Shatner fala de amizades e intrigas em biografia

shatner-e-nimoy-1.JPGO carismático ator William Shatner (James Kirk), já com 77 anos de idade, lançou a sua mais recentemente auto-biografia. Intitulada de “Until Now” (Até Agora), o livro conta mais da vida de Shatner, da não amigável relação inicial com Leonard Nimoy e o elenco, do trabalho na TV e no cinema, até tornar-se o popular capitão da série Jornada nas Estrelas. O site The Daily Mail apresentou alguns trechos de seu livro.

uptilnow.jpgShatner parece não se cansar de contar sua própria história. Essa sexta auto-biografia, recheada de sátiras e bom humor, revela detalhes nunca antes mostrados de sua vida familiar, de fatos curiosos, divertidos e dramáticos ocorridos em sua vitoriosa trajetória artística e pessoal. O TB selecionou alguns pontos mais importantes de seu livro (via The Daily Mail) com relação a Jornada.

Da desconfiança inicial dos críticos com respeito ao seu trabalho na Série Clássica.

“Em 08 de setembro de 1966, quando entrei pela primeira vez no Espaço: A Fronteira Final, as críticas não foram lá muito favoráveis. A revista Variety chegou a dizer que eu parecia desajeitado, bronco”, escreveu o ator, “Como ator profissional, essas coisas não me aborrecem. E esses reviews continuaram a não me chatear por mais de quatro décadas”.

Da relação inicial nada amistosa com Leonard Nimoy (Spock) e da competição entre os dois pela audiência da série.

shatner-e-nimoy-2.jpg “Em poucas semanas, o personagem de Leonard recebeu mais atenção da mídia. Fã clubes de Spock foram criados e a emissora enviou um memorando a Gene (Roddenberry) querendo saber porque Spock não estava em todas as histórias”, conta o ator acrescentando, “Eu sempre ouvi dizer que o ato de interpretar não é um esporte competitivo, menos para os atores. A verdade é que todo o ator tem um ego. Eu imaginava ser a estrela, mas Leonard estava conseguindo ganhar mais atenção do que eu e isso me aborrecia”.

Sobre a primeira desavença entre Shatner e Nimoy.

“O processo para colocar as orelhas de Spock era difícil e caro e Leonard sempre foi grato ao maquiador Freddy Phillips. Quando uma revista quis mostrar o trabalho de Freddy e tirar uma foto com Nimoy, isso me chateou” disse Shatner, que numa manhã encontrou com o tal fotógrafo na sala de maquiagem e sob o pretexto de manter os segredos de maquiagem a salvo, mandou o fotógrafo embora.

“Leonard e Freddy esperaram pelo rapaz que não retornou”, continuou Shatner, “Leonard veio ao meu trailer e perguntou se fui eu quem ordenou que ele fosse embora. Eu confirmei dizendo que não o queria por lá. Mas ele replicou dizendo que o fotógrafo foi aprovado por Gene, pelo estúdio, e que era para publicidade. “Mas eu não aprovei”, respondi de volta”, confessou Shatner dizendo ter ficado sem falar com Nimoy por algum tempo e que o ator preferiu manter-se afastado dele durante as filmagens, alegando que o seu personagem precisava de concentração.

A respeito de sua primeira participação numa convenção, após o cancelamento da série.

shatner-em-convencao-1.jpg“A primeira convenção não oficial se deu em New Jersey, no mês de março de 1969. Um pequeno grupo de fãs cantava músicas inspiradas na série, mostrava slides dos cenários da Enterprise e se divertia fazendo leituras sobre a conexão de Jornada com a ciência. Pelos anos oitenta as convenções tornaram-se anuais. Eu não tinha nada a ver com eles. Nada a ver com aquele grupo de obcecados que pagavam para ficarem juntos e conversarem sobre a série. Achava ilógico”, contou o ator. “Eu fui a minha primeira convenção em New York no ano de 1975. Estava em situação financeira difícil. Os organizadores me chamavam de capitão Kirk. Andei pelo palco e fui aplaudido por centenas de fãs. Era um sonho de ator. Depois aceitei ir a outras convenções, com o Leonard, e eventualmente nos tornamos muito amigos. Éramos tratados como celebridades”, descreveu o ator dizendo que havia também um lado ruim, “Tive a oportunidade de estar com várias mulheres, nessas convenções e admito que havia vezes em que elas diziam que estar comigo era como deitar com o capitão Kirk. Era deprimente”.

Sobre a primeira produção no cinema, Jornada nas Estrelas: O Filme e a morte de Kirk.

