Hypospray de Jornada mais próximo da realidade

Um novo dispositivo de injeção de substâncias no corpo humano desenvolvido no MIT tem um gostinho de Jornada. Este aparelho utiliza um pistão magnético que pode entregar drogas para o seu corpo sem necessidade de agulhas. Além disso, o fluxo de injecção é tão fino que pode ser injetado em tímpanos ou mesmo em globos oculares, sem causar qualquer dano.

Cientistas do MIT, nos Estados Unidos, criaram um novo sistema de injeção de medicamentos que consegue aplicar até remédios em pó. O equipamento injeta o medicamento na pele por pressão, sem a utilização de agulhas.

A eliminação das agulhas é algo desejável tanto para o paciente – que não sofre dor e fica livre das possibilidades de infecção – quanto para os profissionais de saúde – que se livram dos riscos do procedimento.

As pistolas de injeção de medicamentos por pressão foram praticamente abandonadas devido a problemas de contaminação e lacerações na pele, já que elas possuíam diversos bicos injetores.

Além disso, os sistemas de aplicação existentes não podem ser utilizados na maioria dos casos, sobretudo porque a quantidade de medicamento aplicado é baixa. Além disso, em alguns casos, a quantidade do remédio ou vacina que chega ao tecido correto fica por volta dos 10%. Já o novo equipamento alcança um índice de eficácia de 80%.

A nova pistola desenvolvida no MIT produz apenas um único furo na pele, com a dimensão do furo causado por uma picada de mosquito, eliminando o risco das lacerações. Mas sua grande vantagem é a possibilidade de controle na dosagem e na profundidade de aplicação.

Ao contrário das molas e sistemas de ar-comprimido, a pistola usa um mecanismo baseado na força de Lorentz, uma superposição da força elétrica com a força magnética.

Quando a corrente elétrica é aplicada, ela interage com o campo magnético, produzindo uma força que impulsiona o pistão com força e alta velocidade – praticamente à velocidade do som.

O protótipo ainda depende de um computador, que deve fornecer ao equipamento o “perfil de onda” correto para cada paciente.

Apesar de não terem problemas de ferimentos, os pesquisadores confirmaram em seus experimentos que cada tipo de pele exige dosagens diferentes da energia para aplicar a quantidade desejada de medicamento.

A equipe está desenvolvendo agora um segundo protótipo, onde ondas de alta frequência são usadas para fazer o aparelho vibrar, em vez de dar um tranco único. Com isso é possível aplicar medicamentos em pó, que são “fluidizados” e aplicados como se fossem um líquido.

Isto poderá permitir, por exemplo, eliminar o grande problema da conservação das vacinas, que precisam ser mantidas refrigeradas até o momento da aplicação, sob pena de perderem a eficácia.

Fonte: Inovação Tecnológica

9 Comments on "Hypospray de Jornada mais próximo da realidade"

  1. Uêba!!!!!!!

    Eu odeio (tenho medo mesmo…) de agulhas…

  2. Essa é uma das razões da longevidade de ST.A Ficção que se torna realidade.

  3. Trekker
    Sempre que tenho que tirar sangue, sempre faço a mesma piada: “Não nasci para ser toxicômano”.
    Tenho uma verdadeira aversão às agulhas.

  4. VERDE, eu não tenho medo, tenho PAVOR!!!

    Até topo a parada, mas c.. de medo. Só em último caso mesmo…

  5. Não tenho medo, mas tenho ódio mesmo quando erram a veia, é dolorido mesmo. Espero que com essa nova tecnologia esse probleminha (dá mais raiva ainda quando o cara fala que é só um probleminha) seja sanado.

    E já que estamos falando nesse assunto aí vai uma piadinha:

    Sabem quais são as três maiores mentiras do mundo?

    3° Vamos dar uma olhadinha sem compromisso…

    2° Prometo que não vai doer nada…

    1° Juro que é só a cabecinha…

  6. O meu problema é eles acharem uma veia boa para tirar o sangue, então quando tenho que fazer algum exame tem sempre uma conferência em volta do meu braço, até chegar o cara mais experiente prá fazer o serviço. 🙂

    Espero que eles inventem um aparelho prá tirar sangue sem precisar de agulha.

  7. Notícia excelente! Tomara que a medicina avance cada vez mais nesses pequenos detalhes, pois eliminaria totalmente os riscos de infecção acidental porelo vírus HIV e outras doenças! É por isso que Jornada faz história! Se não fosse Jornada, talvez nem estivessem cogitando ou sequer imaginando desenvolver o teletransporte!

  8. Desde q a mrecanica quantica surgiu, o teletransporte foi imaginado devido aa cuiosidade das particulas gêmeas.

  9. Putz,

    Isso me faz lembrar aquela vacinação nacional contra “meningite” em meados dos anos 70, eu fui no “Colègio Militar” e tomei a vacina com as antigas “pistolas” de pressão! Coisa doída e deixou “cicatriz” em todos que foram vacinados, no braço, perto do ombro. (A minha criou um feridão e cascão sinistro…)

    Essas antigas pistolas são semelhantes a se usam pra vacinar gado contra a “afitosa” coisa tosca…

    Tomara que esse “Hypospray” se torne uma realidade, porque talvez sirva para o tratamento dos “diabéticos” que sofrem picadas diarias de insulina.

    Viva a ciência de ST!

Leave a comment

Your email address will not be published.


*