Yamato: a “Jornada nas Estrelas” do Japão

Se você estiver como eu na casa dos 30 anos (mas com corpinho de 20), certamente se lembrará de um desenho animado exibido no início dos anos oitenta, época em que a Xuxa debutou no mundo da tevê através da extinta Manchete. O desenho em questão, Patrulha Estelar (considerada a Jornada nas Estrelas japonesa), fez a cabeça da molecada daquela época, fissurada pelas aventuras da Argo e do capitão Derek Wildstar. “Uchuu Senkan Yamato” (“Encouraçado Espacial Yamato”), título original do anime, é considerada por muitos como a maior saga espacial em anime de todos os tempos.

O desenhista Reiji Matsumoto criou o mangá original, em 1972. Juntamente com o produtor Yoshinobu Nishizaki, transpôs sua obra para a TV, em 1974. A saga da nave espacial Argo (ou Yamato, no original japonês), que defendia a Terra de todo tipo de ameaça com sua corajosa tripulação, cativou os fãs mundo afora. Os principais personagens, conhecidos no Brasil pelos nomes utilizados nos EUA (entre parênteses, os nomes originais japoneses), eram Derek Wildstar (Susumu Kodai), Lola (Yuki Mori), Stephen Sandor (Shiro Sanada), Mark Venture (Daisuke Shima) e o Capitão Abraham Avatar (Juzo Okita), além do vilão Desslock (Deslar). A única que teve o nome “aportuguesado” foi Lola, que em inglês se chamava Nova Forrester.

O primeiro arco de histórias, com 26 episódios, ficou conhecido como “The Quest for Iscandar” (“A Busca por Iscandar”) e foi exibido no Japão entre 1974 e 1975..Essa primeira fase não fez tanto sucesso por lá e em 1977 foi condensada em um longa-metragem para cinema, batizado Space Battleship Yamato (Encouraçado Espacial Yamato). O filme foi um êxito de bilheteria e animou os produtores a continuar a saga espacial Não podemos nos esquecer do seguinte fato: a primeira série – “The Quest for Iscandar” – é datada de 1974, três anos antes da estréia de “Star Wars” nos cinemas norte-americanos. A série, inédita no Brasil, narra o primeiro encontro da Terra com o arqui-inimigo, o generalíssimo Desslok, e traz o mítico Capitão Avatar no comando da nave.

O segundo longa chegou aos cinemas em 1978. Com o título “Farewell to Space Battleship Yamato – In the Name of Love” (“Adeus ao Encouraçado Espacial Yamato – Em Nome do Amor”) ou “Arrivederci Yamato” (Adeus, Yamato), também fez muito sucesso. Com essa história ocorreu o inverso do que aconteceu na primeira série de TV. Sua trama foi “esticada” e transformada na segunda série de 26 episódios, “O Cometa Império” (“The Comet Empire”), exibida no Japão entre 1978 e 1979 e no Brasil no começo da década de 80. O final do filme, muito trágico, foi alterado na série de TV. A versão exibida no Brasil foi a americana, inclusive com o tema de abertura em inglês.

Em 1979 foi produzido o telefilme “Space Battleship Yamato: The New Voyage” (“Encouraçado Espacial Yamato: A Nova Viagem”). O Império Golba destrói o planeta Gamilon e coloca Iscandar fora de sua órbita Em Iscandar vivem apenas Starsha, Alex Wildstar e a filha deles, a pequena Sasha. O Yamato recebe um pedido de socorro de Deslock e entra na luta para defender Skandar. A nave principal da frota Golba consegue resistir ao ataque dos aliados. Para evitar o sacrifício de Deslock no auge da batalha, Star-sha se rende e autoriza a descida da nave Golba em Skandar..Então, ela coloca Alex e Sasha num módulo de fuga. Enquanto a nave Golba desce, Star-sha aperta um botão e Skandar explode violentamente, levando consigo a nave invasora. Em seguida veio a terceira série, novamente com 26 episódios, chamada “A Crise do Sol (“Bolar Wars”), exibida na Brasil também pela extinta Rede Manchete. Na abertura em japonês exibida no Brasil (inclusive a canção tema), via-se o título original, Yamato III.

