A verdade sobre Linhas Temporais em Jornada

Quando surgiram as primeiras informações sobre Star Trek, também surgiram com ela especulações se, os eventos do filme seriam tratados dentro do Canon conhecido ou se este Canon seria abandonado. Tratar os eventos dentro das premissas conhecidas era o que os produtores não queriam, pois isso engessaria o filme. Veio então a ideia de criar uma nova linha temporal e com ela, deixar para trás tudo aquilo que o fandon conhecia, abrindo a possibilidade de que os eventos futuros fossem de forma bem diferente e o principal – imprevisíveis.

Jornada ficou marcada como uma série que usa a exaustão viagens no tempo. Na verdade, dos 713 episódios e 10 filmes, apenas 6,59% representam histórias que envolvem esta questão, um número baixo em minha opinião. Decidi então arregaçar as mangas e revisitar todas as 47 passagens de episódios (e não, isto não é mais uma pegadinha com o número 47) além dos três filmes, sobre viagens no tempo e analisar se estas viagens – de certa forma – já não tinham feito anteriormente o que “Jota Jota” Abrams, Orci e Kurtzman decidiram fazer neste novo filme. A conclusão foi – por assim dizer – fascinante.

Antes de começar vamos alinhar alguns de termos:

Foram mantidos fora desta análise todos os episódios que envolvem o Universo do Espelho.

Este artigo não intenciona se prender rigidamente em termos físicos ou racionalização de “mecânica temporal”, afinal a série nunca se prendeu a estes fatos. É fato que os roteiristas aplicam mais de uma “mecânica temporal” alterando ou criando novas realidades, claramente executadas devido a necessidade de conveniência e adaptação ao roteiro do que a preservação da física. Quando o episódio acaba, por conveniência, os roteiristas tendem a retornar o status-quo original da linha temporal, resetando tudo aquilo que foi alterado, salvo raras exceções, por exemplo: Se a Federação está para ser destruída, sabemos que no fim, ela provavelmente não será.

Para referência a este artigo usaremos:

Linha Temporal Base – Trata da principal Linha Temporal – a Linha Mestre – que serve para posicionar os episódios ao longo das séries.

Alteração de Nível 1 – Trata a mecânica que existe apenas um único universo, e consequentemente uma única linha temporal. Uma intervenção que no passado irá alterar os eventos da própria linha temporal no futuro, sem criar com isso, novos universos ou linhas temporais paralelas. A alteração pode ser neutralizada, deixar resíduos ou alterar totalmente o futuro.

Alteração de Nível 2 – Trata a mecânica que existem inúmeros universos paralelos e inúmeras linhas temporais. Cada ação ou intervenção então abre uma porta para um novo Universo. A linha Temporal Base permanece existindo em outra realidade.

A análise:

Vamos então fazer o que a Polícia Temporal do Século 29 não fez direito. Tomando como base todos os episódios vistos desde Broken Bown (ENT), passando por The Cage (TOS), as sete temporadas de TNG, DS9 e VOY, além dos 10 filmes. A análise se resume em citar o contexto do episódio, concluir qual tipo de alteração ocorre e se estas alterações passaram ou não a ser permanentes dentro da Linha Temporal Base.

Ao longo da série Enterprise, os seguintes episódios envolveram viagens no tempo:

Cold FrontUm viajante do ano 3051 (Daniels) volta ao ano de 2151 para prevenir facções do futuro de alterar os eventos no passado. Aqui, bem como na maior parte ao longo de toda a Guerra Fria Temporal, os fatos visam alterar o próprio futuro da Linha Temporal Base e não criar novas realidades. Afinal, nada adianta para as facções temporais em guerra, alterar eventos de outras realidades, que não seja a deles própria. Alteração de Nível 1.

Shockwave part I e IIApós uma sabotagem na Enterprise, o comando da Frota suspende a missão da NX-01, isso implicará na não criação da Federação. Daniels remove o capitão Archer do passado, levando-o ao ano de 3051, com a ajuda de Archer, desenvolve um dispositivo de comunicação que permite a Archer enganar os Sulibans no passado e voltar no tempo. Ao remover Archer, Daniels acidentalmente cria uma Alteração de Nível 2 onde a Federação está devastada no futuro. Quando Archer volta ao seu próprio tempo, este Universo Paralelo é abandonado.

Future Tense Uma nave do século 31 é encontrada pela NX-01 sendo disputada pelos Tholianos e Sulibans que querem sua tecnologia. Ambas as raças estão sendo manipuladas pelas facções temporais. Este episódio não mostra os impactos causados no futuro, mas, se as facções avisaram os Sulibans e Tholianos, assume-se ser uma Alteração de Nível 1 que foi neutralizada quando a nave retorna ao seu próprio tempo.

TwilightArcher contraí uma doença cerebral composta por parasitas que estão fora do “espaço-tempo normal” que o torna incapaz de comandar. T´Pol assume o comando da NX-01, os Xindi conseguem destruir a Terra e em doze anos os humanos estão quase extintos. Os eventos ocorrem no ano de 2153 e duram até o ano de 2165 quando Phlox consegue a cura. Como os parasitas estavam fora do espaço-tempo normal, ao serem eliminados, eles deixaram de existir também doze anos antes, quando Archer contraiu a doença. Alteração de Nível 2. Este Universo Paralelo deixa de existir no fim do episódio.

Carpinter StreetDaniels reaparece levando Archer e T´Pol para o passado, no ano de 2004 para caçar Xindis reptilianos que estão na Terra criando uma arma biológica. Alteração de Nível 1 neutralizada por Archer e T´Pol.

Azati Prime Daniels leva Archer para o Futuro de 400 anos a bordo da Enterprise J. Ao contrário de Shockwave, a remoção de Archer neste ponto não cria uma Alteração de Nível 2, pois a Federação ainda existe. Logo, trata-se de uma Alteração de Nível 1 cujo os possíveis efeitos são neutralizados quando Archer é devolvido ao seu próprio tempo.

A NX-01 entra em um corredor subespacial que a lança 117 anos no passado. Neste evento, uma nova Enterprise com descendentes da tripulação original aparece para impedir a viagem. Um paradoxo temporal, já que se a NX-01 não for lançada no passado, não irá gerar os descendentes que impedirão o acidente. De fato, o fim do episódio só dá uma única pista que o classifica como uma Alteração de Nível 1 não neutralizada, o fato da tripulação ainda ter as lembranças da Enterprise alternativa.

Zero HourA NX-01 é enviada ao tempo da 2ª Guerra Mundial. Porém, neste passado, os Nazistas invadiram os Estados Unidos. Alteração de Nível 1.

Storm Front I e IIDaniels informa que as facções temporais estão em guerra aberta. Archer descobre o agente temporal alienígena Vosk e o elimina. A guerra Fria Temporal é ressetada e a NX-01 é devolvida ao seu próprio tempo. Neutralização das Alterações de Nível 1 ao longo desta série.

Na série Clássica, os seguintes episódios envolveram viagens no tempo:

Tomorrow is YesterdayA Enterprise é lançada acidentalmente para o passado da Terra, no século 20. Quando um caça é enviado para averiguar o UFO, a Enterprise acaba destruindo o avião e resgatando o capitão John Cristopher que precisa ser devolvido já que é o antepassado de uma importante personalidade da história. No processo, a tripulação ainda precisa remover todas as provas que indicam que a nave esteve no passado. O episódio não mostra os eventos alterados no futuro, sendo impossível afirmar que a remoção do piloto gerou uma Alteração de Nível 1 ou 2. De qualquer forma, para ambos os casos os efeitos foram neutralizados ao fim do episódio.

The City of the Edge of ForeverMc Coy, sobre a influência de uma overdose de cordrazine, fica paranoico e viaja para o passado da Terra usando o Guardião da Eternidade. Como consequência a Enterprise desaparece. Uma clara Alteração de Nível 1 que só não fez desaparecer a tripulação porque a proximidade com o Guardião os protegeu dos efeitos.

Assigment: EarthEm investigação no passado, a Enterprise intercepta um viajante espacial (Gary Seven) cuja missão é sabotar um míssil que se bem sucedido, mudará para pior o futuro da Terra. Alteração de Nível 1, neutralizada quando Kirk ajuda a sabotar o míssil.

All Our YesterdaysNo planeta Sarpeidon, a população está sendo transferida para o passado do planeta antes da destruição total por uma supernova. Ao investigar o dispositivo tecnológico que permite a transferência, Kirk vai parar no similar da era medieval. Spock e Mc Coy tentam resgatá-lo, mas vão parar em outra época, o equivalente a era do gelo. No fim, eles retornam sãos e salvos antes do planeta ser destruído. Alteração de Nível 1, também neutralizada.

Na Nova Geração, os seguintes episódios envolveram viagens no tempo:

We´ll Always Have ParisA tripulação da Enterprise experimenta um fenômeno em que o tempo se repete. Descobre-se mais para frente que experimentos não-lineares abriram uma janela para uma nova dimensão (ou Linha Temporal Paralela). Cabe a Picard e sua tripulação fechar esta janela. Este primeiro episódio de viagem no tempo da Nova Geração, foi confuso. Em primeiro momento, tudo indica que Picard assistiu um dejà-vu de sua própria linha temporal ao rever cenas do passado, porém em outra cena mais a frente, Picard, Data e Riker encontram com seus sósias, nitidamente de outro Universo Paralelo no turbo elevador. Independente do que os confusos roteiristas quiseram passar, o fato é que o estrago temporal encerrou quando Data fecha a Janela para a outra dimensão.

Time SquaredUm shuttle vindo do Futuro com um Picard alternativo avisa que a Enterprise será destruída por um vortex de energia. Neste caso, ao invés do personagem saltar para um Universo Paralelo, ocorre o inverso. Picard é que vem de uma realidade onde ocorreu uma Alteração de Nível 2 na qual sua nave fora destruída.

Yesterday´s EnterpriseA Enterprise encontra uma singularidade temporal no espaço. Dela surge a NCC-1701-C ocasionando uma imediata mudança na história. A nova nave precisa ser devolvida para seu próprio tempo para restaurar o futuro. Uma clara Alteração de Nível 1. E, ao contrário das alterações anteriores, nesta Tasha Yar é enviada para o passado o que afeta a levemente os eventos da Linha Temporal Base.

Captain´s HolidayPicard de férias em Risa recebe a visita de dois aliens do século 27. A intervenção alienígena parece indicar uma Alteração de Nível 1.

A matter of timeUm ladrão do século 22 consegue obter uma nave temporal acidentalmente vindo do século 26. Viajando para o século 24, rouba objetos tecnológicos que seriam usados como “inventos” no século 22. Como o meliante não consegue dar cabo do seu intento, não ocorre nenhuma alteração na linha temporal. Este episódio lembra muito o episódio Future´s End de Voyager.

Cause and EffectA Enterprise entra em uma região do espaço e encontra uma distorção, antes que a Enterprise possa manobrar, uma nave aparece da distorção, em rota de colisão, levando ambas as naves a destruição, o processo se repete em um looping infinito. Tirando o fato de a Enterprise ter perdido 17 dias e a USS Bozeman oito anos, os eventos não alteram significativamente a linha temporal base.

