Ouça mais um podcast sobre Star Trek!

startrek_50Fernando Rodrigues, colaborador de longa data do Trek Brasilis, a exemplo de Luiz Castanheira gravou um podcast com suas impressões sobre o novo Star Trek de J.J. Abrams. Você pode baixar clicando aqui. O arquivo tem 15 Mb, com uma hora de gravação.

Não deixe de ouvir. E mesmo que tenha uma opinião que não bata com a do Fernando, não deixe também de postar aqui suas impressões, afinal, o TB incentiva o debate de ideias sobre os assuntos da série que tanto gostamos.

Ah, o autor do podcast avisa que “se parecer que o audio foi gravado à beira de uma estrada, é verdade! Gravei o arquivo na ida e vinda de Araras“.

97 Comments on "Ouça mais um podcast sobre Star Trek!"

  1. Araras interior de SP? Poxa, se for essa cidade, é a minha cidade querida onde nasci.

    Achei que não tivesse ninguem que gostasse de Jornada lá…

  2. Fernando Rodrigues (Odo) | 21 de maio de 2009 at 1:33 pm |

    Alex,

    Eu na verdade moro em Campinas, mas sou professor na Uniararas. Assim, 3 vezes por semana estou lá na sua terrinha!

  3. Leonardo Fukushima | 21 de maio de 2009 at 1:40 pm |

    Amigos do Trek Brasilis.
    Sobre o pod cast do Luis Castanheira,eu acho que ele realmente tem razão sobre alguns pontos negativos do roteiro,como naquelas duas vezes absurdas de utilização do tele transporte.
    Mas nos temos que ressaltar que o filme tem mais qualidades que defeito.
    A historia dos personagens é boa,a nova visão dos personagens tem mais carisma e eles são adeptos de esportes radicais.O que ajuda a atrair o publico não Trekker para o cinema.

  4. OFF topic:

    Lembram da primeira imagem que apareceu do corredor de alguma nave logo que ST foi anunciado?
    Todo mundo especulou que seria da Enterprise, que era mais sombria e tal…

    Afinal, aquilo era da Kelvin?

  5. Pobre Fernando!

    Arriscando a vida nas rodovias em nome da causa trekker!

    (Já estou escutando!)

    😉

  6. Caro Fernando e caro Castanheira

    Realmente é impressionante vc gravarem 1 hora de críticas. Positivas ou negativas. Não sei. Não ouvi e nem vou. 1 hora de bla-bla-bla é tempo demais. Nem os nossos queridos seriados de ST duram 1 hora (duram cerca de 40-45 min e mais 15 de comerciais). Aí vai uma crítica construtiva para vcs que gostam tanto de críticas: Tentem fazer um podcast menor, mais sintetizado, com uns 5 ou 10 minutos no máximo. Mais que isso não dá. Fica muito chato. Pensem bem. Se ouvirmos os dois comentários, o do Fernando e o do Castanheira vai dar 2 horas do nosso precioso tempo. Prefiro gastá-las assistindo mais uma vez a Star Trek 2.0.

    Life Long and Prosper \\//_

  7. Gostaria de ver uma crítica do Leandro Martins! Não sei se eu li algo sobre mais… tu gostaste do filme? Abraço.

  8. A CENA DO KIRK CAINDO E FUGINDO DO MONSTRO ME LEMBROU A CENA DO LUKE ENFRENTANDO O MONSTRO NO GELO na primeira trilogia de star wars, aquela parte em que ele pega o sabre de luz e corta o braço do monstro. Quem se lembra dessa cena?

  9. Fernando Rodrigues (Odo) | 21 de maio de 2009 at 3:23 pm |

    # 6: Junior, acho que você tem razão sim. De minha parte, confesso que me empolguei e acabei exagerando. Mas para situações futuras, já propus ao TB um limite de tempo de 15 minutos.

  10. Fernando Rodrigues (Odo) | 21 de maio de 2009 at 3:29 pm |

    # 5: César, acho que a situação está mais para Star Trek me ajudando a vencer a monotonia da viagem (1 hora para ir, outra para voltar…)

  11. Post 8: Quando aquele bicho tava chegando lá de longe pra pegar o Kirk, eu pensei que ia aparecer o Han Solo… hauhahuhau

  12. Simplesmente 1 hora houvindo mer**, só uma coisa a fala final do SPOCK é uma homenagem ao Leonard Nimoy, provavelmente vai ser a última vez que veremos ele na franquia nada mais justo que ele tendo a fala final.

    Lamentável seus comentários senhor Fernando

  13. Fernando Rodrigues (Odo) | 21 de maio de 2009 at 3:54 pm |

    # 12: Carol Carol, vamos manter os bons modos, ok? Você tem todo o direito de discordar de tudo o que eu disse, mas simplesmente chamar de “mer**” é desrespeitoso e está em descumprimento às regras.

    Co relação à fala final do Spock: se fosse a primeira vez que isto tivesse sido feito, eu concordaria com você que foi uma homenagem ao Nimoy. Mas não foi. No final de Jornada II temos exatamente a mesma narração do Nimoy. Então, na minha opinião, foi gratuito e sem sentido.

  14. Parabéns, Fernando! Ótimo podcast.

    Concordo em quase tudo contigo.

    Quando eu puder, postarei as partes as quais não concordo contigo. Ok?

    Abraço!

    Vida longa e próspera! \\//_ 😀

  15. flavio nazareth | 21 de maio de 2009 at 6:29 pm |

    sr fernando escutei todo seu comentario de todo o filme e tambem sobre as franquias de star trek e oque me surpreende e o sr ainda gostar de star trek a analise fria e sintatica dos filmes ( todos ) me faz intender que seu gosto por ficção deve ser repensado as criticas são justas mais devemos ver universo treker com olhos da fantasia cientifica talves seu talento service mais para documentarios (me desculpe não tive a intensão de ser ofensivo ) um grande abraço treker a todos

  16. Parque Aquático???
    Entre pelo cano com o Scott! kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk

    Perfeito!

    Adorei o Podcast. Ah sim, e está muito mais audível do que o Nutcast do Castanheira.

    Parabéns.

  17. Meu irmão estuda na Uniararas.

    Estou ouvindo o Podcast neste exato momento.

  18. André Gustavo Rampin | 21 de maio de 2009 at 7:46 pm |

    o cara tá louco, um baita filmaço deste e ele só vê críticas, é lógico que o filme tem algumas falhas no roteiro, mas nada que comprometa o sucesso da franquia. Seria melhor que ele ao invés de só criticar, torcer para que o novo Star Trek faça o sucesso merecido para os fãs e, assim sejamos novamente privilegiados em aguardar uma futura continuação. Cara o viagem longa você teve para pensar tanta mer**!

  19. Fernando Rodrigues (Odo) | 21 de maio de 2009 at 7:54 pm |

    # 15: Flavio, na verdade, eu acho que muito da racionalização que tenho feito sobre o filme tem mais a ver com a decepção que eu tive com o filme, com o fato de ele não ter me emocionado como eu talvez esperasse, ou como filmes como Jornada 6 o fizeram.

    Por outro lado, vai ver que 4 anos envolvido com atividades acadêmicas e didáticas tenham me afetado mais do que eu gostaria!

  20. Fernando Rodrigues (Odo) | 21 de maio de 2009 at 7:55 pm |

    #17: Sério, Ricardo? Qual curso ele cursa lá? Eu dou aulas para turmas dos cursos de Processos Químicos e de Gestão e Saneamento Ambiental.

  21. AVISO, aos fãs incondicionais (traduzindo:acéfalos) e anti-SW, RECOMENDO que NÃO leiam esse comentário.

    Posso afirmar sem ser tendencioso ou injusto que os filmes STAR WARS Episódios II e III são bem MELHORES que essa coisa que ousaram entitular de STAR TREK.

    J.J. Abrams usou de um artifício muito comum e simples na ficção científica: a quase cópia descara de várias coisas do Universo STAR WARS, como:

    – Piadas com língua inchada e dormente (Jar Jar Binks), testada ao transitar numa nave (Jango Ep 2 e Stormtrooper Ep 4).

    – Nave (estação espacial) capaz de explodir planetas inteiros

    – Luta com espada reluzente

    – Naves que se movem como caças ou peixes (bongo)

    – Et “mascote” feio e engraçado

    – E, claro, o mesmo designer e, ainda, efeitos visuais e sonoros da Industrial Light & Magic.

    O mundo já está cheio de “Madalenas Arrependidas”, montes de pessoas que adoraram a Nova Trilogia Star Wars e tempos depois falam mal até se cansar. Falta do que fazer, pura tiração de onda, sei lá.

    STAR TREK de J.J.Abrams só tem a embalagem de Star Trek, mas segue tudo a risca dos DEFEITOS dos filmes atuais (como Speed Racer), personagens rasos, cenas sem contexto, RISCO ZERO e tudo muito rápido sem impacto emocional. Empolgando bem menos até do que os traileres que foram divulgados…

    Quem gostou, Parabéns! 😀

    Quem NÃO gostou, agradeça MUITO a Deus por ainda ter alguma sanidade mental. 😉

    Ainda espero algum dia por um filme que eu possa chamar com orgulho de STAR TREK.

  22. respeito a opinião do fernando rodrigues,mas eu penso:
    Se fosse a produção de um filme fosse dada aos críticos (negativos) , será que eles fariam um ótimo filme?

  23. Post 20: Considerando que a maioria dos seres humanos que viu Star Trek gostou (inclusive eu, que sou meio humano), a conclusão lógica é de que o mundo está dominado por insanos.