“Quase metade do orçamento foi gasto em efeitos especiais. O problema do roteiro é que nada aconteceu. Roddenberry queria a Enterprise para ser a estrela do filme, de modo que o filme ficou repleto de tediosas tomadas da Enterprise voando no espaço. Todavia, o filme foi um sucesso comercial e A Ira de Khan foi lançada em 1982 com uma das maiores rendas de fim de semana na história do cinema. Vários filmes depois, a Paramount me perguntou se eu queria fazer a cena da morte de Kirk. Os executivos acreditavam que poderiam ganhar mais dinheiro com o personagem de Patrick Stewart, Jean Luc Picard. Como eu me preparei para a cena, procurei me lembrar que isso era apenas mais uma performance. Matar Kirk. Por que eu concordei com isso? Eu fui para casa a noite com grande sentimento de satisfação. Não sentia que fosse o fim de uma era, mas sim de um personagem. E depois disso, eu me sentei para escrever 40 páginas, para uma história onde Kirk voltaria de sua morte”. O livro a que se refere Shatner é “O Retorno do Capitão Kirk”.

Durante a apresentação de seu livro no programa de televisão Late Night with Conan O’Brien, Shatner falou também a respeito do rancor de alguns membros do elenco por ele e que esse sentimento perdura até hoje, “Seis anos após a série ter sido cancelada, eu quis escrever um livro sobre minhas memórias. O único problema é que eu não poderia me lembrar de tudo que aconteceu na época. Fui atrás de quem pudesse encontrar para dividir essas lembranças no livro”, explicou o ator, “Fui com a Nichelle Nichols (Uhura) e graças a ela é que fiquei sabendo que, alguns colegas, e em especial George Takei (Sulu), não gostavam de mim”.

Continuou Shater falando sobre Takei, “Ele não gosta de mim. Não sei porque. Já se passaram 40 anos. Por que ele não deixou isso de lado? Ele realmente me detesta”, lamentou.

Fonte: TrekMovie , Trekweb e TrekToday

23 Comments on "Shatner fala de amizades e intrigas em biografia"

  1. Isso td só me faz confirmar: Shatner é um imbecil, egocêntrico e que não admite perder.

  2. Severino - quebra-galho | 14 de maio de 2008 at 5:29 pm |

    Esse livro já tem para vender no brasil???

    Eu nao reclamaria se alguem quisesse ir pra cama comigo, achando que sou o Spock….

  3. rsrsrs Esse Bill é uma figura.

    90% dos atores tem esse ego inflado, afinal, ninguem vence em Hollywood sem isso. Mas ele pelo menos admite.

    A impressão que eu tenho do Shartner. É que ele sempre viu o Kirk como mais um papel, ele tinha ambições maiores de se tornar um grande icone do cinema e coisa e tal.

    Só que foi justamente o papel de Kirk que o tornou um icone, acho que quando ele percebeu isso era tarde demais.

    Ainda assim, acho que o Shartner, o Koening , o Takei e a Nichols podiam sim aparecer nesse novo filme, para interpretar outros papéis, o próprio Nimoy não precisaria aparecer como Spock.

    MAs enfim…

  4. Victor Corrêa | 14 de maio de 2008 at 7:03 pm |

    Sobre Takei: “Ele não gosta de mim. Não sei por quê. Já se passaram 40 anos. Por que ele não deixou isso de lado? Ele realmente me detesta”.

    Seria ele o único? Já li que Walter Koenig (Chekov) também não ia muito com a cara dele.

    Agora sei que Shatner não ia com cara de Nimoy no início, se bem que, da parte do velho Spok, não vejo razão para isso.

    A indisposição do velho Bill seria fruto do seu ego ferido? Afinal teve que disputar espaço com um ator tão promissor quanto ele e ouso dizer, mais talentoso.

    Em fim, Shatner é uma pessoa competente, mas não deve ser lá um bom colega de trabalho ou uma pessoa que saiba trabalhar em equipe!

    Infelizmente, no ambiente profissional e no dia-dia, nos deparamos com muitos Kirks e realmente são pessoas difíceis de conviver.

    Humildade para mim é algo fundamental, creio que ele nunca entendeu isso, pois do contrário, o velho Bill não seria esse eterno canastrão cheio de vaidades que todos conhecemos.

    Creio ainda, que muitos dos atores da série original tiveram a sua partipação diminuída graças ao inflado ego do capitão, que não admitia que outro fosse o centro das atenções.

    Agora, acho que começo a enteder um pouco o ressentimento de alguns.

  5. shatner é o cara ! ja estou indo na amazon comprar esse livro !

  6. Ralph Pinheiro | 14 de maio de 2008 at 10:30 pm |

    4. Victor Corrêa: “…Já li que Walter Koenig (Chekov) também não ia muito com a cara dele..”

    Não só Walter Koenig como James Doohan.
    A amizade de Scott por Kirk era só na série, quando terminava a filmagem Doohan simplesmente se afastava.
    Isso o próprio Shatner conta em seu livro “Memórias”.
    Segundo Shatner, no sexto filme de Jornada, ele procurou os dois e fez uma espécie de mea culpa e acha que eles, se não o desculparam, pelo menos não ficaram fazendo clima de hostilidade.
    Acho que é isso que ele queria do Takei.
    Nem todo mundo passa a borracha em cima.