Time´s Arrow I e IIA Enterprise é chamada de volta a Terra, depois que uma equipe arqueológica encontra a cabeça do Data numa caverna, datada do século 19. Análises tecnobáblicas levam a Enterprise para Devidia II onde aliens – fora de fase – estão fazendo experiências com várias raças entre elas, a humana – todos estão mortos. Data, investigando a situação acaba acidentalmente indo parar em São Francisco, século 19, de onde os aliens abduzem os humanos. Acaba encontrando Guinan que fez uma parada naquela época a Terra, sabe-se lá porquê. Também encontra Samuel Clemens um escritor da época que insiste em pegar no pé de Data. Mais algumas cenas tecnobáblicas e agora, Picard, Riker, Troi, La Forge e Crusher estão no século 19. Depois de vários dias, eles estão na mesma caverna descoberta no século 24 prestes a acabar com as abduções, junto com eles, está Samuel Clemens e Guinan. Para abrir o portal era necessário um dispositivo alien que estava disfarçado. Durante uma luta, o portal para o século 24 é aberto sob controle do dispositivo que estava nas mãos de Data. Ao abrir o portal o dispositivo explode arrancando a cabeça do Data. A tripulação volta ao seu próprio século e Samuel acaba indo junto, Picard fica para trás para certificar-se que Guinan (desta época) estaria bem. Riker conversa com Guinan do Século 24 querendo saber como trazer Picard de volta antes de mandar torpedear a caverna em Devidia II, encerrando as incursões temporais. Ela diz que não pode contar, salvo contrário, poderá mudar toda a história. Paralelo a isso, La Forge está ligando a cabeça de 500 anos ao corpo de Data e não consegue entender o porquê Data não rebota. Um diagnóstico mais apurado o faz descobrir que uma peça de metal está fechando um curto. No passado, Picard descobre através de um dos Aliens que, se a caverna for torpedeada, ao invés de fechar o portal temporal irá, na verdade ampliá-lo, envolvendo toda a Terra. Picard então pega a cabeça de Data, um pedaço de metal e coloca um circuito em curto. Novamente no Futuro, Worf está a um minuto de bombardear a caverna. Data é ativado e diz que Picard conseguiu programar uma mensagem binária em seu cérebro positônico. “A caverna não pode ter bombardeada de maneira convencional”. La Forge precisará de tempo para adaptar os torpedos. Riker utiliza este tempo para enviar Clemens de volta ao seu próprio tempo, com instruções claras sobre como Picard poderá retornar Picard retorna momentos antes da caverna ser destruída. Alteração de Nível 1, tirando o fato de que Clemens se beneficiou com a publicação do seu livro, não ocorreram maiores impactos na linha temporal base. Nunca saberemos se, os humanos abduzidos – e mortos – se permanecessem vivos, iriam alterar o futuro. O mais interessante neste episódio é que o fato de, ao remover Clemens do passado, toda a referência deste personagem no futuro deveria ser alterada o que, para conveniência de roteiro, isto não ocorreu.

TapestryPicard acidenta-se e está beirando a morte devido a uma falha em seu coração artificial, quando Q aparece e explica que Picard poderia sobreviver se tivesse um coração verdadeiro. Para tanto Picard é enviado ao tempo da Academia, para mudar seu destino. O episódio não fica claro se houve – de fato – uma viagem no passado. Tudo leva a crer que não, sendo, portanto uma armação de Q, pois do ponto de vista da tripulação, Picard sempre esteve na enfermaria.

TimescapeA bordo de um runabolt, Picard, Data, La Forge e Troi encontram a Enterprise congelada no tempo segundos antes da destruição por uma ave de guerra romulana. A trama envolve – novamente – aliens temporais que precisam de uma singularidade utilizada pela nave romulana para incubar suas crias. No processo a energia da ave de guerra é desligada e a Enterprise responde o sinal de socorro. Ao transferir energia para a ave de guerra, a Enterprise acaba – inadvertidamente – ameaçando os aliens. Uma série de fatores contra a tripulação ocorre aqui. A Enterprise está sendo atacada, romulanos estão a bordo da Enterprise com disruptores disparando contra a tripulação, o núcleo de dobra está se rompendo, tudo congelado no tempo, este fator é utilizado para fazer as devidas “mudanças” de forma que a nave não será destruída quando tudo voltar ao normal. Este episódio contempla uma Alteração de Nível 2 que desvia os eventos da Linha Temporal Base, de fato se a Linha Original seguisse seu curso natural (sem a intervenção de Picard e tripulação ou sem o congelamento) a Enterprise seria destruída. Esta é a Primeira ocorrência de desvio definitivo para um Universo Paralelo.

FirstbornAlexander – um Klingon pacifista de um futuro de 40 anos a frente, volta no tempo para mudar sua própria história – se tornar um Guerreiro e impedir o assassinato de Worf no futuro. Alteração de Nível 1.

All Good Things…Picard com a ajuda de Q, começa a saltar em três períodos de tempos diferentes, alternando entre o passado, presente e futuro de forma a eliminar uma anomalia que cresce em sentido para o passado. Alteração de Nível 1 e aqui cabe explicar os motivos que me levam a não crer ser uma Alteração de Nível 2: Citando rapidamente os pontos mais controversos, se levarmos os novos eventos de Star Trek Contdown, tudo se torna plausível. Picard está na Terra – Em Contdown ele já está afastado do comando da Enterprise; Data é professor na Terra – Isto não é mais um impedimento; Os Klingons dominaram os Romulanos – a destruição de Romulus pode ter desestabilizado totalmente o Império, permitindo aos Klingons levar a cabo tal empreitada afinal, Klingons e Romulanos nunca se bicaram; Falando em Klingons, Worf está lá servindo, a sua maneira, o Império – Em Contdown vemos que Worf deu um passo neste sentido ao ser apresentado como General das forças Klingons; Riker segue carreira e após comandar a Titan (e quem sabe outras naves) deve vir a se tornar um Almirante; E o ponto mais controverso: A Enterprise D foi destruída em Veridian III – mas não seria impossível de ser reconstruída. Este é o ponto mais implausível, admito – afinal reconstruir uma nave considerada ultrapassada que foi destruída não parece fazer nenhum sentido, mas não é totalmente impossível, ainda mais se Riker como Almirante, possuir influência suficiente para isso.

Na série Deep Space Nine, os seguintes episódios envolveram viagens no tempo:

Past Tense I e IISisko, Dax e Bashir a bordo da Defiant que está orbitando a Terra, vão parar em 2024 após um acidente do teletransporte. Nesta época as cidades possuem distritos conhecidos como Santuários, estes locais abrigam vários desempregados, tornando-se uma espécie de prisão para os menos favorecidos. Gabriel Bell é um líder que irá desencadear no futuro uma melhoria na forma como o governo trata estas questões sociais. O acidente do teletransporte desencadeia a morte prematura de Bell. Como o futuro depende destes eventos, cabe a Sisko assumir o lugar de Bell colocar a história no devido lugar. Alteração de Nível 1.

VisionaryO´Brien faz repetidos saltos para o futuro, vendo eventos que em breve irão ocorrer, incluindo a iminente destruição da Deep Space Nine e do wormhole. Interagindo com sua contraparte do futuro, eles precisam impedir o ataque de uma ave de guerra romulana. Alteração de Nível 2, no fim do episódio O´Brien do Futuro alternativo assume o lugar do O´Brien do passado.

The VisitorUm acidente na engenharia da Defiant – aparentemente – mata o capitão Sisko. O acidente é causado devido a uma inversão do wormhole, gerando um fluxo de energia que sai do núcleo de dobra em direção a Sisko e Jake. Quando Jake levanta, Sisko não está mais lá. Este acidente cria um Universo Paralelo que é encerrado quando Jake, já idoso, descobre que seu pai está preso no subespaço e, somente com sua morte, em um momento preciso, poderá trazer Sisko de volta a linha de tempo normal.

Little Green MenQuark, Nog e Rom caem na Terra, no ano de 1947, com a ajuda de Odo que estava escondido a bordo, conseguem retornar ao seu próprio tempo. Alteração de Nível 1, com consequências, mas sem efetar a história de forma significativa, salvo o fato de criar o misticismo sobre a área 51. Estas histórias não são confirmadas pelos militares e esta posição é assumida ao fim do episódio quando o General Rex Denning fala para um capitão que a queda, foi um balão meteorológico.

AccessionUma nave bajoriana de 300 anos passa pelo wormhole e seu tripulante Akoren Laan – um poeta – afirma ser o Emissário. Enquanto ele viajava com sua nave, ele foi ferido e ficou próximo da morte. Encontrando o wormhole, os Profetas o curaram e o enviaram para a DS9, no futuro. Kira descobre que ele é o autor de um poema inacabado. Akoren – agora assumindo o papel de emissário – começa a mudar o estilo de vida dos bajorianos, inclusive afetando a relação entre a entrada de Bajor na Federação. Sisko decide esclarecer com os Profetas, quem é o verdadeiro emissário vai até o Wormhole, levando Akoren junto. Os profetas esclarecem que Sisko é o verdadeiro emissário e enviam Akoren para o seu próprio tempo. De volta a estação, Sisko está lendo o poema de Akoren e Kira fica surpresa em notar que já sabe como ele irá terminar. Sisko e Kira ponderam a respeito de como eles conseguem se lembrar de uma linha de tempo alterada. Alteração de Nível 1 .

Trials and Tribble-ationsDois agentes do setor de Investigação Temporal desembarcam na Deep Space Nine para entrevistar Sisko e tripulação, avaliando os motivos que levaram a Defiant a voltar para o século 23, onde Kirk seria assassinado por Arne Darvin, um Klingon alterado cirurgicamente para parecer humano. A tripulação evita grandes alterações no futuro ao impedir Darvin de levar a cabo o plano, porém um fato relevante deve ser considerado. Os Tribbles, na Linha Temporal Original foram extintos pelos Klingons, conforme o relato de Worf. Sisko e sua tripulação ao trazer alguns exemplares, repopulam o século 24. Com isto, criam uma Alteração de Nível 2. Não existem relatos futuros deste impacto (assume-se que não houve), mas este evento pode(ria) até a vir ocasionar um desequilíbrio em algum ponto futuro da Linha Temporal.

Children of TimeA Defiant está no Quadrante Gama, retornando para DS9 quando detecta uma barreira singular orbitando um planeta. Ao atravessar a barreira para orbitar o planeta, uma energia atinge Kira que parece estar em dois lugares ao mesmo tempo. Logo após, Worf capta sinais de pelo menos 800 vidas no planeta, que na verdade são descendentes da tripulação original da Defiant. A nave irá cair no planeta dentro de dois dias quando tentar passar pela barreira novamente. Este acidente irá jogar a nave a 200 anos no passado. Cabe a tripulação decidir se evitam o acidente – acarretando no desaparecimento de seus descendentes (e evitando a posterior morte de Kira) – ou se repetem novamente o ciclo. O acidente gera uma Alteração de Nível 2 que deixa de existir quando a Defiant, programada pelo Odo de 200 anos, evita o acidente.

Wrongs Darker than Dead or NightDukat diz para a Kira que teve uma relação com sua mãe durante a ocupação bajoriana. Kira então usa o Orb do Tempo para viajar no passado e descobrir a verdade. Os eventos não alteram o futuro, fora o fato de Kira esclarecer alguns pontos obscuros em relação a sua mãe.

Time´s OrphanUm acidente no planeta Golana envia Molly O´Brien por um danificado portal trezentos anos no passado para um mundo inabitado. Trazida de volta muito tarde, Molly retorna ao presente com dezoito anos sem memórias sobre sua vida e com problemas em aceitar sua nova vida na sociedade. Após algum tempo, sem possibilidades de reverter os efeitos temporais e psicológicos, O´Brien decide enviar Molly para o local onde ela cresceu, o passado de Golana, através do portal. Ao fazer isso, Molly de 18 anos encontra sua contraparte criança, devido ao portal estar danificado. De alguma forma Molly de 18 anos convence a Molly criança a passar de volta pelo portal, voltando ao seu próprio tempo, fechando o loop temporal. Alteração de Nível 1 encerrada quando Molly criança retorna.

Ao longo da série Voyager, os seguintes episódios envolveram viagens no tempo:

Time and AgainEnquanto investiga uma explosão que destruiu toda a vida em um planeta, Janeway e Paris voltam um dia no passado e tentam prevenir o desastre. Alteração de Nível 2 que é neutralizada quando Janeway e Paris evitam os eventos que desencadeiam a explosão, tirando o fato de Kes lembrar os eventos. Cabe ressaltar que Kes, assim como Guinan, consegue perceber mudanças temporais.