O quarto filme, “Be Forever, Yamato” (“Para Sempre, Yamato”) chegou aos cinemas em 1980. O mesmo Império Golba do filme anterior ataca a Terra para se vingar. Eles plantam uma bomba capa de apagar toda a vida orgânica do planeta. A única chance do Yamato vencer é ir para o misterioso planeta inimigo, que fica atrás de uma nebulosa negra. A jovem Sasha se sacrifica no final do filme. Sensacional, o filme, o primeiro da série em widescreen, é uma das aventuras mais épicas de toda a saga. Finalmente, em 1983, o derradeiro filme foi produzido, “Final Yamato” (“Yamato, o Final”). O terrível Império Dinguil consegue o impossível: com um mega sistema de teleporte, eles trazem todo seu sistema estelar para nossa dimensão. Seu plano é atrair o planeta aquático de Aquarius para a Terra. Conforme se aproxima da Terra, Aquarius começa a se desfazer em vagalhões capazes de engolir nosso planeta. Sem alternativa, o ressucitado Capitão Avatar, agora em comando da Yamato, ordena que a tripulação fuja, enquanto ele fica para detonar a Arma de Ondas. A violenta explosão faz a água retroceder e a Terra é salva novamente. A Patrulha Estelar chora a morte do Capitão e o fim da nave que serviu de lar para eles durante muitas viagens pelo espaço. Na epílogo, Wildstar e Lola finalmente se casam.

Houve uma tentativa de modernizar a série, com Yamato 2520, mini-série ao estilo Jornada nas Estrelas: A Nova Geração, produzida diretamente para o mercado de vídeo, em 1994. Apesar do design da espaçonave ter sido idealizado por Syd Mead (“Blade Runner”, “Aliens“), a história da série não agradou aos fãs mais fanáticos. A história começa 300 anos após os eventos de “Final Yamato”. Os humanos se espalharam pela galáxia e entraram em conflito com o Império Selene. Depois de uma guerra que durou 100 anos, décadas após o fim da guerra, humanos descobrem os destroços da trigésima nave chamada Yamato, que lutou na guerra, Com a ajuda do ex-capitão da nave, jovens do planeta colônia colocam a nova Yamato em ação novamente, e vendo isso como uma afronta ao tratado de paz, ambos os lados reiniciam a guerra. A série, programada para 6 episódios, teve apenas 4 episódios lançados no Japão em vídeo, e ate hoje não se sabe como a história da Yamato do ano de 2520 acabou. Uma pena, por que a animação, a trilha sonora e o desenho de produção de Mead eram excelentes.

Outra tentativa de trazer a Patrulha Estelar de volta, foi o filme chamado Yamato Rebirth, que foi cancelado devido a disputas judiciais sobre os direitos autorais da saga. Apenas um vídeo de 90 minutos detalhando a pré-produção do filme e mostrando os storyboards e testes de animação foi lançado no Japão. Em Yamato Rebirth, 20 anos apos a destruição do Yamato em Final Yamato, a Terra seria ameçada por um grande buraco negro e um já adulto e barbado capitão Wildstar, junto com sua filha adolescente chamada Myuko e sua antiga tripulação, tem como missão resgatar os destroços do Yamato original, agora encontrados nos asteróides de gelo do que era antes o planeta Aquarius, reconstruir a nave e partir em busca da salvação da Terra. Infelizmente, o que seria uma volta triunfal da tripulação da série original de Patrulha Estelar, não chegou a sair do papel.

Mas os fãs do Yamato não se desanimam! Leiji Matsumoto, co-criador da Patrulha Estelar, preparou mais dois projetos: um manga chamado Great Yamato, que mostra os decendentes da tripulação original em 3199, com uma nova missão em uma Yamato bem parecida com a original, e uma nova série em vídeo baseada na original: “Dai Guinga Dai Yamato 7 vs. 7” (algo como “Galáxia Imortal Infinita: Yamato 7 vs. 7”). A série prevista para ter 52 episódios, estava situada no ano 3199 e desconsiderava completamente os eventos de Yamato 2520 (isso mesmo, em Yamato, como Jornada, também existe o cânon e o não-canônico). Descendentes dos tripulantes do Yamato original são acionados quando uma nova ameaça chega à Terra: os alienígenas “Medanoids”. As forças de defesa do planeta estão escassas e decide-se reativar o “aposentado” Encouraçado Yamato a fim de que se possa combater os invasores.

A odisséia continua…

Artigo originalmente publicado no conteúdo clássico do Trek Brasilis em 22 de janeiro de 2005.

36 Comments on "Yamato: a “Jornada nas Estrelas” do Japão"

  1. Essa série japonesa é absolutamente fantástica. Tenho tudo (ou quase) a respeito da mesmas. Falta apenas nesse artigo uma informação: O sr. Hishinobu Nishizaki, após resolver na justiça o direito sobre a franquia, deverá lançar em julho de 2009 o mais novo filme: Yamato Revival, que deverá ter como base a história do Yamato Rebirth. Para tal, desde agosto desse ano ele reuniu os principais animadores japoneses no novo estúdio Yamato prometendo mais uma vez revolucionar a animação japonesa.

