Star Trek: confira o podcast de Luiz Castanheira

3654Luiz Castanheira, ex-editor e atual colaborador do TB, analisa o novo filme de Jornada nas Estrelas em seu mais recente podcast. Em uma hora de gravação, Castanheira traz todos os detalhes do que achou da nova experiência cinematográfica de J.J. Abrams. Você pode baixar o podcast abaixo, ou ainda ouvir on-line. Só não deixe de conferir.

Star Trek 2009.mp3 (89Mb)

109 Comments on "Star Trek: confira o podcast de Luiz Castanheira"

  1. Ainda não ouvi o podcast, mas já estou a baixá-lo.

    A propósito, abriram um cinema novo aqui na minha cidade e também não trouxeram STAR TREK. Só pode ser praga isso…

    Resultado: baixei em AVI só pra poder ver e, então, comentar e criticar com mais propriedade.

  2. Eu ouvi e não gostei dos comentários infelizmente não garanti meu lugar no proximo x-men INFELIZMENTE.

  3. Acabei de ouvir o Castanheira e fiquei na dúvida se ele é um trekker ou não.

    Elogio o esforço dele falar por uma hora sobre um filme que acha que assistiu e entendeu mas, com certeza, não pegou o espírito da coisa. Pareceu também um comentário de quem assistiu uma CAM sem legendas e não entendeu os diálogos.

    Fato, a impressão que me deu é que o filme não foi visto e os comentários foram feitos a partir de outros textos, anteriores ao filme até. E ainda, é um comentário totalmente alheio ao universo Trekker. Muito estranho e desconectado do contexto da obra.

    Meu convite é que o Castanheira assista mais algumas vezes a TOS e depois a versão J.J. com legendas ou dublada e capte a inteligência do reboot – otimizando o que havia de melhor na série original – e maximizando suas potencialidades enquanto franquia.

    Quanto ao roteiro. Foi a maior surpresa, um dos mais bem construídos e coerentes dentro do universo Star Trek. Roddenberry aprovaria com louvores.

  4. Rodrigo, acho melhor tu mudar de cidade.

    Pelo que parece quando STXII for lançado, creio que passarão STXI ai.

    😆

  5. Luiz Castanheira | 16 de maio de 2009 at 12:06 pm |

    Jean: “Eu ouvi e não gostei dos comentários infelizmente não garanti meu lugar no proximo x-men INFELIZMENTE.”

    Que é isto, não menospreze as tuas habilidades mutantes (risos)…

  6. Luiz Castanheira | 16 de maio de 2009 at 12:27 pm |

    Antônio: ” Acabei de ouvir o Castanheira e fiquei na dúvida se ele é um trekker ou não.”

    Parte integral da minha vida, faz 33+ anos.

    “Elogio o esforço dele falar por uma hora sobre um filme que acha que assistiu e entendeu mas, com certeza, não pegou o espírito da coisa. Pareceu também um comentário de quem assistiu uma CAM sem legendas e não entendeu os diálogos.”

    Sorry, estamos falando de um filminho de verão para a garotada, não de Magnolia ou Barton Fink. Não existe algo para “não entender” aqui.

    E “Cam sem legendas” e tão engraçado quanto “Montalban sem SAP” (risos).

    Antônio: “Fato, a impressão que me deu é que o filme não foi visto e os comentários foram feitos a partir de outros textos, anteriores ao filme até. E ainda, é um comentário totalmente alheio ao universo Trekker. Muito estranho e desconectado do contexto da obra.”

    Sorry, mas se você for mais genérico vão te vender em uma farmácia. Dá para falar algo específico?

    Antônio: “Meu convite é que o Castanheira assista mais algumas vezes a TOS e depois a versão J.J. com legendas ou dublada e capte a inteligência do reboot – otimizando o que havia de melhor na série original – e maximizando suas potencialidades enquanto franquia.”

    Na realidade, quem talvez tenha necessidade de conhecer mais o material é o próprio JJ e não eu. Não sei se existe “muita inteligência a ser captada” aqui. Isto não é Synedoche, New York. Isto é um típico filme de verão.

    Antônio: “Quanto ao roteiro. Foi a maior surpresa, um dos mais bem construídos e coerentes dentro do universo Star Trek. Roddenberry aprovaria com louvores.”