    Aos poucos mentalmente sãos (neles incluídos os que até arriscam a vida para criticar um filme), sugiro que evacuem o planeta. Só não vão para Delta Vega, porque o clima e a fauna fazem mal à saúde.

    PS: Achar o Episódio I melhor que Star Trek? Coisa de acéfalo…

  24. Concordo que o Podcast de uma hora é muita coisa. Façam os próximos em capítulos por favor. Mas está muito sincero e bem ponderado, muito do que ví de ruim no filme ele se mostrou mais neutro.

    Mas que o filme tem apenas a ação de bom. Tanto que quem não é Trekker e foi ver o filme agora só fala das próximas estréias, principalmente Terminator 4 (que para mim sempre foi e ainda é o preferido da bilheteria).

    Por isso acho que a primeira missão do $J$J$ não foi cumprida, muito poucas pessoas gostaram realmente de ST a ponto de se tornarem fãs da série, até acho que muitos Trekkers de longa data mais se decepcionaram e se voltaram para o material antigo do que para esse novo.

    E pelo que percebí também a segunda missão não foi tão longe, afinal O Primeiro Contato que é sim muito legal, custou menos que a metade desse lucrou só uns 10% menos. Ou seja, foi menos rendeu menos (lógico que estou levando em conseideração a inflação, o relóginho do Box
    Office Mojo e critérios iguais). Sem dizer que o tal relógio perdeu em muito sua agilidade!

    Então não me venham dizer que o filme é fantástico por que não é, está abaixo do primeiro, muito abaixo do segundo e do quarto, e abaixo do Primeiro Contato, que é emocionante, dramático e muito melhor escrito.

  25. Fernando Rodrigues (Odo) | 21 de maio de 2009 at 8:56 pm |

    # 22: Se me dessem US$ 150 milhões na mão eu talvez não fizesse um filme melhor, mas pelo menos procuraria tampar buracos no roteiro!

  26. Leandro Martins | 21 de maio de 2009 at 8:57 pm |

    Cavalheiros, devo dizer que a Moderação está notando uma incômoda tendência nos comentários de querer se colocar em xeque as pessoas em si, ao invés dos pontos em discussão do filme. Para mantermos a coisa civilizada, ao invés de se ficar de apontação de dedo uns contra os outros com acusações de insanidade se assistem o filme ou não, discutam o filme per se, com os devidos argumentos combinados com seus elogios ou críticas, duras ou não. Mas focados no filme.

  27. Não ouvi a critica, nada pessoal, mas 1 hora falando mal do filme, não dá.

    Eu achei que as palavras do Spock Nimoy no fim do filme ficaram coerentes, pois ali está o cara que já viveu inúmeras aventuras naquela nave, e está avisando a platéia: a missão agora é com eles.

    Post 20

    Não estou sendo xiita ao defender Star Trek, também já tinha pensado que em termos de estória, o episódio 2 e 3 “fluíam” melhor, mas repensei.

    Star Trek tem vários problemas, reconheço.
    Adoro Vingança dos Sith.
    Ataque dos Clones e Vingança, não tem tantos furos no roteiro como este Star Trek.

    Mas… Mas…

    Existem duas diferenças monstruosas entre Vingança dos Sith (nem se fala em Ataque dos Clones) e Star Trek….interpretação e direção.

    Nem precisa dizer que o George Lucas manda muito bem em ação, mas trabalhar com atores é o calcanhar de Aquiles dele, foi preciso muita pancada e ajuda de outros profissionais pra ele conseguir arrancar alguma coisa da Natalie Portmann, nem falo do Hayden, que só fez um feijão com arroz.

    Já JJ Abrams, sabe trabalhar com cenas de ação, sabe trabalhar com efeitos especiais, (sem contar que não abusa do digital como o tio Lucas, que não duvido, pra ele a ponte da Enterprise deveria ser toda em CGI) e dirige com competência os atores.

    O trabalho do Pine, Quinto, Urban e todos os demais atores principais foram de bom a ótimo. O Pine mandou ver uma atuação muito, mais muito mais inspirada que o Hayden por exemplo, e olha que o Pine e o Quinto tinham os mitos Shatner /Nimoy como sombras.

    Concordo que o filme tem seus problemas, mas não concordo com algumas afirmações que este filme não é um Star Trek.

    Afinal, o que define ser um filme Star Trek? Os personagens, ou uma estória redondinha, sem furos?

    Lembrando que o filme mais aclamado do ano passado, Batman o cavaleiro das trevas, tem mais furo que o carcaju depois de amaciado pela Lady Letal.

  28. Leandro Martins | 21 de maio de 2009 at 9:03 pm |

    @7: Sim, a minha própria crítica já está postada no TB, você pode a conferir aqui.

  29. Que exagero! Seus argumentos são bem ruinzinhos também viu… “NÃO SE JUSTIFICAM”! Você reclamou que não tinha suspense e reclamou das cenas em que não sabia se Vulcano seria ou não destruido (tá cheio de contradição)! Qualquer filme tem um ou outro furo de roteiro! Citaria uns 10 em cada epsódio de todas as séries e de cada um dos 10 filmes de cinema!

    O Kirk sempre foi meio rebelde, sempre adorou desobedecer ordens, e ninguém disse que seria o mesmo cara com personalidade dos “anos 60”, apesar de que os mostrengos que o perseguem, no planeta gelado, eram bem melhores do que aqueles que costumavam aparecer na das série original (não eram uns caras altões disfarçados)! Kirk teve que lidar com os erros sim… ele estava sendo julgado e quase que ele fica na Terra!

    Eu achava a personalidade do Spock (original) muito limitada, o Tuvok que era vulcano de pai e mãe era muito mais interessante! A briga entre ele e Spock foi maravilhosa, remeteu a cena da infância de Spock. O pai do Spock disse que ficou com a mãe dele porque “era LÓGICO” (ele disse na cena em que conversa com o Spock criança)!

    Checkov não pilota a nave… ele é um alferes, e isso no filme é mensionado!!!!!!!

    O problema é que você, e vários de nós, está viciado nas séries… só em séries que é possível ter o que você quer!!!!!!

    Aquela nave não é a Enterprise A… a intenção era fazer a nave como ela nasceu!

    Esqueceu de dizer que o 007 mudou de personalidade em vários filmes… ele foi ficando mais ligth com o tempo (parou de fumar por exemplo).

    Você não deve ter visto o filme mais de uma vez né, porque seus comentários tem muitos furos!

    É por isso que eu não gosto de criar muitas espectativas… mas você exagerou demais!

    Chega não aguento ouvir as suas reclamações…

  30. Depois de ouvir todo o Podcast do Fernando Rodrigues, conclui que ele não tem vida pessoal, que leva a serio demais jornada e que está sem mulher na vida dele.

    Tirando este Podcast depressivo e excessivamente detalista, que critica até os tubos de refrigeração, acho que o filme tem seus méritos e eu mesmo estava bem descrente desse BOOT da série, ams para mim funcionou, claro que estou enjoado de ver o uso de viagem temporal, na serie, mas o filme funcionou bem e é bem melhor que a ultima produção da franquia “ENTERPRISE”, que só começou a ficar interessante na ultima temporada.

    Acho que devemos esperar pelas próximas produções e torcer para que o nvel de investimento continue o mesmo para garantir a qualidade dos filmes.

  31. Realmente certas pessoas aqui levam a crítica para um lado muito, muito pessoal.

    Mas sigamos em frente pois a vida é curta…

    Gostei muito do podcast do Fernando.

    Ele criticou o filme por dois ângulos de visão, a saber:

    1. o filme não funcionou como forma de expressão artística,

    2. o filme não funcionou como produto “Jornada nas Estrelas”.

    Perfeito. Simplesmente perfeito.

  32. Fernando Rodrigues (Odo) | 21 de maio de 2009 at 9:31 pm |

    # 29: Hiram, assisti ao filme duas vezes, para seu interesse. E sinceramente, se eu começo a ouvir um podcast do qual eu não estou gostando, eu simplesmente não o escuto!

  33. Fernando Rodrigues (Odo) | 21 de maio de 2009 at 9:34 pm |

    # 30: Erico: primeiro, evite ataques pessoais. Para seu interesse, eu sou empresário de uma empresa líder de mercado no Brasil, sou professor universítário e tenho ainda uma segunda empresa de treinamentos à distância. Sou considerado referência no que faço por órgãos do mais alto escalão no Brasil.

    E sim, tenho namorada e uma vida normal.

    Há um motivo para eu ter gravado o podcast enquanto dirigia: era o único momento no qual eu tive tempo para fazer isso!

    Portanto, não critique o que não conhece. Sinta-se livre para discordar do meu podcast, mas não ataque a minha pessoa.

  34. Que baixaria que virou isso aquim hein….
    A “guerra intergalática” está aqui dentro mesmo, que chato…

  35. Caramba… uma coisa eu posso dizer, você realmente está infeliz por causa do filme. Mas diria a você, não fica assim não, e espero que este exercício de desabafo tenha sido bom para você.

    E você tem razão em muitos pontos, mas isto é tão ingênuo buscar as minúcias em um filme que segue o padrão atual empobrecido de roteiro.

  36. Maria da Conceição G. Simões | 21 de maio de 2009 at 10:39 pm |

    É como eu digo sempre, a ladainha “eu gosto-eu não gosto” é infindável. Não sei pq as pessoas que não gostaram do filme querem tanto afirmar sua opinião. Quem gostou não fica fazendo ladainhas sobre suas razões. Quem gostou, gostou, quem não gostou, não gostou, ponto final. Se quer demonstrar seu desgosto, larga de ser trekker. Não se esqueçam: “Infinitas Diversidades em Infinitas Combinações”.
    Vida Longa e Próspera para todos….. e vamos torcer para aparecerem tópicos menos explosivos ou isso ficará pior que a briga da Federação com o Nero.