Eye of the NeedleA Voyager descobre um mini-wormhole ligando o Quadrante Delta ao espaço Romulano, porém o wormhole também afeta o tempo, estando a ponta romulana 20 anos no passado. A tripulação não pode voltar devido as possíveis contaminações na linha temporal, uma mensagem também não pode ser enviada prevenindo o lançamento da missão da Voyager porque a Voyager já afetou muito o Quadrante Delta, a tripulação então usa a oportunidade para mandar mensagens sobre seu destino, aos parentes e a Frota que serão entregues depois que a nave for para o Quadrante Delta. Os eventos deste episódio tinham o potencial de criar um novo Universo Paralelo onde a Voyager poderia ter sido impedida de ser lançada. A carta enviada nunca foi entregue a Federação pelos Romulanos, logo, não houve nada que alterasse o futuro.

Future´s End I e IICapitão Braxton, um federado do século 29, psicologicamente alterado emerge em uma distorção espacial com a nave temporal Aeon´s para destruir a Voyager. Sua intenção é impedir uma explosão que irá destruir todo o sistema solar no futuro. O contra-ataque da Voyager faz com que ambas as naves sejam capturadas pela distorção. A Voyager aparece orbitando a Terra, porém ela está no século 20. Capitão Braxton caí na Terra em outro período de tempo, trinta anos antes. Sua nave é encontrada por Henry Starling que utiliza as tecnologias da nave para começar a revolução dos microcomputadores. Durante os próximos 30 anos, Starling estudou a nave para fazê-la funcionar de forma a poder ir ao século 29 para roubar mais tecnologia, de fato, ele chega a lançar a nave que é destruída pela Voyager antes de entrar na distorção. Imediatamente após a destruição, uma nova nave Aeon surge com um capitão Braxton que não se lembra dos incidentes no passado. Sua missão é levar a Voyager ao tempo-espaço correto sem violar a Primeira Diretriz Temporal. Os eventos que fazem uma Alteração de Nível 2, foram externos a Voyager. O fato de Braxton voltar no tempo, na primeira vez é que dispara a alteração. O retorno da Voyager ao seu próprio tempo e espaço, ao final do episódio, encerra este Universo Paralelo, mas deixa resíduos desta intervenção. Dentre estes resíduos está o fato de que agora, o Doutor possui um holo-emissor móvel, algo que definitivamente mudou a Linha Base Original.

Before and AfterKes está em um fluxo temporal que a faz saltar para o passado e para o futuro oscilando entre o seu nascimento e a sua morte. De concreto, ao retornar ao tempo normal, Kes antecipa informações sobre o futuro ataque dos Krenin a Voyager. Este incidente levaria a uma série de eventos paralelos, entre eles, a morte da capitã Janeway em Year of the Hell.

Year of the HellAnnorax, cientista de uma raça chamada Krenin, desenvolve uma poderosa nave que cria paradoxos temporais. A nave é utilizada contra várias espécies eradicando-as da linha temporal e estabelecendo com isso, a ampliação do império Krenin. A Voyager entra em conflito com os Krenin no primeiro contato – já em uma das linhas alternativas criadas pela nave de Annorax. Depois de um ano, a Voyager, em rota de colisão destrói a nave de Annorax e com isso quebra os efeitos paradoxos, voltando um ano atrás, no primeiro momento em que a Voyager encontrou os Krenin. A trama deixa a entender que os eventos – no fim das contas – não ocorreram.

TimelessA Voyager cai em um planeta gelado – próximo da borda do Quadrante Alfa – após utilizar uma nova tecnologia que anteciparia seu retorno a Terra. A queda, mata todos os tripulantes, menos Chacotay e Kim que estavam a bordo da Delta Flyer. Em uma linha Alternativa, um envelhecido Kim, 20 anos no futuro, tenta descobrir o que houve de errado e descobre que a queda foi causada por ele. Junto com Chakotay eles partem em busca da nave caída. Eles precisam ativar o Doutor e extrair tecnologia Borg do corpo de Seven para enviar uma mensagem ao passado de forma a evitar o acidente. A linha temporal base sofre uma Alteração de Nível 2 criando um novo Universo Paralelo, onde a Voyager não se acidentou.

RelativitySeven of Nine é recrutada por uma nave do século 29 comandada por Braxton. Sua missão é salvar a Voyager de ser destruída no passado. Após várias intervenções que passam pelo lançamento da Voyager, ataque Kazon e o presente, Janeway se junta a Seven no intuito de impedir o sabotador – que descobre-se ser um Braxton alternativo que está sofrendo de psicose gerado pelos constantes saltos temporais. Uma vez capturado, Seven e Janeway são devolvidos ao seu próprio tempo. Alteração de Nível 1 neutralizada ao fim do episódio.

FuryA Voyager recebe uma mensagem de uma pequena nave. Kes está a bordo e ataca a Voyager colocando a nave em rota de colisão. Antes de a nave ser destruída, Kes se tele transporta para dentro da nave. Abrindo caminho até a engenharia, ela destrói todo o deque 11. Na engenharia ela mata Torres. Ao chegar ao núcleo de dobra, ela desaparece voltando no tempo ao primeiro ano de viagem da nave no Quadrante Delta. No passado ela incapacita a Kes desta época, sua intenção é tirá-la da nave, mudando a história. Janeway acaba matando a Kes do futuro por ela estar incontrolável. Após isso, a Kes do passado recobra a consciência e Janeway explica o que ocorreu, de forma a convencê-la que o que ocorreu deve ser prevenido no futuro. Voltando ao futuro, a Voyager recebe uma mensagem de uma pequena nave. O processo todo se repete só que desta vez o deque 11 está vazio por instrução de Janeway. Na engenharia Kes encontra o núcleo de Dobra desligado, não podendo retornar ao passado. Janeway exibe um holograma da Kes, gravado antes dela deixar a Voyager nesta gravação Kes explica que Janeway está lá para ajudá-la, quebrando o ciclo. Alteração de Nível 1.

ShatteredUma anomalia espacial prende a Voyager em 37 pontos diferentes do tempo. Chakotay precisa achar uma forma de eliminar a distorção, para isso recruta vários tripulantes de vários pontos do tempo. Alteração de Nível 1. Porém Importante observar que em um dos pontos de tempo, a Voyager é operada pelos descendentes da tripulação mostrando que ela permaneceu em viagem por um longo tempo.

EndgameA frota comemora 10º ano do retorno da Voyager do Quadrante Delta. A viagem durou 23 anos e durante este período, parte da tripulação morreu. Tuvok contraiu uma doença degenerativa que poderia ser prevenida se ele estivesse no Quadrante Alfa. Chakotay está morto, assim como Seven. A Almirante resolve retornar ao passado e mudar a história, para isso parte atrás de uma peça temporal Klingon. Retornando ao passado, a Almirante ajuda a Voyager a se armar com tecnologia do futuro. Esta tecnologia será usada quando a Voyager entrar em uma nebulosa, onde os Borgs possuem uma instalação que permite o envio de naves através de dutos de transdobra. A Voyager alterada entra em um destes dutos, enquanto a Almirante vai para a Unimatrix 001, onde ela leva a cabo seu plano de assassinar a rainha Borg. A Voyager saí próximo a Terra, perfazendo assim apenas 7 anos de viagem de retorno. A Almirante Janeway, ao retornar para o passado e alterar seus eventos, faz o mesmo que Nero. A Voyager passa a ser equipada com tecnologia de 30 anos do futuro além de encurtar sua viagem de retorno a Terra. De quebra, inflige uma grande destruição aos Borgs. Alteração de Nível 2 que passa a ser a linha Base a partir deste ponto.

Em relação aos filmes:

The Voyage HomeUma sonda chega a Terra, neutralizando todas as naves pelo caminho. Uma vez em órbita ela busca comunicação com baleias jubarte que nesta época estão extintas. No processo, a Terra está ameaçada. Kirk e tripulação retornam no tempo com uma ave de rapina Klingon e levam duas baleias para o futuro encerrando a ameaça. Novamente uma Alteração de Nível 2 que passa a ser a linha base original.

Generations – Kirk é dado como morto durante uma missão de resgate de uma nave, ressurgindo no século 24 no planeta Veridian III para ajudar Picard. Alteração de Nível 1.

First Contact – Os Borgs tentam assimilar a Terra e viajam ao passado para impedir o lançamento da Phoenix. Alteração de Nível 1. Lembrando que esta intervenção gera um resíduo que é explorado no episódio Regeneration da Segunda Temporada de ENT.

E por fim, Star TrekPara impedir uma Supernova destrua a galáxia, Spock Prime junto com Nero tentam aprovação dos Vulcanos para utilizar um potente elemento conhecido como Matéria Vermelha. Com a recusa do Conselho Vulcano, Nero busca vingar-se de Spock, Vulcano e da Federação quando descobre que Romulus foi destruído pela Supernova. Spock consegue criar um Buraco Negro com a Matéria Vermelha que o lança no passado juntamente com Nero. Uma vez no passado, Nero ataca a USS Kelvin. Acarretando em uma Alteração de Nível 2.

Conclusão:

Star Trek não é a primeira obra de Jornada a abandonar a Linha Temporal Original (aquela que começou em Broken Bown de ENT). Ao longo da Franquia, ela já foi abandonada nove vezes, sendo criados no mínimo um total de treze Universos Paralelos. Estas mudanças foram transparentes para o espectador e não fomentaram discussão simplesmente porque não havia referências dos eventos futuros para uma comparação. Se existe algo de inédito em Star Trek, é que pela primeira vez há estas referências. Existe a linha original como paradigma ao novo universo criado. Do ponto de vista criativo, Kirk Prime, Picard Prime e Janeway Prime continuam lá, no Universo Paralelo criado pela última Alteração de Nível 2. Hipoteticamente, nada impede que roteiristas inventem um dispositivo tecnológico que permitisse a Spock Prime retornar ao seu próprio tempo e Universo abrindo, por exemplo, a exploração comercial dos dois universos.

Listagem contendo os Episódios e Filmes por ordem cronológica, separados pelas Linhas Temporais:


Primeira Linha Temporal

Cold Front (ENT)

Shockwave part I e II (ENT)

Future Tense (ENT)

Twilight (ENT)

Carpinter Street (ENT)

Azati Prime (ENT)

(ENT)

Zero Hour (ENT)

Storm Front I e II (ENT)

Tomorrow is Yesterday (TOS)

The City of the Edge of Forever (TOS)

Assigment: Earth (TOS)

All Our Yesterdays (TOS)

Segunda Linha Temporal

The Voyage Home

We´ll Always Have Paris (TNG)

Time Squared (TNG)

Yesterday´s Enterprise (TNG)

Captain´s Holiday (TNG)

A matter of time (TNG)

Cause and Effect (TNG)

Time´s Arrow (TNG)

Tapestry (TNG)

Terceira Linha Temporal

Timescape (TNG)

Firstborn (TNG)

All Good Things… (TNG)

Generations

Time and Again (VOY)

Past Tense (DS9)

Eye of the Needle (VOY)

Quarta Linha Temporal

Visionary (DS9)

The Visitor (DS9)

Little Green Man (DS9)

Accession (DS9)

Quinta Linha Temporal

Trials-and-Tribble-actions (DS9)

Sexta Linha Temporal

Future´s End (VOY)

First Contact

Before and After (VOY)

Sétima Linha Temporal

Children of Time (DS9)

Year of the Hell I e II (VOY)

Wrongs Darker than Dead of Night (DS9)

Time´s Orphan (DS9)

Oitava Linha Temporal

Timeless (VOY)

Relativity (VOY)

Fury (VOY)

Shattered (VOY)

Nona Linha Temporal

Endgame (VOY)

Décima Linha Temporal

Star Trek

63 Comments on "A verdade sobre Linhas Temporais em Jornada"

  1. Eu não acho que podemos afirmar que a viagem no tempo pode criar uma realidade paralela (nível 2).
    Eu acredito que a linha temporal é única e esses paralelos que vc disse é a linha única alterada e depois restaurada.

    No filme nada é dito que ainda existe uma linha do tempo base, outra linha do tempo alternativa do filme e as duas estão seguindo paralelamente, não vejo nada no filme que mostre que temos agora 2 linhas, temos a linha do tempo única que foi um pouco alterada
    Provavelmente o Kirk não morrerá no futuro e vai voltar pra pegar o Spock!

