Abrams, “efeitos de Jornada são de enlouquecer”

j-j-abrams-1.jpgO diretor e produtor J. J. Abrams voltou a falar um pouco mais sobre o filme de Jornada na Estrelas. Embora continue em sua meta de manter tudo em sigilo até a estréia, ou pelo menos, até a exibição do primeiro trailer do filme, Abrams teceu comentários a respeito dos efeitos especiais, da audiência e fez um contraste com Clovefield. Veja os pontos mais importantes de seus comentários.

Apesar dos comentários de que o filme seja um reboot (recontar uma história de maneira diferente), Abrams sempre faz questão de frisar o seu respeito pela visão de Gene Roddenberry, criador da série, e a obediência aos eventos já estabelecidos. No entanto, o objetivo dele e do estúdio é de agradar ao público em geral e não somente aos fãs, “A audiência que estamos construindo esse projeto é para as pessoas que adoram filmes e não para pessoas que gostem somente de filmes de Jornada. Não estou dizendo que não estamos honrando o que foi feito antes, mas se fizéssemos um filme somente para eles (fãs) estaríamos limitando loucamente nossa audiência”, disse ao site Chron.com.

Continuando a falar sobre a audiência, disse Abrams em entrevista ao site Reuters, “O desafio de Jornada é pegar alguma coisa dela, que apesar da bagagem que carrega é imaginativa e irreal, e fazer com que se pareça tão real quanto possível. O ponto central no material em que estou sendo capaz de trabalhar refere-se a levar histórias não convencionais e combiná-las com pessoas, como nós”.

Durante o programa G4’s Attack of the Show, Abrams falou ainda a respeito de como anda a pós-produção do filme e como serão os efeitos especiais, “Bem, nós estamos cortando (cenas) agora, estamos editando o filme. E obviamente, essa Jornada terá zilhões de efeitos visuais. Nós estamos com sorte de termos a ILM (Industrial Light and Magic) fazendo esses efeitos e eles são espetaculares. Estou apenas começando a ver algumas das cenas deles e é de enlouquecer”.

Abrams falou também sobre a possibilidade de fazer uma sequência para Cloverfield. O filme já foi lançado em DVD (nos EUA) e embora Cloverfield tenha correspondido as expectativas do produtor, como um projeto de baixo orçamento e boa aceitação, ele não se compara com a produção de Jornada, “Cloverfield é suposto ser um video tape, encontrado durante a sequência do próprio filme. Isso é um tipo de coisa que você assiste na televisão. Apesar do que eu nunca diria algo assim para um filme como Jornada, o qual é um filme grandioso, épico, para grandes massas. Nós já encerramos as gravações e estamos começando a edição. Foi uma excitante, desafiante, mas satisfatória experiência. Estou torcendo para que você veja o filme”, disse o produtor que, de acordo com o site Variety, já vai entrar em outro gênero de entretenimento, as comédias.

Fonte: Trek Movie e Trek Web

19 Comments on "Abrams, “efeitos de Jornada são de enlouquecer”"

  1. Flávio Fernandes | 28 de abril de 2008 at 11:57 am |

    Então as filmagens já terminaram. Então, haja tempo para a pós-produção. Espero que tudo fique no capricho, diferentemente do Jornada 1, que foi feito ás pressas com resultado duvidoso.
    Quanto ao respeito ao Gene é uma obrigação.
    Quanto a agariar novos fãs, espero que ocorra com ética e respeito ao Jornada e nós que sempre estivemos ao seu lado nos bons e maus momentos.

    Abraços á todos.

