Filme será antes da missão de 5 anos, diz Pine

chris-pine-2.JPGA última edição da revista Star Trek Magazine trouxe uma breve entrevista com o ator Chris Pine, que faz o papel do jovem James Tiberius Kirk. O ator, embora nada tenha revelado sobre seu personagem ou mesmo sobre a história, mostrou-se muito animado com seu trabalho e chegou a comparar o filme de Jornada nas Estrelas com a mais nova produção do homem morcego, Batman Begins.

“No filme, você vai pegar o nascimento, a juventude e o começo dos personagens antes da missão de cinco anos”, disse Pine referindo-se a Série Clássica. “Isso será um grande filme. Você vai entender o sentido de onde eles vieram e como começaram. E para quem é amante de filmes de ação irá adorá-lo”, disse o entusiasmado ator.

Pine ainda disse que tem confiança na habilidade do novo filme em atrair novos fãs e que ele sente que o filme tem o balanço certo entre a ação e o humor, tanto para atrair os antigos fãs quanto para cativar os novos.

Fonte: TreWeb.

24 Comments on "Filme será antes da missão de 5 anos, diz Pine"

  1. Star Trek Begins?
    Ou seria Star Trek Episódio 1?

    Mais um filme que “explica” como tudo começou…
    A moda agora é fazer filmes para explicar o que nunca precisou de explicação…

  2. concordo. se nao fosse a presença de nimoy como spock, nao estaria ansioso para ver esse filme

  3. JORNADA é sempre JORNADA…

  4. Eu acho um erro pré-avaliar um filme por ele ser um prequel. Isso faz parte da evolução do cinema.

    Provavelmente tiveram essa mesma reação, de pré-repudio, quando se produziu a primeira continuação de um filme.

    Porém hoje, ha grandes clássicos que só são classicos que assim se tornaram graças ao conjunto da obra, ou seja, o original e suas ramificação. Tipo, Star Wars, Poderos Chefão e etc…

    O mesmo caso se aplica aos ramakes enfim, essa ideia de “deuzificação” do “primeiro” do “unico” e etc.. está completamente ultrapassada.

    O mesmo caso se aplica ao prequéis, como por exemplo o Batmam Begins que o Pine citou, começou como um prequel mais ganhou “vida própria” e ja é uma espécie de reboot.

  5. hauhaua… nossa vários erros de grafia no meu post… sorry!

  6. Não gosto dos comentários desse cara, sempre tão superficiais… sei se alguem percebeu, mas ele não tem o dom para dar entrevistas!

    Primeiro ele compara o seu personagem com Han Solo e/ou Indiana Jones e agora ele compara o filme à Batman Begins, como se, só assim, pudessemos entender como será este novo filme!

    Ora, bastaria explicar que história versa também sobre a origem de alguns dos cultuados personagens, seria muito mais inteligente da parte dele, no entanto, todo mundo já sabe disso, será que ele não percebeu?

    Isso que é cultura blockbuster!!! Um sujeito que baseia suas críticas e opiniões em blockbusters seria capaz de dar profundidade ao nosso controverso Cap. Kirk?

    O velho Bill, canastrão como sempre, moldou o seu personagem à sua personalidade, e este Sr. Pine, o que nos reservará?

  7. […] sempre tão superficiais… não sei se alguem percebeu***

    Não tem jeito, sempre como alguma palavra! hehe

  8. Mad Max 2, Exterminador do Futuro 2, Aliens, O Poderoso Chefão 2, O Império Contra-Ataca, A Ira de Khan, De Volta Para o Futuro 2,…

    A lista acima é um pequeno exemplo de quanta diversão deixaríamos de ter se nem fosse tentada a produção de sequências…

    GENTEM! OLHA A INTOLERÂNCIA, O PRECONCEITO E A BIRRA! Assim fica difícil ser feliz! O mundo tem que ser um mar de rosas?

    Pra mim tudo é como uma plantação… temos que semear várias sementes, e nos refestelarmos das boas, das que florescem, ignorando as ruins, as mirradas… por isso não adianta listarem as péssimas sequels… SÃO UM MAL NECESSÁRIO.

