Review | Terra Incognita é palco de um novo Barclay na Enterprise

Sinopse

Depois do inusitado encontro das duas tripulações da Nova Geração (a do Universo Espelho e a Clássica), a tripulação da Enterprise do Universo Espelho voltou para sua dimensão, mas deixou um Presente de Grego para Picard e sua tripulação, que o diga o Sr. Barclay.

Após os eventos de Through The Mirror, minissérie em quadrinhos de cinco edições a qual já revisitamos aqui no Trek Brasilis, a tripulação da Enterprise do Universo Espelho segue um novo plano para tentar conquistar o Universo Prime: se infiltrar na Enterprise através de Barclay.

Em Star Trek: The Next Generation – Terra Incognita, o Barclay do Espelho assume a função do original, deixando-o amarrado em seus aposentados, para descobrir mais sobre a Enterprise, estabelecer relações mais profundas com a tripulação e influenciar no destino da nave e consequentemente do Universo Prime. Porém, a missão não é tão simples quanto parece. Os Barclays possuem personalidades completamente opostas e não leva muito para a tripulação da Enterprise começar a estranhar as atitudes desse novo Barclay.

Em paralelo, Picard precisa lidar com um incidente envolvendo a USS Hood, antiga nave de Geordi e Riker. A Hood está em uma missão diplomática para levar um grupo de embaixadores liderado por vulcanos até uma reunião com a Federação e a União Cardassiana, porém seu motor de dobra parou de funcionar e o Chefe de Engenharia da nave ainda era muito inexperiente. A pedido do Capitão DeSoto, a Enterprise é designada para reparar a Hood e levar os embaixadores até seu destino final.

Barclay (do Espelho) e Geordi são transportados à USS Hood para os devidos reparos, porém, à medida em que o Barclay do Espelho vai interagindo com a equipe de engenharia, ele percebe o quão menosprezado o Barclay daquele universo é em suas funções na nave. Contudo, isso também se torna uma vantagem, já que, por conta disso, ele pode passar despercebido em certas situações. Ao receber Picard e DeSoto na sala de engenharia da Hood, Barclay não hesita em, às escuras, causar uma pane no sistema de refrigeração, por exemplo.

Porém, o que Barclay não contava é que outro tripulante da Enterprise do Espelho também na Enterprise do Universo Prime e estava monitorando cada passo de Barclay a bordo da nave. Apesar dos transtornos, Barclay estava de fato ajudando a tripulação na frágil missão envolvendo os embaixadores vulcanos para mostrar uma personalidade mais ativa e inteligente a Picard e sua equipe, tentando tirar a imagem de trapalhão que o antigo Barclay – ainda amarrado em seus cômodos – havia deixado.

Essa missão pessoal de Barclay não agrada em nada a tripulação da Enterprise do Universo Espelho, que começa a suspeitar de traição e decide intervir no plano original.

Comentários

Terra Incognita marca a terceira minissérie publicada pela IDW envolvendo a tripulação da Enterprise-D e suas duplicatas do Universo Espelho. A primeira, Mirror Broken, fez uma bela introdução ao Picard do Espelho e sua tripulação. A segunda, Through The Mirror, coloca as duas tripulações frente a frente, com direito a muita tensão e até mesmo pancadaria. Porém, nessa terceira minissérie, perde-se o fator surpresa. A revista se arrasta por suas seis edições para repetir a fórmula da anterior, deixando os verdadeiros conflitos para os últimos momentos e deixando diversas pontas abertas para mais uma sequência.

O Universo Espelho é rico e ainda muito inexplorado na época de A Nova Geração, portanto deve-se sim consertar o erro histórico dos produtores da série de não terem feito episódios nesse universo e levar aos quadrinhos diversas tramas nessa ambientação, isso é inegável. Porém, também deve-se atentar para a utilização das mesmas estruturas de storytelling. Deep Space Nine e Discovery souberam explorar esse universo em diversos episódios, sempre fazendo a trama evoluir em cada um deles. O mesmo deve ser feito nos quadrinhos.

A trama dos embaixadores vulcanos serve mais como um pano de fundo para a história, mas é importante pois explica a frágil situação diplomática em que a Frota Estelar está após a Batalha de Wolf 359, mostrada no começo da quarta temporada da série, envolvendo a Frota e os Borg.

O ponto forte de fato é que, apesar de apresentar uma história guiada por Barclay, um personagem que sempre se mostrou um tanto quanto desinteressante em A Nova Geração, o fato de sua duplicata do Universo Espelho ter uma personalidade oposta torna seu arco um tanto quanto interessante. É natural que, como espectadores e leitores, fiquemos mais cativados por personagens com intenções obscuras, no limiar entre o bem e o mal, sem o fator da previsibilidade. Por isso, traçando um paralelo com Star Wars, muitos preferem o contrabandista Han Solo ao mocinho Luke Skywalker e também devem gostar mais do Barclay do Espelho do que o original ao ler essa minissérie.

Você segue a trajetória dele, você torce por ele.

E quando isso acontece, você sabe que está diante de um bom vilão.

Avaliação

Ficha técnica

Escrito por Scott Tipton e David Tipton
Artes por Tony ShasteenAngel HernandezCarlos Nieto
Artes de capa por J.K. Woodward

Be the first to comment on "Review | Terra Incognita é palco de um novo Barclay na Enterprise"

Leave a comment

Your email address will not be published.


*