Rick Berman fala sobre Voyager, próximo filme e Série V

Daniel Sasaki
Editor de Voyager

A revista britânica “Star Trek Monthly” vem publicando um especial sobre os bastidores de Jornada e recentemente conseguiu uma matéria com Rick Berman, o chefão do franchise. Durante a entrevista, ele respondeu a críticas dirigidas à Voyager, falou sobre o décimo filme para cinema e revelou informações a respeito da enigmática Série V.

De todos os seriados de Jornada, Voyager, cujo episódio final está sendo filmado, é possivelmente o mais criticado por não desenvolver a fundo seus personagens principais. O próprio Berman admitiu que Chakotay, Tuvok, Neelix e Harry receberam pouco destaque em roteiros, mas não acha que tiveram menos do que qualquer outro personagem de Star Trek. Sobre a capitã Janeway, Seven of Nine, o Doutor e, de certo modo, Tom e B’Elanna, disse que houve um equilíbrio em termos de histórias e como os personagens se desenvolveram.

Mas ele não esconde seu arrependimento ao dizer que queria poder ter feito mais. “Gostaria de ter dedicado mais tempo para enfocar alguns relacionamentos”, diz. Ele cita um exemplo que ocorreu durante a Nova Geração, em que metade de uma temporada destacava Data, sendo que na seguinte só haveria um episódio do personagem, o que trazia reclamação dos fãs. Segundo Berman, tudo depende do tipo de roteiro que está sendo criado no momento.

Outra grande crítica atribuída à Voyager é a falta de histórias ilustrando a tensão entre os Maquis e a Frota, dados a intolerância e antagonismo recíprocos. “Sobre a questão Frota/Maquis,” Berman continua, “bem no início da série, Jeri Taylor, Michael Piller e eu concluímos que manter qualquer tipo de conflito substancial entre os personagens Maquis e da Frota romperia o tipo de família de Jornada que tentávamos criar na Voyager, uma nave perdida no distante quadrante Delta. Certamente, de tempos em tempos, inclusive nessa última temporada, voltamos a abordar a questão da rebelião, mas não acho que foi um erro minimizá-la. E o fizemos justamente para manter a visão de Gene Roddenberry de minimizar conflitos entre personagens regulares”.

Sobre o fim da série, como sempre Berman foi evasivo, e o tópico da conversa logo mudou para novos projetos, como o quinto seriado e o décimo filme. “Para o filme, John Logan, Brent Spiner e eu desenvolvemos uma história e trabalhamos bastante nela. A Paramount estava bastante entusiasmada e nos apoiou. Entregamos o rascunho para o estúdio e as revisões estão sendo feitas. Acho que as gravações só deverão começar em outubro, assumindo que não haverá greves”.

Por outro lado, enfatiza: “A Série V é onde meu coração está de verdade neste momento, onde meu sangue e trabalho árduo têm estado. Estamos em fase de preparação. Brannon e eu escrevemos o roteiro. Temos uma tremenda ajuda de todos na Paramount, que já o leu. Não sabemos ao certo onde a série vai terminar, mas é muito provável que seja na UPN. Estamos em completa pré-produção, trabalhando com Herman Zimmerman tanto nos designs interiores como exteriores. De fato, estaremos dando as primeiras marteladas nas próximas semanas em um estúdio que no momento está sendo usado por ‘Vanilla Sky’, um filme com Tom Cruise. Estamos começando a contratar pessoas. A escalação do elenco começará em breve e creio que iniciaremos as filmagens do piloto de duas horas durante maio”.

Quanto ao crescente efeito das greves de atores e roteiristas, Berman está otimista. “Certamente terminaremos o piloto antes da greve. Talvez terminaremos o piloto e um episódio de uma hora antes da greve. Quanto ao que acontecerá depois disso, veremos”.

Fonte: TrekToday

Be the first to comment on "Rick Berman fala sobre Voyager, próximo filme e Série V"

Leave a comment

Your email address will not be published.


*