Há quatro semanas a CBS anunciou oficialmente que estava desenvolvendo uma nova série Star Trek com Sir Patrick Stewart como protagonista, no papel de Jean Luc-Picard e Michael Chabon, como um dos produtores executivos. Recentemente, Chanbon apresentou um rascunho do que seria o mapa galático de Star Trek no período em que se desenrolar a série.

Michael Chabon, que também escreveu um dos próximos Short Treks, chamado “Calypso”,  compartilhou uma foto em seu Instagram, que seria uma espécie de esboço da galáxia de Jornada dizendo que “Supremo Guardião de Todos #Trek Canon (e sua amada colega) #kirstenbeyer deixou cair alguma ciência cosmográfica na sala dos roteiristas. Como ele mesmo diz seria “O status quo no final da série Voyager”. 

Quem conhece a história de Jornada, percebe neste esboço de galáxia, uma visualização do seja o século 24 do universo da franquia.

As linhas demarcam os quatro quadrantes com A, B, G e D, indicando Alfa, Beta, Gama e Delta. Os principais atores na política galáctica são identificados como o Dominion (no Quadrante Gama), o Borg (no Delta), os Cardasssians no Quadrante Alfa, os Klingons no Quadrante Beta e a Federação em Alpha e Beta. Há também uma área indicada no Quadrante Beta com uma linha forte, que pode indicar o Império Estelar Romulano e a zona neutra.

Embora o esboço da “ciência cosmográfica” seja grosseiro, são identificadas as principais características da galáxia, incluindo Terra, Vulcano, A fenda espacial de Bajor que pula para o Quadrante Gama e a rede transwarp Borg no Quadrante Delta, com um nó ligado à Terra ( como visto no final de Voyager).

Sem contar que neste período tivemos a guerra contra o Domínion, o retorno da USS Voyager com aperfeiçoamentos Borg, a morte de Shinzon e o mais importante, a destruição de Romulus, descrita no filme Star Trek 2009 que ocorreu em 2387.

Mais tarde, Chabon editou seu post no Instagram dizendo que o esboço não é uma indicação do que está por vir. Foi um esboço do estado da galáxia no final de Star Trek Voyager (que efetivamente também inclui Nemesis ). Sua nota adicionada diz:

Nota para exegetas profundos e especuladores selvagens: este mapa representa apenas (e muito rudemente!) o status quo no final da Voyager, o último cenário, como você sabe, de todas as séries de TV preexistentes, e foi executado puramente como uma ajuda visual para a edificação dos colegas do Professora Beyer.

Isso mostra que a série pode ter um caráter mais abrangente, dentro do universo territorial Trek, o que se torna muito interessante.

Fonte: TrekMovie