  9. Luís Henrique Campos Braune | 5 de abril de 2008 at 8:20 pm |

    Fecho com o 4, 6 e 8! E completando: embora Batman Begins seja um blockbuster, foi sem dúvida o melhor filme de todos (da série Batman). E Batman Begins, a meu ver, precisou ser feito para arrumar a “porcariada” que estava sendo feita com os filmes anteriores. Batman em Batman Begins é um “baita morcegão”, o cara é malvado mesmo, sinistro, cavaleiro das trevas…

    Como tinham que arrumar a bgunça, tiveram que recomeçar, pra dar força ao personagem.

    Com ST, a coisa não é tão grave assim, mas ST precisa de uma chacoalhada e o melhor jeito é começar do começo.

    ST tem uma p… vantagem: como é um universo muito extenso (sem querer fazer trocadilho), pode-se pegar qualquer ponto de uma determinada linha de história/filme/série e dali puxar um rolo sem fim de coisa pra contar.

    Daí fica fácil dar uma esticadinha no início e começar esse negócio com força, com vontade!

    Quer saber? Acho que ST só perde para 007 em termos de filmes produzidos (não me venham com esse negócio de seta-feira 13, que isso não é filme!) e espero que a coisa dê tão certo que esse povo de Holywood dane a fazer filme de ST (com a devida qualidade, claro).

    É bola pra frente que atrás vem gente!

  10. E tem o Hulk, também! Fizeram uma ca_a_a com aquele Hulk em 3D. O verdão pegava a namorada na mão! Tava quase da altura do King Kong e… com rosto de bebezão! Sem falar em uma porrada de burradas, mas deixa pra lá, porque aqui não é um espaço de discussões para falar de Hulk, nem de Superman, Laserman, Astroman, X-men nem Batman begins, né, Sr. Chris Pine?

  11. Não me importo quanto tentam “explicar como tudo começou” desde que, é claro, seja bem feito! Estamos acostumados a andar para frente, dar sequência às estórias, filme 2, filme 3, 4, 5…mas agora está surgindo uma nova tendência que é andar para trás e explicar o que aconteceu antes. Ao meu ver não importa se você vai andar para frente ou para trás, os riscos devem ser os mesmos! As chances de estragar uma produção independe de você estar filmando uma continuidade ou um retrocesso ao passado. Existem vários exemplos bons e ruins para ambos os casos, portanto acho que não é andar para frente ou para trás que vai definir se o um filme será bom. Resta confiar e aguardar =]

  12. Mário Augusto Gomes | 6 de abril de 2008 at 6:57 am |

    Isso parece aquela pizza que se come no domingo de manhã, aquela que sobrou do sábado….
    Duas coisas: 1- a proporção de fracasso de filmes como Hulk, Planeta dos Macacos, Perdidos no Espaço, Psicose e etc é infinitamente maior que o “sucesso” de batman begins.
    2-Filmes como a Ira de Khan e o primeiro contato foram excelentes ( no meu caso adoro o Star Trek , o filme) e se fossemos agregar mais fãs já os teríamos feito. Cada série da franquia tinha sua característica pessoal, os fãs de TOS tem um perfil específico e ela foi cultuada por esse público, que é diferente da TNG etc ( uns preferem mais TOS que TNG e vice versa).
    Cutucar na “religião” de muitos dá nisso, custa caro, tem que subornar as opiniões de muitos opositores, dar pontas sem fala, usar um ícone como Nimoy para validar a “anomalia”, isso tudo pq a Paramount fooi incompetente em lidar com a franquia de forma satisfatória. Há uma falta de criatividade latente no cinema de hoje, o “faz me rir” de Alien vs Predador é uma afronta ao 8o Passageiro ( um CLÁSSICO) e o caça níqueis da bilheteria é o que manda.
    Ainda acredito que a franquia Star trek poderia ter seguido um caminho completamente original, com filmes com uma tripulação e nave completamente desconhecida, aproveitando o UNIVERSO Star Trek, utilizando scripts originais se desprendendo de alguns cacuetes da TV ( como evitar mostrar sangue, cenas sensuais, temas mais complexos), com finais trágicos até (pq não?). Filmes com uma temática mais adulta e não pueril, porém com citações e utilização da temática da franquia. Isso foi exatamente (guardadas as devidas proporções pela década e pelo veículo TV) o que o Gene fez, colocar temas humanos num Universo ficcional.
    Sinceramente, toda esta onda em cima dessa paródia me enjoa, esse Diretor não me parece um profissional qualificado ( e bem intencionado) para invadir o Universo já tão formatado de Star Trek, duvido que George Lucas tivesse deixado a franquia dele na mão de gente tão desvinculada ao projeto idealizado.
    Torço que seja um fracasso abismal !

