As Aventuras do capitão Sulu

Nessa era de prequels e reboots, existem duas características que marcam os trekkies do mundo inteiro: reclamar muito e reclamar mais ainda. De Rick Berman a J.J. Abrams, ninguém escapa das criticas ferrenhas dos fãs de Jornada. Reclamam quando o filme é bom e sucesso de bilheteria, e ainda reclamam quando o filme é ruim e fracasso. Reclamam quando a série de TV está boa e reclamam quando ela está ruim. Reclamam quando seu personagem favorito morre, mas reclamam também quando ele é ressuscitado. Bom, deu para ter uma idéia do que estou falando, não é? E cá estou eu, reclamando das reclamações dos trekkies (mas ei, eu não sou trekkie!).

Nos últimos anos, as reclamações dos trekkies se transformaram em uma forma de reivindicação muito singular: as fan campaign, ou em bom português, campanhas de fãs. Criadas por grupos bem organizados, tais campanhas consistem de todo tipo de recursos como abaixo-assinados, sites com cadastros a downloads, passeatas, anúncios em jornais hollywoodianos como o Variety e por ai vai. Os exemplos são muitos: quem não se lembra da campanha Bring Back Kirk, que clamava para o retorno de William Shatner ao papel de capitão Kirk em um novo filme ou episódio das séries televisivas? A campanha chegou até a produzir um trailer de 8 minutos com altíssima qualidade técnica (eu mesmo exibi o tal trailer em um evento de quadrinhos aqui em Belo Horizonte, e a galera presente na platéia adorou e pediu bis).

Já a campanha DS9 Relauch pedia através de um abaixo assinado a volta de Deep Space Nine como filmes para o cinema ou TV. A campanha Save Enterprise, organizada pelo grupo Trek United, arrecadou milhões de dólares para pagar uma nova temporada de Enterprise na UPN – tiveram que devolver todo o dinheiro. E finalmente existe também a Excelsior Campaign, campanha que visava o retorno do dublê de ator e ativista gay George Takei como o capitão Hikaru Sulu e sua tripulação da USS Excelsior em uma nova série de TV intitulada (você adivinhou) “Star Trek Excelsior”. A campanha ganhou espaço na mídia quando o próprio Takei de tornou seu porta-voz e garoto propaganda, dando voz, fosse em convenções ou na mídia, para o retorno de seu personagem em uma nova série de TV.

O ano era 1996 e Voyager comemorou os 30 anos da franquia com o fraquíssimo episódio “Flashback” (escrito pelo… aham… gênio de Brannon Braga. Tinha de ser ele.). O episódio trazia de novo Takei e Grace Lee Whitney aos papeis de Sulu e Rand na nave estelar Excelsior, reprisando assim os papéis que ambos interpretaram no brilhante filme Jornada nas Estrelas VI. Como já se sabia que Deep Space Nine iria sair do ar após sua sétima temporada em 1999, a Excelsior Campaign caiu de boca em todas as frontes para que a próxima série de TV fosse as aventuras do Capitão Sulu, apesar de “Flashback” mostrar a todos que Takei era um ator limitado, sem carisma e não conseguiria carregar no ombro uma série por conta própria. Os organizadores da campanha chegaram até a fazer passeata na porta da Paramount Pictures em Los Angeles para atrair a atenção do estúdio para sua causa. Não deu certo. Poucos meses após o cancelamento de Deep Space Nine, a Paramount e Rick Berman anunciavam que a quinta série de TV de Jornada seria a prequel Enterprise. O que aconteceu a seguir, todo mundo sabe: Enterprise foi um fracasso de crítica e público e acabou matando Jornada na telinha, Rick Berman foi demitido e as chances de uma nova série de TV são pequenas no momento. Mas a Excelsior de Sulu ganharia uma segunda chance. Onde? Ora, onde todas as idéias rejeitadas por Rick Berman e o estúdio ganham nova vida – nos livros da Pocket Books, é claro!

A seguir, um resumo das aventuras do capitão Sulu em livros, quadrinhos e audiobooks, a maioria deles escritos antes que a Excelsior Campaign fosse criada.

Tests Of Courage. Escrito por Howard Weinstein com arte de Gordon Purcell, Rod Whigham, Arne Starr, Pablo Marcos. Publicado em 1994.

Hikaru Sulu assume comando da USS Excelsior e tem sua primeira missão nessa graphic novel da DC Comics. A Enterprise-A de Kirk se junta a Excelsior para resolver o mistério de um carregamento de poderosas armas experimentais que simplesmente desapareceu em pleno espaço da Federação. A linda arte de Purcell salva a pátria nessa graphic novel da DC, com roteiro fraco de Weinstein.

Fearful Summons (livro). Escrito por Denny Martin Flinn. Publicado em 1995.

Escrito por Martin Flinn, o mesmo roteirista de Jornada VI, o livro mostra a captura de Sulu e a tripulação da Excelsior por uma raça chamada Thraxians. Quando a tripulação da Enterprise, já aposentada, se reúne para tentar salvar Sulu, os Thraxians exigem que armas em troca da tripulação capturada. Resta a Kirk violar a Primeira Diretriz para salvar a pátria (para variar). Um péssimo livro do principio ao fim, que tenta em vão ser uma seqüência dos eventos de Jornada VI.

The Captain’s Daughter (livro). Escrito por Peter David. Publicado em 1995.

