Laços de Família: Os Soongs e seus filhos cibernéticos

data_and_lore.jpgSe há algo que pode ser dito sobre Jornada nas Estrelas – A Nova Geração é que o desenvolvimento dos laços familiares dos personagens nunca foi o seu forte. Tal fato é conseqüência das diretrizes estipuladas por Gene Roddenberry, ainda na criação da série: a relação entre os personagens principais deveria ser como o de uma família norte-americana, criando-se assim uma identificação entre os espectadores. Claro que era uma família “perfeita”, já que outra das diretrizes de Gene era que não existisse conflito entre seus personagens…

Independente das diretrizes, esporadicamente tínhamos algum episódio voltado à família dos personagens. Conhecemos a mãe de Deanna, os pais adotivos de Worf, o irmão de Picard… e, claro, a família de Data.

Pode um andróide ter família? Se o andróide em questão for Data, que chegou até mesmo a criar uma filha para si, podemos dizer que sim. Nesta família se enquadram seus “irmãos” (B-4 e Lore), bem como Lal, a filha por ele construída. Além disso, dada a relação de Data com o Dr. Noonien Soong, seu criador, marcada por forte senso de lealdade, podemos dizer que Soong seria seu pai – e, por conseqüência, todos os seus ancestrais podem ser considerados, também, ancestrais de Data.

Uma família estranha, talvez mesmo bizarra, cheia de conflitos. E, por isso mesmo, não tão estranha e bizarra assim.

Dr. Arik Soong

O ancestral mais antigo de Data pode nem mesmo ser seu ancestral – não há informações suficientes sobre sua vida e sobre seus descendentes para se chegar a alguma conclusão. A última informação registrada sobre Arik é a de ter voltado para sua prisão na Terra, deixando em aberto a possibilidade dele ter se casado ou tido filhos. O nome de família pode indicar que ele é um parente indireto – um tio-avô ou algo assim.

Arik é um geneticista que acreditava que o ser humano poderia ser melhorado. Independente das lições aprendidas pelos seres humanos durante as Guerras Eugênicas, Soong roubou embriões de humanos geneticamente aperfeiçoados, levando-os a um planeta onde foram criados e educados por Soong – até ele ser preso pelo roubo.

Vinte anos depois, estes mesmos humanos geneticamente modificados conseguem roubar uma nave klingon, resgatando Soong e roubando outras centenas de embriões restantes das Guerras Eugênicas que estavam armazenados na Cold Station 12, uma estação espacial. O processo quase gerou uma guerra entre a Terra e os Klingons, e resultou na morte dos “filhos de Soong” e na destruição de todos os embriões.

Apesar de seu comportamento criminoso fica claro, porém, que as intenções de Soong não eram totalmente ruins. Seu único objetivo era melhorar a espécie humana, eliminando doenças e sofrimentos. Soong demonstrou possuir grande respeito pela vida como um todo – ao defender a vida dos cientistas da estação onde os embriões estavam armazenados, bem como lutar para que seus “filhos” não disparassem uma bio-arma contra um planeta klingon. Ao voltar para a prisão, após todo o ocorrido, Soong alegou não mais acreditar ser possível melhorar o ser humano, prometendo voltar seu intelecto para a robótica.

Mais informações sobre Arik Soong: “Borderland”, “Cold Station 12” e “The Augments”, todos episódios da quarta temporada de Enterprise.

Dr. Noonien Soong

Noonien Soong foi um dos maiores roboticistas da Terra. Aluno de Ira Graves, um dos maiores intelectos de seu tempo, Soong dedicou sua carreira à busca da criação de um ser cibernético inteligente e autômato. Seus fracassos iniciais, porém, o levaram à obscuridade, quando ele se mudou para uma colônia científica privada no sistema Omicron Theta.

Soong se casou com a também cientista Julianna O’Donnell em 2328. Com a ajuda de sua mulher, ele conseguiu criar três andróides, até que Julianna faleceu em um acidente do laboratório. Inconsolável, Soong criou uma replica robótica, com todas as memórias de sua esposa. Tal andróide não possuía conhecimento de sua natureza, e posteriormente se separou de Soong e se casou novamente com outra pessoa. Acreditava-se que Soong fora morto em um ataque da Entidade Cristalina à colônia em 2364, mas posteriormente descobriu-se que Soong conseguira escapar, montando um laboratório solitário em Terlina III, onde construiu e aperfeiçoou um chip de emoções.

Soong acabou morrendo nas mãos de uma de suas criações – ou “filhos”, quando Lore, andróide defeituoso dotado de emoções, o matou em um ataque de fúria.

