O que aprendemos com o trailer de Discovery

Mostrando um trailer com duração de mais de dois minutos (via All Access), a série Star Trek: Discovery finalmente apresentou seu cartão de visitas. Grande parte da mídia divulgou o vídeo com opiniões, sendo a maioria positiva. O trailer não responde a todas as nossas perguntas, mas estabelece alguns fatos importantes. Vamos tentar analisar.

“Dez anos antes de Kirk, Spock e da Enterprise veio a Discovery”.

Bryan Fuller disse em entrevistas anteriores que a série situa-se “dez anos antes do Capitão Kirk”, o que podemos presumir que seja antes de Kirk se tornar capitão e assumir a Enterprise e, consequentemente, a missão de cinco anos.

 

Relacionamento entre Burnham e Georgiou.

Começamos com a Tenente-Comandante Michael Burnham (Sonequa Martin-Green) e a Capitã Philippa Georgiou (Michelle Yeoh) caminhando em um deserto, de um mundo desconhecido (cena filmada na Jordânia).

Burnham questiona Georgiouis sobre o destino desta caminhada. Em nova cena, Georgiouis começa  a conversar com Burnham sobre sua carreira, dizendo: “Você serviu comigo por sete anos”, e em novo trecho: “Acho que é hora de conversarmos sobre você ter seu próprio comando” (a capitã refere-se a protagonista como “Comandante Burnham”). Em entrevistas anteriores dos produtores é sabido que Burnham (Sonequa-Green) estará servindo a bordo da USS Discovery, mas, neste momento, ela é um membro da tripulação da USS Shenzhou.

Vamos esperar por um maior desdobramento dessa situação.

 

Os antigos comunicadores estão de volta.

Uma tempestade se aproxima e Georgiou solicita transporte de volta a nave.

Para alegria de muitos fãs, podemos ver alguns equipamentos familiares aos da série original como o comunicador flip flop usado por Kirk e o que parece ser um tricorder. Mas novas tecnologias, não mostradas na época da série antiga, se juntam ao velho tecnobable, como um desconhecido capacete, que poderia ser de realidade virtual  (ou seria a cabeça de um robô?), e a comunicação com visual holográfico. Uma forma de agregar e atualizar a visão de século 23 nos dias de hoje. Uma mescla que pode ser interessante, embora alguns fãs mais hardcore não irão aceitar com facilidade.

 

Um olhar para a USS Shenzhou.

Não há como negar que o design exterior desta nave veio emprestado, em parte, da série Enterprise, e da Kelvin Timeline.

Uma grande diferença entre a Shenzhou e as naves tradicionais das séries e filmes é a localização da ponte, que parece estar abaixo da seção disco, e apesar do retorno dos lens flares, tem um aspecto sombrio, um brilho metálico azulado, mais ao estilo militarista.

Na imagem abaixo podemos ver o que possa ser um implante ou acessório da nave.

Toda produção de Star Trek tem seu próprio efeito transportador e Discovery não será diferente. Este novo efeito dá a impressão de que o transportador está criando uma espécie de padrão de grade reticulada antes de converter a matéria em energia.

Do mesmo modo, vemos o novo efeito da velocidade de dobra e a volta da tela panorâmica, esta última derivada dos filmes de Abrams.

Outra curiosidade tecnológica que aparece no trailer é a nova estação de batalha. A cena mostra um painel indicando torpedos de fótons travados, carregados e prontos para disparar. O clipe também dá aos fãs um bom olhar na parte de navegação.

 

NCC-1227

Cada nave da Federação em Star Trek  tem um código de registro. A Enterprise, por exemplo, é NCC-1701, a da USS Defiant é NX-74205, e por aí.

Nos primeiros materiais promocionais de Discovery deram a nave da série o código NCC-1031. Na imagem do trailer podemos ver o código do registro ao lado de Burnham … que é NCC-1227, que deve ser o código da Shenzhou.

 

 

Mais uma vez novos uniformes.

Os uniformes da Frota Estelar sofreram muitas alterações com o decorrer das séries e filmes. Em Discovery temos novamente um novo olhar mais próximo da série Enterprise, não estilo macacão, mas em duas partes. Não há uma definição exata ainda das cores das insígnias. Todos vestem um uniforme azul marinho tendo faixas coloridas laterais metálicas, com algumas atualizações, incluindo a perda das ombreiras.

Vemos ainda uma variante de mangas curtas.