    Caramba, se este roteiro é bem construido eu me pergunto o que seria então mal construido. E saber se Roddenberry aprovaria, ou não, só com sessão espírita (não que a sua benção tenha significado muito no passado).

    Abraço
    Castanha

  7. CRÍTICAS MUITO SACANAS:

    ― Fez muita falta o passado do Nero no início do filme. Aliás, a derrota dele foi fraquíssima, podre;

    ― A câmera ocilando e os efeitos de ofuscação luminosa (lens flare) são muito chatos;

    ― A trilha sonora é deveras insípida;

    ― Várias cenas suprimidas fazem muita falta mesmo, como da família Kirk, o bebê Spock, e as cenas de soldagem da Enterprise e fuga do Nero da prisão Klingon;

    ― A estrela do filme, a nova U.S.S. Enterprise, mal pode ser vista e várias cenas, é “warp demais”;

    ― O ritmo do filme é terrível, uma correria – apesar dos teleportes super-lentos – desenfreada quase vertiginosa que acaba “antes de começar”;

    ― O sotaque do Pavel Chekov é de lascar os ouvidos, e até o do Montgomery Scott, em alguns momentos;

    ― Enfim, STAR TREK 2.0 é equivalente a um “massa, véio” iPhone 3G, pode até ser bonito, cheio de firulas, mas poderia ser mais completo e atual se fosse um Nokia “5800” ou, melhor ainda, se fosse um “N97” e aí sim seria o que nós esperaríamos de uma ideal reimaginação de STAR TREK neste início de século XXI.

  8. Maria da Conceição G. Simões | 16 de maio de 2009 at 1:03 pm |

    Para não estragar meu fim de semana, depois de ler os poucos comentários aqui e já tendo lido outros comentários do Castanheira, prefiro não perder 1 hora ouvido lamentações, embora eu agradeça seu trabalho e elogie seu esforço de estar sempre contribuindo com o TB, eu não saberia fazer melhor. Mas, por favor, não me leve a ma pois não é nada pessoal, mas já encheu essa de fala mal do filme. Acabou, não tem como mudar, quem não gostou basta ignorar a existência dele ( do filme ), toda a saga de Star Trek continua como sempre. Por um acaso vc gostou e achou o ST V bom? O filme respeitou o canon? Para mim ST V não existiu, só aproveitei algumas coisas para encher as lacunas nas vidas dos nossos heróis, e pronto. Vida Longa e Próspera para todos.

  9. Maria da Conceição G. Simões | 16 de maio de 2009 at 1:04 pm |

    Corrigindo —- Não me leve a MAL

  10. Francisco Oliveira | 16 de maio de 2009 at 1:22 pm |

    Concordo Maria , cansou esta de falar mal do filme .
    Toda a obra tem suas incoerências e seu belo conteúdo ,enfim coisas boas e ruins , como um pai de filho feio me vale ser compreensivo e ajudá-lo a crescer , é o caso de Star Trek , gostei , tem suas falhas mas vai seguir VIVO! Isto é o que importa.
    Abraço, Francisco

  11. Luiz Castanheira | 16 de maio de 2009 at 1:42 pm |

    “Para não estragar meu fim de semana, depois de ler os poucos comentários aqui e já tendo lido outros comentários do Castanheira, prefiro não perder 1 hora ouvido lamentações, embora eu agradeça seu trabalho e elogie seu esforço de estar sempre contribuindo com o TB, eu não saberia fazer melhor. Mas, por favor, não me leve a ma pois não é nada pessoal, mas já encheu essa de fala mal do filme. Acabou, não tem como mudar, quem não gostou basta ignorar a existência dele ( do filme ), toda a saga de Star Trek continua como sempre. Por um acaso vc gostou e achou o ST V bom? O filme respeitou o canon? Para mim ST V não existiu, só aproveitei algumas coisas para encher as lacunas nas vidas dos nossos heróis, e pronto. Vida Longa e Próspera para todos.”

    Sorry Maria, se você não ouviu simplesmente você não tem o que opinar. E você citar CANON só indica que de fato você não o ouviu e está chutando o conteúdo. A amiga deve apreciar, neste caso, a ironia de, acima, simplesmente dizerem que eu que não assisti ao novo filme.

    E quanto a “já encheu falar mal do filme” eu nem sei o que te responder. Será que também já não encheu: “falar bem do filme”, “falar em chines do filme”, “falar alto do filme”, “falar inclinado do filme”, “falar consigo mesmo do filme” etc.

    Eu, de minha parte, encerro meu ciclo de comentários com esta notícia. Que fica como o meu comentário “oficial”, na falta de melhor descrição.

    Abraço
    Castanha

  12. Luiz Castanheira | 16 de maio de 2009 at 1:44 pm |

    “Concordo Maria , cansou esta de falar mal do filme .
    Toda a obra tem suas incoerências e seu belo conteúdo ,enfim coisas boas e ruins , como um pai de filho feio me vale ser compreensivo e ajudá-lo a crescer , é o caso de Star Trek , gostei , tem suas falhas mas vai seguir VIVO! Isto é o que importa.
    Abraço, Francisco”

    E quem disse que estava morto?

  13. Castanheira, na boa, mas que negativismo é esse? Parece que você está comentando sobre a morte alguém. Concordo que o filme não é um Magnólia, mas qual ST foi, o 1, o 2?

    Aqui mesmo no TB descobri os furos IMENSOS de roteiro dos filmes clássicos, então por que achar que esse filme do J.J. é tão diferente de ST?

    Em ST 1, a sonda que foi enviada da Terra, foi parar no planeta das máquinas e retornou buscando o criador e no fim a solução: unir o homem e a máquina, ah que bonitinho!!!
    Em ST 2, o projeto gênesis, “A arma que cria mundos”?! no tão aclamado a Ira de Khan, no final usa-se do recurso da arma que vai explodir pra criar tensão? Quer mais clichê que isso?

    Você fala que o filme é adolescente com desprezo, como se fosse algo inferior, mas reparou que apesar dos impulsos de juventude, (algo totalmente normal), todos os personagens desse ST honram o profissionalismo e nobreza dos personagens clássicos? Como mostrar o inicio de carreira de uma tripulação sem mencionar sua juventude? Você queria mesmo que o J.J. mostrasse a tripulação da Enterprise como integrantes de um clube de xadrez?

    “Galopar o cosmos é para os jovens” , jovens de espírito também, claro.

    Pra um cara que não é fã de ST, J.J. fez um trabalho decente, as referências a estória de Jornada estão pelo filme todo, imagine J.J. dirigindo um Star Wars então?

    E pra que ficar babando em BSG agora? OK, a série foi um marco da ficção cientifica na tv, mas ela não é a última bolacha do pacote não.

  14. Reginaldo Martins | 16 de maio de 2009 at 1:55 pm |

    Estou baixando o vídeo, mas pelos comentários já sei o que vou encontrar.

    Respeito a opinião de quem não gostou do filme. Nem Jesus, Sidarta Gautama ou Platão agradaram todo mundo, que dirá um simples diretor de cinema…

    Não sou um exímio crítico de cinema, portanto não posso discorrer sobre questões como deficiências narrativas ou coisas do tipo. Também não assisto a filmes para ficar politizado ou consciente dos problemas da humanidade. (Aliás, acho isso um grande complexo de “pseudo-intelectualidade” – nem sei se o termo existe, mas enfim… todos nós temos defeitos). Se quero agregar conhecimento, a melhor opção é livro mesmo.

    Assisto um filme para ter algum tempo de entretenimento, para me emocionar e me relaxar.

    Star Trek conseguiu me emocionar em VÁRIOS momentos. E não adianta falar que o filme “não é Jornada”. Quem não gostou tem que dar o braço a torcer quanto a isso. O filme é TOS (é claro que sem vulcano, mas com os personagens que conhecemos, que é mais importante que o planeta em si).

    O filme tem problemas? SIM (Spock com Urura, Spock retirando Kirk da nave)… Mas nada que estrague este grande reinício.

    E vejam pelo lado bom: Star Trek I foi uma merda. Todos os personagens descaracterizados, o filme todo em camera lenta e aquela filosofia “de onde venho para onde vou” de boteco. E ele serviu para que o estúdio desse o sinal verde para a continuação que todos consideram como sendo a melhor da franquia nos cinemas (eu prefiro A Terra Desconhecida).

    Este filme tem cumprido seu papel com louvor: é um sucesso de público e crítica (com exceção de alguns lamentadores) e é um sucesso financeiro que possibilitou uma sequência já engatilhada, que pode vir a surpreender a todos, como A Ira de Khan fez no passado.

    Regis.

  15. Luiz Castanheira | 16 de maio de 2009 at 2:05 pm |

    “Castanheira, na boa, mas que negativismo é esse? Parece que você está comentando sobre a morte alguém. Concordo que o filme não é um Magnólia, mas qual ST foi, o 1, o 2?”

    Morte, de quem? E não disse que nenhum filme de jornada é obra-prima, só respondi ao que foi dito. Me disseram QUE EU NÃO ENTENDI O NOVO FILME. O que é dose para elefante esperando gêmeos.

    “Aqui mesmo no TB descobri os furos IMENSOS de roteiro dos filmes clássicos, então por que achar que esse filme do J.J. é tão diferente de ST?”

    Eu falei que me lembrei de Nemesis quanto a tal questão e a mantenho. Definitivamente algo ruim.

    “Em ST 1, a sonda que foi enviada da Terra, foi parar no planeta das máquinas e retornou buscando o criador e no fim a solução: unir o homem e a máquina, ah que bonitinho!!!
    Em ST 2, o projeto gênesis, “A arma que cria mundos”?! no tão aclamado a Ira de Khan, no final usa-se do recurso da arma que vai explodir pra criar tensão? Quer mais clichê que isso?”

    Continuo firme na minha referência a Nemesis.

    “Você fala que o filme é adolescente com desprezo, como se fosse algo inferior, mas reparou que apesar dos impulsos de juventude, (algo totalmente normal), todos os personagens desse ST honram o profissionalismo e nobreza dos personagens clássicos? Como mostrar o inicio de carreira de uma tripulação sem mencionar sua juventude? Você queria mesmo que o J.J. mostrasse a tripulação da Enterprise como integrantes de um clube de xadrez?”

    Na realidade eu, ironicamente (MAIS UMA VEZ!), sou um grande fã de “seriados adolescentes” e mesmo de “filmes adolescentes”. Basta que eles sejam bons. Dai não cabe preconceito algum.

    E eu poderia facilmente citar filmes adolescentes com os quais eu me identifico com os personagens. Não é preconceito algum.

    A ironia do que você falou é que a primeira cena de Where No Man Has Gone Before é justo uma partida de xadrez.

    ” “Galopar o cosmos é para os jovens” , jovens de espírito também, claro. ”

    Se depender deste filme eu só vou mesmo me sentir mais enrugado do que as partes privadas do Nimoy (risos). Felizmente o mundo do entretenimento atual não se resume a ele.

    “Pra um cara que não é fã de ST, J.J. fez um trabalho decente, as referências a estória de Jornada estão pelo filme todo, imagine J.J. dirigindo um Star Wars então?”

    Meyer, mal sabia o que era SCIFI EM GERAL e fez um trabalho muito melhor. Sorry, não estou impressionado.

    “E pra que ficar babando em BSG agora? OK, a série foi um marco da ficção cientifica na tv, mas ela não é a última bolacha do pacote não.”

    O filme que a citou. Só por isto, eu a citei. Se o Paul Greengrass tivesse dirigido te garanto que eu nem ia me lembrar que BSG existe.

    Abraço
    Castanha

  16. Acho que tudo se resume a uma EXCELENTE colocação do Castanheira no podcast

    “O que do mundo onde vivemos foi falado nesse filme”

    Apenas discordo que esse seja um filme de verão. Está mais pra filme de outono mesmo. Frio, triste e em vislumbre do fim.

    Abs,
    Spider

  17. Também não pretendo ouvir o podcast, porque pelos comentários do Castanheira antes de ver o filme, ele demonstrou que já tinha uma idéia preconcebida contra ele. Com base no primeiro relato (positivo) do Salvador Nogueira, ele afirmou que o filme tinha “sérios problemas narrativos”. Deve ser alguma questão filosófica, conceitual, e isso infelizmente dá um viés de parcialidade à coisa toda.

  18. Luiz Castanheira | 16 de maio de 2009 at 2:21 pm |

    “Estou baixando o vídeo, mas pelos comentários já sei o que vou encontrar.”

    E só áudio. Não quero deixar ninguém com pesadelos.

    “Respeito a opinião de quem não gostou do filme. Nem Jesus, Sidarta Gautama ou Platão agradaram todo mundo, que dirá um simples diretor de cinema…”

    Thank god!

    “Não sou um exímio crítico de cinema, portanto não posso discorrer sobre questões como deficiências narrativas ou coisas do tipo. Também não assisto a filmes para ficar politizado ou consciente dos problemas da humanidade. (Aliás, acho isso um grande complexo de “pseudo-intelectualidade” – nem sei se o termo existe, mas enfim… todos nós temos defeitos). Se quero agregar conhecimento, a melhor opção é livro mesmo.”

    Então relaxa, por que o nível médio dos críticos (e mesmo dos realizadores) de hoje também baixou muito. Filmes tem vários fins.

    “Assisto um filme para ter algum tempo de entretenimento, para me emocionar e me relaxar.”

    Filmes podem ser muito mais do que isto. Nem todos… É claro…

    “Star Trek conseguiu me emocionar em VÁRIOS momentos. E não adianta falar que o filme “não é Jornada”. Quem não gostou tem que dar o braço a torcer quanto a isso. O filme é TOS (é claro que sem vulcano, mas com os personagens que conhecemos, que é mais importante que o planeta em si).”

    Ser ou não ser Jornada é o menor dos problemas, ser ruim ou não que o é.

    “O filme tem problemas? SIM (Spock com Urura, Spock retirando Kirk da nave)… Mas nada que estrague este grande reinício.”

    Problema menor e problema maior…

    “E vejam pelo lado bom: Star Trek I foi uma merda. Todos os personagens descaracterizados, o filme todo em camera lenta e aquela filosofia “de onde venho para onde vou” de boteco. E ele serviu para que o estúdio desse o sinal verde para a continuação que todos consideram como sendo a melhor da franquia nos cinemas (eu prefiro A Terra Desconhecida).”

    Concordo que o filme I é muito ruim, tentando ser algo que jornada não é. Na realidade ele quase decretou que não houvesse continuação. ST II foi telefilme até os 45 do segundo tempo. E é fácil o melhor da franquia sim.

    “Este filme tem cumprido seu papel com louvor: é um sucesso de público e crítica (com exceção de alguns lamentadores) e é um sucesso financeiro que possibilitou uma sequência já engatilhada, que pode vir a surpreender a todos, como A Ira de Khan fez no passado. Regis.”

    O papel de produzir um segundo melhor? Talvez.

    Abraço
    Castanha

  19. Francisco Oliveira | 16 de maio de 2009 at 2:22 pm |

    Castanheira , sempre admirei seu trabalho e dedicação à franquia , respeito muito isto .

    Com relação a este filme tenho opinião contrária e espero que junto às próximas sequências o conjunto da obra venha a te agradar mais .

    De toda forma lembre sempre disto : muitas crianças e adolescentes e também nós adultos e viciados na série estão extremamente felizes pelo resultado do filme como um todo e o sucesso obtido até agora nos cinemas …mais de 150 milhões de dólares .

    Abraço , Francisco Oliveira

  20. Luiz Castanheira | 16 de maio de 2009 at 2:30 pm |

    “Também não pretendo ouvir o podcast, porque pelos comentários do Castanheira antes de ver o filme, ele demonstrou que já tinha uma idéia preconcebida contra ele. Com base no primeiro relato (positivo) do Salvador Nogueira, ele afirmou que o filme tinha “sérios problemas narrativos”. Deve ser alguma questão filosófica, conceitual, e isso infelizmente dá um viés de parcialidade à coisa toda.”

    As coisas não existem no vácuo, Saldan. Os dois roteiristas vinham do lamentável Transformers e de uma greve que forçou o congelamento do texto. Dai a minha expectativa era baixa, a descrição do Salvador foi solidificando tal noção, algo que o filme confirmou. O veredicto vem do filme não de outro lugar. Se fosse só pela expectativa eu teria achado a trilha excelente.

    E na realidade, o que não existe é a imparcialidade. Exceto talvez naqueles textos que concordam conosco em tudo talvez (risos).

    Abraço
    Castanha

  21. As lamentações aqui são bem sólidas para os verdadeiros trekkers, e não para admiradores de parte da obra, ou da parte daqueles que apenas gostam de assistir filmes de scifi com naves espaciais, phasers, torpedos e batalhas (Flash Gordon, Buck Rogers, etc…).

    Star Trek tem + de 40 anos de erros e acertos, e esperava-se em definitivo um filme que se não acertasse 100%, ao menos não gerasse mais incongruências do e com as que já existem…

    Ninguém, eu acho, discorda que ST sempre foi paradão! Cenas de batalhas e lutas eram por demais meio engessadas, devido às limitações da época e nesse sentido, a velocidade das cenas deste novo filme realmente colocam as coisas em seu lugar!

    Mas ST tem seu legado construído não apenas por phasers, torpedos e combates espaciais, coisa que em SW vc sempre teve de sobra e é o que importa, ou vai me dizer que afora os fans de SW, o público adorava os diálogos entre mestre Yoda, Ben Khenobi e por aí vai…Textos chatos não?

    ST era mais chato ainda, até pq Spock transformou-se num Yoda (aliás, sempre foi) em tempo integral!

    Como já disse em outros posts meus, dava perfeitamente para ter este filme inclusive com a estória maluca do tal Nero e a Narada, matéria vermelha e afins e ainda assim aproveitar para por as coisas nos eixos sem matar, destruir ou corromper nada nem ninguém! E contar a estória de como Kirk assumiu a Enterprise sem precisar que Spock e Uhura fossem amantes e respeitando o fato de Checov só vir a fazer parte da tripulação mais tarde, o que ficaria para um segundo ou terceiro filme!

    Tem um hiato de tempo entre quando Kirk assume a Enterprise e o primeiro episódio da cronologia! Tem espaço de sobra para aventuras da Enterprise e do capitão Kirk sem mexer no Cânon.

    Mas o meu meio xará não teve esta luz pq não é fã e nunca assistiu antes disso. Deu no que deu!

    Mais um filme juvenil que não vai muito longe! Não passa de um terceiro, a nao ser que resolvam retomar o caminho, mesmo com todas estas alterações! Mas duvido muito que o façam ou o venham a querer fazê-lo!

  22. Luiz Castanheira | 16 de maio de 2009 at 2:35 pm |

    ” Castanheira , sempre admirei seu trabalho e dedicação à franquia , respeito muito isto .

    Com relação a este filme tenho opinião contrária e espero que junto às próximas sequências o conjunto da obra venha a te agradar mais .

    De toda forma lembre sempre disto : muitas crianças e adolescentes e também nós adultos e viciados na série estão extremamente felizes pelo resultado do filme como um todo e o sucesso obtido até agora nos cinemas …mais de 150 milhões de dólares .

    Abraço , Francisco Oliveira”

    Sem problemas, é obviamente só a minha opinião. Quem sabe na próxima eu venha a gostar (risos).

    Abraço
    Castanha

  23. Achei que depois dessa semana os animos estariam menos exaltados. Ainda é só falar que não gostou de uma coisa que todos vem falar que o filme é feito por Deus.
    Pessoal, o filme é empolgante e aventura pura. De resto ha várias coisas que não poderam ser boas por que ele tem muita história para pouco tempo. O DVD do diretor deverá ter umas 2 horas a mais para ser melhor compreensível.
    Já disse muita coisa sobre as naves e visuais do filme que são péssimos e ainda esta aparecendo muita coisa ainda mais ruim sobre essas partes.
    A história é uma aventura deliciosa e é para divertir, mas sim, ela é BURRA. Nada era essencial para que a próxima cena pudesse ocorrer. Gente, só o Kirk ficou pindurado a beira do abismo três vezes, no prcipcio em Iwoa, na broca e na Narada, dá para acreditar!
    Para mim o filme é ótimo para se divertir, mas não trás conteúdo novo para os trekkers passarem o tempo.

  24. Para quem deu sua opinião em uma hora direto sobre o filme (criticando-o) você não está recebendo bem as opiniões dos participante. O seu “risos” ao dar uma resposta mais adequada a eles, fica “meio” fora do que vc realmente está passando.

    E por falar na sua opinião… Ela é totalmente contraria a minha. Graças a Deus que Star Trek NUNCA foi e NUNCA será um Magnolia ou Barton Fink. Cada qual no seu galho.

    Mas “Viva a diversividade.”

  25. Corrigindo: “Viva a DIVERSIDADE”.

  26. Luiz Castanheira | 16 de maio de 2009 at 4:51 pm |

    “Para quem deu sua opinião em uma hora direto sobre o filme (criticando-o) você não está recebendo bem as opiniões dos participante. O seu “risos” ao dar uma resposta mais adequada a eles, fica “meio” fora do que vc realmente está passando.”

    Depende da resposta. E “fora do que eu estou passando”… Não entendi.

    “E por falar na sua opinião… Ela é totalmente contraria a minha. Graças a Deus que Star Trek NUNCA foi e NUNCA será um Magnolia ou Barton Fink. Cada qual no seu galho.”

    E eu disse que deveria ser? Onde eu escrevi isto?

    ” Mas “Viva a diversividade.” ”

    Felizmente.

    Abraço
    Castanha

  27. Pessoal
    Nunca vi tanta animosidade. Cada um tem uma opiniao e deveria ser respeitada.
    Por exemplo, o filme I é o que eu mais gosto. É o q tem de mais pura ficçao no cinema. Nao me interessa os que pensam ao contrário. Gosto mais do filme III do que do II. O filme V, concordo que é o pior mas eu gosto mesmo assim. Por sinal eu gosto de tudo, até do pobre e infeliz Nemesis.
    Todos tem falhas, algumas coisas me agradam outras menos. Se for para crticar, posso falr mal de todos, prefiro salientar as virtudes. ST é o que temos de melhor em scifi no cinema/TV, e se queremos incentivar os jovens é melhor agir com mais psicologia. Por exemplo, emprestei meus DVD’s dos filmes para uma amiga e fui explicando cada um deles, quando chegou no V falei que era mais fraco e , para minha surpresa, ela gostou também. Portanto, gosto é gosto e se queremos mais filmes o negócio é angariar mais trekkers (ou simpatizantes).
    Sugiro portanto, efetuar as análizes mais amenas. O novo ST tem falhas? Posso garantir que tem, posso citar mais que 10. Mas é tudo que temos, vamos nos divertir com as qualidades e esperar que os novos filmes venham (e torcer para que sejam melhores).

  28. Reginaldo Martins | 16 de maio de 2009 at 5:12 pm |

    Luiz, sempre gostei dos seus textos e foi com eles que aprendi a gostar de DS9. Te admiro independente da sua opinião ser contrária à minha quanto a este filme.

    Notei uma coisa estranha: você só está respondendo aos que estão contrários à sua opinião. Não há resposta aos que concordaram com você… Faz parecer um julgamento e você se defendendo rsrsrsr. Não precisamos chegar a este ponto.

    Agora voltando ao ponto. Gente, concordo que sempre há espaço para falar mal ou bem do filme, mas sem querer ofender ninguém, o que já está sendo dois pés no saco é essa estória de “mexeram no meu cânon”. Isso já encheu mesmo! (Ok, é só eu não ler, correto?). Eu já ouvi religiosos extremos dizerem que não se pode alterar nada da bíblia porque o que está ali é canônico. É incrível, mas não consigo deixar de notar semelhanças…

    Outra coisa que já encheu é comparações xulas desse Star Trek com Star Wars. Quem conhece a série se sente ofendido com essas comparações, pois apesar de grandes produções, SÃO DIFERENTES!!! Está para nascer o vilão trekker que chegue aos pés de Darth Vader OU do senador Palpatine, galera. Nem Khan nem ninguém. rsrsrs (Vai ter trekkie do alto clero querendo me escomungar agora rsrsrs).

  29. Depois do trabalho de comentar cada um dos episódios e quase todos os filmes em relaçao às possíveis mudança a partir desta nova pinha temporal, percebi que realmente o Castanheira leva ST MUITO a sério! Faz parte da vida, da identidade, do que ele é. