Recentemente o Trek Brasilis foi definido como “gente velha falando de Star Trek”. Deixando certo exagero de lado, tem um pé na verdade. A média etária dos editores do site é de 40, 45 anos. Pegamos Star Trek quando da era das fitas VHS, do contrabando de episódios com imagem horrível, da época da TV Manchete. Mas não somos tão velhos assim também. Nada de ter conhecido Kirk, Spock e McCoy pela TV Tupi, Excelsior ou estreia de The Motion Picture nos cinemas.

Porém somos da época dos eventos grandes, seja em São Paulo ou no Rio de Janeiro. Lá conhecemos, além dos segmentos inéditos (que chegavam com mais de ano de atraso), muitos amigos. Amizades que duram até hoje. Amizades que ergueram o Trek Brasilis, site referência na área e que completou seus 18 anos ontem mesmo, no dia da estreia de Discovery.

E nesse fim de semana tão especial, com nossa maioridade enfim e o lançamento de mais uma série Trek na televisão, ocorreu a Trekker Con na capital paulista. Realizada pelo fã-clube Star Trekkers Brasil e pelo canal Diário do Capitão, veio em boa, ou melhor, em excelente hora. Às vésperas do início de mais uma era de Jornada nas Estrelas, agora com exibição global simultânea pelo streaming, a oportunidade de estar com tantos trekkers num agradável sábado (23/09) tem de ser festejada.

Com organização de Thiago Maldonado e Fernando Augusto, ao lado do staff do Star Trekkers, o evento atraiu mais de 400 pessoas ao Senac Aclimação. Figuras de proeminência do fandom estavam por lá. O presidente da Frota Estelar Brasil, Luiz Navarro, ao lado de Roosevelt Garcia do fanzine ENPE. Silvio Alexandre, editor dos livros de Star Trek da Aleph nos anos 90, e atualmente editor da Leya; Sidnei Tricarico, o maior colecionador de itens da série do Brasil que trouxe uma amostra espetacular para deleite de todos; Salvador Nogueira, que além de editor do TB é co-autor do livro Jornada nas Estrelas – O Guia da Saga; Waldomiro Vitorino, do podcast Seção 31, o melhor do gênero no Brasil; e muita gente que fez Star Trek acontecer no nosso país nas últimas décadas.

Mas a História se encontrou com o Presente no sábado. Novos nomes do fandom participaram de paineis com diferentes temas, além do inevitável desfile de fãs fazendo cosplay de seus personagens favoritos. Dividida em dois andares, a Trekker Con contou com as tradicionais lojinhas de produtos e novidades como um templo Klingon com diversas atividades, espaço para jogos e simuladores, além das opções de alimentação ali no Senac mesmo. E nossos co-irmãos de Star Wars, do Conselho Jedi, estavam em peso por lá também. Tudo em clima de camaradagem, como não poderia deixar de ser, é claro.

E assim se formam mais fãs de Star Trek e se faz amizades que podem durar a vida toda. Tudo o que os “velhinhos” do Trek Brasilis gostam, e o que motiva os fãs a fazerem mais coisas voltadas a eles mesmos, os próprios fãs.

Um novo Trek Brasilis pode ter surgido sábado. Um novo Seção 31. Um novo fã-clube como o Star Trekkers ou a Frota Estelar. E mesmo que apenas novas amizades se formem, todo mundo já saiu ganhando.