  37. Listagem das poucas coisas boas no filme STAR TREK:

    – Nyota Uhura (Zoë “cut-cut” Saldana)

    – Gail “a verdinha” (Rachel “uau” Nichols)

    – Os Spocks, saudação vulcana e orelhas de duende

    – O jeito irônico e engraçado do “Bones” McCoy

    – Capitão Christopher Pike (Kenobi???)

    – o projeto de capitão James T. BINKS 😀

    – O mais legal de tudo: U.S.S. Enterprise (Rebooted)

    Que diabos de vilão besta o NERO, hein? Ô Loko! 🙂

  38. Fernando Rodrigues (Odo) | 21 de maio de 2009 at 10:46 pm |

    # 36: Maria, quem não gostou, infelizmente, tem de ficar justificando mais a fundo suas razões porque historicamente acaba sendo taxado de anti-trekker, de não saber o que é bom, etc, etc.

    Além disso, qual o problema de se debater idéias? Se você acha que quem não gostou do filme deve deixar de ser trekker, eu lhe digo algo semelhante: se não gosta de ouvir alguém expor de modo racional o que não gostou em algo que você gostou, você não deveria estar participando desta conversa!

  39. Fernando Rodrigues (Odo) | 21 de maio de 2009 at 10:48 pm |

    # 35: Vinícius: sim, você acertou. Eu me decepcionei muito com o filme. E eu acho que mesmo que o padrão atual seja de roteiro empobrecido, há muitos exemplos recentes de filmes com mais conteúdo ou um roteiro melhor que não deixam se ser cinema-pipoca. Eu só esperava que Jornada estivesse acima da média.

    Quanto a ser ingênuo… bom, como eu disse no Fórum do FTB, eu gosto de racionalizar sobre as coisas ao meu redor, tanto é que meus amigos costumam dizer que eu “penso demais”… rs!

  40. Post 36:

    “…ficará pior que a briga da Federação com o Nero.”

    PIOR COMO????

    Teve alguma “briga da Federação com o Nero” nesse filme?

    Só vi cacos de trocentas naves flutuando no vácuo.

    Ou faltou grana pra criarem as cenas OU roteiristas para criarem as mesmas (Orci e Kurtzman ficam bem com TransFormers).

    EM breve irei levar minha esposa, que NÃO é nerd e nem conhece STAR TREK, para ver o filme e ver se alguém mais normal do que NÓS, que frequentamos este site, consegue gostar desse filme.

    E o pior é que eu não gostaria que ela desgostasse tanto a ponto de não querer ver o filme novamente, visto que comprarei o DVD duplo quando for lançado.

    Mal sabe ela que já encomendei uma réplica da nova U.S.S. Enterprise da Playmates Toys…

    🙂

  41. Senhores: Alguns comentários já passaram do limite de tolerância permitido, ainda mais após aviso de um dos Moderadores.

    A partir de agora, qualquer novo ataque a pessoas, terá uma resposta dentro das regras estabelecidas desta casa.

  42. Post 36
    Concordo com a Maria. O pessoal que só mete o pau, acho que não gosta da série. Não é possível! O filme para mim foi ótimo. Parece que durou 5 minutos. Isso é entretenimento, diversão. Vejam apenas as coisas boas. Tem gente aqui que quer por que quer achar coisa ruim. Não imagino nas outras séries os próprios fans metendo o pau. Eu já disse aqui anteriormente, imaginem como fans de outras séries já extintas vibrariam de felicidade em ter seu filme favorito feito em esquema de super produção.

  43. Acredito que muitos de nós tivemos várias maneiras de esperar ao filme. Muitos deixaram de lado o que já existia ao ver a frase “Essa não é a jornada dos seus pais” e foram com o coração aberto apreciar ao filme. Outros, se resguardaram. Fizeram uma concessão aqui e ali e foram assistir ao filme. E poucos, muito poucos, se fecharam em quatro paredes do passado e foram bisbilhotar ao que estavam chamando de Star Trek. Por isso, a grande divergência de opiniões.

    Gostei do filme. Já havia dito isso _ mesmo tendo que admitir que a história do filme peca em muitos pontos, Abrams, Orci e Kurtzman conseguiram fazer um roteiro envolvente sim… e dotado de todo aquele equilíbrio bom entre ação, humor, drama e história. Cada coisa fluiu “numa boa” durante seus +_ 120 minutos sem comprometer nada.

    Muito do que vimos, não se enquadra no que já conhecemos de jornada, mas, ao mesmo tempo, é tudo jornada. Vai depender do coração de quem foi ver ao filme.

    Gostei em particular das atuações… muito dos atores fizeram milagres com o pouco que lhes foram dados em tela. A falta de um enredo mais profundo, não pode menosprezar a atuação de alguém. Adorei o Pine (vale lembrar que este é o primeiro papel de significado expressivo do ator); Bana (radicalizou na loucura descontrolada de Nero em sua cega vingança); Urban ( um passeio do nosso velho e bom doutor Leonard “Magro” McCoy, o saudoso DeForest Kelly) e igualmente “muito boas” são as interpretações de Anton Yelchin, Simon Pegg, John Cho e Zoë Saldana, em seus respectivos papeis, Chekov, Scotty, Sulu e Uhura (nossa visão particular não pode definir que os atores e o personagem são ruins por esse e aquele motivo_ a não ser pra nós mesmos).

    Os únicos que foi prejudicado ao meu ver, foi o Quinto pela presença de Nimoy. A comparação é inevitável em nossas cabeças. O Spock de Quinto ficou algo frio, mas, não a frieza vulcana. O Nimoy é o Spock que já conhecemos… e o pobre Quinto, não _ o mesmo pode ser dito sobre o Quinto… este é o seu primeiro papel expressivo no cinema. Esperar muito do ator pode ser lógico, mas de primeira, é difícil.

    Bem… acho que já disse o bastante. Posso escrever mais um monte de bobagens sobre o que gostei e não gostei… O que achei e o que não achei… Mas isso, não muda o fato de que o filme é um sucesso de bilheteria entre todos os outros filmes de ST já feitos. Critica-lo e elogia-lo ao extremo é tentar tapar o sol com uma peneira, infelizmente.

    Acho que, pelo andar da carruagem, nós nunca vamos entrar em um consenso.

    Fuiiiiiiiiiiiii.
    Vida longa e prospera a Star Trek. \\//

  44. para Rodrigo Quinlan Vos e criticos de Star trek Vs Star Wars.

    Primeiro, nada contra Star Wars, tb sou fã dessa franquia, mas ambas são bem diferentes e o novo Star Trek está muitiiiisssssssiiiiimmmmmmmmmoooo longe de ser uma cópia de Star Wars….
    Tudo bem que possa ter havido um errinho ou outro ignoravel no roteiro, mas o filme além de ser excelente por si só, captou e muito bem o espírito da série clássica….não dá pra entender o q mais um fã iria querer em um retorno a franquia com a gloriosa participação de Nimoy como a cereja no bolo.
    Mas enfim….vou usar o comentario de Rodrigo sobre Star Wars para defender o novo filme em relação a isso….

    ¨- Piadas com língua inchada e dormente (Jar Jar Binks), testada ao transitar numa nave (Jango Ep 2 e Stormtrooper Ep 4).
    ¨—–A piada da lingua inchada com Jar jar não teve a menor graça, ao contrário da cena de Star Trek…que apresenta todo um contexto totalmente diferente…mãos inchadas…o lance do Mccoy usar a doença para levar kirk a nave….—–A testada no epi.4 de Star Wars foi um erro de filmagem e não piada de roteiro e vc como desconhecedor de Star Trek não assistiu Star Trek V, onde ocorre essa piada com o engenheiro Scotty.

    ¨- Nave (estação espacial) capaz de explodir planetas inteiros¨—Antes de George Lucas projetar sua estrela da morte uma nave devoradora de planetas apareceu nos anos 60 num épisodio da série clássica chamado a Maquina da destruição.ponto.

    ¨- Luta com espada reluzente¨—-Não devemos ter assistido o mesmo filme então, por que em Star Trek o q aparece é uma espada normal num contexto de ficção científica, não lembra nem de longe um sabre de luz,por outro lado, lembra muito bem do episódio onde Sulu se mostra bom lutador de esgrima num dos primeiros capitulos da serie classica.ponto.

    ¨- Naves que se movem como caças ou peixes (bongo)¨—-nunca vi uma nave se mover como peixe em Star Wars, e mais, só porque star wars tem grandes batalhas estelares star trek não pode ter?????A enterprise já fazia suas missões e combatia naves klingons,romulanas….nos anos 60 e star wars só surgiu no final dos anos 70.O q difere é q SW sempre teve efeitos especiais e mais dinheiro, o q dessa vez ST tb teve.ponto.

    ¨- Et “mascote” feio e engraçado¨—ST sempre teve alienigenas exóticos…..não é imitação de SW.ponto.

    ¨- E, claro, o mesmo designer e, ainda, efeitos visuais e sonoros da Industrial Light & Magic.¨—O Design do novo ST é a pura renovação da serie classica…..as naves e tudo mais são muitooooo diferentes das de SW…E a ILM é exclusiva de SW????e os efeitos sonoros???são iguais????o primeiro som do filme são aqueles sonzinhos da enterprise dos anos 60,putz……que crítica sem fundamento.ponto.