  2. acho o seguinte: é só mais um filme – se vai ser bom ou ruim, depende muito do gosto e do entusiasmo de cada um – qdo vi Batman pela primeira vez achei maravilhoso – hoje não posso sequer pensar no filme – acho que vai ser o mesmo com STXI. Vai ser só mais um filme e como tal devemos tratá-lo – não vamos crucificar diretores nem atores, vamos simplesmente ir ao cinema e ver um filme – se tivermos uma boa compania ao nosso lado o filme sera bom – se não tivermos ninguem ao nosso lado será um filme como outro qualquer

    abraços e respeito a todos

  3. Ralph Pinheiro | 28 de abril de 2008 at 1:30 pm |

    Faltando ainda 01 ano para a estréia e provavelmente mais uns 06 meses para o 1º trailer, eles terão muito tempo para a edição e a produção dos efeitos especiais. Isso é bom porque tem tudo para resultar num trabalho de mais qualidade.

    Não acho que deva-se criar uma grande expectativa quanto ao filme e nem achar que é qualquer filme que vc assisti bocejando.
    Acredito que mesmo que seja um filme que não agrade ao grande público, vai ser sempre um filme especial para quem aprecia Jornada.
    Mas pelo capricho com que a produção e o elenco tem tentado passar, acho que o filme pode ser realmente algo muito melhor do que já foi feito antes pela franquia.
    Se fizerem isso, já estará de bom tamanho para mim.

  4. Luís Henrique Campos Braune | 28 de abril de 2008 at 5:18 pm |

    Pra mim não vai ser só mais um filme não… e por isso espero que ela atenda a todos, ou ao menos, a maioria!

  5. Bem que poderiam parar de entrevistar um pouco diretor, roteiristas e elenco e começarem a pegar os caras da ILM, porque os primeiros ainda não abrirão o jogo de nada, mas, pelo menos o pessoal de CGI da ILM poderia dar uma palhinha sobre a evolução de seu trabalho, pinceladas de como está ficando o desenvolvimento dos efeitos visuais e especiais, etc. , para termos mais ou menos uma idéia do que vem por aí e pararmos de focar um pouco sobre o roteiro e sim, imaginarmos e exercitarmos um pouco sobre como serão os efeitos em Jornada XI. Pelo menos pra mim, que curto 3D e estou me aprofundando nisso, assim como imagino que há vários trekkers que também curtem e trabalham com CG.

  6. Graças a Deus ILM! 😀

  7. Luís Henrique Campos Braune | 29 de abril de 2008 at 11:43 am |

    Pra mim não é só mais um filme não… será um grande filme, espero!

  8. Será ótimo assistir um filme de Jornada com efeitos bem caprichados, a CG das séries novas e dos últimos filmes não convencem pois não têm ‘profundidade’ nos detalhes. Na série original não me faz falta os efeitos pois aprendi a admirar as histórias e os atores, já nas novas séries, tanto a atuação que considero superficial e contida como um desenrolar de história e diálogos as vezes enfadonhos e constrangedores, faz falta sim efeitos de CG aprimorados que aumentem nossa percepção de que estamos vendo uma ‘saga de ficção científica’. Baixo orçamento não é desculpa para efeitos de pequenos cuidados, procurem assistir Star Wreck – In the Pirkinning e percebam a qualidade dos efeitos, criados por estudantes de 18 anos, e como esses efeitos enriqueceram aquela já sensacional história, sem orçamento algum. Ok, levaram 2 anos, e as séries têm 1 semana de prazo, mas percebe-se que não há amor nesse trabalho, apenas mais um projeto de baixo orçamento para um pessoal de carteira assinada.

  9. ” …apesar da bagagem que carrega é imaginativa e irreal, e fazer com que se pareça tão real quanto possível. O ponto central no material em que estou sendo capaz de trabalhar refere-se a levar histórias não convencionais e combiná-las com pessoas, como nós.”

    Isso tem muito em comum com Cloverfield, o reboot de Godzilla…

  10. Transformar algo manjado em algo que surpreenda novamente, devolvendo seu mistério, tirando sua familiaridade… também deve ser outro ponto em comum…
    (estou chutando baseado na boa impressão que tive de Cloverfield…)

  11. Achei que o Abrahms desta vez foi mais enfático em afirmar que o filme não é só para fãs: “…se fizéssemos um filme somente para eles (fãs) estaríamos limitando loucamente nossa audiência…”

    É um reboot ou é um remake ? De certa forma trata-se dos dois.

    É a presença de Nimoy que nos deixa confiantes de que teremos bom roteiro e bom senso.

  12. Desejo que os efeitos sejam adequados e de uso correto, o que tem de filme por aí lotado de efeito mal usado e sem sentido… E discordo de alguns comentários sobre os efeitos do primeiro Star Trek para o cinema, o filme tem bons efeitos sim e belos designs.

  13. Pelo menos, em efeitos, Enterprise superou as outras séries! Até a nave pareceu mais real, incluindo sua textura metálica! As naves auxiliares mais reais, o som dos disparos em sua estrutura, entre muitos efeitos fantásticos, como aquele no início da 4ª temporada onde a nave mergulha nos céus de Nova Yorque dos anos 40, tomada pelos nazistas, lembram?

  14. O filme, sem dúvida, será um reboot. Pegar desde o início e recontar tudo de maneira mais adequada ao público atual. Assim como foi feito com James Bond em Cassino Royale, desconsiderando o que foi feito antes e preservando a essência geral da franquia.
    O filme não pode ser considerado remake pq não pegar nenhum roteiro ou trama que tenha sido usado em algum episódio de uma das séries, em algum livro ou filme de cinema de Jornada.
    As expectativas para o novo filme são positivas porque o produtor JJ Abrams é celebrado justamente por buscar novas perspectivas, experimentar novos formatos e sempre procurar passar uma veracidade capaz de envolver o grande público, vide o sucesso de suas séries Alias, Lost e do filme Cloverfield que poderia ser um mero filme Godzilla e consegue ir além como um bom suspense, uma boa ficção científica. Por fim, Abrams não é leigo ao universo de Jornada. Ele mesmo se declarou Trekker em várias ocasiões, anos antes de ser envolvido no projeto. Portanto, teremos um mínimo de respeito ao material e certamente total compromisso com a essência da criação de Roddenberry.

  15. STAR TREK BEGINS… To boldly go where no (BAT)man has gone before.

  16. Ah! Em 2009 começam as filmagens da série de TV de STAR WARS em live action (com atores reais), e será uma continuação de A Vingança dos Sith levando aos poucos ao ponto de Uma Nova Esperança.

    Sem contar que ainda neste ano estréia, em agosto nos cinemas e depois na tv a cabo, a série animada em computação gráfica Star Wars – The Clone Wars.

    Nerds, uní-vos!!!!

  17. Luiz Castanheira | 4 de maio de 2008 at 2:46 pm |

    O cara é fã de Star Wars, não o levem a sério pelo amor de Deus (risos).

    E o outro espelhou o seu Kirk no Solo (Oh Boy!).

    Agora sério… Não se esqueçam que Nemesis teve uma grande casa de efeitos visuais (a Digital Domain) e um tempo enorme de PROP e foi o desastre que foi. Pelo simples motivo que o roteiro era um desastre. A minha esperança maior (e honestamente única) é que um dos dois roteiristas conhece bem Jornada e, sendo para mais amplas audiências ou não, pode ter conseguido embutir os principais conceitos de Jornada no filme.

    Abraços
    Castanha

  18. Quanto a efeitos especiais o meu ponto de vista é que efeito não é tudo.

    Sou fãn de Star Trek deste que nasci mas apesar disto não discrimino Star Wars, as franquias possuem propositos diferentes.

    Se levar enconta o que foi feito na triologia posterior de star wars, a história foi bastante sacrificada e os efeitos bombaram.

    Prefiro muito mais uma historia bem armada, consistente e rico estilo Gene Rodenbery. Do que uma historia mais ou menos e muitos efeitos legais

  19. JJ afirma ser muito mais fan de star wars, espero no mínimo um respeito a fisica neste filme!

    Star trek é SIFI, enquanto Star Wars é uma aventura fantastica no espaço!

Leave a comment

Your email address will not be published.


*