  7. Victor Corrêa | 14 de maio de 2008 at 10:45 pm |

    bem… sobre o velhor Bill, vou citar Guimarães Rosa, cai como uma luva:

    “… Mire e veja: o mais importante e bonito, do mundo, é isto: que as pessoas não estão sempre iguais, ainda não foram terminadas – mas que elas vão sempre mudando. Afinam ou desafinam. Verdade maior. É o que a vida me ensinou”.

  8. shatner e koenig fizeram as pazes durante as filmagens de generations

  9. Convenhamos…

    Fico me perguntando se o Shartner poderia ter feito o papel do Kirk tão bem quanto fez, se não tivesse esse ego inflado.

    Quer dizer, será que é assim tão diferente a relação do Bill com os atores, do que é o Kirk com seus comandados?

  10. Gostei muito dessa matéria, muito boa mesmo, congratulações. Queria ver esse livro lançado no Brasil, eu seria um que ia comprar. Quanto ao jeito do Shatner, é chato, eu li o livro “Eu sou Spock” e fiquei decepcionado com um monte de coisas sobre ele. Mas eu gostei muito dele como capitão Kirk, ele foi bom nesse papel…

  11. Shatner teve vários defeitos como pessoa, mas parece ter evoluído bastante nos últimos anos, principalmente quando parou de se levar tão a sério.
    Quanto ao Takei não seria essa briga com Kirk uma maneira de se manter em evidência?
    Ele é uma pessoa muito simpática mas também é um péssimo ator, na minha opinião, em qualquer papel de maior destaque fica evidente os maneirismos, a impostação de voz forçada, a postura travada.
    A briga não deixa de ser um “lembrem-se de mim”.

  12. Bem, não entendo lá muito de dramaturgia, mas sempre gostei de Shatner como ator, em TOS. Aliás aquela série tinha uma monte de gente boa. A série para mim era boa por que quem determinava a qualidade eram as estórias e o elenco, por que o visual não era dos melhores. E o cara tinha mesmo o quê de liderança. Fazer o que? As estórias na maioria das vezes eram sobre ele. Se teve inimizades.. toda hora se fala disso. Deve ter sido mesmo induportável. O atores eram competentes mesmo. Ficava tudo nos bastidores.
    Quando esse livro sai por aqui mesmo?
    Inté!

  13. Esse Shatner não tem o menor pudor… mas pela propria patente do personagem ele realmente acredita até mesmo hoje que deva ser o centro das atenções.

  14. Baltazar Duarte Gonçalves | 15 de maio de 2008 at 11:06 am |

    Li em uma revista especializada a alguns anos que o ator Adam West [Batman] demorava tanto em suas falas que obrigava Burt Ward [Robim] a praticamente engolir as suas, e ainda atrasava as cenas para que não houvesse tempo para serem refeitas. È, gente, os interpretes dos heróis da ficção as vezes estão mais para vilões. O que não quer dizer que não devam ser admirados pelo trabalho realizado.

  15. acho que shatner tem ciumes do personagem kirk

  16. Luís Henrique Campos Braune | 15 de maio de 2008 at 9:11 pm |

    Pô, tenho que concordar com o post 12: os atores eram realmente profissionais: não deixavam a coisa transparecer nas cenas…

    Dá o que pensar (já foi dito aqui): como seria Kirk se o Shatner fosse de outro jeito?

  17. Eu adoro o Bill, 96% do que eu gosto de Jornada, eu devo a ele, e acho que esse desagrado com os colegas é mais um problema desses mesmos colegas do que com o Shatner, pois ele, o De e o Nimoy são/foram super amigos.

  18. O problema com o velho Bill e que, como outros atores, confundir sua pessoa com a própria série. Ele se acha indispensável quando o assunto é Jornada.

  19. Marco Freitas | 16 de maio de 2008 at 5:37 pm |

    OBSSECADOS? O’BRIENS SOW? Nunca vitrduções tão capengas na minha vida…erros dignos d gente com quinta série incompleta.

  20. Shatner é perfeito e humilde…

  21. Não entendo de dramaturgia mas acho que shatner ( kirk) deveria fazer parte do filme sera mais um filme de jornada que não ira decolar pois falta o seu comandante principal e sua tripulação…ego sim esta nos produtores que não chamaram shatner e seus companheiros mesmo não se gostanto como afirmam para mais um filme, pois todos gostariam de participar neste novo filme de jornada

  22. Shatner e o cara a ncc 1701 nao teria um capitao melhor.
    Shatner na pele de kirk se tornou um icone. foi de todos para mim o melhor capitao ate hoje.
    se falam que ele tinha ou tem defeitos mas quem naum tem defeitos.
    eu naum conheco ele pessoalmente mas como ator e seu trabalho em jornada e mto bom nota maxima pra ele.

  23. De fato, não dava pra perceber que rolava encrenca entre os atores…bons atores, ótimos personagens, série perfeita…

Leave a comment

Your email address will not be published.


*