    Enfim…..

    repito, não estou criticando SW, que tb gosto muito, talvez a unica coisa q se possa dizer é que sim, o novo ST têm um apêlo mais Pop assim como SW sempre teve, isso é verdade,mas não tem nada de imitação ali, ST sempre foi e será o berço da ficção científica, e o q fizeram no filme foi um belo resgate do espirito da serie classica com um pouco mais de ação e aventura, o q não descaracterizou nem um pouco a franquia, pelo contrário, vai fazer ela renascer e ter vida longa e próspera!!!!!

  45. Eu nao ouvi por falta de tempo, mas pelos comentários a coisa ficou muito técnica. Acredito ser um trekker razóavel, sei que há muitas falhas, mas, apesar de tudo, isto é apenas um filme. Há muitas falhas em toda a franquia, dá para fazer muitas críticas muito depreciativas (algum já assisitiu o episódio de TOS: ALL THE CHILDREN SHALL LEAD? É simplesmente horrível) (eu sei que vai ter um que fala que gosta desse episódio, as pronabilidades dizem que sempre existe um). Poderia dar muitos outras exemplos, até no tão badalado filme II.
    Para mim o que importa é isso: gostei, não é um primor mas gostei. Já assisiti 3 vezes e vou a quarta (se não parar de passar antes), como sempre, quanto mais assisto mais detalhes vejo (bons e ruins). Isso é pura diversão para mim. Não vou ficar me atendo às coisas ruins, porque o filme no geral me agradou.
    Quanto a SW: da onde O Lucas tirou as viagens no hiper espaço?; da onde tirou a idéia dos clones? dos robots? Perlo amor de Deus, nesta vida “nada se cria, tudo se copia”, essa é a máxima da internet.
    Agora, continuo com a opinião que, em termos de ficção, o pior ST é infinitamente superior a SW que pura fantasia.
    Os Rodrigos de plantão que me perdoem.
    Bom dia a todos.

  46. Correção: Episódio AND THE CHILDREN SHALL LEAD

  47. Sinceramente falando, até o Howard Stern e seu “porn cast” me parece mais interessante (sarcasm mode off)

  48. Fala Fernando…quanto tempo. Ainda não ouvi o podcast inteiro, depois dou uma opinião mais detalhada…mas eu acho que temos que olhar pra esse filme com outros olhos mesmo.
    Tirando a série clássica e DS9 as outras jornadas não tinham muita emoção mesmo, um amigo meu falou que na nova geração a relação dos personagens é “muito protocolar”.
    Desde que falaram que o filme era de viagem temporal (mais um…haaha) eu achei que ia ser uma bomba total, aliás, acho esse o ponto mais fraco do roteiro, pois não passou de uma desculpa para mudar a história inteira. Ou seja, tudo se resolve com viagem no tempo? (isso me lembra Voyager…rs).
    Entretanto eu acho que a química entre os personagens foi muito boa, melhor do que a nova geração e voyager (com certeza).
    Eu gosto muito da nova geração, pois mostra o potêncial do ser humano no futuro, mas ela peca por mostrar somente o lado tecnológico desse potêncial.
    hahaha…espere outro comentário depois que eu terminar de ouvir o podcast.

  49. Ahh…só pra te dizer que é o Gustavo da Base Campinas…rs…

  50. Fernando Rodrigues (Odo) | 22 de maio de 2009 at 9:28 am |

    Na linha de o novo filme parecer ou não Star Wars, vejam este vídeo: http://www.collegehumor.com/video:1910892

  51. Bem, é um filmaço. Mas tem poucos que não curtiram, é bem xiita, uma pena, filmaço ferradão..

  52. Eu ia postar meu ponto de vista, mas li a do Nilton CK (post 44) e faço das minhas as palavras dele. Disse tudo o cara.

    Dizer que o “novo” Star Trek é cópia de Star Wars é, para ser eufemista, fugir muuuito da realidade.

  53. #32: Caro Fernando Rodrigues, eu até entendo a sua decepção… você imaginou uma coisa, e o filme foi outra!

    Quando meu irmão me mostrou o primeiro trailer, o primeiro mesmo, em que só aparece um sujeito soldando uns componentes de uma estrutura e a tal estrutura se revela como a Enterprise… minha reação!?! Torci o nariz e disse para o meu irmão “sei não, mas não vai dar certo”!

    A verdade era que eu estava meio que cansado de Kirk e sua turma! DS9 era a séria que eu sempre gostei mais por um simples motivo… roteiros bons (traduza bom como não chatos) e é claro que há exceções! Na Nova Geração, quando eu ia assistir um episódio e a mãe da Conselheira Troi aparecia, eu desligava a tv e religava quando DS9 estava começando! Para mim a franquia Star Trek estava morta e enterrada, e esse filme, na minha opinião, deu certo, e vai continuar gerando agradáveis surpresas!

    Cinema é assim mesmo! Fica difícil ficar desenvolvendo personagens em 2 horas como se vê nas séries, e isso me incomodou também, mas eu entedi que era isso. Não estou dizendo que deva ser o seu caso, mas esse é o primeiro filme de Star Trek que eu vejo nos cinemas em que os atores não são meus velhos conhecidos, e eu estranhei isso! Mas a medida que os personagens Kirk, Spok e McCoy foram interagindo (lembrando que era a primeira vez que estavam na ponte da Enterprise juntos e que havia muitas novidades para eles também) me deu várias sensações de dejavu… e isso bastou para a mim! Talvez eu tive essas sensações boas porque tem mais 10 anos que eu não vejo a séria original, e poderia ser diferente se eu assistisse alguns episódios atualmente! Acho que esse filme não foi feito para os fãs atuais, foi feito para os “antigos” fãs!

    Mas você reclamou de coisas absurdas, aí fica difícil… talvez você deveria ter feito o podcast… sei lá… mais concentrado e não dirigindo! Você foi muito repetitivo, e reclamou de coisas que francamente, com o perdão do termo, mas… não se justificam! Você reclamou da atuação dos atores, mas os seus argumentos não colaram e vamos ser justos, ator de série de tv não são conhecidos por suas atuações brilhantes, digo isso porque os atores originais nunca fizeram grandes personagens em outras empreitadas! O problema é que você acreditava que deveria ter sido de uma forma e foi de outra.

    Macacos me mordam, e aí você vem e reclama da atuação de Karl Urban como o McCoy e do destaque do filme Zachary Quinto como Spock, e que ele deveria ter pedido desculpas ao Kirk por tê-lo jogado para fora da nave! Fico imaginando a cena, rssss! Você reclamou da atuação e justificou dizendo que Spock não expressou reações emocionais com a destruição de Vulcano! (?) Realmente não entendi ele não é Vulcano, lembra do cara guiado pela lógica…!

    Olha, é como dizem, opinião cada um tem a sua!

    O simples fato da “nova” Emterprise ter “parabrisas” já realisou um antigo sonho meu! Agora um outro sonho é saber como colocaram aquele trambolho no espaço (para você ver que eu também noto os furos)… segundo o meu irmão, usaram anti-gravitons! Fazer o quê, ele é um nerd mesmo!

  54. Apenas breve comentário…
    Há varias maneiras de se ver este novo filme, sendo as principais:
    1) De maneira totalmente lógica e fria, e daí vc vai achar todos os defeitos que o filme evidentemente tem, tipo um Spock, ou;
    2) Ver o filme de uma maneira totalmente emocional e quase cega pela paixão trekker, e achar o filme ótimo, merece 10 oscars; ou
    3) Ver o filme de maneira equilibrada, e nesta condição, ver (saber) os defeitos do filme mas relevar, ver os pontos positivos no geral, aproveitar o que se tem de bom.
    Me coloco nesta faixa. Vi todos os defeitos, mas preferi me deixar curtir o filme e aproveitar o rensacimento da franquia que estava estagnada e torçer por novos e cada vez melhores filmes, sem ficar no eterno muro das lamentações.
    É quase como se um ente querido voltasse a vida, ele não era perfeito antes, mas em função do maor e estima, comemora-se e releva-se os defeitos, aproveitando uma nova chance juntos.
    Para mim, o copo do novo Jornada está meio cheio. E há quem ache que ele está é meio vazio.
    Apenas este comentário.

  55. Waldomiro Vitorino | 22 de maio de 2009 at 1:31 pm |

    Fernando Rodrigues, #33: “Para seu interesse, eu sou empresário de uma empresa líder de mercado no Brasil, sou professor universítário e tenho ainda uma segunda empresa de treinamentos à distância. Sou considerado referência no que faço por órgãos do mais alto escalão no Brasil.”

    O pior de tudo é esse cara ficar se gabando de coisas ao qual NINGUÉM perguntou. Esse lance de auto-afirmação é uma babaquice sem limites!!!
    Eu poderia muito bem falar o que eu faço, quem eu conheço, ou com quem trabalho ou trabalhei, mas acredito não ser necessário para defender meus argumentos…

  56. Fernando Rodrigues (Odo) | 22 de maio de 2009 at 2:06 pm |

    # 55: Waldomiro: eu fui acusado pelo post # 33 de não ter vida pessoal, só pensar em jornada e de faltar mulher em minha vida.

    Era meu direito, portanto, me defender.

  57. Eu sei que é meio off-topic mas….

    Eu gostaria de ver no TB uma crítica do Saldan sobre a trilha sonora!!!

