10989972_780807985321531_7746575749343987495_nUma notícia que nunca gostaríamos de publicar. Morreu nesta tarde, em Los Angeles, o ator Leonard Nimoy, o Spock de Star Trek. Sua mulher, Susan Bay Nimoy, confirmou a notícia ao “New York Times”, dizendo que a causa da morte foi o estágio final de doença pulmonar crônica obstrutiva. Na semana passada, ele foi internado às pressas em um hospital de Los Angeles, EUA, após sentir fortes dores no peito. De acordo com o site TMZ, Nimoy precisou ir ao hospital várias vezes nos últimos meses devido a complicações decorrentes da doença. Em fevereiro do ano passado, ele revelou ter uma grave doença no pulmão. “Parei de fumar 30 anos atrás. Não cedo o suficiente. Eu tenho COPD [doença pulmonar obstrutiva crônica]. O vovô aqui diz pare agora!”, escreveu em sua conta oficial no Twitter, na ocasião.

Ao final da mensagem, como é comum em todos os seus posts na rede social, ele se despedia com a sigla LLAP, que significa Live Long and Prosper (“Vida e longa e próspera”, saudação tradicional de “Jornada nas estrelas”).

A enfermidade de que Nimoy sofria – conhecida no Brasil como DPOC – tem forte relação com o fumo. Ela é mais comum em adultos, principalmente a partir dos 40 anos. Causa falta de ar, fadiga muscular e insuficiência respiratória, e é apontada pelo Ministério da Saúde como uma das principais causas de mortalidade no Brasil.

Biografia – Leonard Nimoy Simon nasceu em Boston, EUA. Seus pais eram imigrantes judeus da Ucrânia. Ele desenvolveu interesse em atuar em uma idade precoce, sendo sua primeira aparição no palco aos oito anos em uma produção de “Hansel e Gretel”. Ele fez aulas de teatro por um tempo no Boston College, e, depois de sair de casa para prosseguir a sua carreira em Hollywood, ele conseguiu seu primeiro papel principal no filme “Kid Monk Baroni”, de 1952.

Depois de servir no Exército de 1953 a 1955, ele fez pequenos papéis em alguns filmes, mas principalmente em séries de TV, aparecendo em episódios de “Dragnet”, “Sea Hunt”, “Bonanza”, “Wagon Train”, “Rawhide”, “The Twilight Zone”, “Os Intocáveis”, “The Outer Limits”, “The Virginian”, “Get Smart” e “Gunsmoke” antes de alcançar a fama em “Jornada nas estrelas”.

Mais recentemente, ele retornou à série “Fringe” como o maníaco professor William Bell, e fez a voz de Spock em um episódio de 2012 de “Big Bang Theory”. O último trabalho dele como Spock foi “Além da escuridão: Star Trek” (2013), segundo longa da franquia desde a retomada com “Star Trek” (2009), sob direção de J.J. Abrams.