A partir dos personagens no trailer, podemos deduzir o que significam essas cores metálicas. A Comandante Burnham e a capitã Georgiou usam ouro, os oficiais médicos e científicos usam prata e os oficiais de operações e segurança usam bronze.

Não teremos os famosos red shirts.

Quanto a designação de hierarquia, à primeira vista, não estão visíveis, mas se você olhar de perto, você pode ver as fileiras em seus emblemas da Frota Estelar.

A capitã Georgiou tem quatro pinos em seu emblema. O tenente Saru (personagem alienígena de Doug Jones) tem três.

 

Burnham e seu backstory com Sarek.

O pai de Spock, Sarek, tem um papel importante no trailer, que parece ser inteiramente impulsionado pela sua ligação com a Comandante Burnham.

Em sua narrativa, Sarek (que parece em forma de holograma para Burnham) diz : “Grandes unificadores são raros e não aparecem sempre. Muitas vezes, esses líderes precisam de uma grande causa.”

O motivo pelo qual ele está falando com ela sobre liderança ainda não foi esclarecido, mas a conexão entre os dois personagens fica mais evidente no trailer quando vemos um flashback da jovem Burnham com um excessivamente crítico e desdenhoso Sarek nas suas tentativas de aprender a língua Vulcana (“sua língua é muito humana“), implicando em lembranças profundas e marcantes para a protagonista.

Mais a frente, Sarek parece questionar Burnham sob a forma como teve de lidar com a descoberta (ainda não revelada), “o que você fez lá fora na borda do espaço da Federação?” Sua crítica soa quase como patriarcal, embora, no contexto, não há como afirmar se Sarek seria uma espécie de mentor ou que ela compartilhasse algum laço adotivo.

O contraste da sua ânsia de mergulhar no modo de vida vulcano, quando criança, com sua paixão pelo desconhecido e o lado emocional exacerbado, quando adulta, parece ser o dilema interior a seguir pela personagem durante a série.

 

Diversidade de espécies e novos mundos.

O trailer apresenta uma diversificada quantidade de espécies exóticas e novos mundos, alguns dos quais parecem ser novidade no universo Trek. Destaque para o personagem tenente Saru (Doug Jones), cujo imperativo biológico da raça lhe permite “sentir a morte“. Acredito que veremos muito mais espécies durante a série.

 

A volta dos Klingons, um tanto diferentes.

A série trouxe de volta os vilões tradicionais da franquia. E temos muitos deles neste trailer, incluindo o que parece ser uma cena ambientada em um funeral alienígena. Mas o grande debate que surgiu foi: Por que os Klingons em Discovery são tão diferentes daqueles das antigas séries?

Ao contrário dos Klingons tradicionais, esses guerreiros têm rostos mais distintos, sulcos na testa mais largos e falta total de cabelo. Além disso, seus uniformes parecem mais com armaduras escamosas, cerdas com pontas e colares espinhosos. Um tom realmente ameaçador.

Na imagem abaixo vemos T’Kuvma (Chris Obi) conduzindo um ritual de morte Klingon. A presença do sarcófago torna o ritual da morte um pouco incerto, mas pode se referir a um grande líder da casta de T’Kuvma, já que foi dito que este personagem será um líder à procura de unir as casas.

Há rumores de que T’Kuvma representa os Klingons “antigos” vindos do tirano Morlor, que foi derrotado por Kahless nos primórdios do Império Klingon ou ser a tumba do próprio Kahless encontrado por T’Kuvma, mas isso não há como saber no momento.

O ritual de morte Klingon não é uma novidade em Jornada.  No filme Star Trek IV: A Volta para Casa, quando Spock está fazendo um teste em Vulcano, ele identifica rapidamente um símbolo como um “glifo de mumificação de Klingon da dinastia Zanxthkolt“.

Outro fato a se observar é que esta nave sarcófago é encontrada em um sistema solar muito instável. O objeto misterioso encontrado pela Shenzou seria a própria nave sarcófago ou outro artefato de interesse dos Klingons? Isso não está claro. Mas a intromissão da Shenzou vai causar um conflito de proporções imprevisíveis.

A determinação de Bunham em romper com os protocolos da Federação, sugerindo que a melhor maneira de lidar com um problema é “alvejar seu pescoço; Cortar sua cabeça“, em contra ponto aos princípios não-agressivos de Georgiou poderá ser um dos pontos que definirão este embate.

A advertência de Saru indica que algo não vai terminar bem.