    De nada adiantaria se existissem várias linhas do tempo, o personagem voltaria ao passado para mexer em uma linha diferente da dele? Ou impedir que linha dele exista?

    Sobre viagem no tempo há duas idéias do que poderia acontecer.
    Estou em 2050, meus pais casaram em 2010, eu nasci em 2020, volto ao passado para 2015 e mato meu pai.
    Alteração nível 1: Eu paro de existir.
    Alteração nível 2: Continuo a existir, mas ao voltar no meu tempo encontro a minha mãe viúva e pra ela eu nunca nasci, mas isso não quer dizer que tem outra linha paralela ocorrendo em que eu ainda existo, é apenas a linha alterada que posso tentar restaurar.

    Vamos olhar algumas das alterações citadas por vc e veja como também funciona em uma linha única!

    Shockwave part I e II – Após uma sabotagem na Enterprise, o comando da Frota suspende a missão da NX-01, isso implicará na não criação da Federação. Daniels remove o capitão Archer do passado, levando-o ao ano de 3051, com a ajuda de Archer, desenvolve um dispositivo de comunicação que permite a Archer enganar os Sulibans no passado e voltar no tempo. Ao remover Archer, Daniels acidentalmente cria uma Alteração de Nível 2 onde a Federação está devastada no futuro. Quando Archer volta ao seu próprio tempo, este Universo Paralelo é abandonado.

    Como provar que essa linha do futuro alternativa está paralela a outra linha base?
    Pode ser assim:
    Quando Archer volta ao seu próprio tempo, aquele futuro que estava alterado é restaurado.

    Time Squared – Um shuttle vindo do Futuro com um Picard alternativo avisa que a Enterprise será destruída por um vortex de energia. Neste caso, ao invés do personagem saltar para um Universo Paralelo, ocorre o inverso. Picard é que vem de uma realidade onde ocorreu uma Alteração de Nível 2 na qual sua nave fora destruída.

    O Picard do futuro veio da mesma linha temporal. Onde essa linha se dividiu em duas? Onde no episódio é mencionado que há a linha base e a alternativa? Se ele estivesse tentando impedir a destruição da nave na linha dele, nada adiantaria ele pular para a linha temporal base. Ele teria que voltar depois que ela se dividiu.

    Timescape – A bordo de um runabolt, Picard, Data, La Forge e Troi encontram a Enterprise congelada no tempo segundos antes da destruição por uma ave de guerra romulana. A trama envolve – novamente – aliens temporais que precisam de uma singularidade utilizada pela nave romulana para incubar suas crias. No processo a energia da ave de guerra é desligada e a Enterprise responde o sinal de socorro. Ao transferir energia para a ave de guerra, a Enterprise acaba – inadvertidamente – ameaçando os aliens. Uma série de fatores contra a tripulação ocorre aqui. A Enterprise está sendo atacada, romulanos estão a bordo da Enterprise com disruptores disparando contra a tripulação, o núcleo de dobra está se rompendo, tudo congelado no tempo, este fator é utilizado para fazer as devidas “mudanças” de forma que a nave não será destruída quando tudo voltar ao normal. Este episódio contempla uma Alteração de Nível 2 que desvia os eventos da Linha Temporal Base, de fato se a Linha Original seguisse seu curso natural (sem a intervenção de Picard e tripulação ou sem o congelamento) a Enterprise seria destruída. Esta é a Primeira ocorrência de desvio definitivo para um Universo Paralelo.

    Aqui não temos viagem no tempo, mas uma “bolha” em que o tempo está alterado, está em velocidade diferente, podendo congelar, recuar e avançar, se fosse alteração na linha temporal até eles que estavam longe teriam paralisado.

    Visionary – O´Brien faz repetidos saltos para o futuro, vendo eventos que em breve irão ocorrer, incluindo a iminente destruição da Deep Space Nine e do wormhole. Interagindo com sua contraparte do futuro, eles precisam impedir o ataque de uma ave de guerra romulana. Alteração de Nível 2, no fim do episódio O´Brien do Futuro alternativo assume o lugar do O´Brien do passado.

    Parecido com o do Picard, se neste futuro temos linha alternativa e ainda temos a linha base, teria que ficar claro que o O’Brien do futuro deveria salvar DS9 da linha dele e não da linha base.

    Endgame – A frota comemora 10º ano do retorno da Voyager do Quadrante Delta. A viagem durou 23 anos e durante este período, parte da tripulação morreu. Tuvok contraiu uma doença degenerativa que poderia ser prevenida se ele estivesse no Quadrante Alfa. Chakotay está morto, assim como Seven. A Almirante resolve retornar ao passado e mudar a história, para isso parte atrás de uma peça temporal Klingon. Retornando ao passado, a Almirante ajuda a Voyager a se armar com tecnologia do futuro. Esta tecnologia será usada quando a Voyager entrar em uma nebulosa, onde os Borgs possuem uma instalação que permite o envio de naves através de dutos de transdobra. A Voyager alterada entra em um destes dutos, enquanto a Almirante vai para a Unimatrix 001, onde ela leva a cabo seu plano de assassinar a rainha Borg. A Voyager saí próximo a Terra, perfazendo assim apenas 7 anos de viagem de retorno. A Almirante Janeway, ao retornar para o passado e alterar seus eventos, faz o mesmo que Nero. A Voyager passa a ser equipada com tecnologia de 30 anos do futuro além de encurtar sua viagem de retorno a Terra. De quebra, inflige uma grande destruição aos Borgs. Alteração de Nível 2 que passa a ser a linha Base a partir deste ponto.

    Neste episódio, fica claro que não há linhas alternativas, pois Janeaway lutou com todas as forças para que a realidade única dela fosse diferente. Ela queria o melhor para a tripulação e de nada adiantaria para ela voltar no tempo. Pra que criar uma linha alternativa? O Problema tem que ser resolvido na linha base dela. Se houvesse a linha alternativa a linha base dela continuaria a existir do mesmo modo, ou seria destruída.

  2. Deusdeth Soares | 19 de maio de 2009 at 7:00 am |

    Nossa !!! Que excelente trabalho Hollander…
    Realmente achei “fascinante” esta análise.
    Congratulations !!

  3. O bom é que agora tem mais um monte de Universo Alternativo pra os cara ganhar uma grana! ehehhehe

  4. Hollander
    Foi um belo trabalho, mas, pelas minhas contas, na verdade planilha do excel, existem 725 episódios e agora 11 filmes. Estou contando cada episódio duplo como dois episódios. Se considerar como apenas uma estória e 1 episódio ainda não fiz as contas para ver como fica.
    Com relação às viagens temporais e universos paralelos e paradoxos temporais, como tudo isso é apenas uma grande teoria e especulações, a ficção pode usar qualquer coisa. Argumentar que eu acredito nisto ou aquilo é sair da realidade. Aliás, se formos analisar dentro de um contexto puramente físico, as viagens espaciais como vemos em ST são literalmente impossíveis.
    A explicação para isso é um pouco extensa.
    Voltando ao assunto, em livros, temos excelentes estórias, como: O FIM DA ETERNIDADE do Isaac Asimov.
    É um passatempo fascinante ler o que os grandes escritores criaram sobre esse assunto.

  5. post 4

    Concordo com o colocado pelo Verde. “Argumentar que eu acredito nisto ou aquilo é sair da realidade.”

    De fato, são apenas especulações teóricas. Não dá para levarmos isto muito a sério e tentarmos achar alguma lógica dentro da viagens temporais abordadas na franquia. Até porque algumas partiam do pressuposto da existência de uma única linha temporal (sem linhas alternativas) outras (mais recente) já iam no sentido contrário.

    Belo artigo, apesar de eu não ter lido tudo (ainda). Mas deixo a sugestão da colocar um gráfico resumindo as linha temporais.

    post 1: DjLeoTec

    Recomendo que leia isto:

    http://pt.wikipedia.org/wiki/Paradoxo_do_av%C3%B4

  6. Aí tá um belo exemplo de como viagens no tempo foram usadas à exaustão em ST.

  7. Ótimo trabalho, que certamente dará aos “puristas” de Jornada o que pensar.

  8. Discutir as alterações do canon face aos novo Star Trek é interessante e rende um bom exercício cerebral para qualquer um.

    Vamos lá:
    Concordo com as observações do LeoTec – post 1:
    A linha temporal é única, se houvesse mais, haveria linhas onde a “realidade” se quer nos permitiria morrer ou até mesmo existir.

    O que quero dizer é que a existência de uma única linha temporal se revela no fato inexorável da existência de cada um de nós e da inevitável morte que se aproxima.

    Imagino a linha temporal como uma poderosa fibra ótica por onde correm milhares de informações indo e voltando.
    Pode-se viajar dentro dela a qualquer tempo e distância.
    Mas somente dentro da fibra ótica, que é única:
    a linha do tempo.

    É…
    Mas em se tratando de série de tv, por que nos preocupamos taaaaaaaaaaaaaaaaaaanto com esse tal de canon?

    Vamos nos divertir!

  9. ^4: Verde: Para o artigo, contei os episódios duplos como um só. E contei 10 filmes porque a ideia era comparar tudo o que ocorreu antes, com Star Trek o 11º filme.

    ^4 e ^5: Como colocado no artigo, os roteiristas usam as teorias da forma que melhor convem o roteiro. Existe muita margem para interpretação e expeculação. Sem querer desmerecer, mas se a Fisica fosse levada a sério em ST, a série seria bem mais intediante.

    ^1: Vou me prender aos eventos de Endgame: Partindo do pressuposto que Janeway é uma Almirante e demorou 23 anos para fazer a viagem do QD e que Chakotai está morto, blá, blá, blá. É fato que, em algum momento os personagens chegaram até este ponto do tempo pelo menos uma vez. Então esta linha temporal existe pelo menos uma vez.

    Aí ela resolve voltar no tempo, faz a maracutaia tecnobáblica e faz a Voyager voltar em 7 anos.
    Ela (a Alm. Janeway) ainda está viva, ela não desapareceu. Em uma Alteração de Nível 1, ela deveria deixar de existir, e se ela deixasse de existir, nunca poderia ter voltado no tempo e o ciclo não se fecha, a Voyager continua no QD. (Leia mais em Paradoxo do avô – link inclusive colocado pelo colega Ecio – se bem que acredito vc. já deve conhecer).

    Então temos uma situação que a Almirante Janeway quer alterar os eventos Futuros do Chackotai e seus amigos, mas ao mesmo tempo, ela – sendo da mesma época temporal que eles, não sofre os mesmos efeitos?

    Vamos ignorar então a lógica do Paradoxo do Avô. A Almirante Janeway é preservada, ela agora está 23 anos no passado. Hipoteticamente, ela sobrevive ao ataque a Rainha Borg. Ela então resolve se despedir da Capitã e volta para o futuro. Em qual futuro ela está? O dela é que não é. No futuro de onde ela saiu, Chacotai está morto, mas então ela está no futuro alterado onde Chacotai está vivo. Beleza, mas este não é o futuro dela, mas sim da Capitã Janeway, ela inclusive pode re-encontrar sua parte novamente, ambas com a mesma idade.

    Bem, resta então mais duas hipóteses: A Almirante se mata, deixando de existir ou ela senta na sua nave temporal e volta para a sua própria realidade, opa, mas nesta realidade ela demorou 23 anos e Chacotai está morto, logo não valeu a pena voltar e alterar o passado…

    Entendeu porque viagens temporais dão dor de cabeça?

  10. Existem quantas linhas temporais a Paramount acha que devem existir para o negócio ser lucrativo.
    Ou alguém acha que eles vão parar de explorar as séries DS9 e TNG ou mesmo a “velha” Clássica em quadrinhos e livros por exemplo? Sem falar em todos os livros que tratam do universo do espelho.

  11. tem livros sobre o universo espelho…? Alguem tem os links ou pdfs…?