    Amei a trilha do Giacchino. Para mim, é comparável ao grande Goldsmith no STI e do James Horner do STII. Perfeita. Adorei o tema principal, “Enterprising Young Man”, que se repete por todo o filme. Só nao consegui achar no CD o tema do SPOCK, que toca em alguns momentos do filme (quando ele fala com o Sarek após a morte de Amanda, e quando os dois Spocks se encontram).

    A única música que eu nao gostei foi a do final, que usa o tema da série clássica. Soou artificial, uma mera colagem de músicas que nao combinam.

  58. Achei o tema do Spock. O nome é “That New Car Smell”. Estranho… é muito bonita a música, é estranho como parece ser tocada por instrumentos vulcanos…

  59. Caramba, eu nunca vi alguem NÃO gostar de um filme e ir assistir 2, 3 ou 4 vezes, no cinema, em seguida!!!
    Se o cara não gostou do filme, levanta no meio da sessão e vai embora. Pra que ficar se martirizando? Pra que assistir de novo? Fui assistir Watchman. Achei o filme um saco. Interminável. O que fiz então? Continuei a vida, nunca mais devo revê-lo, muito menos comprar o DVD, não assisti-lo nem na sessão da tarde. Agora, se, cada vez que assistir um filme e não gostar dele, ficar assistindo novamente, só pra procurar defeitos, vou achá-los, aos montes, em qualquer filme, de qualquer diretor.

    Eu assisti Star Trek. Gostei. Me emocionei várias vezes. Toda vez que surgia um personagem querido na tela, toda vez que identificava um som tão familiar, quando via algo tão deliciosamente velho, mas com uma roupagem tão deliciosamente novinha em folha. Meu olhos se encheram de lágrimas várias vezes. Minha namorada (que não é Trekker, nem ao menos fã) me perguntava pq eu estava rindo tanto. Era de felicidade, de diversão, de poder ver na telona, minha querida Jornada.

    E daí se tem problemas de roteiro (que filme não tem?), se usa viagem no tempo (nenhuma novidade, já deveríamos estar acostumados), se alguém não atuou direito (quem da TOS é ator digno de Oscar? Quem está longe da mediocridade? Nimoy? Shartner? Os outros?).

    Vou assistir de novo, vou comprar o DVD (ou Blue Ray), e vou voltar a ser adolescente outra vez (exatamente como eu era quando assistia TOS na TV pela primeira vez, no início dos anos 80) e espero sinceramente continuar podendo ir ao cinema assistir a mais filmes de ST, graças a boa bilheteria, à nova roupagem, ao novo elenco, a JJ, aos novos fãs e a popularização.

    Life Long and Prosper \\//_

  60. Acho que o Fernando exagerou nas palavras o filme tem defeitos sim e muitos mas é melhor do que foi apresentado nas versões da nova geração para o cinema.

    Achei os argumentos pobres. Se isso é o maximo que o fernando pode chegar fiquei com pena dele. Mas vamos dar um desconto afinal ele é peixinho aqui no site provavelmente se não fosse assim, se fosse um mero menbro com certeza não teria um post aqui.

    Alguem nesse site pelo menos escuta esses pods antes de serem colocados aqui? Pelo jeito não.

  61. Bem, ainda acho absurdo as críticas deste cast, lógico que o Fernando Rodrigues tem razão em algumas críticas, mas foi meio exagerado, olha o IMDB, 8,5 a nota do público, eu confio que seja um excelente termómetro em quantos curtiram o filme.
    Mas se vc prefere ficar com o que já foi feito, tudo bem, eu vou continuar em frente e esperar o próximo filme.
    Terminator Salvation é uma bomba, só Transformes 2 deve ter mais qualidade em termos de ficção…valeu!!!

  62. #61 Pra mim ficção científica é só Jornada (a velha), 2001, etc…o resto (star wars, etc) é aventura ou mesmo filmes de ação. Mas mesmo assim eu adoro todos.

  63. Pessoal não vamos agredir uma pessoa por ter coragem de espor sua opinião a respeito de algo,os seres humanos são diferentes e os gostos também.O filme poderia ter sido melhor? poderia ,porém aquilo que estar feito não pode ser mudado ,más podemos ser críticos a respeitos dele e ver o que teve de errado e de certo sem agredir os outros que pensam diferentes de nós.

  64. Fernando
    Legal … não concordamos com a ferocidade das críticas mas o seu podcast deu mais vida ao TB. Até o momento 64 comentários.
    Assim a gente curte um pouco mais.
    Quem disse que um pouco de fofoca não é bom?
    (Principalmente qdo podemos falar mal de alguém – rsrsrsrsrsrs)
    Só para descontrair ….

  65. Fernando Rodrigues (Odo) | 22 de maio de 2009 at 5:52 pm |

    # 59: Junior, eu assisti ao filme mais de uma vez justamente para elaborar a crítica a pedido do TB.

    # 60: Marcos, adoraria saber os motivos pelos quais você considera meus argumentos fracos. Além disso, não entendi você dizer que sou “peixinho” aqui. Talvez não saiba que estou com o TB a 8 anos, e que foi o TB quem solicitou uma crítica. E mais: o TB sempre foi democrático. Antes dos podcasts meu e do Castanheira, TODAS as opiniões da equipe do TB foram positivas. É prtoibido se falar mal do filme?

    # 61: Eduardo: se o filme tem nota 8,5 no IMDB, siginifica que uma maioria deu nota alta, mas que existem aqueles que deram nota baixa. O que há de errado em o TB dar espaço àqueles que deram nota baixa?

  66. Fernando Rodrigues (Odo) | 22 de maio de 2009 at 5:57 pm |

    # 64: Verde: a intenção é justamente esta: nos divertirmos com o filme. NINGUÉM é obrigado a concordar com minhas opiniões, mas entendam que eu tentei justificar porque não gostei do filme. E TODOS estão convidados a contra-argumentar, caso desejem. Vamos nos divertir falando sobre o filme!

    Já pensou se algum de vocês consegue mudar minha opinião em alguns pontos, com seus contra-argumentos?

    Só não aceito ataques à minha pessoa, como falar que falta mulher em minha vida (errado), que não tenho vida própria (errado) ou que sou “peixinho” aqui.

    Aliás, recomendo a quem me considera “peixinho” aqui consultar o conteúdo clássico do TB e buscar minhas contribuições anteriores. Em especial, recomendo lerem minha crítica ao Nêmesis… rs!

  67. Isso é mais um pedido do que qualquer outra coisa…

    Será que o pessoal do TB não poderia se juntar e fazer uma crítica mais técnica enfocando os pontos do filme (história, interpretações, personagens, efeitos visuais, trilha, etc). onde cada ponto seja observado nos dois lados da moeda? Seria interessante (ao meu ver).

    Mais discutível do que uma pessoa só colocando os pontos ruis embasado-os na sua visão particular (e me desculpem os autores _ exagerados por demais, uai. Jornada nunca foi o primor de perfeição que eles evocam.

    O que acham?

    Obrigado.
    Vida longa e prospera a Star Trek. \\//

  68. Luiz Castanheira | 22 de maio de 2009 at 6:27 pm |

    Adorei esta do “peixinho”… O pessoal realmente não tem mais o que inventar… (risos).

    Fernando, já pensou você fantasiado de “tutu barão” e entrando pela tubulução do Scotty? No bom sentido é claro… (risos)…

    Mais engraçado que todas as piadas do filme, exceto uma.

    Abraço
    Castanheira

  69. Maria da Conceição G. Simões | 22 de maio de 2009 at 6:53 pm |

    É uma pena que TB está se tornando um paiol. Acho que não vai piorar a baixaria pq os mediadores vão interferir. Vou dar um tempo fora daqui, como já fiz há algumas semanas. ‘Tá muito chato, esse “bate-boca”, ironias, “carteiradas”, “pavoneadas”. Espero que as coisas melhorem por aqui. Vida Longa e Próspera para todos.
    P.S. TB existe pq nós tb colaboramos. Fuuuuuuuiiiiiiiiii.

  70. Luiz Castanheira | 22 de maio de 2009 at 7:00 pm |

    Isso é mais um pedido do que qualquer outra coisa…

    Será que o pessoal do TB não poderia se juntar e fazer uma crítica mais técnica enfocando os pontos do filme (história, interpretações, personagens, efeitos visuais, trilha, etc). onde cada ponto seja observado nos dois lados da moeda? Seria interessante (ao meu ver).

    Mais discutível do que uma pessoa só colocando os pontos ruis embasado-os na sua visão particular (e me desculpem os autores _ exagerados por demais, uai. Jornada nunca foi o primor de perfeição que eles evocam.

    O que acham?

    Obrigado.
    Vida longa e prospera a Star Trek. \\//”

    Se eu me lembrar do filme até setembro… Quem sabe? (risos) Só fico curioso para saber por que esta sugestão não apareceu antes (LOL)

    Eu, de minha parte, considero o filme ainda pior do que da primeira vez que assisti, e a tendência é só piorar. E isto é deveras incrível, já que eu assisti Angels & Demons neste meio tempo, algo que deveria ter elevado um pouco a minha apreciação pelo filme de Abrams. O que não ocorreu… Curiosamente…

    Como ato solitário, não devo vê-lo mais e nem o torrent definitivo eu pedirei na padaria. Só isto. Simplesmente tem muita coisa mais interessante para ser vista por ai.

    A minha crítica maior é claramente com relação ao roteiro, de um maneira geral. Nem entrando no mérito de terem ficado em cima do muro a respeito do reboot. Sem mudanças neste departamento, não vejo como posso gostar de nenhum novo filme da marca.

