TAS 1×04: Beyond the Farthest Star

tas04-1Movimentada trama procura fazer uso grandioso da mídia de animação. Leia agora a revisão do Trek Brasilis para “Beyond the Farthest Star”, de Jornada nas Estrelas: A Série Animada.

Sinopse:

Data Estelar: 5521.3.

A Enterprise encontra-se em missão de mapeamento de um ponto desconhecido da galáxia, quando capta misteriosas emissões de radio de um corpo estelar conhecido como Questar M-17, uma estrela de massa negativa. A nave segue para investigar estes sinais e enfrenta sérios efeitos gravitacionais criados pelo Questar. Apesar disto a nave conseguir entrar em órbita.

Eles encontram a fonte dos sinais que atraíram a Enterprise, uma gigantesca nave não identificada em órbita, abandonada e sem energia, que segundo as leituras de Spock teria mais trezentos milhões de anos de idade. Kirk lidera um grupo de investigação do qual fazem parte Spock, McCoy e Scott. Uma vez lá eles descobrem que a tripulação, aparentemente um tipo de vida “insetoide” teria tentado destruir a nave, mas não encontram nada que justifique as emissões de radio que levaram a Enterprise até aquele lugar do espaço.

180px-pod_ship_close_upO grupo encontra o que parece ser o centro de comando da nave alienígena, e assim que estão em seu interior uma gravação começa a ser reproduzida, informando que a tripulação tentava destruir a nave para evitar que uma criatura malévola a bordo atingisse outros planetas. Quase ao fim da gravação uma reação em cadeia tem inicio no interior da nave, e explosões começas a pipocar por todos os lados. O grupo retorna a Enterprise, mas a criatura a qual a mensagem se referia, ainda viva depois de todos os milhares de anos, também é transportada a bordo e toma conta dos controles da nave.

Kirk manda que Scott arme um dispositivo de auto destruição na engenharia, mas a criatura impede o engenheiro, e depois usa os fasers da Enterprise para destruir a nave morta de onde veio. A criatura planeja usar a Enterprise para deixar o campo de atração da estrela morta, mas Kirk manda que Spock isole o console de navegação com um campo de força magnético. A criatura dispara contra a tripulação da ponte usando os sistemas internos de defesa, querendo obrigar Kirk tirá-la de seu exílio.

O capitão finge concordar, mas ao invés disto, marca um curso direto contra a estrela morta. Acreditando que a Enterprise irá se chocar contra a estrela, a entidade deixa a nave, mas fica presa no campo gravitacional da estrela morta enquanto a Enterprise se salva no ultimo minuto usando o efeito “estilingue” para fugir do impacto e retorna a sua missão inicial.

Comentários:

“Beyond the Farthest Star” é um daqueles episódios que a gente sempre quis ver na Série Original mas raramente tinha chance, com muita ação, muitos disparos de fasers, uma gigantesca e absolutamente diferente nave estelar alienígena, e aliens além da nossa imaginação, e de sobremesa, nosso conhecido “efeito estilingue”.

bfs01Apesar da Série Animada não ser assim tão animada, permitia aos autores usar mais a criatividade do que na Série Original, no que diz respeito ao contexto na qual as aventuras aconteciam. Ao vivo, as dificuldades técnicas e orçamentárias inviabilizariam a produção de episódios como este. Com tais limitações minimizadas, temos um episodio com um plot meio manjado, que é a misteriosa nave alienígena abandonada, e um mistério para resolver, mas apesar de disto o segmento consegue divertir.

Com uma relativamente extensa cadeia de eventos compactada em vinte minutos, a historia assume um ritmo agradável, que permite ao expectador formular suas próprias teorias, mas não se demora demais em divagações. Cada segundo em tela é preenchido com algum tipo de ação, e vamos de quadro em quadro nos envolvendo com trama. Este segmento é pura diversão, nada mais, nada menos, e dificilmente funcionaria bem em “Live Action”, mas encontra seu lugar com na Série Animada.

Por outro lado, não há muito que tirar do episodio, se excluirmos as cenas de ação e todo o disse me disse sobre a provável origem da nave “Insetoide”. Não dá para reclamar, pois nem sempre se pode fazer muito em vinte minutos, mas este segmento não é mesmo um clássico de Jornada e dado que o público alvo da série originalmente era um publico adolescente, tal enredo até que se justifica. De qualquer forma dá para assistir sem muito stress.

Citações:

Spock – “The crew tried to destroy the ship herself.”
(“A tripulação tentou destruir a própria nave.”)

Trivia:

  • Em ação os cintos de suporte de vida.
  • Este foi o primeiro episódio da Série Animada a ir ao ar, exatamente sete anos após a primeira exibição de “When no Man has Gone Before”, também escrito por Samuel A. Peeples, autor deste episódio.
  • O chefe de transporte Kyle, personagem da Série Original, não foi dublado pelo ator John Winston, que fazia o papel em “Live Action”.

Ficha técnica:

Escrito por Samuel A. Peeples
Direção de Hal Sutherland
Exibido 08/09/1973
Produção: 04

Elenco:

William Shatner como James Tiberius Kirk
Leonard Nimoy como Spock
DeForest Kelley como Leonard McCoy
James Doohan como Montgomery Scott
George Takei como Hikaru Sulu
Nichelle Nichols como Uhura

Elenco convidado:

James Doohan comandante alienígena
James Doohan como alienígena maligno
James Doohan como engenheiro
James Doohan como tenente Kyle

5 Comments on "TAS 1×04: Beyond the Farthest Star"

  1. É dificel não querer que a série animada não faça parte do cannon com episódios como esse. Ele é muito bom sim, cheio de aventura, e do melhor tipo para ST, começando com exploração do desconhecido. Eu sei que pode ser simplesmente feito para divertir e muito rápido, mas é o basico de ST, por isso funciona.

  2. Eu tambem gosto da serie animada. Este episodio e em minha opiniao um dos melhores. Mas tambem padece dos mesmos problemas de TAS. Como os episodios sao muito curtos, a historia comeca a ser desenvolvida e acaba abruptamente. Este episodio acaba sem maiores explicacoes sobre a raca insetoide que construiu a nave e pouco se sabe sobre a entidade que a atacou milhoes de anos antes.
    Ainda assim e diversao garantida.

  3. Olá gente!
    Também gosto muito da série animada. Aliás para mim, é a única série pós TOS que realmente seguiu o espírito original. Essa estória em particular é excelente. Concordo que as estórias poderiam ser mais longas e animação um pouco melhor, mas….fazer o que. Melhor em conta-gotas que nada.. heheh
    Abs!

  4. A idéia de ver Star Trek em desenho é meio estranha para mim.

    Mas mesmo assim vejo um charme qua não encontro em outras obras em desenho animado.

    Mesmo meio tosco, Star Trek animated tem mais força do que Galaxy Rangers.

    Aliás, com a chegada do Star Trek do Abrams, a série animada talvez seja alvo de curiosidade e volte a ser exibida em algum lugar desse mundo.

  5. Aliás, com a chegada do Star Trek de Abrams, espero que haja uma novíssima série animada, com tudo a que ela tem direito.

Leave a comment

Your email address will not be published.


*