  12. Muitos reclamam que o tema é usado intensamente, mas se observarem, na maioria, existem aspectos sociológicos ou psicológicos diferentes, até mesmo físicos.
    Estes paradoxos e idéias nos faz pensar, esse é diferencial que ST sempre teve. E pensar é que faz com nos desenvolvamos mentalmente. Por isso que a média de cultura do trekker, ou mesmo de quem apenas gosta de ST, é maior que a média das outras pessoas e bem superior da média dos telespectadores dos BBB´s da vida (leia-se Rede Globo e afins).
    Engraçado que há sempre algo novo em viagens no tempo e olha que já muitos livros de ficção que tratam do assunto.

  13. post 9, Hollander

    “^4 e ^5: Como colocado no artigo, os roteiristas usam as teorias da forma que melhor convem o roteiro. Existe muita margem para interpretação e expeculação. Sem querer desmerecer, mas se a Fisica fosse levada a sério em ST, a série seria bem mais intediante.”

    Sim, concordo perfeitamente. Meu comentário foi mais direcionado ao que foi dito no post 1, e não necessariamente uma critica a seu artigo. E ACHO que o Verde fez o mesmo.

  14. P ara a PARAMOUNT
    Universo paralelo + varias linhas temporais + universo espelho + preferencia por este ou aquele universo/linha temporais = MUUUUUUIIIITO LUCRO

    Para os FÃS
    Tudo isto = muito gasto para conhecer tudo e muita discussão nos foruns, enriquecendo os provedores

  15. O que eu fico pensando é que se o Spock velho quiser voltar pro futuro que é o lugar dele, vai ser estranho no sentido de que já tem um Spock na mesma linha de tempo dele, fazendo coisas totalmente novas, ou seja, ele pode voltar pra época que ele saiu e encontrar um outro Spock velho também.
    Ou se ele for voltar pra linha temporal antiga, poucos minutos depois dele ter saído de lá… ou seja… ai teria que fazer viajem no tempo em linhas temporáis paralelas, mas… se exister muitas, qual a certa pra ele voltar! Complexo isso… ou to viajando demais… bom, o que importa é que eu quero logo o dvd do novo filme… rs…

  16. Existem tantos episódios e filmes com viagens no tempo quanto há forma de classifica-los. Indo dos “clássicos” aos “tenebrosos”.

    O que deixa claro que “Canon”, “Linha do Tempo” e “Realidades alternativas” nem sequer chegam perto de arranhar o que de fato importa num programa de entretenimento televisivo/cinematográfico. Que é a qualidade no roteiro.

    Assim enquanto “Tapestry” é mágico, “Voyage Home” primoroso, “Visitor” puro sentimento…

    Temos outros exexplos como: “Shattered” bobo, “Timeless” sem graça e “Zero Hour” infantil.

    E falando do presente (ehehe), o recente filme StarTrek recorre num erro muito comum em Voyager. Usar viagens no tempo para “Justificar” a criação de dificuldades para os herois.

    E como são as viagens no tempo um tema controverso. Permite aos roteiristas liberdade covarde ao enfrentear os dilemas do filme.

    Se somar com isso a tecnobaboseira presente de sobra no filme me pergunto se Brannon Braga não esteve envolvido no roteiro. Mesmo que como referência!

  17. Eu só penso como o Universo de Star Trek vai sobreviver sem o planeta Vulcano? Num dava pra eles destruir outro? Tinha que ser Vulcano? Achei isso muito bizarro para a continuidade de tudo! Star Trek sem Vulcano não será a mesma…
    Pra onde Spock irá no seu primeiro “Pon Farr” ? Onde estará T´Pring ? T`Pau ?? Tuvok???
    Isso é preocupante! Estou desolado…
    Não sou cri-cri mas Vulcano não devia ter sido sacrificado assim… É minha opnião.

  18. CONSIDERAÇÕES:

    ― Na linha tempora do filme STAR TREK, o jovem Jim Kirk (Pine) possivelmente não irá passar pelas desgraças que o Kirk balofo (Shatner) passou, ou seja, ele NUNCA será interpretado pelo Shatner em NENHUMA HIPÓTESE. Tomara que o jovem Kirk tenha um affair com a enfermeira Christine Chapel nos próximos filmes.

    ― Se o Spock Prime voltar à sua linha temporal, ele poderá té salvar Romulus, mas não Vulcano. Naquela realidade Spock voltaria a Vulcano (se ainda existir no seu futuro) para acolher os sobreviventes romulanos. Ou, na atual realidade, ele ficará na Terra para ajudar a Frota a ajudar os vulcanos dispersos pela galáxia.

    ― O jovem Spock (Quinto) não ficará preso a sua busca para ser mais lógico, assim estará sujeito à suas emoções e interesse pela tenente Nyota Uhura.

    ― O ex-capitão Christopher Pike foi promovido a Almirante, se não me engano, assim, ele comandará esquadras da Frota Estelar e não reassumirá a U.S.S. Enterprise.

    ― Novas naves de guerra serão construídas pela Frota Estelar, seja para evitar uma retaliação do Império Klingon, proteger os sobreviventes vulcanos e até evitar invasões oportunistas dos romulanos.

    ― Partindo-se do princípio de que a Frota Estelar construiu naves mais resistentes e prontas para combate em razão do surgimento de Nero e Cia; é de se supor que os Impérios Klingone Romulano também o fizeram ou ainda o farão, ou seja, esperem por naves mais PODEROSAS E AGRESSIVAS.

  19. Post 13
    Com certeza não foi crítica ao Hollander. Me desculpem se disse qualquer coisa que pudesse ter insinuado isso.
    Quanto ao planeta Vulcano, será quase como se não tivesse sido destruido. Rapidamente vão criar/colonizar outro que fará tudo o que o antigo fez, principalmente com a ajuda do Spock Prime.

  20. Adorei o artigo !!!!

  21. Post 17 – Jorge Barros –

    Eu sou totalmente à favor da destruição de Vulcano. Desde que feito na linha temporal normal. E com consequências em tela para todos. Do jeito que foi feito fica parecendo que ao final do próximo filme tudo voltará ao normal.

    Abs,
    Spider

  22. Agora lembrei da série Sliders: universos paralelos:

    E se você descobrisse um portal, para um Universo Paralelo?
    E se você pudesse deslizar para milhares de mundos diferentes, onde seria o mesmo ano, e você a mesma pessoa, mas todo o resto diferente?
    E se você não conseguisse achar o caminho de volta para casa?

    Liderados por Quinn Mallory, um jovem estudante de física que acidentalmente cria o portal enquanto trabalha em um experimento no porão de sua casa, inclue-se no grupo dos viajante interdimensionais Wade Wells, uma bonita jovem expert em computadores; o brilhante mas arrogante professor de física Maximillian Arturo; e o cantor Rembrandt “Crying Man” Brown, que é sugado acidentalmente para o portal.

    A cada semana, os Sliders “deslizam” para um universo paralelo onde eles se encontravam num dia do presente em alternativas versões da Terra. Eles encontram , por exemplo, um mundo onde os Comunistas ganharam a Guerra Fria; um onde San Francisco é uma enorme prisão; ou um onde o sexo masculino é considerado o sexo frágil. Algumas vezes eles se encontram com seus “duplos” (eles mesmos só que de outra dimensão). A cada parada, os Sliders encaram perigos, surpresas e fortes emoções em mundos que lhes parecem familiar mas nunca são o que eles querem que sejam, as suas casas.

    A série enfoca um grupo de viajantes que “deslizam” entre universos paralelos através de um “buraco de verme” denominado de “ponte Einstein-Rosen-Podolsky”

    Ao contrário do que talvez você pense, Sliders é baseado na ciência real. Certamente a idéia de universos paralelos pode parecer estranha, mas é uma teoria científica, cada vez mais aceita entres os físicos.

    Tais ‘universos paralelos’ seriam o resultado de defeitos topológicos devido a diversidade das variações de campos elétricos nos primeiros instantes do cosmo. O material de gravidade repulsiva continuaria a crescer sem limite e sem fim, produzindo uma sucessão infinita de Universos. A história do cosmo comportaria inúmeras versões, como propõem o físico Richard Feynman, e pode não ter começado com nosso próprio universo.

    A Teoria das ‘Supercordas’, elaborada nos anos 80, propõe a existência de 11 cordas, que envolve a existência de universos semelhantes e outros totalmente diversos do nosso, onde poderia haver inclusive mais de uma dimensão de tempo, nenhuma estrela ou galáxia, por exemplo. A teoria não descarta eventos como o Big-Bang, apenas não os considera um episódio de uma história única para o cosmo.

    Há também a Teoria-M, que conecta cinco versões da teoria das cordas.

    As provas de que universos paralelos realmente existem não são concretas, mas são várias, entre elas é o comportamento de alguns pequenos pedaços do átomo: quando cientistas jogam um fóton ou um elétron contra uma parede, observam que eles seguem uma estranha trajetória, como se houvessem outras partículas por perto e pequenas trombadas os desviassem da rota. Ou seja, haveria partículas “fantasmas”, nunca detectadas pelos físicos, provocando as colisões. David Deutsch, famoso físico teórico, afirma que estas partículas estão em outros universos.

    Existe uma teoria que propõem que o Big-Bang que originou nossEinsteino universo foi na realidade a colisão de dois Universos Paralelos. Mas como as outras, essa é apenas mais uma hipótese.

    Em 1935, Einstein percebeu que suas equações da Teoria da Relatividade Geral mostravam a existência de um bizarro corpo celeste: um “Buraco de Minhoca” (“Wormhole” em inglês), uma “perfuração” no espaço-tempo, que serviria de atalho entre pontos superdistantes no universo, ou mesmo uma abertura para universos paralelos. Estes Buracos de Minhoca foram considerados ficção, até que, em 1995, o respeitado físico Kip Thorne provou sua existência.

    É possível que o espaço esteja cheio dessas estruturas, criadas naturalmente como relíquias do Big-Bang. Outra possibilidade é que esses buracos apareçam a todo o momento e em pequenas escalas, o chamado comprimento de Planck, menor que um núcleo atômico. Um buraco de Minhoca deste tamanho pode ser imobilizado por um forte pulso de energia e, depois, aumentado até chegar a um tamanho em que possa ser atravessado (o que é exatamente que o cronômetro dos Sliders faz).

    Pode-se também criar um Buraco de Minhoca subatômico artificial através de um acelerador de partículas.

    Toda a matéria engolida por um lado do Buraco de Minhoca seria cuspida rapidamente para fora pelo outro lado em uma posição desconhecida, que poderia ser qualquer ponto distante no universo, ou mesmo em um universo paralelo. Se fosse possível um humano atravessar um buraco de minhoca, e não ser esmagado pela gravidade dele, então esta estrutura poderia agir como uma ponte entre as diferentes dimensões.

    Eu pensei nisso o que vocês acham?

  23. Eu sou totalmente à favor da destruição de Vulcano. Desde que feito na linha temporal normal. E com consequências em tela para todos. Do jeito que foi feito fica parecendo que ao final do próximo filme tudo voltará ao normal.

    Abs,
    Spider

    Mas vc não lembra como acabavam os episódios da TOS???

    No final tudo volta ao normal hehehe

    A enterprise de Kirk poderia ser inteira assimilada pelos Borgs que no final eles arrumavam tudo e no episodio seguinte estaria tudo normal!!!

  24. O PARADOXO DE CAUSA E EFEITO, que diz que:

    Se alguém viaja para o passado no objetivo de alterar um evento para mudar o presente, assim que o fizesse o motivo pelo qual se viajou deixaria de existir, e consequentemente a viagem também. Sendo assim, o mínimo que deveria acontecer seria a perda de memória por parte do viajante, ou seu lançamento numa realidade paralela.

    Há meios de se superar essa dificuldade, mas raramente isso é feito com desenvoltura principalmente em HQs ou Filmes.

    Em Os 12 Macacos por exemplo, houve um excelente tratamento do tema, mas admitindo a impossibilidade de se alterar o passado de modo que a própria tentativa de alteração fez parte do processo.

    Em minha opinião no cinema os exemplos mais desastrosos são os de Jornada nas Estrelas, principalmente em STAR TREK VIII, onde no passado um evento principal é alterado mudando o presente, nos caso os Borgs eliminando o evento que resultaria em boa parte do avanço tecnológico humano, e então através de uma viagem os protagonistas repõem o evento principal no lugar.

    Entretanto fazem inúmeras outras alterações nada insignificantes, mas que em nada afetam os acontecimentos futuros, e fica sempre a pergunta: Por que os Borgs não tentam de novo? E de novo e de novo? E se viajassem para impedir que os heróis impeçam a mudança no passado? Por que não uma outra viagem para impedir a raiz de todos os problemas? Quando isso pararia?

    E o pior! Se os Borgs conseguissem impedir o tal evento, a Terra nunca teria desenvolvido tecnologias de viagens espacias, e sendo assim nunca teria se integrado a federação e muito menos conhecido os Borgs, que também não teriam o menor interesse numa tecnologia pouco avançada, e portanto não teriam vindo à Terra.

    Esse resultados são ilógicos, e podemos esclarecer isso formalizando e simplificando a questão:

    1) Os Borgs vieram à Terra para assimilar sua Tecnologia Avançada.
    2) Para eliminar a forte resistência dos terrestres, que se baseia em tecnologia avançada, os Borgs viajaram no tempo e prejudicaram o desenvolvimento da Tecnologia Terrestre.
    3) Sem tecnologia avançada, os terrestres não puderam resistir aos Borgs.

    E aqui fica clara a contradição, o item 3 entra em conflito com o item 1, se os terrestres perderam sua tecnologia avançada devido a viagem no tempo dos borgs, para que então os Borgs teriam vindo à Terra?

    Em síntese: Se você viajasse para o passado para impedir uma tragédia e o conseguisse, a tragédia, que é motivo de sua viagem, deixaria de existir, sendo assim sua viagem também.

    O motivo da viagem é a sua CAUSA, se o mesmo desaparecer, a viagem, que é seu EFEITO, também desaparece.

    É até concebível que isso ocorra desde que o viajante perca completamente a memória de sua viagem, pois ela também teria deixado de existir. E dessa forma seria possível que há um minuto atrás a realidade em que você vive fosse outra, mas você viajou no tempo e a alterou, de modo que agora vive numa outra realidade tendo se esquecido totalmente da realidade anterior em que viveu.

    Pior! Pode ser então que a realidade que vivemos tenha sido alterada infinitas vezes, mas ninguém, nem mesmo os viajantes do tempo responsáveis, saberiam disso.

    Outra forma de evitar esse paradoxo é afirmar que os viajantes na verdade passaram para uma dimensão paralela, e dessa forma eles nada mais fizeram do que escolher um Universo alternativo, e tenham se tornado seres multi dimensionais. Mas isso também implica em que para as pessoas que não sejam esses viajantes, as mudanças simplesmente não ocorrem, ou seja, se você viaja no tempo e impede a tragédia, e volta para o seu tempo sem perder a memória, você teria na verdade entrado em um universo alternativo, para o qual aquela tragédia de fato jamais ocorreu, mas o universo original permanece inalterado.

    Já uma situação como a ocorrida em filmes como De Volta para o Futuro, é absurda, pois o viajante, Martin McFly, faz alterações drásticas em sua realidade e volta para ela, e ainda que ela não evolva exatamente a causa da viagem no tempo, elas deveriam estar automaticamente registradas em sua memória, ou aquela realidade para a qual ele voltou já seria um universo alternativo.

    Explicando mais detalhadamente, cada vez que ele alterava um detalhe do passado de seus pais isso viria a resultar em mudanças no futuro. Porém ele estava de certa forma protegido dessas mudanças, talvez por não estar em seu tempo original. Quando ele volta para seu Presente encontra várias coisas mudadas e não as reconhece, isso significa que sua memória pertece à realidade anterior, ele vêm de uma realidade anterior, alternativa, caso contrário, ele deveria se lembrar automaticamente de tudo, não sofrendo nenhum estranhamento com as mudanças.

    Problemas como esse me levaram a formular um modo de conceber as Viagens no Tempo que alteram o Passado como formas de Viajar entre Realidades Paralelas. E juro, tive estas idéias muito antes de tomar contato com idéias similares que viriam a ser publicadas recentemente

  25. Post 11.
    Já achei livros do universo do espelho na livraria Cultura em São Paulo, infelizmente não lembro os títulos dos livros, mas um deles me recordo que se passava na Deep Space 9 alternativa. Tente o link http://www.livcultura.com.br
    Então no universo do novo filme talvez não tenhamos um Tuvok? Ponto para o J. J. e Cia!!!

  26. Dá para considerar então que o tipo de acidente ou mecanismo levará a tempos, ralidades, lugares e dimensões diferentes. Nesse filme a coisa é extrema, a Narada entrou no século 24, no meio do sistema Folkia (de Romulus), na realidade oringinal e no universo onde todo mundo tem e usa o cerebro. E saiu no espaço federado, no século 23, na realidade alternativa do $J$J$ no universo tosteronado e super apelativo.

  27. Creio eu que como não foi uma viagem no tempo normal, igual em outros filmes e sim causado por um buraco negro, deu nisso.

  28. ^13 e ^19: Elcio e Verde, não foi crítica da minha parte também. (risos) Acho que a forma que coloquei gerou má-interpretação.

  29. Maria da Conceição G. Simões | 19 de maio de 2009 at 8:47 pm |

    Parabéns, Hollander, excelente trabalho. Idem para os nossos amigos DjLeoTec e jean.
    Universos paralelos e viagens no tempo sempre despertam calorosas discussões devido aos paradoxos existentes, por isso essa resenha sobre viagens no tempo em ST foi muito oportuna. Vida Longa e Próspera para todos.

  30. Pelo menos agora a gente sai do “gostei, não gostei” e viaja um pouco mais na maionese, no bom sentido!

  31. Ótima matéria, parabéns Hollander e TB, sempre com bons assuntos pra discussão, como observou o Verde lá em cima.

    Bom, com tantos exemplos, pode se perceber claramente que JJ Abrams e sua corte, foram os primeiros a utilizar viagens temporais de forma útil pra franquia.

    Em Star Trek, a viagem no tempo do Nero permite que uma nova geração possa acompanhar a jornada dos nossos heróis do passado, agora atualizados pra uma realidade atual e futura.

  32. post 24.
    Muito bem Jean, mas essa idéia e explicação também existe no clássico “A máquina do tempo ” de H.G. Wells onde o cientista Alexander Hartdgen descobre que, mesmo sendo possível viagar no tempo, é impossível que um efeito anteceda uma causa, ou seja, ele nunca cumpriria seu objetivo ao viajar ao passado pois, caso tivesse sucesso, ele não teria no futuro porquê ir ao passado criando assim um paradoxo (e alguma dor de cabeça tamém). É uma belíssima ficção.

  33. Post 24:

    Outra forma de evitar esse paradoxo é afirmar que os viajantes na verdade passaram para uma dimensão paralela, e dessa forma eles nada mais fizeram do que ESCOLHER (?????) um Universo alternativo, e tenham se tornado seres multi dimensionais. Mas isso também implica em que para as pessoas que não sejam esses viajantes, as mudanças simplesmente não ocorrem, ou seja, se você viaja no tempo e impede a tragédia, e volta para o seu tempo SEM perder a memória, você teria na verdade entrado em um Universo Alternativo, para o qual aquela tragédia de fato jamais ocorreu, mas o Universo Original permanece inalterado.

    Imaginemos que SPOCK PRIME queira voltar para o Universo de onde veio, porém, a própria CASUALIDADE (conveniência de roteiro) que o levou para uns 100 anos ao (a um) passado, no qual Kirk e Spock provavelmente não seriam amigos e Kirk nem viria a ser o Capitão da Enterprise, em tese o impede(ria) de voltar para o seu FUTURO DE ORIGEM.

    Dessa forma, caso ainda volte para aquele futuro (o que é improvável) ou para um que lhe seja semelhante, seja através de alguém que venha de lá para resgatá-lo ou por algum meio dessa NOVA realidade proposta pelo filme (que é sim NOVA, ou então, pensem bem, nós mesmo teríamos visto SPOCK PRIME ainda jovem encontrando-se consigo mesmo, mais velho, antes desse filme), ele saberá de vários eventos aos quais presenciou enquanto esteve no passado, mas NÃO os que se desenrolaram após seu retorno ao futuro.

    Temos agora os seguintes problemas:

    1 – no próximo filme teríamos que ter o SPOCK Prime como parte, ou testemunha, dos NOVOS eventos que se seguirão, mas de nada adianta seus conhecidos sobre o futuro, já que NADA será idêntico ao que era após sua viagem ao (a um) passado.

    2 – na hipótese de que alguns dos fatos a se desenrolarem virem a serem bastante parecidos, SPOCK Prime pode alertar a Frota Estelar sobre como evitar vários problemas que ele presenciou ou sobre os quais leu, ouviu falar, etc. Porém, pode alterar ainda mais o futuro das pessoas NÃO viajantes do tempo.

    3 – Como SPOCK Prime decidiu “forçar a história” no que tange a formação de melhor tripulação da Frota Estelar no tempo de (Pike) Kirk, ele pode ter criado uma versão de história na qual Klingons e Romulanos, pro exemplo, serão ainda mais perigosos para a Federação ou o exato oposto, “presas mais vulneráveis”.

    4 – SPOCK Prime some da história (Leonard Nimoy pode morrer antes de iniciarem as filmagens) e ser apenas mencionado no próximo filme.

    5 – SPOCK Prime daria seu lugar a mais um “viajante do futuro”, como Jim Kirk vindo do Nexus (Deus nos livre e guarde!) ou outro alguém, como Picard, Geordi La Forge, Worf ou Data. Sendo este o menos problemático, já que, como máquina, não terá descentendes e guarda em detalhes todos os dados históricos. Mas aí teremos uma ‘Enciclopédia Universal’ de como o universo funcionou e funcionará até o dia em que ele viajou no tempo.

    Ou seja, mais problemas temporais a caminho…

    STAR TREK 2.1 ??????

  34. Acho que os criadores conseguiram o que nós na verdade mais desejavamos.
    Star Trek nunca morrerá….
    Não importa se Spoock Prime vai voltar para o futuro pois ele está preso a tecnologia do passado e ele já esta bem velho para um vulcano e pode sofrer os efeitos da velhice vulcana.
    A amizade do novo Kirk e o novo Spoock esta fragilizada e isso pode sim gerar outras novas estorias onde McCoy será a peça chave.
    Acho que essa nova realidade criada terá que seguir os eventos futuros semelhantes aos da saga com os encontros do nomade e da maquia Cone que quase devorou a Enterprise
    Quanto a Vulcano, os planetas do sitema de Vulcano terão que se rearranjarem e quem sabe aquele planeta gelado do filme (ou lua não sei) se trasformará e criará um novo planeta quente como o de Vulcano.
    Sertamente meu filho de 4,5 anos quando chegar na sua adolecencia estará vendo a Nova-Nova Geração de Star Trek….

  35. Sei que não faz parte do topico aqui,mas alguem sabe dizer quanto Star Trek arrecadou até agora em media no Brasil?
    Abraços!

  36. A única explicação plausível é que se vc volta no tempo, vc não pode alterar de forma nenhuma o passado. Não pode alterar nenhum alfinete, não pode nem ser visto, não pode ser escutado, nem deixar pegadas. Então seria uma espécie de fantasma observador conciente. E no final da viagem, voltaria ao seu tempo (na mesma linha temporal, no exato miésimo de segundo que havia partido) com todas as lembraças e informações, mas sem ter alterado absolutamente nada. Isso poderia até alterar o presente e o futuro, mas nunca o passado. Qualquer outra explicação entraríamos em infindáveis discuções sobre paradoxos, universos paralelos e contradições.

    Life Long and Prosper \\//_

  37. Post 33.

    No site http://www.epipoca.com.br a bilheteria brasileira é atualizada toda terça-feira.
    Até agora no Brasil arrecadou R$ 2.814.747,00 para um público de 289.356 pessoas. Embora seja a maior bilheteria brasileira pelo menos desde Jornada VI para o porte do filme é muito pouco.
    Como comentei antes o desgaste da marca, a fama de “celebral demais” entre os brasileiros e principalmente a falta de divulgação contribuiram para um resultado abaixo das espectativas. Com metade da divulgação que teve Wolverine tenho certeza que o filme ultrapassaria 1 milhão de espectadores, melhor sorte para o próximo.

  38. Post 37

    Não é só isso. Se eu fosse um executivo da Paramount, certamente, antes de gastar um centavo em divulgação, visitaria os sites de fãs, como o Trekbrasilis, e leria os comentário sobre a espectativa e as primeiras impressões do novo filme. Se eu encontrasse uma boa expectativa, certamente investiria bastante em propaganda, por outro lado, se eu encontrasse os principais fãs, aqueles que acabam influenciados os outros, que são os formadores de opnião, metendo o pau no filme, achando defeito em tudo, fazendo comparações e reclamando sem parar, certamente não perderia meu tempo nem meu dinheiro, divulgando o filme em um mercado minúsculo, e que vai continuar minúsculo por causa de meia dúzia de xiitas que não percebem o tiro no pé que estão dando.
    Pq vc acha que não passa mais nenhuma série nos canais por assinatura (excessão as temporadas 1,2 e 3 de TNG no Sci-Fi Channel e repetidas a exaustão)? Vc acha que um canal vai gastar dinheiro comprando a série para um bando de chatos que só sabem reclamar? Que criticam tudo desde VOY até ENT? Desde o ano 3 de TOS até os anos 1, 2, 3 e 7 de TNG? Que o único filme que presta é o ST-II? A TV e os cinemas dão aquilo que o público quer e gosta. Se os fãs, que são as pessoas que, teoricamente, são as que mais gostam de ST, não estão satisfeitos, pra que investir? Pra que divulgar? Pra que deixar em cartaz? Assisti o filme na terça, dia 12, numa sala com mais umas 15 pessoas e o filme em mais 03 salas grandes. Nessa semana fui no mesmo cinema e o filme só estava em cartaz numa sala pequena. E isso no UCI de SP, onde a decoração da praça do cinema é com fotos da TOS, com toda a tripulação original e a Enterprise num painel gigantesco (o que alias foi ótimo pra mostrar à minha namorada como eles eram).

    Life Long and Prosper \\//_

  39. Sobre o post anterior: Concordo, apesar de ressaltar que nao cheguei a notar muita divulgação de Wolverine. E quanto ao artigo, acho que que um dos melhores efeitos deste filme é gerar textos deliciosos como esse… Parabéns pela análize. Adorei.

  40. POST 37 E 38
    A verdade dói.

  41. Post 39, Hugh Jackman esteve por aqui batendo bola com o Ronaldo.

  42. [b]exemplos mais desastrosos são os de Jornada nas Estrelas, principalmente em STAR TREK VIII, onde no passado um evento principal é alterado mudando o presente, nos caso os Borgs eliminando o evento que resultaria em boa parte do avanço tecnológico humano, e então através de uma viagem os protagonistas repõem o evento principal no lugar.

    Entretanto fazem inúmeras outras alterações nada insignificantes, mas que em nada afetam os acontecimentos futuros, e fica sempre a pergunta: Por que os Borgs não tentam de novo? E de novo e de novo? E se viajassem para impedir que os heróis impeçam a mudança no passado? Por que não uma outra viagem para impedir a raiz de todos os problemas? Quando isso pararia?

    E o pior! Se os Borgs conseguissem impedir o tal evento, a Terra nunca teria desenvolvido tecnologias de viagens espacias, e sendo assim nunca teria se integrado a federação e muito menos conhecido os Borgs, que também não teriam o menor interesse numa tecnologia pouco avançada, e portanto não teriam vindo à Terra.

    Esse resultados são ilógicos, e podemos esclarecer isso formalizando e simplificando a questão:

    1) Os Borgs vieram à Terra para assimilar sua Tecnologia Avançada.
    2) Para eliminar a forte resistência dos terrestres, que se baseia em tecnologia avançada, os Borgs viajaram no tempo e prejudicaram o desenvolvimento da Tecnologia Terrestre.
    3) Sem tecnologia avançada, os terrestres não puderam resistir aos Borgs.

    E aqui fica clara a contradição, o item 3 entra em conflito com o item 1, se os terrestres perderam sua tecnologia avançada devido a viagem no tempo dos borgs, para que então os Borgs teriam vindo à Terra?

    Em síntese: Se você viajasse para o passado para impedir uma tragédia e o conseguisse, a tragédia, que é motivo de sua viagem, deixaria de existir, sendo assim sua viagem também.
    [/b]

    Juro que até esse momento não tinha pensando direito nesse filme mas realmente esses atos deveriam ter causado algumas mudanças no futuro de todos desde a entreprise do capitao archer até em diante!!! Mas não foi o que aconteceu, foi uma falha grave!!!!

  43. Ok, Moedas (money) são importantes sim! para se fazer qualquer coisa no mundo atual, concordo plenamente.
    Mas eu discordo no fato de reclamar! Se a gente reclama a gente vira chato? e ninguém investe no tema??? (franquia ou seja lá qual for o foco do negócio…) Se fosse assim o futebol tava acabado no mundo…!?! Comentaristas estariam sem trabalho…

    O público daqui (ST) tem um perfil bom e esclarecido, a maneira de Hollywood faz suas leis e expressa sua realidade (mesmo em ficção) é diferente, varia de diretor para diretor, e as vezes subestima a inteligência do público, é divertido mas abre espaço para críticas! Não acho que se deve esquecer o objetivo comercial do produto (o filme e tudo mais que vem dele) mas objetivar apenas isso “dinheiro” vai deixar a coisa exposta a muita bullshit da moda e vai atrair pessoas que não entende do assunto e fazem isso porque dá dinheiro…

    Tirando o lado Stephen Hawking da questão, e não pensando na física de paradoxos temporais, que diga-se, já existem muitas teorias, para entender cada paradoxo de cada novo filme sem ter tomado umas 5 latinhas fica difícil, isso porque eles focam apenas nos eventos de continuidade do filme em questão, rasgando tudo mais postulado da física. É divertido? Eu acho que é sim, porém é perturbador para quem tem uma noção de paradoxo-temporal, física, segundo-grau e gosta de SC-FI.

    Isso me recorda o filme Drácula (aquele do Bran Stoker que também aparece a Winona Ryder) em 30 min do filme, aparece o Conde Drácula andando nas ruas de Londres em pleno DIA!?!? Vampiro andando na luz do dia??? Só esse roteirista fez isso, mas ele quis fazer assim é fez… Não somou nada ao filme, mas mudou uma lei elementar da lenda do ocultismo do vampiro. Mudar as coisas assim, fica meio leviano porque em Hollywood vale tudo, porém, isso não pode passar sem crítica ou comentários, e isso é bom e ajuda refinar a qualidade dos roteiros, e tirar a cisma do: – Será que só eu achei isso estranho? Vai ser assim daqui pra frente???

    Eu havia dito antes sobre destruir Vulcano (que lástima) e conversando com um camarada (Daniel) ele disse algo que pra mim foi marcante;
    – Os Vulcanos agora são os Judeus de ST! Holocausto de Vulcano!!! Isso dá no que pensar…

    Destruir planetas assim sem pensar e num piscar de olhos ta parecendo coisa da estrela da morte… Ops! Sorry…

    Lembra de Star Trek 6? O roteirista NÂO explodiu Kronos! Ele foi mais conservador e explodiu a lua Qo´noS, afinal dizimar o planeta ia deixar muitos furos para o futuro da franquia.

    Eu me preocupo por destruírem os planetas vitais do universo que o velho Roddenberry criou, assim fácil-fácil com uma gota de matéria-vermelha…??? De onde foi que apareceu isso??? Matéria Vermelha??? Ah! Lembrei, é o sangue do Drácula! -Lançar Garlic-Torpedo´s!

    Ok, não se preocupem no final (do próximo filme) e mais 5 latinhas de Skoll, Vulcano vai aparecer assim como do nada, do mesmo jeito que sumiu, haja coração…. Como disse o Nimoy, – Boa Sorte! (só viver muito e prosperar não é mais suficiente!…)

  44. Ralph Pinheiro | 20 de maio de 2009 at 2:18 pm |

    A fraca propaganda por aqui foi um dos fatores principais para a baixa bilheteria de Star Trek no Brasil, acrescido a isso o conhecimento do povo sobre Jornada como série de nerds ou só para fãs, a falta de interesse por temas de ficção científica, um elenco desconhecido, sem celebridades e a proximidade com Wolverine.
    Talvez, o segundo filme resulte numa bilheteria melhor, isso se o marketing melhor muito.

  45. De qualquer forma o público total no Brasil passara de 300 mil, se descotarmos os fãs que assistiram mais de uma vez (eu assisti 3 até agora) e sendo otimista esse número cai em 10 mil pessoas.
    Então, mesmo sem propaganda, mais de 200 mil pessoas assistirão Star Trek no cinema.
    Dessas quantas estão interessadas nas opiniões do fãs?
    Gente, nós adoramos dar nossas opiniões aqui, em outros sites e em eventos para fãs, mas a verdade é que somos uma tribo muito pequena para termos algum reflexo significante na bilheteria de um filme, diferente dos fãs americanos que, acredito, garantem pelo menos 80 milhões de dólares para um bom filme de Jornada.
    O que faltou no lançamento de Star Trek, após o desgaste da marca nos últimos anos, foi uma campanha mostrando como o filme é legal para o público em geral.
    Assisti a trailers de Wolverine desde o começo deste ano, há 3 meses já existiam cartazes, banneres e displays nos cinemas, um mês antes da estréia já passavam comerciais na tv (especialmente por assinatura).
    Tudo bem que X-Men é uma marca mais conhecida e Jornada tem fama de cerebral e de ser para um público restrito de aficcionados, mas nos EUA o foco principal da divulgação do filme foi dizer que ele era para todos os públicos (todo mundo lembra das polêmicas por aqui). Qual foi o foco da “campanha” de divulgação por aqui?

  46. ^35, ^37 e ^38: Sabe, é por isso que não gostamos de OFF-TOPIC dentro dos artigos. Sempre tem um engraçadinho que se sobe na caixa de madeira para alardear sua posição xiita e unilateral sobre o assunto.

    Já repararam que a Paramount está pouco interessado na América Latina? Vide DVD´s e outros produtos. Isso não vem do dia 08 de Maio. Vem de bem antes. É contabilidade básica: Cucarachas não dão dinheiro, logo propaganda proporcional.

    Agora, FIQUEM DENTRO DO TÓPICO do ARTIGO ou abram um tópico para discutir este off-topic no FTB.

  47. Post 45.

    Na minha opinião a culpa única e exclusiva da baixa bilheteria no Brasil foi a quase inexistente propaganda, ou seja, culpa da Paramount Brasil.

    Não concordo que algumas críticas negativas dos fãs tenham contribuido. Sendo assim como explicar a ótima bilheteria no Brasil de Wolverine, que vazou um mês antes na Internet e teve péssimas críticas tanto na mídia quanto dos fãs?

    O grosso da bilheteria não é dos fãs e sim do público em geral. E para saber que o filme existe este público precisa de quê? PROPAGANDA.

    Tanto que até onde eu sei nos EUA Star Trek está ganhando de Wolverine. Ainda bém que o que vale para uma continuação é principalmente a bilheteria de lá…

    Que explicação o pessoal da Paramout Brasil daria se viesse um questionamento da matriz sobre a fraca bilheteria do filme no Brasil em relação a Wolverine? Seria interessante saber.

    Na Veja desta semana tem uma propaganda de página inteira de Uma Noite no Museu 2. Por que será? Ah, sim, o filme é da FOX. O mesmo estúdio de Wolverine.

  48. Pra mim só faz sentido se existir Alteração Nível 1 ou Alteração Nível 2. As duas juntas não rola! (Digo no todo e não em um episódio apenas).

    Pra falar a verdade nem a nível 1… O que aconteceu, aconteceu e isso nunca poderá ser mudado. Pode-se criar realidades alternativas sim (Nível 2). Já a nível 1 pra mim é uma grande bobeira! Odeio episódios assim. Não dá pra engolir.