Mais informações sobre o Dr. Noonien Soong – “Brothers”, da quarta temporada de A Nova Geração, e “Inheritance”, da sétima temporada.

B-4

Protótipo do projeto desenvolvido por Soong para a criação de criaturas robóticas, B-4 tem aparência física idêntica às de Data e Lore. Por ser um protótipo, porém, as capacidades de seu cérebro positrônico são muito inferiores às de seus irmãos, conferindo-lhe um comportamento quase infantil. Não se sabe exatamente quando B-4 foi construído, e nem qual seu histórico. Sabe-se apenas que os Remanos o conseguiram, provavelmente durante a Guerra Dominion, que o programaram para ser utilizado contra a Enterprise de Jean-Luc Picard, como um chamariz para atrair o capitão até as proximidades da fronteira Romulana. Após a programação, B-4 foi desmantelado e suas peças espalhadas na superfície do planeta Kolarus III, onde foi encontrado pela Enterprise, na data estelar 56844.9, e remontado por Data. Em uma tentativa de conseguir um maior desenvolvimento das capacidades positrônicas de B-4, Data copiou todas as suas memórias para o cérebro de seu irmão. Com a destruição de Data, B-4 se tornou o único depositório destas memórias. Mais informações sobre B-4: “Jornada nas Estrelas – Nêmesis”.

Data

Existem muitas informações registradas sobre Data, dada sua notoriedade ao fazer parte da tripulação da Enterprise de Jean Luc Picard – tanto a NCC-1701-D quanto a NCC-1701-E. Não se sabe ao certo quando Data foi construído, a única informação conhecida é a de que Data foi o penúltimo modelo desenvolvido por Soong e sua então esposa Julianna. Suas partes foram encontradas por membros da tripulação da USS Tripoli, pouco após o ataque da Entidade Cristalina, na colônia científica de Omicron Theta, onde foi montado definitivamente em 2338.

Inspirado pela tripulação da Tripoli, Data decidiu se tornar oficial da Frota, freqüentando a academia entre 2341 e 2345. Apesar de conseguir facilmente aprovação nos exames de admissão, logo pôde perceber possuir sérias dificuldades na manutenção de relacionamentos sociais. Formou-se em 2345, com honras em mecânica probabilística e exobiologia. Em 2348 foi promovido a tenente, graduação que manteve por outros 12 anos. Um de seus postos iniciais foi a bordo da USS Trieste. Em 2364, foi transferido para a Enterprise, onde se tornou oficial de operações e segundo em comando. Em razão da programação original realizada por Soong, Data tentou a sua vida toda se tornar mais humano, buscando novas experiências como arte, atuação, poesia, e até mesmo possuindo um gato de estimação. Em 2370 Data conseguiu um chip de emoções criado por Soong, instalando-o em 2371, um processo que quase destruiu sua matriz positrônica, mas que o ajudou a compreender conceitos humanos como humor e sentimentos. Esta mesma necessidade de se tornar mais e mais humano, combinada ao seu interesse por robótica, levaram-no a criar, em 2366, uma “filha”, que recebeu o nome de Lal. Sua única tentativa séria de possuir um relacionamento “amoroso” se deu em 2368, com uma série de encontros com a tenente Jenna D’Sora. Só em 2370 Data veio a descobrir que possuía memórias de uma “infância” criadas pelo Dr. Soong, que posteriormente as apagou, substituindo-as pelas memórias e registros dos colonos de Omicron Theta, enquanto lutavam para sobreviver ao ataque da Entidade Cristalina. Mais ou menos na mesma época, Data descobriu possuir uma “mãe”- a replica robótica da Dra. Julianna. Data foi destruído em 2379, pouco antes de receber sua promoção para primeiro-oficial, ao se sacrificar para salvar a Enterprise-E de um ataque Remano.

Episódios essenciais sobre Data: “Datalore”, “The Measure of a Man”, “The Offspring”, “The Most Toys”, “Brothers”, “Data’s Day”, “In Theory”, “Hero Worship”, “The Quality of Life”, “Inheritance”, e os filmes “Jornada nas Estrelas – Generations”, “Jornada nas Estrelas – Primeiro Contato” e “Jornada nas Estrelas – Nêmesis”.

Lore

Lore foi o último primeiro[1] andróide construído por Soong e Julianna, e em teoria seria um modelo superior a Data, por possuir funções emocionais que se pareciam mais as de criaturas orgânicas, em função de um chip de emoções. Lore se mostrou imperfeito, porém, ao apresentar tendências malévolas, e foi desmontado pelo próprio Soong. Suas partes foram encontradas em 2364 pela tripulação da Enterprise, e Lore foi remontado.