    O roteiro de The Wrath Of Khan (que eu já analisei cena a cena), não é perfeito, mas perto desta lambança do novo filme é como se ele fosse o de Chinatown ou o de All About Eve ou o de Annie Hall ou etc. etc. Este é o grande problema.

    Abraço
    Castanheira

  71. Post 57: Minha resenha da trilha está no ScoreTrack – http://www.scoretrack.net/CDtrek.html

  72. Francisco Oliveira | 22 de maio de 2009 at 7:28 pm |

    Fernando , como você pôde sentir na pele Star Trek está muito vivo ! Este mérito ninguém …ninguém mesmo pode tirar de J.J.Abrams .
    Peço desculpas em nome de todos que se excederam , isto não é comportamento trekker não .
    Quanto a mim , gostei muito do filme , assisti 3 vezes , levei mulher , filhas , sobrinha , cunhado ,babá , periquito , papagaio , etc .
    Não é uma obra prima mas recolocou a franquia na mídia . É melhor que muitos filmes lançados para apenas faturar na bilheteria (socamos eles …rs rs).
    Acho que 1 hora a mais de filme organizaria e explicaria muitos “furos” do roteiro mas isto inviabilizaria o projeto e correríamos o risco de um fracasso pondo fim por muitos anos a nossa adorável curtição .Sim , adoro e curto todas as nuances de Jornada , incluindo a pura diversão.
    Bom , reintroduzir 7 personagens em uma história que vinha se implodindo é algo digno de louvor , acima de muitas críticas pequenas .

    Abraço , Francisco Oliveira

  73. *Luiz Castanheira…
    Agradeço a vc pela rápida resposta.

    *Saldan
    Me rendo a cada palavra escrita por vc na sua resenha. Opinião impecável que se casa perfeitamente com que tb achei.

    Abraços.
    Vida longa e prospera a Star Trek. \\//

  74. # 66: Taí, fiquei até curioso de ler a sua crítica de Nêmesis (apesar de que eu nem me lembro de mais nada referente à esse equívoco cinematográfico). Nem li mas acho que já concordo!

    A única coisa boa nesse filme é que Nêmesis não é subtítulo de Star Trek. Já que não tem o nome da série nos cartazes do filme não “queima o filme” da franquia!

    Quanto ao Star Trek 2009 deve ser visto como epsódio piloto! As sequências são sempre melhores… ou não, mas se o nível manter pra mim tá de bom tamanho!

  75. Fernando Rodrigues,

    A duração do podcast está boa. Há centenas de podcasts com duração semelhante. O que vale é o conteúdo, não a duração.

    E a defesa do seu podcast já vale para o filme. Star Trek de Abrams não tem conteúdo algum.

    É apenas um filme de ação. Um filme pipoca. Que não lembra em nada alguns anteriores e clássicos filmes.

    Infelizmente, em termos de roteiro, se aproxima das bombas escritas para os dois anteriores.

    Eu sou roteirista então digo e repito que esse roteiro escrito por Orci e Kurtzman é vergonhoso. Até engana um pouco mas não tem sustentação nenhuma quando se lembra dele sem as imagens.

    O mérito do filme, do sucesso de bilheteria e salvação da franquia, é obra do diretor. Abrams pode até não ser um grande diretor, mas é um cara competente, que, pelo menos, no campo dos filmes de ação tem uma mão segura.

    Imaginem esse mesmo roteiro na mão de um diretor iniciante e o desatre que seria. Alguém melhor que o Abrams também teria feito bem mas não faria muito melhor, porque não há como tirar mais leite dessa pedra.

    Claro, Nicholas Meyer nunca dirigiria esse texto. Abrams o fez e maquiou muito bem os furos. Isso com o ritmo, efeitos, edição, trilha sonora, atuação. Tudo isso não está no roteiro, então é de culpa e responsabildiade dele.

    Nesses itens existem deslizes, sem dúvida, porém em menor tom e a soma trabalha a favor da franquia.

    Como filme de verão Star Trek cumpre seu papel, por isso até dou nota 3 de 4. Mas se tivesse a intenção de ser Jornada daria um belo 1,5 ou 1,0.

  76. Eu falei isso há um ano mais ou menos… parece que nunca viram um filme ruim de star trek? sinceramente… até os filmes queridinhos dos fans têm seus problemas… especialmente se formos chatos o suficiente para aponta-los… os meus filmes favoritos da franquia tem furos que com o tempo eu passei a ignorar, afinal é só um filme… se eu ficar me perguntando de onde o khan reconheceu o chekov, ou como diabos a uhura não sabia falar klingon, ou como a genial ideia da coletividade borg foi por agua a baixo incluindo uma rainha taradona…perderei a experiencia que é curtir star trek

    esse roteiro do filme novo é fraquinho mesmo, isso não se discute, mas gostei da caracterização dos personagens , me diverti pra caramba, o tempo voou… se o roteiro tem furos também tem acertos e o nimoy foi um deles…

    achei que foi uma retomada interessante da franquia, quero ver se esses moleques que escreveram esse roteiro façam um trabalho descente no proximo filme…

  77. Luiz Castanheira | 22 de maio de 2009 at 9:15 pm |

    Meu maior problema e com o roteiro mesmo, não que tenho gostado da direção. Mas agora me vi imaginando como seria tal material dirigido pelo troglodita do Michael Bay (por exemplo), e, de fato, imaginei uma versão deveras menos simpática…

    Um outro ponto é que a safra de filmes de verão não está boa e Jornada meio que parece melhor do que é em termos relativos. Vamos ver quando o cliclo terminar e olharmos para trás neste quesito.

    Abraço
    Castanha

  78. Fernando Rodrigues (Odo) | 22 de maio de 2009 at 11:26 pm |

    # 72: “Fernando , como você pôde sentir na pele Star Trek está muito vivo ! Este mérito ninguém …ninguém mesmo pode tirar de J.J.Abrams .”

    # 75: “Quanto ao Star Trek 2009 deve ser visto como epsódio piloto!”

    Francisco e Hiram: Quanto a isto, aguardem meu próximo podcast. Acredite, vocês se surpreenderão!

  79. Este autor do Podcast támais pra psicólogo do que pra crítico…
    “Eu já tive problemas com paternidade….”
    Péssima crítica,não por não ter gostado dofilme, mas as justifcativas… “Não justificam”…
    O podcast longo também é entediante, parei na metade…

  80. Li a tua crítica Saldan, muito boa. Tu sabes que assim como tu, ouvi a trilha antes do filme e fiquei um pouco decepcionado, especialmente nas músicas temáticas do Nero. Fora o “Entepresing Young Man”, nenhuma música pedia para ser ouvida.

    No entanto, após ter visto, fiquei impressionado como a trilha funciona bem no filme! Faz anos que eu nao vejo uma trilha tão harmoniosa com as imagens… deu outra força, e passei a considerá-la como uma das melhores da fraquia. Não é um primor para ser ouvida individualmente, mas ficou muito boa no filme.

  81. Caro almirante romulano, então temos exatamente a mesma opinião sobre a trilha! É o tipo de trabalho cujos méritos vão sendo revelados ao longo do tempo. Vida Longa e Próspera!

  82. # 76: O roteiro do filme se resume em reapresentar personagens conhecido do público (mas mostrando o que até em agora havia apenas sido comentado na séria classica). Só que em uma nova realidade!

    E essa realidade é a tal nova linha temporal?
    MÃO! É o início do sec. XXI, em que a mentalidade das pessoas é um pouco diferente; tem uma crise a solta; não há espaço para erros e personagens asexuados como o companheiro do Batman ou o Spock, que lá nos EUA já foi até ícone gay (nada contra, mas digo isso porque teve gente no site que reclamou que “Spock se entregou à Uhura”, parecendo até que ele era uma vírgem indefesa).

    Esse filme corrigiu alguns problemas visuais que na década de 60 eram impossíveis de resolver e como eu já disse, é um novo episódio piloto em uma nova época!

    Agora, se esse filme é pipoca, ótimo, porque é melhor do que o tédio que Jornada nas Estrelas I foi! Queriam fazer um filme clássico de ficção científica (no estilo 2001), e o resultado final não deu certo! A prova disso foi o Jornada nas Estrelas II (esse é ou não é pipoca?), a estrutura foi reformulada, um vilão (coisa já criticada aqui) entra em cena… depois do sucesso a fórmula foi reutilizada exaustivamente. E a culpa disso é dos fãs?

    O meu filme preferido é Star trek VI onde o “vilão” é um novo ideal que não quer ser aceito por alguns representantes de duas culturas diferentes… é o melhor; isso é retratado de uma forma envolvente!

    Agora o roteiro de Star Trek 2009 não é um primor isso não é novidade, mas também não está entre os piores (melhor viajar no tempo para um recomeço do que para caçar baleias)! E ninguém pode falar que os elementos trekers não estão lá (sem não viram é falta de atenção), e o melhor, O FILME NÂO É CHATO!!!!!!!!!!!

  83. Fernando, também não concordo com ataques pessoais. Minha critica vai para o seu podcast. Em relação a isso, infelizmente, os argumentos usados por você para criticar o filme são um completo desastre. Na verdade, sua critica do filme ficou a persecs de distância daquela feita para Nemesis em 2003 no quesito qualidade. Ainda bem que a sua análise é apenas uma gravação durante uma viagem ao som de pneus “queimando as tartarugas”…quanto mais informal melhor.

    De fato, do jeito como você afirma que o fime é “fraco”, “covarde”, etc. sem QUALQUER argumentação convincente como contrapartida soa como um ataque gratuito de alguém que simplesmente não gostou do filme porque…bem…porque não gostou e pronto!