  13. Mário Augusto Gomes | 6 de abril de 2008 at 7:13 am |

    Completando:

    Sentimos o cheiro da morte quando uma franquia começa com o “Filho de Chuck”, O filho do Fred Krugger e assim vai. Como a Paramount só pensa em Viagem do tempo, colocaram essa lógica de ponta cabeça…. pegaram o começo da franqua.
    Os fãs estão tão ávidos de algum materia de star Trek depois da frustração de Nemesis e da morte do Data que estão aceitando cegamente qualquer porcaria para tirar o gosto amargo do filme anterior.
    Parece que esse que chega é pior que o star trek V (tem até espirito……huuuuuuu)

  14. Mário Augusto Gomes | 6 de abril de 2008 at 7:32 am |

    Só para não parar no 13 que dá azar….

    Pôxa vida, o argumento que Star Trek precisa desse filme para “arrumar” as besteiras feitas por outros é muito fraco. A Franquia está no ar cerca de 40 anos…… são 40 anos, não se pode comparar com Star Wars, Exterminador do Futuro…. não comparo nem com o Indiana Jones.
    Por favor, não achem que essa paródia pode confrontar, explicar, alavancar um Star Trek que tem gerações de fãs….. Star Trek está muito , mas muito acima do JJ adams, alias, daqui há 10 anos, ninguém saberá quem ele foi no Universo Star Trek, só ele mesmo, que deverá comprar um novo casarão com o orçamento da Paramount…

  15. Pra mim, esses filmes que voltam ao começo são o último recurso caça-níqueis, depois que tudo mais já foi explorado e as idéias acabaram.

  16. Mas também não vou torcer pra fracassar…
    por enquanto…

  17. Nossa, mas uma declaração óbivia, não tem o que debater sobre isso.

  18. Caros Amigos,
    Muito barulho por nada. Lembro das péssimas continuações de filmes…mas depois vieram aqueles que respeitam as idéias originais e, por que não, nostalgicamente retomam o rumo dos clássicos. Não nos esqueçamos que a maioria dos que são admiradores de ST, tem praticamente a mesma idade que a série. Então, ficamos frustrados quando um diretor resolve direcionar a película como se fosse sua obra-prima, esquecendo-se de que ela já tem ‘dono’. Sim, os fãs, admiradores, além do prórpio criador, são os ‘donos’ da história, e não os produtores e os diretores (em se tratando de clássicos, entendam bem). Trocando em miúdos, sem querer ter a palavra final: devemos aguardar o lançamento do filme, vê-lo, digerí-lo e somente depois emitir nossas opiniões. Não controlamos os estúdios de cinema nem as televisões. Assim como os políticos eles controlam o que devemos ver, mesmo quando parece que nós fizemos as escolhas. Então, como disse um dos comentadores acima (ou seria abaixo?), o que importa é tudo seja feito com bom gosto. daqui a 40 anos, provavelmente a metade dessa geração estará morta e aí? Os que vierem poderão fazer mudanças terríveis e lançarem remakes ainda mais distantes das histórias originais. O que poderemos fazer? Nada. Vejam o caso do Superman. Quando eu era criança, sabia que ele tinha aterrisado por volta de 1938/40, mas desde então já fizeram ele descer à terra, em pelo menos três épocas diferentes só para adaptar o enredo à geração vigente. Então, podemos esperar, sem espernear que esse novo filme seja uma tentativa de atrair os novos, nossos filhos e netos. Não vamos perturbá-los com críticas. Deixem que se divirtam. E tenho dito.

  19. Luís Henrique Campos Braune | 6 de abril de 2008 at 10:22 pm |

    Fecho com o post 11. O 12, 13 e 14 são sinistros. Até entendo e respeito a lógica do amigo… mas torcer para ser um fracasso é pegar pesado!

