Nave classe Wallenberg tem origem histórica

No quarto episódio de Star Trek: Picard, “Absolute Candor”, vimos uma menção às naves da classe Wallenberg, que foram transportes usados ​​pela Federação para evacuar os romulanos. Em especial, a USS Nightingale que levou os refugiados para o planeta Vashti.

Mas o que poucos sabem é a origem do nome Wallenberg e sua referência a série. Trata-se de uma homenagem ao sueco Raoul Wallenberg, uma figura considerada heróica, que viveu nos anos 40.

Nascido em Estocolmo, Raoul Gustaf Wallenberg foi um arquiteto, empresário e diplomata. Tornou-se famoso por conta de seus esforços bem sucedidos para resgatar dezenas de milhares judeus da Hungria (onde morava) ocupada pelos nazistas durante o Holocausto.

Em 17 de janeiro de 1945, durante o cerco de Budapeste pelo Exército Vermelho, Wallenberg foi capturado pelas forças soviéticas e desapareceu. Mais tarde, foi relatado que ele morreu, enquanto estava preso na prisão Lubyanka, em Moscou, Rússia. Até hoje não foi revelado o local onde foi enterrado.

Mas os esforços de Wallenberg são reconhecidos mundialmente. Em todo o mundo, existem monumentos, estátuas e outras obras de arte que homenageiam Wallenberg. Sua memória é preservada através de livros, músicas e filmes, e muitos edifícios, praças, ruas, escolas e outras instituições levam seu nome.

Como a série Star Trek: Picard nos leva a discussão atual dos refugiados em todo o mundo, nada mais justo que termos o nome de Wallenberg sendo lembrado.

No livro The Last Best Hope é dito que 15 naves classe Wallenberg estavam previstas para evacuação romulana. Não há mais detalhes sobre que tipo de nave seria.

Muitos nomes de naves estelares e classes no universo Star Trek contêm acenos para a história real, e o de Wallenberg já tem seu lugar para sempre na franquia.

Fonte: Star Trek.com

Be the first to comment on "Nave classe Wallenberg tem origem histórica"

Leave a comment

Your email address will not be published.


*