O trailer exibe um pequeno afago para o lado cinematográfico de JJ Abrams, no entanto, exibe também um olhar familiar e ao mesmo tempo inovador.

 Este foi apenas um primeiro vislumbre. Ainda tem muito a apresentar, como os outros personagens anunciados e a própria nave Discovery.

31 Comments on "O que aprendemos com o trailer de Discovery"

  1. Os romulanos sempre são preteridos 🙁

  2. Eu sempre acompanho esses videos de reação a trailer no youtube e todos os trailers são liberados para analise, de Star Wars a game of thrones… e ai vem o trailer de uma nova série de Jornada e adivinha? o trailer é bloqueado pra algumas regiões… fiquei de cara com isso… esses caras vivem em outros tempos não é possível… perder uma divulgação dessa.. enfim…

  3. ralphpinheiro | 26 de maio de 2017 at 9:01 am |

    O trailer pelo All Access está pouco disponível (só vi um ainda online), apenas o da Netflix é que está passando e é um pouco diferente.
    Mas tem havido muito video reaction ao trailer no youtube, muita gente analisando, inclusive o bom Shipyards. Tirando os mimimis naturais e até um pouco de preconceito, de um modo geral, o trailer causou uma boa impressão. Nada para empolgar, mas causou interesse e curiosidade. Vamos ver se a CBS tem competência para fazer um marketing decente.

  4. Isso tá caindo de maduro, só quem não enxerga são os donos da franquia.

  5. Fala baixo!

  6. Acho que não viu … veja bem, os eventos de Enterprise não foram alterados porque a intervenção de Nero aconteceu anos depois que a missão da NX-01 terminou, isso é fato. Dessa feita só há uma “encruzilhada temporal” do reboot de 2009 em diante, o que veio antes permanece inalterado.

  7. Também sinto falta dos efeitos práticos e modelos de naves em diferentes escalas. Tem coisas que realmente não deveriam mudar.

  8. Eu acho essa reclamação toda muito infundada … a franquia precisava de uma renovada e Abrams conseguiu isso, gosto muito dessa nova timeline e espero que Discovery se passe nela.

  9. Francamente eu espero que Discovery se passe na nova timeline, fica até mais coerente com o que já foi mostrado no reboot de 2009.

  10. Ou… Aparecerem para o público, mas não entre personagens. Tipo: O sistema de comunicação e criptografia de mensagens deles é inquebrável para a tecnologia terrestre da época.

    Mas mesmo assim, é difícil justificar que durante a guerra, nenhuma nave romulana foi neutralizada e invadida pelos humanos ao ponto de nunca terem sido vistos um romulano ou encontrado outra raça (neutra a guerra) que de alguma forma, tenha algum negócio com os romulanos.

  11. Esse mistério sempre foi alimentado pela franquia. Primeiro foram os os próprios romulanos, cuja aparência demorou muito para ser descoberta (seja lá porque). Depois foram seus vizinhos remanos, que somente foram revelados no filme Nêmesis. Acho isso interessante, porque se alinha em algo que acho essencial numa série futurista de exploração espacial – o mistério que as raças alienígenas podem representar para a humanidade, tanto em termos de aparência como em padrões de raciocínio.

  12. MInha reclamação é com mais um leque de ETs novos. Star Trek já tem uma gama enorme de alienígenas, eu acho que poderiam ter aproveitado alguns. Sobre a questão da diversidade, tem que ter mesmo, a ideia é de um futuro onde todos possam viver em harmonia e sem preconceitos.

  13. Ali seria um visual para uma série de ST no século XXVI… mas resolveram fazer mais um prequel, vamos nessa

  14. Caro Italo estou ciente.
    A questão é que não há encruzilhada.
    Quando Spock e Narada voltaram no tempo, saltaram para o passado de um universo alternativo e paralelo ao de TOS e este universo onde vemos a kelvin time line, também tem uma história envolvendo a série ENT , porém esta não é a série ENT que conhecemos, é outra e alternativa, vivemos em um multiuniverso, isto é consenso na Astrofísica hoje e o conceito de volytar no tempo como Kirk e Picard faziam – estava errado. Mas a gente deixa como está kkkkkkk
    Então , os eventos antes da Narada mudaram o fluxo de tempo no universo paralelo mas, os eventos anteriores não são os mesmos que conhecemos, foram outros e alternativos.

  15. Eu também, e não acho nada de mais que seja assim.
    Vai ser muito engraçado se em algum capítulo alguém citar a Kelvin e a sua destruição no encontro com a Narada. 😂😂😂

  16. Perfeito, FSPOK, concordo plenamente com o exposto (muito bem escrito, por sinal! Parabéns!) e creio que nada disso impediria que esta série se passasse na nova time line.
    Acho inclusive muito mais aceitável que ela se passe no universo Kelvin pois todo visual tecnológico remete a esse universo novo.
    Sei que a produção já disse que se passará no universo original, mas do que adianta dizer isso, se o que vemos é muito mais condizente com o universo Kelvin? Isso para mim só parece balela para pegar os antigos fãs como nós (sou das antigas também! Rsrs).
    Para mim, reconhecer que ela se passa no novo universo, não me incomoda em nada, até prefiro pensar assim por ser mais coerente visualmente falando.
    Para você, FSPOK, seria ruim pensar ou saber que ela se passa na nova time line?

  17. Não teria problema com isso, gosto da kelvin time line, aliás , sem ela não teriam a iniciativa de fazer uma nova série de tv ,que é o forte de ST.
    Apenas estou considerando que disseram que se passa na linha principal e acho que este trailer foi pra pegar mais fãs e de Star wars, esse trailer é apenas do piloto, não mostra a USS Discovery, então tem uma boa chance de que realmente a série se passe 10 anos antes de Kirk na 1701 de TOS, vamos ver, somente 2min não permitem afirmar. 🙂

  18. Quark Ferengi | 27 de maio de 2017 at 12:23 pm |

    A única coisa que está me incomodando nesse trailer é visual dos klingons. Se eles não tiverem uma boa explicação pra isso… “klingons renegados mutantes”… “klingos frutos de experiencia genetica”… “klingons do futuro”… vai acabar minha alegria com a nova serie. 🙁

  19. Fabiano Correia | 27 de maio de 2017 at 8:20 pm |

    se e na epoca de christopher pike assumindo a enterprise não deviam usar os uniformes coloridos??? afinal nos filmes do abrams eles funcionaram

  20. ralphpinheiro | 28 de maio de 2017 at 9:13 am |

    Edu, a série original é muito antiga com visual antigo, vestuário de baixo orçamento. Ou vc anuncia uma série retrô como foi o filme Capitão Sky e o Mundo de Amanhã mantendo tudo como antes ou dá um upgrade no visual. É natural que as próximas séries e filme sejam atualizados não só no visual como também na tecnologia. Os filmes de Abrams, bem ou mal, são o que de há mais upgrade visual. Achei que a produção foi inteligente em tentar fazer uma mescla da série ENT com o visual da Kelvin para manter uma identificação ao público não trekker. Pior seria se viessem com outro tipo de uniforme.

  21. Ralph, concordo com você assim como concordei com Fspok. Sei que não teríamos como ter uma série nova com o visual e tecnologia de uma série de 1966; posto isso, e baseado na solução encontrada no filme de 2009 para explicar tudo, não seria melhor que assumíssemos que tudo o que vemos é consequência do que foi retratado na nova time line?

  22. Também acho, se tem uma coisa que curti nos filmes recentes do JJ foi os uniformes muito próximos do original

  23. Vamos aguardar então.

  24. Eu ainda n vi nenhuma série,mas como a Discovery passa 10 anos antes de Kirk e etc. Não seria Klingons do passado?

  25. Isso mesmo! Tenho um monte aqui para emprestar!!

  26. Sim sim sim!!!

  27. Tem como fazer melhor, basta ter grana.

  28. Quark Ferengi | 5 de junho de 2017 at 9:47 pm |

    Não… em 10 anos – de Discovery para a serie classica – nao daria pra eles sofrerem uma mutacao dessas. E a diferenca do visual de TOS pra TNG dos klingons já foi explicada. Nunca mencionaram que antes do Kirk eles tinham outro visual.

  29. Mauricio Silva de Moura | 9 de junho de 2017 at 8:39 pm |

    Só nos resta a expressão: “Fascinante”

  30. Hoeraldo Junior | 19 de junho de 2017 at 8:52 pm |

    Bem observado,aqui ainda pasmo com mais essa alteração dos Klingons para um mix de Jemadar + porco espinho 🙁

  31. Hoeraldo Junior | 19 de junho de 2017 at 8:54 pm |

    Full agree…é dose essa alteração dos Klingons para um mix de Jemadar + porco espinho 🙁 ( só falta colocarem os Romulanos como Orcs… )

Leave a comment

Your email address will not be published.


*