Star Trek Continues, o final de uma bela homenagem

Star Trek Continues é uma produção de fãs que começou em 2013 com o objetivo de retratar os dois últimos anos da missão de 5 anos da Enterprise. Este mês a série concluiu sua caminhada de 11 episódios com a segunda parte e final de “To Boldly Go: Part II”.

 Projetada inicialmente para 13 episódios, a webserie do produtor e ator Vic Mignogna é uma continuação não oficial da quarta e quinta temporadas da série original (cancelada após três anos no ar), terminando no longa Star Trek: O Filme. Continues chamou a atenção pela qualidade de suas histórias e pelos cenários caprichados em seu estúdio de 18.500 metros quadrados.

 

Boa parte do orçamento necessário para produzir os episódios foi criado através de campanhas de sucesso pelo Kickstarter e Indiegogo.

Sendo bem recebida pela crítica e com mais de 4 milhões de visualizações em seus episódios, a fansérie ganhou o Prêmio Geekie como a “Best Web Series” em 2014, o prêmio Webby para “People’s Choice – Long Form Drama” em 2016,  e vários prêmios Telly e Accolade.

No elenco, além de Vic Mignogna, tivemos a participação de Chris Doohan, filho de James Doohan, interpretando o papel de seu pai, o engenheiro Montgomery Scott e vários convidados especiais como Marina Sirtis (como voz do computador), John de Lancie, Michael Forest,  Lou Ferrigno, Rekha Sharma entre outros.

Com a introdução das diretrizes as produções de fan films, pela CBS e Paramount, além do processo contra a produção de Axanar, Mignogna teve que abandonar a ideia de produzir os 13 episódios e encurtar a série para 11 episódios.

Mignogna escreveu uma mensagem de despedida no Facebook quando o episódio foi publicado:

Palavras me falham. Nenhum vocabulário pode expressar o quanto essa produção significou para mim. Desde o início, tudo que eu sabia era que eu queria fazer um episódio de Star Trek quando eu me lembrei disso. Alguém gostaria? Eu não sei. Eu faria outro? Eu não sei. Tudo o que sabia era que queria homenagear Bill, Leonard, Gene e todos os que fizeram a série que significou tanto para mim quando era menino. Eu usei todas as habilidades que a série original me inspirou para tentar pela primeira vez fazer o melhor episódio que poderia. Nunca imaginei que muitas pessoas incríveis fariam tanto, e eu estou profundamente orgulhoso por seu envolvimento. Estarei para sempre grato ao elenco, tripulação e voluntários que desinteressadamente deram tanto para fazer Star Trek Continues a ser uma realidade. E para você, espectadores e fãs, pelo seu apoio e entusiasmo. Com alegria, apresentamos nosso episódio final. Esperemos que seja um tributo duradouro e um final histórico para a série de televisão mais emblemática da história. Obrigado a todos, e que Deus o abençoe. ~ Vic

Também pelo youtube, Vic fez sua despedida da série com agradecimentos a todos.

Parabéns a  Vic Mignogna e sua equipe pelo excelente trabalho.

Para você assistir ao episódio final e a todos os demais clique neste link.

21 Comments on "Star Trek Continues, o final de uma bela homenagem"

  1. Série espetacular, com visual, figurinos, iluminação, ângulo das tomadas e trilha da época mas com uma sutil atualização do ritmo e dos temas. Realizou a ponte para diversos elementos como o holodeck e o primeiro filme do cinema.
    Um tributo grandioso a criação de Gene; só fico triste porque os estúdios tratam esse tipo de produção como algo marginal, quase criminoso.
    Parabéns de verdade a todos que estiveram envolvidos nessa série. Para mim já faz parte do cânone!

  2. Nunca vi nada. Quando acabar de ver as séries via Netflix vou conferir.

  3. Bela homenagem a série
    Pena que a Paramount não gosta dos fã-filmes
    Eles poderiam fazer os outros episódios em formato de antologia
    Explorando as lacunas entre os 6 primeiros filmes
    Ex 2273-2284 2285-2293

  4. Eu gostei. É bastante coerente com uma série dos anos 60.
    Vale ressaltar, o ator que faz Kirk é um produtor musical de mão cheia. Adaptou a trilha sonora com arranjos novos em cima das trilhas conhecidas da série.
    Não faria sucesso hoje em dia, mas como fã série fiel à estética da década, foram excelentes episódios.
    Assisti 4 em maratona e achei bem bolado.
    É evidente o amor que estes caras tem por ST.
    Para quem havia se horrorizado com uma outra fan série com o Kirk Ace Ventura, foi muito bom ver esta outra produção.

  5. Verdade, enquanto em Star Wars eles até incentivam os fãs a produzirem esse tipo de material, a CBC/Paramount dão esse tiro no pé…

  6. Eu vi o primeiro episódio com o “deus” Apolo, gostei muito! Com tempo irei ver os demais episódios com certeza. Pelo pouco que vi é uma produção bastante caprichada e cuidadosa, tenho certeza que honra o nome da franquia e já é uma continuação verdadeira, mas não oficial, paras as aventuras da Enterprise.