    Quero deixar bem claro: mesmo que sua intenção fosse simplesmente espinafrar o filme- talvez por querer, talvez por prazer, talvez por poder- nada justifica qualquer tipo de agressão contra sua pessoa. Nada justifica.

    Mas está ficando cada vez mais claro que as posições tomadas em relação ao novo filme são totalmente intransigentes. Exemplo: diziam que o JJ Abrams programava a bilheteria para 75 milhões; caso a bilheteria chegasse aos 90, era motivo para, diziam,” ficarmos de joelhos e agradecermos aos céus”. Bem… A BILHETERIA PASSOU DOS 160 MILHÕES…e o que aconteceu? Oras! simplesmente temos que ouvir argumentos do naipe “bilheteria alta não significa absolutamente nada ” vindos dessas mesmas pessoas.

    (?)
    (!)
    É mesmo?
    …então tudo bem!

    Você afirma no seu podcast que o Spock do Quinto “não é o Spock que conhecemos.” Bem, quero acreditar que você esteja se referindo ao personagem. Então eu pergunto: o Spock sorridente de “The Cage” é o Spock que conhecemos? Alias, quem diz o primeiro nome de Uhura é o Spock e não ela mesma, como você afirmou no podcast. Para que assistiu o filme mais de uma vez, isso deveria ter ficado claro.

    Um dos argumentos para o “furo” conceitual do roteiro, segundo você, reside no fato de que a rebeldia de Kirk “não se justifica”. Para provar isso, você lança mão de um pouco de metafísica de boteco e apela até mesmo para a história da sua vida particular. Admiro e respeito muito seu exemplo de vida, mas usá-lo como “prova” em uma critica de cinema para mim não diz qualquer coisa. Trata-se de uma generalização do tipo: “se fosse assim, todo pobre virava bandido”. Já que existe algumas pessoas que gostam de detratar ST XI comparando-o aos clássicos do cinema, vou usar como exemplo um filme conhecido: seria mais ou menos como se eu quisesse fosforilar que “nada justifica a atitude do Michael Corleone em assumir os negócios da família e se tornar o chefe da máfia.”

    Tem mais coisa, muito mais, porém, vou ficar por aqui. Fica difícil, Fernando, encontrar alguma coisa em sua critica que não seja puro radicalismo. Alguém até poderia argumentar: “Por que ele tem que ser imparcial?! Abaixo a fiscalização do pensamento dos outros! Se o Fernando quer ser radical, esse é um direito dele uai!”

    Nada contra…assim como alguns tem o direito de, desde sempre, achar que STAR TREK DE JJ ABRAMS não tem NADA de bom e se lixar pro resto, eu, por outro lado, “me permito” o direito de continuar denunciando que isso se trata tão somente de uma miopia voluntária.

  84. Olá! Eu sou da TeiaCast, o blog sobre podcasts brasileiros, e gostaria de acrescentar seu podcast a Teia. Por favor, visite a Teia, e se lhe agradar, inscreva-se! Agradeço a atenção e aguardo sua resposta!

  85. Fernando
    Agora eu tive tempo para ouvir seu podcast e fiquei pensando se com o tempo eu fiquei mais mole, pois em muitas coisas até concordei com vc, na maioria, para dizer a verdade.
    Pensando em tudo e fazendo uma análise anterior, eu gosto muito do filme I, que a maioria detona sem dó. Gosto do III, apesar de todas as falhas e o final ter sido completamente previsível. O filme V também gosto, apesar de reconhecer que foi o pior, gosto até do IX E DO X (CRUZES). Mas qdo vc falou que não gostou da TNG aí tive certeza que vc é mais rigoroso que eu. Enterprise, foi a melhor franquia depois da original, para mim, claro. E também gosto da Voyager e do DS9. Enfim, gosto de tudo, incluindo TNG.
    Quanto ao ST novo, reconheço que o roteiro é digno dos filmes da Xuxa, herméticos, previsíveis, forçado e sem originalidade. Pior que a segunda trilogia de SW. Em termos de ciência, tirando o que já foi usado anteriormente, o que é novo beira ao ridículo, mas …. , duro de reconhecer, mas gostei. Faria diferente? com certeza, porém, gostei. Melhor que nada. A direção de J. J. é firme e segura, a escolha dos atores me agradou. Efeitos especiais bons. Defino todo o problema no roteiro, que o Abrams tem culpa por dirigir tal roteiro? não tenho dúvidas também, afinal produtor e diretor tb tem culpa neste ponto.
    Cheguei à triste conclusão, que, valorizo muito a seriedade de ST mas quando a tecnobaboseira prevalece eu passo por cima. Neste aspecto posso dizer com propriedade pois tenho graduação em física, apesar de ser engenheiro, e me atualizo constantemente em quanto às últimas descobertas na área. Portanto, enchergo de longe qdo vem besteria.
    Enfim, entendo seu posicionamento, chego até a concordar, mas estou dando mais valor ao entretenimento do que ao rigor científico, que nem sempre foi perfeito, e também ao roteiro (logo eu, que me considero um cinéfilo de primeira). Enfim, vou me divertir amanhã assistindo pela quarta vez ao ST (antes que pare de passar) esperando impacientemente sair o DVD. (O bicho homem é esquisito !!!!!!!!!!!!!).
    Abraços

  86. Luiz Castanheira | 24 de maio de 2009 at 12:23 pm |

    * A ironia é que esta continua sendo a tal “Jornada de nossos pais” (com direito a fake reboot, uma ponte direta com a “velha” na pessoa do Nimoy, uma centena de citações, a básica caracterização dos personagens, os seus elementos SCIFI & BIZARRAMENTE em destaque os seus conhecidos e claramente identificáveis clichês e defeitos). Cade o novo?

    * Continua se atirando para todos os lados, tentando desagradar o menos possível ao invés de realmente se preocupar em contar uma história que mereça ser de fato contada. Cade a Jornada de 2009?

    * Na realidade eu esperava uma Jornada para o dias de hoje. Que se dane o Canon, Cronologia, linha do tempo, o escambau. Um limpo reboot, com as liberdades que se fossem necessárias. Mas que fosse um bom filme e que honrasse o espírito de Jornada em seu melhor. Nada disto eu vi.

    * Sucesso comercial nunca teve correlação com sucesso artístico. E não ter correlação quer dizer exatamente isto: NÃO TER CORRELAÇÃO. Não é por ter ido mal na bilheteria que é bom, ou algo que o valha.

    * Ano passado tivemos bons filmes de verão, como Wall-E e The Dark Knight, que transcendem tal nicho. Por que Jornada não pode fazer um filme mais ambicioso e de melhor qualidade também?

    Abraço
    Castanheira

  87. Francisco Oliveira | 24 de maio de 2009 at 2:16 pm |

    Caro Castanha , roteiro mais furado que o TDK tenho certeza que ST não foi .
    Nosso amado curinga ,por sinal bem interpretado pelo Ledger tinha uma incrível capacidade de esconder toneladas de explosivos em hospitais ,prédios , barcos e até no estômago de um infeliz sem ser incomodado por ninguém .
    O Wall E é um belo filme mas sendo uma animação nos permite absorver e gostar da fantasia colocada no filme sem contra atacar os devaneios do roteiro com críticas realistas, é impossível .
    ST poderia ser melhor sim …mas também poderia ter sido um desastre e isto foi evitado, poderemos então esperar mais das sequências .Eu realmente espero isto com muito entusiasmo.

    Abraços , Francisco Oliveira

  88. Luiz Castanheira | 24 de maio de 2009 at 3:54 pm |

    Vou repetir o que falei:

    “* Ano passado tivemos bons filmes de verão, como Wall-E e The Dark Knight, que transcendem tal nicho. Por que Jornada não pode fazer um filme mais ambicioso e de melhor qualidade também?”

  89. Terrivel podcast….vc só sabe falar mal do filme…. coloque na sua cabeça que tudo agora é novo ,adorei o filem e vou comprar o DVD quando sair. vida longa e prospera ST 2.O

  90. Fernando Rodrigues (Odo) | 24 de maio de 2009 at 10:12 pm |

    # 90: Maxiliano: ou seja segundo você, um pdcas só ´bom se expressar a mesma opinião que a sua sobre o filme?

  91. Fernando Rodrigues (Odo) | 24 de maio de 2009 at 10:46 pm |

    # 84: Ricardo:

    Obrigado pelos comentários.

    “De fato, do jeito como você afirma que o fime é “fraco”, “covarde”, etc. sem QUALQUER argumentação convincente como contrapartida soa como um ataque gratuito de alguém que simplesmente não gostou do filme porque…bem…porque não gostou e pronto!”

    Ora, eu passei 1 hora dando meus argumentos sobre porque considerei o filme fraco. Você pode discordar dos argumentos, mas acho que não é válido dizer que não há argumentos!

    “Quero deixar bem claro: mesmo que sua intenção fosse simplesmente espinafrar o filme…”

    Minha intenção foi a de compartilhar minha visao sobre o filme, e não simplesmete falar mal por falar mal.

    “Mas está ficando cada vez mais claro que as posições tomadas em relação ao novo filme são totalmente intransigentes.”

    Não. Minha namorada já mudou minha visão sobre alguns pontos do filme com seus argumentos. No forum do TB isso tbem já ocorreu. Acho impróprio vc dizer isto ANTES de tentar contra-argumentar. Aliás, poucos aqui até agora tentaram de fato derrubar meus argumentos.