  49. Ao ler a resenha de ALL OURS YESTERDAY não concordo que seja alteração de nível 1. Sabe-se lá se o primeiro criador do Atavachron não conseguiu salvar somente a si mesmo, fazendo com que o conhecimento fosse propagado mais cedo e desenvolvido de forma que pudesse abranger todo o planeta, talvez em mais de uma mudança de realidade.

  50. Continuando…
    ou entrando em diversos universos em que, um deles, era o nosso.

  51. KKKKK, depois de todos estes posts vamos ter que ter uma “Crise nas Infinitas Terras, ou no caso Universos” para entender todas estas alterações nas linhas de tempo….

  52. A gente tem uma nova ST mas só conseguimos falar das mesmas coisas: Tecnobaboseira.
    Na verdade esse filme é tão cheio de Tecnobaboseira como nenhum outro, além de buracos dimensionais, realidades alternativas temos Matéria-Vermelha, uma nave com motores a energia mas com uma engenharia cervejeira, uma Narada Borg comandada por imbecis e principalmente um bando de polêmicas pré-lançamento do filme e depois um filme sem nenhum comprometimento com as mesmas.
    Sabem, acho que artigos desse filme não serão muito frequêntes por aqui, não tem muito assunto, o que era importante sobre ele já discutimos antes da estréia. E tá igual em outros sites também, principalmente os internacionais.

  53. hollander, é meu último off topic, desculpe.

    Não dá pra comparar o interesse do brasileiro por Jornada com o americano, é covardia.

    1 – Os EUA já são uma nação que pisou na Lua, volta e meia tem uma nave chacoalhando a casa deles, tem um presidente que é fã de ST e pediu pra assistir ao filme (aqui Lula gosta de ver dupla sertaneja!) e pra finalizar, ciência nos EUA (me parece) é algo incentivado e faz parte da cultura do povo, haja vista a paixão do americano por FC.

    2 – Tem uma outra coisa que talvez tenha alguma participação, o público brasileiro de um modo geral, não tem mais contato com Jornada há anos, qual foi a última vez que foi exibido uma série de ST na tv aberta? (tem muito nerd ai pela rede que nunca viu um filme de Jornada, imperdoável!) e não somente ST, o público brasileiro está sendo afastado da séries de tv americana, até em tv a cabo a coisa está ficando feia.

    3 – e também não dá pra levar o público brasileiro muito a sério, Wolverine faz tanto sucesso quanto Se eu fosse você 2.

    4 – A Paramount escondeu ST do público, taí uma coisa dificil de entender.

  54. Quem sabe num universo paralelo, o Brasil seja lotado de aficcionados por ficção científica? Acredito que nesse universo, o ITA esteja a um passo da descoberta do motor de dobra, miséria é coisa do século 19 pra trás e dupla sertaneja, bem… o que é uma dupla sertaneja?!? Ah, os brasileiros de lá tem ouvidos apurados, não pinicos!

  55. Post 42:

    Realmente esse filme foi sofrivel de engolir só mesmo deixando tudo de lado pq na verdade se os borgs quisessem mesmo assimilar a terra mandavam uns 20 cubos lá e resolvia tudo começava a transportar borgs a rodo para dentro de cada nave da federação assimilariam todas as tripulações e nem precisariam destruir as naves e muito menos APELAR PARA VIAGEM NO TEMPO. Invedair a terra com 1 UNICO cubo é de desanimar qualquer um, até onde eu me lembro só a voyager encarou mais de 1 cubo ao mesmo tempo… e sobreviveu… (esses roteiros me matam)

    Já esse filme vai dar muito pano para a manga ainda e muitas especulaçoes sobre a viagem no tempo de nero se teve alteração nivell 1 ou 2 e muito mais

    PARA O POST 53:

    Não se esqueça que o presidente viu o filme 2 filhos de francisco dentro de um aviao por um DVD PIRATA pois os sertanejos na época não tinham dado uma copia para o presidente e o filme ainda estava no cinema, coisas de brasil

  56. O pessoal tá viajando muito… independente de ter ou não viagem no tempo, os físicos acreditam em infinitos universos paralelos! Por exemplo, eu sempre viro a direita, num trajeto que eu faço no fim do dia, e num belo dia, estou pensando em paradoxos e resolvo virar para a esquerda e BUM, morro atropelado, mas em um universo paralelo eu virei para a direita e tive um filho que de forma indireta vai mudar a história do Brasil e por consequência do mundo! Então o lance é isso… OU VOCÊ ACREDITA EM INFINITOS UNIVERSOS PARALELOS OU TEM QUE ACREDITAR QUE EXISTA DESTINO E QUE ESTÁ TUDO JÁ PRE-DETERMINADO POR… SEI LÁ…. DEUS! Agora essa viagem do povo falar de perda de memória… arf! Se eu volto para o passado ou vou para o futuro ou viro para a esquerda eu já tô criando uma nova linha temporal ou um novo universo paralelo… é no que a maioria dos físicos acreditam e é o que eu acho mais plausível!

  57. Na linha de realidades paralelas tem também o epsisódio “Paralels” da Nova Geração onde o Worf está numa nava auxiliar voltando de Klingon e passa por uma anomalia temporal. Depois disso ele “shifta” entre realidades possíveis na sua vida motivadas por decisões que ele tomou ou deixou de tomar na vida.
    Muito interessante!

  58. Hiram, não necesariamente um unico universo implica destino…eu posso estar mudando o meu futuro a cada instante, dependendo das minhas decisões ( no qual eu acredito), e estar vivendo a unica linha temporal que existe…de fato isso parece o mais plausível. Não necesseriamente aquele destino que deixamos de viver deve virar uma nova linha temporal.

  59. Sugiro guardarmos esses comentários em uma cápsula do tempo, talvez daqui a 300 anos (se ainda existir humanidade) ao abrirem a cápsula descubra-se quem tinha razão.
    Mas o fato histórico incontestável é que no distante ano de 2009 a bilheteria brasileira do filme Star Trek foi abaixo do esperado, pelo menos em nossa linha temporal.

  60. Continuando o raciocinio, se infinitos (o pelo menos muitos) universos possíveis tivessen necessariamente de coexistir, nada impede um universo alternativo no qual alemanha tivesse ganho a segunda guerra mundial….e ai? Já pensaram nesse povo dominando o mundo, estabelecendo um imperio (tercer reich), que dure 1000 anos? De fato, foram ideias como essa que afastaram a maioria dos cientistas dessa “crença”, ao contrario do que o colega hiram afirma. Isso, pelo menos, foi o que eu li há muitos anos no livro de Paul Davies, “the accidental universe”.

  61. Post 53 e outros: Minha familia e eu vemos JE há mais de 20 anos e gostamos de música sertaneja (e do tema de “In a Mirror, darkly” também).
    Isso é um problema?
    Aliás Kirk é tratado (preconceituosamente) por “colegas” como caipira no filme.
    Quando vocês forem presidente, peçam nota fiscal de qualquer CD (MP3 então…) que queiram lhes reproduzir, afinal você podem ser taxados de “piratas”, e devem que, mesmo presidentes de um país, saber se o DVD já saiu oficialmente, etc,etc.

    Quanto ao filme e à nossa querida franquia, apenas gostaria de me convencer que, quando Nero entrou no buraco negro, tudo o que já vimos na franquia após “Enterprise” não deixará de existir.
    Que realmente o que ocorre depois deste fato se passa em um universo paralelo.
    Forte abraço para todos

  62. Achei o filme ótimo, mas a questão do paradoxo temporal é fundamental para a sobrevivência da franquia. Basta se perguntar duas coisas: morreu mesmo o pai do Kirk e como poderiam 2 Spocks conversarem ???

    Respondendo às perguntas: 1- o pai do Kirk só morreu na linha de tempo alternativa criada pelo novo filme; na linha de tempo original ele viveu para se orgulhar da entrada do filho na Frota e, inclusive, para ter outro filho. que o próprio Kirk não consegue salvar em um epísódio do primeiro ano da série original (somente consegue salvar o sobrinho); 2- somente é possível o encontro dos 2 Spocks porque a linha de tempo é alternativa e envolve um paradoxo temporal que precisa ser resolvido (sob pena de destruir ambas as linhas e, mais importante, a lógica de toda a franquia que sempre se preocupou em resolver os paradoxos temporais em todas as muitas viagens no tempo que ocorrem).

    Resumo novamente a questão do paradoxo temporal: se Kirk e o novo Spock sabem o que acontece com Romulus no futuro, então eles podem evitar a destruição do planeta com maior antecedência, mas se isso acontecer Nero não retorna no tempo e a linha de tempo alternativa a que os dois pertencem passa a não existir, prevalecendo a linha de tempo original, com o pai de Kirk vivo, o Capitão Pike comandando as primeiras missões da Enterprise e o atraso do velho Spock em salvar Romulus, mas isso tb traz de volta a linha de tempo alternativa criada por JJ Abrans.

    A coisa fica mais complicada quando pensamos na relação da Federação com Romulus. Na linha de tempo original essa relação já não era boa, mas mesmo assim haviam embaixadores, tanto que Spock é responsabilizado por Nero porque, sendo embaixador em Romulus, comprometeu-se a tentar salvar o planeta e não conseguiu. Mas na linha de tempo alternativa o relacionamento seria muito pior e, com certeza, Spock nunca seria o embaixador em Romulus, consequentemente não se comprometeria em salvar o planeta e Nero não teria contra quem direcionar sua ira pelo destino, o que desmotivaria seu retorno no tempo e, com isso, não existiria essa mesma linha de tempo alternativa.

    Como resolver o paradoxo temporal ?? Só vejo uma saída: seria o velho Spock voltar no tempo mais uma vez (e provavelmente os personagens da linha alternativa estariam envolvidos em tal processo), antes da chegada de Nero e da destruição da nave do pai de Kirk, impedindo que tal evento ocorra (pois esse foi o evento que iniciou a nova linha do tempo).

    Creio que a preparação desse caminho é que vai levar o segundo filme e o terceiro será a retomada da linha de tempo original, mas isso depende do que os produtores querem fazer com a franquia, ou seja: se o objetivo for mais dois filmes no cinema tudo se encaixa, se o objetivo for uma nova série na TV, então eles precisam da manutenção da linha alternativa para poder ter mais liberdade de criação, mas em algum momento terão de resolver o paradoxo.

    Alguem sabe o que vai acontecer ??

  63. eu assisti ao flme, e com respeito aos que gostaram, digo que não gostei do filme. Parecia mais um videogame, muito sangue e explosão e úma história baseada numa premissa há muito exaurida – viagem no tempo. É notório o fato de que os roteiristas fizeram o que bem entenderam só para arrumar mais grana, nem que para isso tivessem que deletar TODAS as séries e filmes do cinema. Muito simples, até de dar dó: uma viagem no tempo, Vulcano é destruído, personagens modificados… parecia uma ficção científica de quinta categoria, chega a ofender boas histórias como ST IV, ST I (sim o do V´ger é o melhor na minha opinião), a cidade na esquina da eternidade e outros. Os roteiristas entraram no mesmo caminho dos escritores de HQ: tema superbatido, falta de originalidade (crise Pós Moderna?) e historias repetitivas, mas só com novas roupagens. Não está a altura dos fãs. Aliás, esse pessoal de Hollywood definitivamente detestam os fãs de ST: num filme Spock morre, noutros a Enterpriese é destruída N vezes, filho de Kirk e o próprio morrem, agora Vulcano foi pras cucuias… enfim, está na hora de um fã sério dirigir um filme. Do contrário, assistiremos a muitos desastres temporais nas mãos de diretores e Cia que só pensam no lucro já. ah, sim, quanto ao fraco desempenho de ST no BRasil: falta de cultura do povo (por isso tanta violencia) e uma desastrosa campanha de marketing; o anúncio na TV só durava uns 5 segundos,ou 3. Chega de tantos Universos ruins, não?

Leave a comment

Your email address will not be published.


*