  20. Olha, acho que alguns fãs estão exagerando…Eu me lembro como apressava minha mãe na feira, para comprar pastéis de carne e de queijo, em São Paulo, e íamos às pressas pra casa para poder ver mais um capítulo de jornada nas estrelas.Um deleite para mim como o melhor dos vinhos guardado para os Deuses.
    Acho que reviver aquele momento será impossível, de tão especial que foi!Hoje torço profundamente para ver coisas novas em jornada(Todas elas).Como disse o Mário sobre Aliens o 8, sim são diretores como James Cameron que ninguém apostava na época e que se saíram muito bem, mas depois também cometeram fracassos, no caso acho que temos que curtir a ansiedade e incessante curiosidade pelo novo, que de certa forma é o que move a audácia humana em explorar as modalidades cinematográficas e surfar nas manias do momento.Ver como tudo começou em jornada nas estrelas é algo muito mais abrangente do que ver o início de Batman(Perdi a credibilidade de Batman depois das horríveis atuações em forever), e olha que Begins na minha opinião foi magnífica!Salvou a reputação do homem morcego!
    Acho que devemos esperar e ver no que dá, afinal ainda assim o melhor filme de jornada nas estrelas é aquele que sonhamos e do qual fazemos parte a mais de 30 anos.Estou torcendo para ser um sucesso!

  21. Prezados,

    Vou dizer uma coisa óbvia que acho que esqueceram: os caras precisam começar de novo simplesmente porque os atores ficaram velhos! Tá todo mundo na faixa dos 60 pra cima, então tem de por gente nova. O jeito é começar de novo. Os personagens são o máximo. Desde de que mantenham ou atualizem o carisma deles (como fizeram no último 007 ou no Batman Begins) tudo vai ficar bem.

  22. Olha, eu considero o seguinte:
    A) Nêmesis foi ruim? Foi! Poderiam ter aproveitado melhor os romulanos, o Worf não tinha nada de guerreiro klingon quando levou aquele susto ao ser agarrado pelo braço do B-4, o Data ter morrido e ter a chance de “reviver” através do B-4, por causa do download de memória, ficou com cara, cheiro e gosto do “renascimento” do Spock, o filme foi lançado junto com o “Retorno do Rei”, etc e tal;
    B)) Entreprise não foi das melhores séries; a 2ª e a 3ª temporada deixaram muitíssimo a desejar,etc e tal;
    Mas, pombas! Acho que foram massacrados demais! Tá certo que foi por causa da duplinha lá, mas acho que aqui o caso foi como a gente brinca na medicina: a(s) bactéria(S) era(m) resistente(S) (dupla B&B), o tratamento foi feito com antibióticos fortes em doses cavalares, mas matamos a(s) bactéria(s)! Viva! Pena que o paciente morreu!
    Eu torço pelo filme! Que seja bacana, que dê novo fôlego à franquia, sem cometer atrocidades com o canon, mas também sem fanatismos. Não quero que ele seja um retumbante fracasso, porque aí vamos ficar sem ST de vez e então teremos que ser como museus, vivendo do passado.

  23. Mas pelo menos em Enterprise, o interior da nave se parecia mesmo com o de uma nave real e, o uniforme tinha mais consistência enquanto uniforme de uma tripulação de astronautas. Com todo o respeito a TOS, mas aquele monte de luzes nos painel, camisetas com mangas compridas e calças pretas com coturno…
    Pelo menos em Enterprise, embora fugisse um pouco do universo Star Trek original, tivemos muito mais cenas de ação que nas séries anteriores, pelo menos das que eu assisti. Em efeitos visuais é covardia comparar, porque as séries anteriores não usufruiram dos benefícios de CG que a última série usufruiu. Claro que ENT foi beneficiada, eu reconheço, pelos softwares melhorados do século XXI. Hoje temos o Maya 2008, 3ds Max 2009, XSI 6.5, softwares de simulação física como o Real Flow, de pós-produção, como After, Combustion, Inferno etc., mock-up digital, etc. Titanic só equiparou-se a Ben-Hur com 11 oscars justamente pelos efeitos em CG e por isso os 11 de Ben-Hur valeram muito mais, assim como valeram muito mais os mil gols do Pelé que o de Romário – forçados – rsrsrsrs. Mas é isso: gosto é = B, cada um tem a sua!

  24. Respondendo ao post 24: realmente me espressei mal quanto a Enterprise; eu gostei da série, tanto que tenho as 4 temporadas, mas a série acabou com aquele gosto de “quero mais”…eu acho que se, desde o início, tivesse sido seguida uma linha de raciocínio como foi feito na 4ª temporada, com certeza a série teria chegado na 7ª temporada. Foi uma pena!

Leave a comment

Your email address will not be published.


*