Estúdio anuncia DVDs extras com Hamlet Klingon

Notícias na mídia dão conta de que a Paramount se prepara para lançar mais novidades sobre Jornada nas Estrelas. Mas, não se trata do novo filme de J. J. Abrams, e sim das novas versões da série original no formato Blu-ray, com a inclusão de cenas extras da famosa obra de Shakespeare, Hamlet, gravadas na língua klingon.

Segundo o site TrekMovie, a Paramount está atualmente trabalhando em novas versões de filmes da franquia para Blu-ray, uma espécie de Edição Especial Blu-ray, com lançamentos que poderão coincidir com a estréia do novo filme. Essas versões incluirão alguns especiais.

De acordo com o site Twin Cities.com, o grupo teatral Commedia Beauregard, que está interpretando a peça “A Klingon Christmas Carol”, filmará duas cenas da tragédia Shakespeariana, Hamlet. Essas cenas estarão incluídas no DVD especial, Jornada nas Estrelas VI: A Terra Desconhecida. As cenas extras se devem ao fato dos personagens do filme Chanceler Gorkon e general Chang terem-se referido a Shakespeare na língua klingon.

A companhia teatral geralmente faz performace de sua peça em inglês, mas esta é a primeira obra traduzida para uma língua fictícia de uma série de TV. A tradução foi feita com a ajudinha de membros do fã clube local, IKV Rakehall.

O diretor artístico do grupo, Christopher O. Kidder, comentou sobre o convite: “Eu recebi um e-mail da Paramount, cerca de três semanas atrás. Eu atrasei o quanto pude para responder, pois estava ciente de que haveria uma ordem de parar com a peça A klingon Christmas Carol. Acontece que estamos na posição de única equipe de atores que pode pronunciar essas coisas”, disse o diretor. Ainda não houve confirmação por parte do estúdio.

Como dizem os Klingons, “taH pagh, taHbe!” (to be or not to be).

Fonte: TrekMovie, TrekWeb

23 Comments on "Estúdio anuncia DVDs extras com Hamlet Klingon"

  1. Tsc. Sinceramente?
    São coisas como essa que tornam ridícula Jornada nas Estrelas.
    Hamlet em “klingonês”? Por favor! Que mau gosto.

    Eu sou fã da franquia mas estou sem paciência para infantilidades como essa! Os Klingons estão para Jornada assim como aqueles Ewoks para Star Wars!

  2. São coisas como essa que tornam ridícula Jornada nas Estrelas. [2]

  3. Eu nao sei, essas coisas geraram algum conhecimento, como a própria criaçao da língua klingon. Me parece que o criador ganhou até um doutorado por isso.
    Uma peça desse tipo pode incentivar ao conhecimento maior de Shakespeare. Incentivo aa cultura é sempre bem vindo.
    Gostaria de ver o resultado …

  4. Inútil…

  5. Pessoal…

    É no mínimo curioso ou inusitado… não deixa de ser também um belo presente para os fãs, uma vez que será incluído no DVD especial, Jornada nas Estrelas VI: A Terra Desconhecida.

    Outrossim, não vejo isso como algo inútil, vejo, na verdade, como uma paródia, um flerte entre a ficção e a realidade… inclusive, com um certo tom de humor.

    E respeitando a opinão daqueles que acham ridículo a execução de Hamlet em klingon, afirmo que tal esforço artístico não só presta um grande favor ao universo de Jornada como também desperta a curiosidade de todos para a obra de Shakespeare, tratá-se de uma excelente simbiose.

    Não tenho vergonha de dizer que adorei a idéia e sendo treker o ou não vejo que tal iniciativa só enriquece o mundo criado por Gene Roddenberry.

  6. Tsc, vocês são uns chatos. Hamlet em Klingon! Quer coisa mais legal? Dizer que isso é inútil ou ridículo é sinal de que vocês não entenderam o espírito da coisa, afinal tudo não passa de entretenimento. Em Star Trek, é tradição citar obras literárias –já que há uma idioma especialmente criado para a série, por que não utilizá-lo desta maneira? Como citado acima, talvez possa cativar o interesse de alguns na literatura, como aconteceu comigo. E se voces passarem a usar o mesmo critério, poderão encontrar diversos exemplos que poderiam ser considerados “ridículos” na série, em diversas áreas, inclusive do ponto de vista científico. Entretanto, é um dos pouquíssimos veículos de entretenimento que faz questão de fazer referências (mesmo que às vezes equivocas) àquilo que, na minha opinião, é o tesouro da humanidade –o conhecimento. Ou seja, criticar esta iniciativa é como sabotá-la em prol de outras porcarias que estamos acostumados à assistir por aí.

  7. Só posso fazer um comentário sobre isso:
    FASCINANTE!

  8. Os Klingons pós TOS são ridículos.

  9. Concordo com Android e o Eriol.

    Nada a ver.
    Kligonês é uma língua feia…
    Fica legal só nos filmes mesmo.

    EsSe PoHVo Tah TuDo’h Lok’Ho!

