Shatner e a Jornada que mudou sua vida

williamshatner.jpgO veterano ator William Shatner (Kirk) ainda fazendo o tradicional marketing do seu novo livro de memórias, Up Until Now, concedeu algumas entrevistas onde voltou a falar, entre outras coisas, sobre Jornada nas Estrelas. Comentou a respeito de sua entrada na franquia, a morte do seu personagem James Kirk, a experiência de dirigir o quinto filme, além do desapontamento por não estar na produção de J. J. Abrams.

Ao site The Daily Telegraph Shatner disse que foi um ato de sorte passar de um simples substituto de Jeffrey Hunter (ator do primeiro piloto The Cage) para uma celebridade da franquia, “Isso foi tudo pura sorte. Eu olho para trás e vejo como o milagre que mudou minha vida”.

Para o ator, ser reconhecido por fazer o papel de Kirk teve seu aborrecimentos e suas compensações, “Pessoas que estavam dirigindo e jovens indo para a escola gritavam para mim, mas alguém sempre vinha com uma piada do tipo: Me leve para cima Scott! Eu mostrava o dedo para ela e a afugentava dali”, disse o ator continuando, “Uma vez tive de fazer uma cena de manhã muito cedo e estava saindo de casa vestido com o uniforme de Kirk. Um policial me parou na rua e perguntou para onde eu estava indo com pressa, eu repliquei: Estou indo para a minha espaçonave. O policial me deixou ir sem antes dizer o tradicional, Vida Longa e Próspera“.

Sobre a morte de seu personagem no filme Jornada nas Estrelas: Generations, Shatner deu sua opinião, “Foi realmente uma sensação estranha, como se eu desfizesse de meu mais valioso bem. Isso não foi nada filmar a cena da morte de Kirk”.

kirk-morto.jpgContinuando ainda a comentar sobre o fim de seu personagem disse o ator, “No script original, Kirk morreu quando foi atingido pelas costas, mas a audiência de teste (pessoas convidadas para assistirem um filme e opinarem) detestou, então eu terminei sendo esmagado para morrer segundos antes de ter salvo a galáxia”, disse Shatner acrescentando, “Uma das minhas mais duradouras falas na série foi: Capitão na ponte! Eu fiz uma pequena improvisação na cena, mas como tudo desmoronou sobre mim, eu gritei: Ponte sobre o capitão! Infelizmente eles cortaram”, brincou.

Filmar a última cena de seu personagem fez Shatner pensar em sua própria mortalidade, “Eu fiquei sem dormir uma noite antes pensando nisso”, admitiu, “E pensei nisso muito recentemente. Reconheço que estou ficando mais velho. Há um tempo atrás um cavalo caiu sobre mim e necessitei recolocar o joelho. Eu poderia facilmente ter morrido. Depois, eu percebi que nesta fração de segundo, somente instantes da morte, não há nenhuma grande realização, nenhum momento de claridade”, disse o ator nos seus 77 anos.

star-trek-v.jpgA respeito de sua experiência na direção do filme Jornada nas Estrelas V: A Fronteira Final, comentou, “O extraordinário desapontamento foi que antes dos efeitos especiais entrarem, eu perguntei ao produtor se as filmagens foram tão boas quanto eu imaginava. Eu achei que sim e os cabeças do estúdio estavam dizendo que foi um bom trabalho. O problema desse filme foi ter muitos compromissos. O compromisso original era: Vamos fazer um alien que acha ser Deus. Logo eu percebi que tinha comprometido todo o filme.

Quanto ao novo filme de J. J. Abrams, o ator fez alguns comentários, “Estou desapontado por não estar no filme”, disse Shatner, “Será interessante ver se o novo filme terá sucesso ou não. Se alguém pode fazer Jornada voltar a vida, esse alguém é Abrams. Mas a pergunta é: Ela ainda está viva ou o tempo para todos nós já passou?”, indagou.

Sobre o seu encontro com a nova encarnação de Kirk, o ator Chris Pine, Shatner falou breve, “Eu me encontrei com ele e disse apenas olá”, comentou ao site MTV.

