A editora IDW Publishing recebeu a licença para produzir quadrinhos baseados na série Star Trek Discovery e anunciou duas minisséries de quatro edições. Uma das miniséries chama-se “The Light of Kahless”, que é uma história ligada aos eventos da série e focada no personagem T’Kuvma. Enquanto esperamos pelo início da segunda temporada, você pode ler aqui um resumo dessa aventura e saber o que levou ao conflito nas Estrelas Binárias.

Escrito por Mike Johnson e Kirsten Beyer e com arte de Tony Shastee, a história começa após o episódio “Battle at the Binary Stars”.

Voq e L’Rell se recuperam após a morte de T’Kuvma na batalha contra a Federação. Restos do corpo da capitã Georgiou servem de alimento aos Klingons sobreviventes da nave sarcófago.

À deriva e abandonados pelas demais casas, Voq vacila diante de sua capacidade de liderar o legado de T’Kuvma e salvar o que resta da tripulação. L’Rell conta a verdadeira história de quem era T’Kuvma e por que ele escolheu Voq para sucedê-lo como líder.

A história segue, então, para o tempo quando T’Kuvma era um jovem Klingon em Qo’noS. Sua Casa Girjah desonrada e seus familiares banidos do Conselho Superior Klingon, com seu tio apenas se preocupando em cuidar do pouco que restou para si mesmo.

Atormentado e provocado por seus quatro irmãos mais velhos, T’Kuvma foge para a floresta e descobre uma antiga nave abandonada. Nela habitam sua irmã J’ula e o que resta dos membros da casa Girjah. J’ula revela a verdadeira natureza do legado de sua família e seus planos para reconstruir a nave, e encontrar o primeiro e verdadeiro Klingon renascido, Kahless.

Mantendo este segredo para si, T’Kuvma retorna a nave regularmente para treinar métodos de batalha e aprender a ser um verdadeiro Klingon. J’ula decide enviá-lo a Boreth, um antigo mosteiro, para estudar os ensinamentos de Kahless (como Worf eventualmente fez no episódio da temporada 6 de A Nova Geração em “Rightful Heir”).

T’Kuvma, em Boreth, tem de suportar poços de lava nas cavernas de No’Mat, e caminhadas nu através das tempestades de neve, testando sua resistência e devoção aos ensinamentos. Ele procura cumprir a História da Promessa. A profecia afirma que o grande guerreiro “se revelará àquele que carregará seu espírito”, tornando-se Kahless renascido.

Ele foi o único a sobreviver aos duros testes, o que dividiu os clérigos do local, levando parte a declará-lo como o Kahless renascido.

T’Kuvma recebe a notícia de que as Casas Girjah e Mokai se unirão através do casamento de J’ula com D’Lor. Ele retorna a sua casa e vê sua irmã com o líder da Casa Mokai … seus irmãos e familiares mortos. É uma traição, mas J’ula pretende manter viva a linhagem familiar com esta união e viu no casamento a única solução. Os familiares que não concordaram se rebelaram e foram eliminados.

J’ula convence D’Lor a ter um tempo a sós com T’Kuvma para evitar que seu irmão seja morto também.

Nos anos em que T’Kuvma esteve em Boreth, J’ula fez modificações na nave sarcófago, incluindo um antigo dispositivo de camuflagem. Mas a união com a Casa Mokai leva alguns membros da família a questionarem seus reais motivos.

Apesar de não concordar, à princípio, T’Kuvma deixa J’ula continuar com seu plano de manter o nome da família, enquanto ele comanda a nave sarcófago, já disponível, levando seguidores e seus antepassados ​​mortos.

Mas as coisas não saem muito bem para J’ula. Um ano depois, ela deu à luz seu primeiro filho: um menino albino. Então, ela o matou e disse ao marido que foi natimorto. D’Lor não confia mais que ela possa fornecer-lhe um herdeiro e tira seu nome de família como punição. A Casa de Girjah não existe mais.

A notícia chega aos ouvidos de T’Kuvma que não concorda com o destino dado a seu sobrinho, mas ela escolheu seu caminho.

A mini série prossegue com L’rell relatando o passado de T’Kuvma como uma forma de motivar Voq.

Pela história de L’rell ficamos sabendo que T’Kuvma viaja através do Império libertando escravos em algumas batalhas sangrentas. Ele consegue reunir muitos seguidores pregando a palavra de Kahless, e isso irrita as outras Casas nobres.

As Casas nobres se reúnem em Qo’nos para discutir o problema T’kuvma, que se tornou uma ameaça ao status quo do Império.

T’Kuvma se apresenta ao Conselho pregando a união das Casas pela palavra de Kahless diante da ameaça da Federação. Krol da Casa de Kor se nega a seguir um Klingon banido que se diz “Kahless renascido”. As demais Casas apoiam Krol. T’Kuvma é ameaçado de prisão, mas ele mostra seus milhões de seguidores no lado de fora do salão do Conselho.

Diante da situação, o Conselho libera T’Kuvma para que encontre o lendário farol de Kahless a fim de provar seu legado.

J’ula diz acreditar em T’Kumva e promete tentar convencer as Casas a apoiá-lo, mas ele não tem mais interesse em reuniões familiares. Ele só quer que todos saibam que vai encontrar a luz de Kahless e unir o império.

Antes de retornar ao espaço, T’Kuvma recebe mais seguidores, entre eles um jovem albino e sua mãe. T’Kuvma vê no rapaz o brilho de Kahless no olhar. Naquele mesmo dia L’rell também se torna uma seguidora.

No encerramento da narrativa, L´Rell revela a Voq que em certo momento, T’Kuvma chegou a duvidar de que fosse seu destino encontrar o farol lendário.

Mas no final valeu a máxima de “crie o seu próprio destino”. E T’Kuvma usou um farol que ele mesmo tinha feito para enganar a todos que era a verdadeira luz de Kahless e começar a guerra contra seu maior inimigo, a Federação.

A seguir vamos levá-lo ao Universo Espelho pela mini série Star Trek: Discovery: Succession.