Escrito pelo consagrado Peter David, criador e autor da sensacional série “Star Trek New Frontier”, “The Captain’s Daughter” é um primor do princípio ao fim, e o melhor dos livros do Capitão Sulu. A filha de Sulu, a Alferes Demora Sulu, é morta por seu oficial comandante, o Capitão John Harriman da Enterprise-B, após atacá-lo. Determinado a descobrir a verdade, o Capitão Sulu vai ao planeta onde sua filha foi assassinada mas encontra um velho inimigo capaz de destruir a vida e a reputação de Sulu. Como sempre, Peter David nos traz um ótimo livro, com uma grande caracterização para os personagens de Sulu e Harriman.

Cacophony (audiobook). Escrito por J. J. Molloy. Lido por George Takei, Simon Jones, Maryann Plunkett, Lynne Thigpen e Lee Wilkof. Publicado em 1994.

Primeiro dos audiobooks em CD com uma aventura exclusiva de Sulu (não disponível em livro) lida pelo próprio Takei e um elenco de atores, com direito a uma trilha musical e efeitos sonoros. No planeta Stentor, o silêncio é a única coisa que mantém a paz numa sociedade devastada por uma grande guerra. Mas a calmaria é quebrada quando um grupo conhecido como Ghanzi, que criam uma nova tecnologia que intercepta sinais de rádio da Terra e os transmitem para todo o planeta. A Excelsior é chamada para investigar e Sulu e sua oficial de comunicações descobrem que os Ghanzi acreditam que os sinais são de fato as vozes dos deuses. Poderá Sulu impedir a guerra iminente?

Envoy (audiobook). Escrito por L. A. Graf. Lido por George Takei, Essene R., Jenifer Lewis, Nan Martin, Howard McGillin e Meredith Monk. Publicado em 1995.

O capitão Sulu recebe ordens para se dirigir imediatamente para a Base Estelar 3. Suas ordens são servir como emissário da Federação em uma histórica cerimônia de paz entre duas raças do setor, os Krikiki e os Den-Kai. O dever de Sulu será entregar o jovem príncipe Krikiki para os Den-Kai como gesto de paz. Mas quando Sulu descobre os sacrifícios e torturas que envolvem o papel do príncipe, ele poderá arriscar em violar a Primeira Diretriz e comprometer a paz.

Transformations (audiobook). Escrito por Dave Stern. Lido por George Takei, Dana Ivey e Daniel Gerroll. Publicado em 1995.

Última produção em áudio CD com as aventuras do capitão Sulu, este também é o pior – tão ruim que chega a ser sonolento. Vinte anos após ser capitão da Excelsior. Sulu agora é um renomado diplomata da Federação. Quando uma famosa arqueóloga, a Dra. Constance Allenwood, chega perto de revelar o segredo de uma lendária raça que Sulu encontrou décadas antes, cabe ao velho oficial voltar à ativa e impedir que um velho inimigo seja libertado.

Starfleet Academy (romance). Escrito por Diane Carey. Baseado no jogo de CD-ROM da Interplay Productions. Publicado em June 1997.

Escrito por Carey, a autora preferida dos trekkies por seu trabalho nos clássicos livros do capitão Robert April (“Final Frontier” e “Best Destiny”). O cadete David Forrest, com a ajuda de Sulu, Kirk e Chekov deve impedir uma conspiração para destruir a Academia da Frota. Bom divertimento, seja como game ou livro.

Captain’s Table #1: War Dragons (livro). Escrito por L. A. Graf. Publicado em June 1998.

Parte da mini-série “Captain’s Table”, em que os maiores capitães de Jornada – Kirk, Picard, Sisko, Janeway e Sulu – reúnem-se em um bar de São Francisco para contar suas aventuras. Nesse livro, é a vez de Sulu fazer seu relato. Mais uma vez Kirk e Sulu unem suas forças, desta vez para resolver uma situação política instável em um remoto sistema estelar onde duas raças milenares, os Nykkus e os Anjiri duelam há centenas de anos e têm recusado a ajuda dos melhores diplomatas da Federação. Kirk e Sulu têm de consertar a situação antes que uma guerra interestelar varra todo aquele setor do espaço.

The Sundered: The Lost Era 2298 (livro). Escrito por Michael A. Martin e Andy Mangels. Publicado em 2003.

A série “The Lost Era” apresenta aventuras passadas durante os 70 anos entre a época da Série Clássica e a de A Nova Geração. Cinco anos após a aparente morte do capitão Kirk na Enterprise-B, a USS Excelsior esta em espaço Tholiano na esperança de trazer um acordo de paz para a Federação, mas o resultado é um perigoso confronto entre os Tholianos e uma raça conhecida como Neyel, cujas origens ocultas podem trazer guerra o Quadrante Alfa. Cabe a Sulu descobrir a verdade e resolver o conflito antes que a própria Excelsior seja destruída no fogo cruzado. “The Lost Era” é realmente uma boa série, mostrando as missões de naves dessa “época perdida” como a Excelsior, a Enterprise-B, a Enterprise-C e daí por diante.

Pois bem, ai está. Se você ama Sulu e a Excelsior, ou se você o detesta ou mesmo se você é indiferente e apenas ama uma boa leitura, aqui estão todos os livros que narram as aventuras da série de TV de Jornada que poderia ter sido, mas não foi – Star Trek Excelsior. E nessa era de prequels e reboots, na qual a Paramount anda mostrando pouco respeito pelos fãs em sua eterna jornada de ganhar dinheiro, é sempre bom saber que podemos contar com os livros e quadrinhos de Jornada para uma boa dose de aventura e divertimento no melhor estilo.

Se você não concorda… reclame!

Artigo originalmente publicado no conteúdo clássico do Trek Brasilis em 4 de setembro de 2006.

Be the first to comment on "As Aventuras do capitão Sulu"

Leave a comment

Your email address will not be published.


*