Countdown termina e deixa perguntas no ar

Star Trek: Picard – Countdown é uma trilogia em quadrinhos lançada pela editora IDW nos Estados Unidos, trazendo acontecimentos que antecedem a nova série Star Trek: Picard, que estreou aqui no Brasil pela Amazon Prime Video no último dia 23. O Trek Brasilis já leu a edição 3, a última desta história, que foi lançada nesta quarta-feira (29/01). Confira nossa análise a seguir. Mas, atenção, o texto tem SPOILERS! Para rever o review da primeira edição, é só clicar aqui. O da segunda está aqui.

A trama em Star Trek: Picard – Countdown #3

Esta edição começa com Picard buscando, em suas experiências passadas, um paralelo com o que vive no momento. Em flashback ele se recorda de Locutus (“The Best of Both Worlds“, de A Nova Geração), Kamin (episódio “The Inner Light“, da mesma série), da tortura pelos cardassianos (“Chain of Command, sexto ano de A Nova Geração) e de enfrentar a Rainha Borg (Star Trek: Primeiro Contato, filme de 1996).

Zhaban leva Picard como prisioneiro para uma sala de comando romulana da colônia de Yuyat Beta. Um oficial questiona Zhaban do porquê dele não os ter levado para uma prisão, quando Picard o interrompe revelando ser um plano para que ele possa entrar em contato com sua nave a USS Verity. Zhaban então neutraliza o oficial com um feiser e abre comunicações com a nave que, para espanto de Picard, é respondida pela governadora Shiana.

Ela explica que com seu código de acesso foi fácil controlar algumas partes essenciais da nave (como visto na HQ “Countdown” número 2), mas que sub-rotinas de segurança a impediram de ganhar o acesso total da nave. Shiana exige que Picard passe os códigos completos sob a ameaça de matar Newton e enquanto uma discussão se desenrola, a tenente Murcia consegue travar transportes e teletransportar todos os romulanos para a prisão da nave. Com a ameaça neutralizada, Picard e Musiker retornam para a nave levando Zhaban e Laris juntos.

Na prisão, Picard tenta explicar para a relutante Shiana que sua missão é resgatar a maior quantidade de vidas possíveis. Shiana continua acreditando tratar-se de uma invasão da Federação e que reforços estão a caminho para destruir a USS Verity. Na cena seguinte, uma nave romulana do Tal Shiar aparece ameaçando a Verity. Ao contrário do que Picard pensa, ela não veio por solicitação da Shiana, mas devido aos seus agentes Zhaban e Laris que neste momento insere os códigos completos e tomam o controle de toda a nave. Zhaban explica que o plano do Tal Shiar sempre foi destruir a USS Verity (pois ela comanda os esforços de regate) e por isso, infiltrou agentes em diversas colônias onde a nave eventualmente iria estar. As tensões aumentam quando duas outras naves romulanas, classe D’Deridex (as mesmas vistas em A Nova Geração a partir do episódio “The Neutral Zone“, do final do primeiro ano) surgem.

Elas são comandadas por Vinux, que responde diretamente ao senado romulano, sendo já conhecido de Picard, pois o ajudou no resgate de outras colônias. Eles ordenam que a nave do Tal Shiar recue. Zhaban finalmente entende que a Federação está lá para ajudar. Ele acreditou no Tal Shiar pois a história da supernova era tão descabida que era impossível que algo deste porte ameaçaria o Império. Era mais fácil crer que foi algo plantado pela Federação para uma futura invasão. Vendo que o Tal Shiar não está preocupado em salvar os cidadãos romulanos, Zhaban entrega novamente o controle da nave para Picard.

A nave da Tal Shiar então desaparece vendo que não teria chances de combate contra três naves. A governadora Shiana é levada sob custódia por Vinux, a ordem é reestabelecida na colônia onde toda a civilização (romulanos ou não) serão brevemente evacuados pelas naves de reassentamento. Zhaban e Laris agora são tratados como traidores do Tal Shiar e possivelmente serão capturados e mortos. O almirante então propõe que em vez deles viverem fugindo, podem ficar em um lugar seguro pelo tempo que desejarem, perguntando se estão interessados em viver numa vinícola.

Conclusão

Countdown” prepara o terreno para Star Trek: Picard. Sabemos que o almirante liderou a maior missão de resgate da história da Federação ao ajudar os romulanos e depois abandonou a Frota. Aqui, nos é entregue uma pequena fração desta grande história, focando em apenas uma das inúmeras colônias resgatadas. Personagens da série são introduzidos como a primeiro oficial Raffi Musiker (vivida na série de TV por Michelle Hurd), e os romulanos Zhaban (Jamie McShane, na televisão) e Laris (Orla Brady), estes dois últimos diga-se, são os personagens mais aprofundados nestes quadrinhos.

Outras referências tentam ligar-se ao primeiro capitulo de Picard (“Remembrance”), como a frase em que Dahj exclama: “Alguma vez você se sentiu um estranho para si mesmo?”, na qual Picard responde: “Muitas, muitas vezes.”, remetendo ao início deste terceiro número. Na penúltima página, temos sobre a mesa de Geordi La Forge uma foto dele junto ao falecido tenente comandante Data, mostrando que o androide positrônico também se ligará com a história.

Já outras perguntas ficam em aberto para a série, entre elas:

  • O que levou Raffi Musiker a se indispor com Picard fazendo-os ficar em lados opostos?
  • La Forge, comandando os estaleiros de Utopia Planitia, sobreviveu ao ataque dos sintéticos?
  • Os cidadãos da colônia Yuyat Beta foram resgatados ou não tiveram nenhuma chance com a destruição das naves de reassentamento?
  • A Enterprise citada por Picard é a NCC-1701-E ou a sua sucessora?
  • E quem será o novo capitão da Enterprise?

Agora é esperar pelos próximos episódios de Star Trek: Picard para conferir se tudo será (ou não) respondido.

Ficha Técnica

Total de páginas: 28 coloridas
Escrito por Kirsten Beyer (roteirista das séries Star Trek: Picard e Star Trek: Discovery) e Mike Johnson (tradicional escritor de quadrinhos trekkers)
Artes de Angel Hernandez
Publicado pela IDW

Be the first to comment on "Countdown termina e deixa perguntas no ar"

Leave a comment

Your email address will not be published.


*