Após ser remontado, ele foi responsável pela morte de todos os colonos de Omicron Theta, e mostrou-se extremamente perigoso em todos os seus encontros com Data. Em 2368, conseguiu localizar o Dr. Soong, roubando o chip de emoções criado para Data e matando seu criador. Chegou a criar, em 2371, uma facção de Borgs dissidentes, ação esta que levou à sua destruição, em 2371, quando alguns destes Borgs se rebelaram contra ele. De seu corpo desativado e desmembrado, foi recuperado seu chip de emoções, que posteriormente seria utilizado por Data.

Mais informações sobre Lore: “Datalore”, “Brothers”, “Descent Partes I e II”.

Lal

Filha de Data, Lal foi construída por este em 2366, baseando-se em sua própria programação. O resultado final, porém, foi superior ao de seu criador, quando Lal passou a experimentar emoções como amor, medo e tristeza. Por escolha própria, decidiu possuir um corpo feminino, ao contrário do pai, e assumiu um posto de garçonete no Ten-Foward, trabalhando em contato com Guinan.

A vida de Lal, porém, foi bem curta. Pouco após assumir suas funções no Ten-Foward, Lal sofreu uma falha geral de sistema causada por uma extrema e curta variação de emoções. Apesar das tentativas de Data, os reparos não foram possíveis. Por fim, Data transferiu as memórias de Lal para seu próprio cérebro.

Mais informações sobre Lal: “The Offspring”. Bizarrice e Normalidade Como pode se ver, apesar de suas características, A Nova Geração foi bem eficaz ao retratar as histórias da família Soong. Uma família bizarra, onde a maior parte dos membros conhecidos são andróides, mas ainda assim estranhamente humana, com conflitos entre pai e filhos, entre irmãos, com amor fraternal, inveja e ódio. Uma família bizarra, mas tipicamente humana.

Artigo originalmente publicado no conteúdo clássico do Trek Brasilis.

 Notas adicionais de republicação:

[1] Lore foi o primeiro andróide construído por Dr. Soong. Data, por solicitação dos colonos de Omicron Theta, foi construído com certas limitações. Uma delas era o fato de não conseguir falar contrações.

 

8 Comments on "Laços de Família: Os Soongs e seus filhos cibernéticos"

  1. …dos arquivos da Seção de História e Documentação da Frota Estelar – Setor 001 – São Francisco – Terra.

  2. Luís Henrique Campos Braune | 28 de setembro de 2008 at 12:00 am |

    Que aula!!

  3. O Data foi a alma de TNG, seu personagem engraçado, inteligente e pesquisador transformou uma série de ficção séria em um filme dinâmico e leve ao mesmo tempo. Sem o Data nem sei como seria….

  4. Acho muito legal a evolução de Data ao longo das temporadas e dos filmes, sem dúvida alguma o personagem mais humano de tng.

  5. Realmente é difícil não gostar do Data, com seu jeito quase infantil, nos proporcinou momentos muito engraçados durante a série.

    Sempre almejando ser mais do que uma forma de vida artificial, com suas indagações e dúvidas nos fazia de uma certa forma, vermos nossas imperfeições e fraquezas.

    Um personagem fascinante, interpretado por um excelente ator.

  6. podiam fazer isso com a familia do Sr.Spock para comparar oq veremos em 2009

  7. A história dos Soongs é muito boa até o aparecimento da “mãe” de Data (Julianna). Eu não consigo conceber um andróide que contenha todas as memórias de um humano e adicionalmente não saiba que é um andróide. Quer dizer, mesmo que existisse tal tecnologia de mimetização, ela saberia da verdade ao fazer um exame médico. Ou será que nunca fez um ao longo dos anos após a criação? E o teleporte nunca “notou” que ao invés de matéria orgânica estava teleportando um equipamento? Esta falha consegue ser pior do que a criação de B4, pois parece factível que Lore, por ser tão completo, não poderia ser um protótipo.

    A mimetização do cérebro seria um desenvolvimento tão importante (dentro do universo ST) que colocaria o Dr. Soong entre as mentes mais brilhantes de todos os tempos. A Federação – logicamente – teria que sair da passividade para tentar compreender o funcionamento do cérebro positônico, sendo uma das façanhas mais cobiçadas.

  8. O que fizeram com o “corpo desativado e desmembrado” do Lore?
    O Data guardou no armário? Ou entregou pros cientistas malucos da Federação?

Leave a comment

Your email address will not be published.


*