Fonte: TrekWeb e TrekMovie

15 Comments on "Shatner e a Jornada que mudou sua vida"

  1. Este cara é perfeito e humilde… 😉

  2. Mário Augusto Gomes | 1 de junho de 2008 at 5:10 pm |

    Essa é velha, mas é pertinente. Obrigado Shatner, essas pessoas como vc fizeram o Star Trek que amamos!
    Por que Kirk é Melhor que Picard
    Revista Diário de Bordo
    01. Diplomacia para Kirk é um phaser e um sorriso. Kirk diz:”primeira diretriz?
    Que primeira diretriz?”
    02. Kirk gosta de pizza.
    03. O Oficial de ciência de Kirk pode ser engraçado e continuar sendo digno.
    O Oficial de ciência de Picard só fica engraçado parecendo um idiota completo.
    04. Kirk pode bater num Klingon com as mãos nuas.
    05. Kirk traçaria Beverly – e danem-se as conseqüências!
    06. Kirk nunca bebe chá.
    07. Kirk lançaria Wesley pessoalmente fora da ponte.
    08. Kirk, quase sozinho, repovoou a população de baleias da Terra.
    09. Kirk sabe palavrões do século XX.
    10. Kirk nunca foi transformado em Borg e usado contra a Federação.
    11. Kirk usa tecnologia de baixo desempenho. Ele nunca disperdiçaria o Holodeck
    em algo como Dixon Hill.
    12. Kirk nunca se levanta para endireitar a camisa.
    13. Kirk pode bater um Vulcano no xadrez.
    14. Quando Kirk tinha a idade de picard, ele se aposentou como Almirante.
    15. Se Kirk conhecesse um Ferengi ele arrancaria sua cabeça.
    16. Kirk acreditava em:”Atire primeiro e espere por vingança”.
    17. O Primeiro Oficial de Kirk nunca lhe ORDENA que fique na ponte.
    18. Kirk nunca deixa a ponte para gritar com alguém.
    19. Kirk nunca pede conselho a uma barwoman.
    20. Kirk não é politicamente correto.
    21. Kirk nunca usou batas verdes e brincou na floresta de Sherwood.
    22. Tudo que Kirk conhece do vocabulário Klingon ele usa e pode ser basicamente
    traduzido como:”Fo##-se!”
    23. Picard nunca gerou uma criança. Kirk, provavelmente, gerou milhares.
    24. Se algo é dito em inglês na nave de Kirk, é um brinde.
    25. Kirk tem um phaser que parece uma arma e não um barbeador elétrico.
    26. Kirk montou um canhão com bambu, enxofre, nitrato de potássio, carvão e então
    disparou diamantes nos corações de seus inimigos.
    27. Kirk lutou uma vez com um Deus Grego, e ganhou.
    28. O nome de Kirk é temido por toda galaxia. O de Picard é no máximo respeitado.
    29. Kirk nunca teve um engenheiro com óculos feitos de filtros de ar.
    30. Os Klingons não tinham uma palavra para rendição – até que se encontraram
    com Kirk.
    31. A ponte de Kirk não é bege.
    32. Kirk é um ícone cultural. Picard é um pouco mais que um sujeito agradável.
    33. Kirk nunca apreciaria Synthehol.
    34. Kirk conseguia facilmente se passar por gangster, nazista e até mesmo um apache.
    35. Quando Kirk diz:”Audaciosamente indo…” Você acredita.
    36. Duas palavras: Tesoura voadora.
    37. Kirk jamais deixaria seu Chefe de Segurança usar rabo-de-cavalo.
    38. O Oficial de ciência de Kirk tem um cérebro destacado, o de Picard tem um
    cérebro destacável.
    39. Kirk tem um coração genuíno. Picard tem um coração artificial.
    40. Lembre-se disto: Picard pediu ajuda para Kirk.
    41. Kirk nunca ficou embaixo de uma escrivaninha e gritou: “Computador!
    Encerre o programa!”
    42. Kirk nunca apareceu com um robe de chambre.
    43. Kirk mantém uma coleção de armas na parede. Picard tem uma de brinquedos.
    44. Picard nunca teria uma divisão de personalidade. Antes ele precissaria de uma.
    45. Kirk Age! Picard conversa… e conversa… e conversa…
    46. O Comando de uma Astronave é o trabalho de Picard e a vida de Kirk.
    47. Kirk nunca teria um adolescente em sua tripulação.
    48. Kirk é bom e pronto.

  3. Odeio burocracia e o universo de Jornada a partir da nova geração ficou muito burocrático, com menos ação e mais conversação! Tinha episódios de puro tédio, com conversas no bar que duravam quase todo o episódio e em TOS, realmente, havia mais ação. Imaginem se na década de sessenta já houvesse os recursos da computação gráfica, então! Será que pensariam em fazer uma nova geração?