  7. Estou no episódio 4, esse vi ontem. Tudo muito bem feito, respeitando a série original do início ao fim. O Mignogna faz até os trejeitos do Shatner, muito bom. O episódio do Apolo, traz o ator que fez o episódio da série original, achei sensacional! Pra quem é fã, vale a pena assistir. O único ator que não consegue manter o nível é quem faz o Spock, mas, também, competir com Nimoy é praticamente impossível.
    Uma pena encerrarem a série.

  8. Visões diferentes do mercado. Um sábio, o outro….

  9. Isto ai é armação deste tal de CEO, só sabem criar dificuldades para outros visando colher facilidades…..,

  10. Curti bastante, acabei de ver os dois episódios finais. Fez um belo fechamento e um gancho bem legal com os filmes! Mas não vou falar mais para não dar spoiler!

  11. Se vc está se referindo ao New Voyages concordo. Não gostei daquela e adorei Continues.

  12. Assisti as duas partes. Foi MUITO bom mesmo: a web série foi a que melhor capturou o estilo da década de 1960: histórias, vestimentas, iluminação, interpretações, penteados, tudo !!! Bem melhor que o Phase II do James Cawley (tb muito boa). E pra quem assistir o episódio final duplo “To Boldly Go” vai ficar impressionado com a semelhança entre as atrizes que interpretam a Romulan Commander (Comandante Romulana): Joanne Linville, que fez originalmente em “The Enterprise Incident” (Episódio 3 da 3 ª Temporada) e a Amy Rydell que reinterpreta neste “To Boldly Go” !!! Comparem as fotos !!! Obs: Ambas estão muito gatas (sexy) seja no original ou neste atual… 🙂

  13. As legendas estão disponíveis nos vídeos, inclusive em português. É só clicar em “CC” na parte inferior do video, para ativar as legendas.

    Melhor assistir diretamente no site oficial: http://www.startrekcontinues.com/episodes.html

  14. Obrigado. Assisti a uns 10 minutos do primeiro. Bem legal. Logo de cara um “holodeck”, será que alguém reclamou deste? Rs.

  15. É a mesma sala de recreação que existe na série animada! 😉

  16. Senhores,

    Existe alguma chance, ainda que remota de Bryan Fluller participar novamente da produção de “Star Trek Discovery”? O que vocês achanam? Bryan Fuller saiu de “Star Trek: Discovery” e passou a se dedicar a “American Gods”. Não sei se é possível um retorno agora, mas é como se diz: o mundo costuma dar voltas.

    “CRIADORES DE AMERICAN GODS ABANDONAM A SÉRIE
    30/11/2017 SÉRIES PEDRO PRADO

    Os criadores da série “American Gods”, Bryan Fuller e Michael Green, abandonaram a produção da 2ª temporada, depois de um impasse com a produtora FremantleMedia.

    Segundo a revista Variety, a dupla estava exigindo um orçamento maior para a 2ª temporada do programa (que já estaria perto de US$ 10 milhões por episódio). Além da disputa sobre orçamento, os showrunners queriam seguir um rumo diferente com a série do que a produtora tinha em mente.

    Como as partes não chegaram um acordo, os dois deixaram “American Gods”, preocupando os fãs da adaptação da obra de Neil Gaiman em relação aos rumos e a qualidade da produção.

    Relatos indicam que os dois deixaram a maioria dos roteiros prontos, mas eles não teriam sido integralmente aprovados em razão dos custos. O conflito de bastidores também explica porque a produção ainda não começou a gravar sua 2ª temporada.

    Bryan Fuller chegou a abandonar seu emprego dos sonhos, como showrunner de “Star Trek: Discovery”, após ser um trekker por anos, para se dedicar a “American Gods”. Ele agora vai concentrar seus esforços na adaptação de “Amazing Stories”, recriação da série dos anos 1980 de Steven Spielberg, que está em desenvolvimento na Apple.

    Já Michael Green continuará focado no cinema, desenvolvendo as continuações/spin-offs de dois de seus sucessos deste ano: “Logan” e “Assassinato no Expresso do Oriente”. O roteirista também escreveu os recentes “Blade Runner 2049” e “Alien: Covenant”.

    http://pipocamoderna.com.br/2017/11/criadores-de-american-gods-abandonam-serie/

  17. Verdade, tudo verdade! Fiquei muito impressionado também com a semelhança entre atrizes de duas épocas distintas. Na primeira cena que a vi, tomei um susto!
    Série perfeita, espetacular! Como já disse, para mim já é cânone.

  18. Time cumprindo tabela no brasileiro e chances remotíssimas de ir para a Libertadores, resolvi assistir as duas partes do último episódio e concluo que possui uma qualidade impar. Da maioria dos fanfilms que já assisti, este foi o mais fiel e história em si foi primorosa. É como se voltasse no final dos anos 80 para assistir Star Trek pela extinta TV Manchete. Muito bom!

  19. Acabei de assistir o episódio 3 de Continues e fiquei muito feliz em saber que é uma continuação direta do episódio clássico do universo espelho! Eu simplesmente amei!!! Sorri igual bobo aqui quando vi que mudaram até a clássica abertura da série que, por ser do universo espelho, ganhou uma abertura diferente. Wow!!!

    Também vi o episódio 2, aquele da escrava de Orion… gostei bastante e fiquei surpreso pelo final agridoce deste episódio. Uma maturidade narrativa que jamais esperaria ver em um fã filme!!!

  20. Elas são mãe e filha, se não engano.

Leave a comment

Your email address will not be published.


*