi visto pela primeira vez no episódio de A Nova Geração “Eye of the Beholder”, quando a conselheira Deanna Troi pediu a bebida, enquanto discutia os detalhes do suicídio do tenente Daniel Kwan com o tenente Worf, em seus aposentos.

Livros de Chris Rios

A coleção de livros de Rios é mostrada em seu quarto.

Na estante:

  • “The Stranger”, de Albert Camus, publicado em 1942.
  • “Dead in the Afternoon” de Ernest Hemingway, publicado em 1932. É um guia de touradas espanholas.
  • A Casebook on Existentialism”, de William V. Spanos, publicado em 1966.
  • “The Concept of Dread” (1844), “Fear and Trembling” e “Sickness Unto Death” (1949), livros de Kierkegaard, filósofo do dinamarquês do século 19.
  • “The Rebel”, de Albert Camus
  • “The Tragic Sense of Life”, de Miguel de Unamuno, livro que Rios estava lendo no terceiro episódio da série.

Na mesa:

“Surak and the Existencialism”. Surak foi um filósofo e cientista, considerado o pai da moderna civilização vulcana, que apareceu na Série Clássica em “The Savage Curtain” e em Enterprise no episódio “The Forge”.

Pisco

Em seu quarto, Chris Rios está bebendo Pisco, um aguardente proveniente do Peru e Chile. É a mesma bebida que ele usou para desinfetar sua ferida no terceiro episódio da série “The End is The Beginning”. Santiago Cabrera, o ator que faz o piloto Cristobal “Chris’ Rios, é chileno.

ibn Majid

O Capitão Chris Rios serviu na nave da Federação USS ibn Majid, NCC-75710. Ahmad ibn Majid  foi um navegador e cartógrafo árabe, que nasceu em 1421 em Julpar, localidade hoje conhecida como Ras Al Khaimah, um dos sete emirados dos Emirados Árabes Unidos. Foi criado numa família célebre em navegação e com a idade de 17 anos tornou-se capaz de navegar navios. Tornou-se famoso no Ocidente como o navegador que ajudou Vasco da Gama a encontrar o caminho marítimo da África para a Índia, contornando o Cabo da Boa Esperança. A experiência de ibn Majid e de outros navegadores árabes contribuiu grandemente para o desenvolvimento do sistema europeu de navegação no Oceano Índico. De acordo com Michael Chabon, em seu Instagram, a nave ibn Majid era um cruzador da classe Curiosity.

Lembranças de Chris Rios

Rios guarda, em um baú, várias lembranças de seu tempo na Frota Estelar. Seu uniforme, uma caixa com o símbolo da nave ibn Majid, uma caixa de charutos com uma foto sua ao lado do Capitão Alonzo Vandermeer, os pins de ranking da Frota Estelar e o comunicador, todos semelhantes aos de Picard e Raffi, nos flashbacks iniciais da série e nos quadrinhos Countdown. Ele guarda também um disco que ficava atrás do ombro dos uniformes dos filmes da Série Clássica.

Vandermeer

O nome do Capitão Alonzo Vandermeer, visto em uma foto nos guardados do Capitão Rios, pode ser uma homenagem a um autor de ficção científica, contemporário de Michael Chabon, Jeff VanderMeer, que recentemente lançou com sucesso o livro “Dead Astronauts”. 

Astronavegação Medusana

Na conversa de Raffi com os cinco hologramas da nave La Sirena, o holograma navegador, (ENH – Emergency Navigation Hologram) Enoch, cita que suas tácnicas de astronavegação medusana sumiram. Os medusanos eram uma raça não-corpórea, telepática e empática, altamente inteligente, famosos por suas habilidades em navegação. Foi mostrado na terceira temporada da Série Clássica, no episódio “Is There in Truth No Beauty”.

Juramento de Hipócrates

Ainda na conversa com Raffi, o holograma médico (EMH – Emergency Madical Hologram), Emil, diz que seu juramento de Hipócrates iria ser violado. O Juramento de Hipócrates é um juramento solene efetuado pelos médicos, tradicionalmente por ocasião de sua formatura, no qual juram praticar a medicina honestamente. Acredita-se que o juramento tenha sido escrito por Hipócrates, que é considerado o pai da medicina ocidental, ou por um dos seus alunos. O juramento original foi escrito em grego jónico, no século V a.c.

Walkman

Quando Raffi entra no quarto de Rios, ele está escutando a música “Solitude” de Billy Hollyday, proveniente de um toca-discos, que ela confunde com um walkman.

Zefran Cochrane

Em conversa com a tripulação, Rios cita Zefran Cochrane, inventor da unidade de dobra (“warp drive”), como visto pela primeira vez na Série Clássica em “Metamorphosis” e no filme Star Trek: First Contact.

Regenerando o Cubo Borg

Resultado de imagem para borg cub regeneration q who

Sete leva Elnor para a câmara da rainha e começa a reativar o cubo adormecido, fazendo-o regenerar. Na primeira aparição Borg em “Q, Who?” de A Nova Geração, um cubo é visto se consertando, depois de sofrer graves danos com as armas da Enterprise-D.

A Esfera Borg 

Narissa instrui seus soldados a abandonarem o Artefato e embarcarem nas naves romulanas. Neste processo podemos ver o Artefato se regenerando e o que parece ser também uma esfera Borg meio que espreitando de dentro do cubo. O cubo Borg que atacava a Terra no filme Star Trek: First Contact também tinha uma esfera embutida, quando foi destruído. A esfera Borg apareceu pela primeira vez na série Voyager, no episódio “Drone”.

Conduite Transwarp ou Transdobra

Um conduíte transwarp, também conhecido como corredor de transwarp, é um caminho de energia, criado artificialmente, através de um domínio do subespaço conhecido como espaço transwarp. Os borgs utilizam esse caminho para cobrir grandes distâncias em um período relativamente curto de tempo. Soji, ao tomar o controle da nave La Sirena, pretende usar esse caminho para chegar em seu planeta natal antes dos romulanos e informa que aprendeu isso no cubo borg, quando ainda era a Dra. Soji Asha. Esse conduite é descrito por Geordi La Forge  no episódio de A Nova Geração “Descent” e mostrado em vários episódios de Voyager.

Canção de ninar

Quando Soji sequestra a nave para acessar os conduítes transwarp, colocando um campo de força, Rios canta, em espanhol, uma canção de ninar que sua mãe ensinou, para liberar o acesso. É uma canção infantil, típica de países sul-americanos, com variações na letra nos diferentes países. A letra cantada por Rios é:

Marta Betanides

Picard, em conversa com Rios, fala que conheceu o capitão Alonzo Vandermeer, quando ele era o primeiro oficial da capitã Marta Betanides, uma de suas melhores amigas na Academia da Frota Estelar. A personagem Betanides é vista em “Tapestry” de A Nova Geração. O disco guardado na caixa de charutos de Rios pode ter pertencido a ela.

Bússola

No final do episódio, Soji tira do bolso a bússola que ela ganhou de Kestra, no episódio anterior “Nepenthe”, e que estava quebrada, mas agora funciona e aponta para o norte.

E aí, achou mais alguma referência? Deixe nos comentários as que você encontrou!

Be the first to comment on "Easter eggs e referências em “Broken Pieces”"

Leave a comment

Your email address will not be published.


*