  4. o trek brasilis postou um artigo interessante sobre o filme de shatner, jornada nas estrelas 5 a ultima fronteira no link abaixo.

    http://www.trekbrasilis.org/classico/tos/especiais/leao9.htm

    nao é a minha opiniao pessoal, ja que acho o filme fraco, mas é uma boa leitura.

  5. E TOS só teve 3 temporadas, imagina se tivesse 7.

    Comparar Kirk com os outros Capitães, não é nem covardia, ja é desumanidade mesmo.

  6. Maria da Conceição G. Simões | 1 de junho de 2008 at 10:29 pm |

    Concordo em número, gênero e grau com o Mário Augusto, Kirk é o melhor de todos os capitães, os outros tentam ser sua sombra, mas não chegam aos seus pés. O Picard é “certinho”, o Sisko está sempre dividido, a Janeway não sabe se fica com o imediato ou com a Borg. O Shatner é que é chato !!!(eta trocadilho). Mas, talvez, outro ator não caracterizasse tão bem o Kirk como ele. Talvez, o Shatner gostaria de ser o Kirk de Hollywood, e na verdade ele é apenas o que representava o Kirk. Mas ele não marcou bobeira, não está no filme, mas fez algo paralelo para ficar na evidência. Palmas para ele, por isso.

  7. O Shatner encontrou com o Chris Pine e disse simplesmente: “Olá”.
    Nesse ponto concordo com ele. Pra que sentar e falar do personagem se o garoto é fanático pelo Indiana Jones. É perda de tempo.

  8. Thiago Nóbrega | 2 de junho de 2008 at 9:26 am |

    A dor de cotovelo de Shatner parece não ter fim. Patrick Stwart também experimentou, e declarou, a mesma decepção logo após o fracasso de “Nêmesis”. Afinal, o que acontece com esses capitães que não aceitam o fim de suas eras? Se Shatner pretendia voltar, por que não foi contra a morte de Kirk, talvez a mais absurda e inútil da história do cinema? Se Stewrt desejava vida longa para “A nOva Geração” por que topou fazer um filme sem pé nem cabeça, que contrariava toda lógica e o pior, em claro tom de despedida? Decepções que esses grandes atores carregam e que não há o que fazer, pois eles mesmos abandonaram os projetos ao acharem que “Jornada” alcançara sua exaustão criativa. Mas, de repente, a Paramount decide tira leite de pedra, contrata um dos grandes gênios de Hollywood e o entrega uma missão pouco provável, a da revitalização de Star Trek, abre os cofres e os recursos e agora surge arrependimento? Por que seu Shatner não agiu commo Nimoy, negando-se a participar de uma cena de morte imprestável para franquia, ausentando-se de toda decadência que seguiu-se? Dor de cotovelo tem cura sim, e seria melhor que Shatner e todo o elenco que edificou “Jornada” entende-se uma coisa: a franquia pode sim ser revitalizada, e culpa deles prórpios estarem fora por não terem acreditado nisso!

  9. Apenas uma coisa que sempre me chamou a atenção.

    Já notaram que a cova de pedras de Kirk em Generations é incrivelmente pequena para um adulto?

  10. Flávio Fernandes | 2 de junho de 2008 at 4:33 pm |

    Prezado Mario Augusto Gomes:

    Parabéns!!

    Vou continuar um pouquinho:

    49 – Kirk nunca ficou parado na frente de uma inimigo (perplexo e triste por te-lo matado), enquanto “a vaca ia para o brejo” e deixou para um androide (Sobordinado dele, ainda) além de salva-lo, salvar a lavoura também;
    50 – Kirk nunca pensou em trocar a Enterprise para ser arqueologo. Afinal ele não é Indiana Jones;
    51 – Kirk até foi questionável para os outros, mas, Picard foi sempre dito ser um grande homem mas coisa que não vimos do seu passado do que pelo que vimos;
    52 – Kirk mesmo que mudasse sua adolecência (lembre-se Picard perdeu seu coração. Se não o tivesse perdido não chegaria a Capitão) não deixaria se ser capitão. Alías, pelo que vamos ver, já nessa idade ele já era, não??!!;
    53 – Kirk nunca deixaria passar sem um beijinho aquele monumento de metamorfa que apareceu na frente do Picard, que seria dada de presente para que dois planetas ficasssem em paz! Lembre-se que ele, por causa de lágrimas ou não, traçou uma lider que estava sendo enviada através de sua nave para uma casamento arranjado. Dá para comparar bem, não??

    Bem, Kirk é o melhor mesmo!! Chris Pine, a Bola está contigo – garoto!!

  11. Luiz Jorge Dias | 2 de junho de 2008 at 8:23 pm |

    E continuando…
    54. Kirk não deixaria que Jelicco tomasse o comando da Enterprise e fizesse sua tripulação sofrer pacas com seu excesso de orgulho e empáfia;
    55. Kirk teria mandado Wesley se f*%# no primeiro momento dele na ponte, como um curioso insuportável, indo a Fairpoint;
    56. Kirk não deixaria Q encher tanto o seu saco. Afinal, a galáxia é muito maior e tem mais problemas que os que essa entidade pode apresentar;
    57. Picard seria, no máximo, comandante, caso servisse junto com Kirk;
    58. Kirk gosta que o chamem pelo nome “me chame de Jim”, e não liga muito para formalidades;
    59. Em muitos assuntos, Kirk não está nem aí para a 1ª Diretriz e tudo acaba dando certo no final;
    60. Kirk é Kirk e pronto!

  12. Luís Henrique Campos Braune | 3 de junho de 2008 at 1:25 am |

    Ai meu Deus do céu, ai meu Deus do céu, ai caramba!!!

    QuáQuáQuáQuá!!!!

    Eu quase tive um treco de tanto rir com as declarações sobre Kirk!

    Um dos melhores momento do TB!

    Eu sou fanzaço do Kirk, e digo e repito, o Shatner pode ser o que for como pessoa, mas ele nasceu pra fazer Kirk e tudo que foi dito aqui tem muito de verdade, nestes 60 itens.

    Faz lembrar aquelas verdades sobre Chuck Norris (escrevi certo?).

    Pô, eu tenho que me lembrar dos momentos em que eu assistia ST quando criança (agora tenho tudo em DCD, hêhêhêhê…): uma das coisas legais era ver aquele capitão p.loca dar seu jeito nas coisas: o cara tinha coragem, não esquentava a cuca não. Só temia pela sua tripulação e por sua amada dama!

    Ah Shatner, que pena vc ser tão complicado como pessoa, mas gosto muito do seu trabalho como o nosso amado Kirk!

    E dá-lhe tesourada, soco com duas mãos e o escambau!!

    Vida longa, meu velho!!

  13. Dá pra entender porque Kirk foi um ícone cultural, julgando que a década em que estourou carecia muito disso. É realmente divertido ver os tópicos de comparação de “Por que Kirk é melhor que Picard?”, mas dada a claramente parcial radicalidade (intencional, creio) dos argumentos apresentados, acho que é somente isso: divertido. Particularmente, não tenho preferência entre Kirk ou Picard (eles nem mesmo são meus personagens prediletos em cada série) então, analisando por outro lado, embora Kirk possa parecer a primeira vista um personagem mais carismático que Picard, ele é por comparação também um personagem muito bidimensional (talvez pelo pouco tempo que pôde ser explorado – 3 temporadas apenas, ou talvez pela conhecida canastrice de seu intérprete). Nisso tenho que dar o braço a torcer em admitir que Picard, ao longo das sete temporadas de NG, foi muito mais bem desenvolvido, tornando-se um personagem bem mais tridimensional que Kirk. Como os tempos são outros, espero que Abrams e Pine consigam juntar a tridimensionalidade de Picard com o carisma do velho Kirk. Aí sim será um Capitão Kirk imbatível. Shatner que se cuide então…

  14. Luís Henrique Campos Braune | 5 de junho de 2008 at 7:14 pm |

    É, o post 13 tá certo. Cada coisa no seu lugar e tempo. Não tenho predileção por Kurk em detrimento de Picard, apenas gosto muito de Kirk, e de Picard tb! E dos outros…

    Shatner, digo e repito zilhões de vezes, pode ter sido ruim (ou razoável) em outros pápeis (embora na série Boston Legal ele tenha se dado muito bem), mas ele foi talhado para ser Kirk, do mesmo jeito que Patrick (escrevi certo?) foi para Picard.

    Possivelmente Shatner não tenha envergadura para outros papéis, mas para Kirk…

  15. Eu sou Fã do Patrick… adoro a forma seria e classica dele. Nao comparo ele ao Kirk, por que é como comparar “preto e branco: qual o melhor?”

    Mas adoro ver as discussoes fervosas que isso resulta!!

    O Shatner é muito humilde nao é…. huahauahuahu mas mesmo assim ele é bom demais; em BL – Justiça sem limites, ele é um cap Kirk, versao advogado! Ja pensaram nisso?

    Beijos na alma!

Leave a comment

Your email address will not be published.


*