  2. Eu não sou um fã e animes, mas posso dizer que Yamato e Macross podem ser as versões orientais de Jornada e Galactica tranquilamente. Ambas possuem desdobramentos interessantes e são franquias sólidas com roteiros interessantes e o mais importante não envelhecem. Tenhos as duas em DVD e vejo uma ou outra vez. Quem não conhece vale a pena entrar em comunidades do orkut que tenham esse links das sagas para baixar e dê uma espiada, você não vai se arrepender.

  3. Vi recentemente um anúncio de um OVA em DVD chamado Dai Yamato Zero-go. Alguém sabe dizer se é bom e se é uma mini série com inicio, meio e fim?

  4. dcmello,

    Eu não vi a referida série, vi apenas um trailer que mostra um Yamato muito diferente do original e uma excelente produção. O que eu sei é que se trata do projeto do Sr. Reiji Matsumoto e que infelizmente (ou felizmente, dependendo do ponto de vista) morreu prematuramente com a decisão judicial favorável ao Sr. Yoshinobu Nishizaki.

  5. Rekar,

    A três sagas são excelentes, além delas, indicaria os filmes Be Forever Yamato e Arriverderci Yamato. Duas obras primas não só da animação japonesa, mas também da ficção de uma forma geral.

  6. Realmente. Posso afirmar que a série clássica de star trek e A patrulha estelar foram marcantes na minha infância… bons tempos em que só precisava de um bom roteiro para se ter uma boa série….

  7. Essa série era muito boa, sinto saudades dela.

  8. Sou fã de ficção-científica por causa de Patrulhar Estelar.

  9. A USS Yamato foi uma homenagem da TNG?

  10. É a terceira vez que leio essa matéria aqui no TrekBrasilis, as duas primeiras foram lá na coluna do Leão.

    Adoro essa série e revisito-a sempre floheando a bíblia mechanica da série.

    E através dessa bíblia, reconstruí o Yamato, o Andromeda e o Cosmo Fighter, todos em 3D Studio Max.

    Uma coisa que me entristece nessa série é que os heróis morrem e no filme seguinte eles aparecem como se nada tivesse acontecido.

    Esquisito… Mal feito nesse ponto.

    E oque falar da “americanização” da série?
    Koday virou Derek.
    Yuki virou Lolla.

    O Yamato virou ARGO!
    Huahahahahahahaha!!!!

    Utiuu Senkan Yamato virou STAR BLAZERS!

    Curiosidade:
    Lá no Japão há uma certa mania de manter o nome original da série ou do filme quando a tradução em japonês fica esquisita, e Jornada nas Estrelas ficou Star Trek mesmo.
    Mas a fonética da língua japonesa é muito limitada.
    E lá , Star Trek é conhecida como…

    Sutaa Torekku.

  11. Sim meu caro Nelson, procurarei e acatarei sua sugestão! By your command.
    Uma coisa que eu esqueci de mencionar é o fato histórico do Yamato ser um navio da segunda guerra e a carência do Japão em minério de ferro, inserir isso na trama foi uma idéia de gênio do Sr. Reiji Matsumoto. Outra coisa que eu achei legal mas que me fez ficar com os olhos marejados foi o segundo naufragio do Yamato, criando o sentimento de fim e dever cumprido, o velho cruzador pôde descançar em paz. Pelo menos por enquanto….

  12. PEssoal,
    A serie MACROSS nao fez mais sucesso que esta????
    Ouvi dizer que estao preparando um reemake para o cinema…

    o que matava na serie era aquela chata da Mimey!!! Pior que o Neelix e o Wesley juntos!

  13. Post 11 -> “Uma coisa que me entristece nessa série é que os heróis morrem e no filme seguinte eles aparecem como se nada tivesse acontecido.
    Esquisito… Mal feito nesse ponto.”

    Pelo que eu entendi, quando fizeram a segunda temporada da série, o filme foi desconsiderado do canon (assim como a não finalizada série 2520) e portanto, as mortes ignoradas.

    Aliás, seria bom atualizar o arigo. Essa “Dai Guinga Dai Yamato 7 vs. 7″ na verdade é “Dai Yamato Zero-Go” e teve 5 episódios, já que foi uma série de OVAs.

    M’Y

  14. Edu,

    Acredito que Macross fez mais sucesso que o Yamato, porém, o Yamato sem dúvida foi muito mais importante. É preciso entender que o Yamato abriu as portas para centenas de outras séries dentro e fora do japão.

    Se pudesse fazer uma comparação meio forçada, dira que o Yamato seria o “Emerson Fittipaldi” dos desenhos japoneses de ficção. Provavelmente por esse motivo (e também pela qualidade, óbvio), que a série ainda é muito cultuada no mundo todo.

    Uma curiosidade da série reside nas batalhas espaciais, se ela tivesse sido lançada depois de SW, provavelmente diriam que tinha sido inspirada nela, quando na realidade, tudo foi baseado nos grandes combates aéreos da segunda guerra mundial.

  15. M’Y,

    Sua colocação está absolutamente correta. A única “ressucitação” da série foi a do Capitão Juzo Okita, em Final Yamato (tentaram explicar mas eu nunca engoli).

  16. É importante lembrar que por causa das pendengas judiciais, a exploração da franquia Yamato foi bastante restringida.

  17. Sergio Carvalho | 9 de dezembro de 2008 at 6:46 pm |

    A sequencia que mais me emociona é aquela que mostra o Yamato saindo para a batalha na 2ª guerra e um garoto acompanha a partida ao lado de um canal. O capitão do navio, vendo que o naufrágio é iminente, se amarra ao timão para afundar com ele. Anos depois o navio é recuperado para se tornar o encouraçado espacial. Quando ele retorna rebocado todo destroçado, o mesmo menino (agora idoso) acompanha emocionado o retorno do navio que viu partir para a guerra.

    Nossa …. fiquei sem palavras …..

    Fui … 🙂

  18. Alguém sabe se esses filmes estão à disposição em DVD para locação ??

  19. nao, vc so encontra of filmes e a serie a venda em DVD nos EUA pela Amazon ou outra loja virtual de la

    os filmes nunca foram lancados no Brasil

  20. Um fator de peso para longa lembrança deste anime, é sua excelente trilha sonora de abertura.

  21. Lembro vagamente dessa série. Tenho 31 anos e quando era guri não er amuito fã de ficção desse estilo.

    Alguém sabe se esses episódios estão disponíveis para download?

  22. POST 10

    A USS Yamato, da Classe Galaxy, segue a tradição de ST de homenagear importantes belonaves do século XX (Hood, Potenkim, Yorktown, Enterprise, Saratoga, Lexington, etc.).

    A série e a louvação ao navio original Yamato, são formas de, na fantasia, o Japão recuperar um pouco da auto-estima. A própria epopéia verdadeira do encouraçado é emocionante, partindo para a última missão suicida, com combustível só de ida (do ponto de vista da economia de guerra um irracionalismo). Sua classe foi a maior já construída (junto com o irmão Musashi, e cujo terceiro, o Shinano, foi convertido em porta-aviões antes de completado), superando de longe a americana Classe Iowa, desativada somente após a 1a Guerra do Golfo.

    Enfim, um puta desenho, que mereceria DVD´s “área 4”, assim como meu querido “Porco Rosso”, de Hayo Miazaki.

    série é fantástica, e também foi

  23. Alexandre Madruga | 10 de dezembro de 2008 at 11:43 am |

    è muito bom mesmo. Tenho todos os DVDs legendados, de todas as temporadas. Audio original em japones. Show!!! Adorava quando criança. Depois de adulto, dei um jeito de pegar tudo e vefr o que nao tinha visto. Sensacional!!!

  24. tenho tudo da serie Yamato 2520 em LaserDisk japones. nao vendo nem empresto por nada nesse mundo

  25. Luiz Castanheira | 10 de dezembro de 2008 at 3:36 pm |

    A marca não foi explorada como poderia devido a uma pendenga judicial que durou inacreditáveis 25 anos…

    Gundam original é uma série tão influente quanto Yamato, enquanto Macross original é um misto de homenagem e paródia a ambas.

    É claro que existem animes mais modernos e com ambiçoes artistíticas muito maiores do que Yamato, mas o pionerismo desta é inegável, sendo não somente anterior a Star Wars, mas muito mais incrível, se estabeceu utilizando elementos de um universo ficcional que já existia (publicado de alguma forma) desde 1953 (!).

    A sequencia dos episódios finais de Yamato 2 (A.K.A “A Saga do cometa Império”) continua imbatível em termos de pura excitação:

    – A “virada” de Deslar após ele ter derrotado completamente a Yamato;

    – O ataque suicída para destruir o escudo do Cometa;

    – A Yamato demolindo o Cometa Império sem usar a sua avariada arma de ondas;

    – O destróier de Zorder emergindo dos destroços, transformando a Yamato em ferro-velho e começando a transformar a superfície da Terra em cinzas;

    – Teresa se sacrificando pela Terra no final…

    Simplesmente, inesquecível…

    Forte Abraço
    Castanheira

  26. Castanheira,

    Já resolveram a pendenga judicial? O Matsumoto pode explorar novamente a franquia?

  27. Luiz Castanheira | 10 de dezembro de 2008 at 9:51 pm |

    “Castanheira,

    Já resolveram a pendenga judicial? O Matsumoto pode explorar novamente a franquia?”

    Pelo que eu entendo os dois podem fazer independentemente o que bem quiseram com o universo ficcional completo. Talvez eu esteja errado…

    O filme de Yoshinobu Nishizaki estava para ser lançado em 2009. Será que vai ser mesmo?

    Abraços
    Castanheira

  28. Castanheira,

    A pendenga judicial já foi resolvida em favor do Sr. Yoshinobu Nishizaki, portanto, apenas ele deverá lançar algo com a marca. Quanto ao novo filme, está previsto para julho de 2009. Aguardemos…

    Abraços,

  29. Post 13

    Ultima serie é Macross Frontier que que se passa em 2059

    Aqui ta o link

    http://www.animesadvanced.com/index.php?page=media/Episodios_Animes/Macross_Frontier

  30. Relendo e rememorando…
    Yamato é daquelas séries, como BSG que me fazem ir às lágrimas…
    É diferente de ST…
    Nos dois casos,nós sempre partimos do ponto de vista que a humanidade está sob grave ameaça, ou praticamente sem chance alguma de sobreviver…
    ST nunca partiu dessa premissa…
    Alguém aí já pensou em fazer a http://www.yamato.org.br?
    o sem br já tá registrado prá um destes picaretas que correm prá registrar um nome famoso e lucrar…
    Macross tá mais prá SW, embora parta da mesma premissa de Yamato…
    Gundam definitivamente é um SW japa…

  31. Realmente, ao lado de Jornada nas Estrelas, essa é a mais marcante na minha vida, até hoje recordo e gostaria que fosse transformada em filme, acho que seria um grande sucesso.

  32. Nelson e Castanheira,

    Valeu pela respostas. Então a franquia ficou na mão do produtor japonês. Pelo que li, ele criou o conceito de Yamato, mas foi Leiji Matsumoto que deu “forma” (arte e história).

    Esperar pra ver o que vão fazer com Yamato futuramente, mas que a franquia tem potencial pra render novas (e boas) histórias, tem.

  33. João,

    É exatamente isso.

    Wildstar,

    Alguns muitos anos atrás a Disney adiquiriu os direitos de lançar um filme “live action” baseado na história do Yamato. A nova nave teria o nome de Arizona e não teríamos respeitados os nomes dos personagens e nem mesmo sua trilha sonora original. Na boa, ainda bem que “heresia” nunca saiu do papel.

  34. Galera,

    Aí vai alguns links mostrando o desenvolvimento do novo filme: “Yamato Rebirth”.

    Parte 1:

    http://it.youtube.com/watch?v=88j_xTSZ-Lg&feature=related

    Parte 2:

    http://it.youtube.com/watch?v=mHI0U3YAZjc&feature=related

    Parte 3:

    http://it.youtube.com/watch?v=VzKw6xDB2UE&feature=related

    O começo da primeira parte é meio sacal, mas logo depois… Pelo visto, será algo grandioso…

    Abs a todos

  35. Luiz Castanheira | 13 de dezembro de 2008 at 6:56 pm |

    Eu espero que quaisquer direitos da Disney tenham caducado, uma vez que trocar a Yamato pela Arizona é uma abominação.

    É tão estranho o “outro cara” fazer o filme e não o Matsumoto. Não faz muito sentido.

    Castanha

  36. Olá a todos. Sou um grande fã do Yamato, desde a instinta TV Manchete. Tenho as três séries completas com áudio em japonês e legendas em português. Gostaria de saber como obter o “Final Yamato”, assim como “Star Blazers Rebirth”, onde agora a Terra é ameaçada por um buraco negro. E os demais também: “Yamato Zero” etc…
    Informações sobre o filme que sairá no final do ano também serão bem vindas.
    Desde já meus agradecimentos a todos.

Leave a comment

Your email address will not be published.


*