    “Exemplo: diziam que o JJ Abrams programava a bilheteria para 75 milhões; caso a bilheteria chegasse aos 90, era motivo para, diziam,” ficarmos de joelhos e agradecermos aos céus”. Bem… A BILHETERIA PASSOU DOS 160 MILHÕES…e o que aconteceu? Oras! simplesmente temos que ouvir argumentos do naipe “bilheteria alta não significa absolutamente nada ” vindos dessas mesmas pessoas.”

    Faço minhas as palavras do Castanheira nos comentários acima.

    “Você afirma no seu podcast que o Spock do Quinto “não é o Spock que conhecemos.” Bem, quero acreditar que você esteja se referindo ao personagem. Então eu pergunto: o Spock sorridente de “The Cage” é o Spock que conhecemos?”

    Na minha opinião, o “The Cage” não pode ser usado como argumento, pois tal qual concebido por Roddenberry em 64 Spock não era lógico como viria a ser; em “The Cage” estas carcterísticas lógicas eram da Number One.

    “Alias, quem diz o primeiro nome de Uhura é o Spock e não ela mesma, como você afirmou no podcast.”

    Sim, você está certo. Eu percebi isso ao ouvir o cast novamente na sexta-feira. Erro meu.

    “Para que assistiu o filme mais de uma vez, isso deveria ter ficado claro.”

    Isso só demonstra que eu sou tão passível a erros quanto qualquer um, não é?

    “Um dos argumentos para o “furo” conceitual do roteiro, segundo você, reside no fato de que a rebeldia de Kirk “não se justifica”. Para provar isso, você lança mão de um pouco de metafísica de boteco e apela até mesmo para a história da sua vida particular.”

    Bom, enquanto espectador, obviamente minha bagagem pessoal afeta meu entendimento do filme, não? Aliás, a experiência emocional ao longo de um filme é extremamente indivual.

    “Admiro e respeito muito seu exemplo de vida, mas usá-lo como “prova” em uma critica de cinema para mim não diz qualquer coisa. Trata-se de uma generalização do tipo: “se fosse assim, todo pobre virava bandido”. ”

    A intenção não era “provar” nada, era apenas de argumentar. E mesmo não provando nada, certo ou errado, é um argumento e tem seu valor. E quem faz a generalização é o filme, não eu, ao usar o clichê “família destruída = filho rebelde”.

    “Já que existe algumas pessoas que gostam de detratar ST XI comparando-o aos clássicos do cinema, vou usar como exemplo um filme conhecido: seria mais ou menos como se eu quisesse fosforilar que “nada justifica a atitude do Michael Corleone em assumir os negócios da família e se tornar o chefe da máfia.””

    Não acho que este seja um bom exemplo. Em “The Godfather”, ao longo de todo o filme vemos Michael passar por diversas situações que embasam sua decisão de assumir os negócios da família: o atentado a seu pai, o segundo atentado que ele frustra, os assassinatos de sua primeira esposa e de Sonny… Já em Star Trek, um único argumento é dado para justificar a “nova” personalidade do Kirk: a morte de seu pai. Na minha opinião, não convence.

    “Fica difícil, Fernando, encontrar alguma coisa em sua critica que não seja puro radicalismo.”

    Engraçado que eu deixo claro no podcast que eu aceitaria tranquilamente qualquer mudança na Jornada que conhecemos, num cenário, por exemplo, em que simplesmente se passaa régua na franquia e se começa uma nova versão de Jornada. Também deixo claro que minhas críticas são baseadas nas regras impostas pelos roteiristas ao filme. Então, não é questão de ser radical, é questão de se julgar o filme com base nas regras impostas pelos roteiristas.

    E, engraçado, ninguém comenta que eu falo coisas boas sobre o filme no podcast! Se fosse radicalismo, falar mal por falar mal, porque eu incluiria na discussão os pontos que gostei no filme? Porque daria uma nota 2,5/4,0?

    “Nada contra…assim como alguns tem o direito de, desde sempre, achar que STAR TREK DE JJ ABRAMS não tem NADA de bom e se lixar pro resto, eu, por outro lado, “me permito” o direito de continuar denunciando que isso se trata tão somente de uma miopia voluntária.”

    Novamente, se eu tivesse esta “miopia voluntária”, porque eu faria elogios a determinados aspectos do filme?

    De qualquer forma, obrigado por expressar sua opinião, pela oportunidade o embate de idéis, e ajudar a elevar o nível do diálogo por aqui!

  92. Fernando Rodrigues (Odo) | 24 de maio de 2009 at 10:54 pm |

    # 86: Verde:

    “Agora eu tive tempo para ouvir seu podcast e fiquei pensando se com o tempo eu fiquei mais mole, pois em muitas coisas até concordei com vc, na maioria, para dizer a verdade.”

    Na verdade, eu temo que parte da euforia sobre o filme tenha mais a ver com o fator novidade e com o retorno de Kirk & Cia do que com relação a méritos do filme em si. Veremos com o passar do tempo, espero estar errado!

    “Mas qdo vc falou que não gostou da TNG aí tive certeza que vc é mais rigoroso que eu. Enterprise, foi a melhor franquia depois da original, para mim, claro. E também gosto da Voyager e do DS9. Enfim, gosto de tudo, incluindo TNG.”

    Acho que não é questão de ser mais ou menos rigoroso, é questão de gosto mesmo, do que nos emociona, do que nos empolga. Eu achava a nova geração fria demais, impessoal demais, por isso que nunca me empolguei com ela.

    “Melhor que nada. A direção de J. J. é firme e segura, a escolha dos atores me agradou. Efeitos especiais bons. Defino todo o problema no roteiro, que o Abrams tem culpa por dirigir tal roteiro? não tenho dúvidas também, afinal produtor e diretor tb tem culpa neste ponto.”

    Neste caso especifico, J. J. participou ativamente da elaboração do roteiro (basta ler a entrevista com o Orci, aqui no TB), então ele tem sim uma boa parcela de culpa e/ou mérito, dependendo da opinião de cada um.

    “Enfim, entendo seu posicionamento, chego até a concordar, mas estou dando mais valor ao entretenimento do que ao rigor científico, que nem sempre foi perfeito, e também ao roteiro (logo eu, que me considero um cinéfilo de primeira).”

    Eu em certos momentos também dou mais valor ao fator entretenimento e faço vistas grossas à muitas coisas (sou, também, engenheiro)… mas quando é algo tão inerente à trama como a justificativa para a alteração da linha temporal, fica difícil…

  93. Para mim foi um desperdício. Afinal 1 hora falando mal de um filme, ninguém aguenta. Vc levou tudo para o lado pessoal , o seu gosto.
    Para mim o filme honrou a saga e foi um dos melhores dentre todos os filmes da série.
    Sou tão fã que vi The Cage e eu em VHS em 1991.
    Não nasci ontem, tem muita coisa pior que esse filme. Na verdade espero que seja criada um nova saga com base nesse filme. Que é bem superior ao primeiro de Star Wars, na minha opinião. Respeito quem não concorda, mas não vou ficar 1 hora falando mal do pod.

  94. Grande Fernando,
    não ouvi seu podcast, mas como te conhecendo ja imaginava que iria ter muitas criticas do filme, mas o mais hilario foi ler esse monte de mensagem atacando sua pessoa sem nem mesmo te conhecer. Desculpa, foi cômico pois chega ser ridículo as pessoas fantasiando sobre como falar mal de você sem nem mesmo te conhecer, chega a ser algo como eu dizer que filme “X” é uma droga, que não presta, que não tem roteiro, que não tem isso não tem aquilo, porem nunca vi o filme. Afinal de contas precisa te conhecer pra te criticar né?

    Mas vamos la falando sobre o Filme ST pq vc eu já conheço e já sabia que não ia gostar hauhauahu.

    Não sou um grande fan de ST apenas gosto das series e dos filmes mas não me atento a detalhes (guardo isso pra X-Files) gosto muito da trilogia SW clássica ja não me simpatizo muito com a nova trilogia SW e depois dessa breve exposição dos meus gostos venho dizer que gostei muito do filme e provavelmente ele vai me fazer gastar muito $$ com ST ja que acendeu minha vontade de expandir minha pequena coleção cinematográfica em direção ao universo trekker.

    Não preciso nem ouvir seu podcast pra saber que o filme é cheio de buraco mas mesmo ou não sendo um trekker de carteirinha eu reconheci diversas referencias ao universo clássico de ST o que imaginei seriam coisas que agradariam aos fans pelo menos achei que era no minimo uma forma de demonstrar respeito para com os fans.

    Foi impossível não pensar em SW na cena do planeta gelado, mas na minha opinião o ponto mais fraco do filme foi o vilão. o Nero é um personagem de extremo vazio. E nisso se resume o q da pra falar de Nero. Faltou trabalhar muito esse personagem e acho que uns bons minutos gastos nele não fariam mal algum ao filme.

    bons … ja escrevi demais mas não desistam da franquia nem dos debates sobre os produtos ST afinal de contas

    “a verdade esta la fora… aonde nenhum homem jamais esteve”

  95. Não estou conseguindo baixar o podcast.
    O link tá dando quebrado.
    Tem em algum outro luigar?

    Obrigado.

  96. Gostei do filme, ainda que fosse centrado em Spock e não sobre Kirk.
    Apreciei algumas de suas inflexões, mas, acho que o volume de críticas é exagerado.
    A tubulação de água condiz com o tamanho da nave e a tentativa de seu reaproveitamento.
    Pra um Vulcano que perdeu a mãe, a reação de Spock é bem comedida, depois você vê seu comportamento sob controle no lance em que Kirk já é comandante.

Leave a comment

Your email address will not be published.


*