  10. Os klingons foram criados aos moldes dos comunistas russos. O processo de mudança que ocorreu com eles não apenas foi devido à queda U.R.S.S. como também foi até prevista por Roddenberry logo no primeiro episódio (o otimismo roddenberriano mais uma vez). Portanto, essa mudança foi natural e inevitável, sendo até benéfica, pois mostra o grau do poder de previsibilidade que a ficção produz.
    Portanto temos que olhar por esse prisma para aceitar esse desenvimento dos personagens klingons. E, na minha opinião, não ficou tão mal assim, provendo-nos bons episódios tanto no TNG, como em DS9.

  11. Concordo com os posts 5 e 6.

  12. Não sou um “klingon-fan”, mas acho muito interessante essa iniciativa. E o mais curioso de tudo é conciliar a versão klingon de Hamlet com a declaração de Gorkon em ST VI – “Jamais conhecerá Hamlet, se não o lerem no original (?!) em klingon” —
    Essa será a oportunidade perfeita pra ver o quê em Hamlet os klingons gostam tanto. Será que uma cultura belicosa e tão vinculada à glória em batalha e à honra pessoal, interpretará esse clássico shakesperiano da mesma forma que os humanos. Será que o enfoque dado será diferente? As diferenças culturais de valores morais e éticos mudarão o tom da peça?
    Se essas questões forem abordadas na produção deste extra, além de ser um excelente entretenimento e uma interessante adição ao Universo trekker, será também uma boa oportunidade para um estudo comparativo entre as culturas klingon e humana. Será divertido e/ou esclarecedor, ou seja, bem longe de ser inútil.

  13. Os klingons sempre foram alvos de obsessões como esta, naquele documentário que a Denise Crosby fez…ela mostra um curso para aprender a língua e eles chegam a falar que estão pensando ou já haviam começado a traduzir a Bíblia para klingonês!!!…sei lá, acho exagero, prefiro os vulcanos!!!

  14. Minha preferência, como a da Mariana, também vai para os vulcanos, mas pra mim o que vier é lucro (desde que a qualidade seja boa).

  15. por mim tudo bem, a ficção também é uma parte importante da nossa visão de “realidade”, minha sugestão é assistir, se divertir e refletir. Só não podemos nos esquecer que esses alienigenas são uma criação humana e que no fundo nada mais são que uma faceta do que nós somos como espécie. Será que consegui me fazer entender? 😛

  16. Floriano Peixoto | 10 de dezembro de 2008 at 6:06 pm |

    Ka Pláh !

  17. Bem, eu sempre gostei mais do romulanos como viloes do que os klingons. As estórias eram mais inteleigentes.

  18. “Ou seja, criticar esta iniciativa é como sabotá-la em prol de outras porcarias que estamos acostumados à assistir por aí.”

    Heh! Heh! Heh! Então você concorda que Hamlet em klingonês É uma porcaria! Só não é a pior de todas!

    Eu não estou dizendo que Jornada é um fiasco ou que a ficção científica prega um deserviço! Eu gosto do gênero.

    Os Klingons se tornaram cada vez mais animalescos a partir da tímida reformulação feita em “Star Trek – The Motion Picture”. Com o tempo, roteiristas inexperientes adicionaram tantas sandices aos Klingons que eles se tornaram clichês ambulantes! Misturar um clichê ridículo com uma peça teatral profundamente enraizada na cultura ocidental é, sim, de mau gosto.

    Esses Klingons estão tão abobalhados que seria inevitável sua sociedade colapsar e regredir à pre-história tecnológica.

  19. A última afirmaçao tem toda a lógica, mas eu nao disse que nao gostava dos klingons, mas gosto mais dos romulanos.
    Tem havido muitas manifestaçoes culturais devido ä ST e me orgulho disso, esta é somente mais uma delas. Pessoas ganharam doutorados e o incentivo foi grande, pode haver tentativas erradas, nao sei se essa é uma delas, mas tudo é válido pois, no final, o saldo é maior que o déficit.

  20. “anuncia DVDs extras” ou “extras dos DVDs”?

    Eu acho muito legal. TaH pagh, taHbe!

  21. [b]”com a inclusão de cenas extras da famosa obra de Shakespeare, Hamlet, gravadas na língua klingon.”[/b]

    Hamlet em Klingonês
    Hahahahahaha
    😆
    :gargalhada:

  22. Alan Pires Ferreira | 11 de dezembro de 2008 at 10:42 pm |

    Só espero que a versão em Blu-Ray venha finalmente com opção de áudio em Português. É lamentável que a Paramount tenha perdido todas as dublagens originais dos filmes da franquia. Os executivos da empresa deveriam passar por um corredor polonês (isto é, klingon) de bastões de dor por isso.

  23. Post 22
    Creio que se refere ä dublagem antiga em portugues. Se for, nao é culpa da Paramount mas das emissoras que nao cuidaram das cópias e deixaram estragar. Tive informaçoes que eles jogavam os filmes em alguma sala, ao inves de guardar e, dessa forma, muitos filmes foram perdidos, até que, por fim, foram todos queimados como inúteis.

Leave a comment

Your email address will not be published.


*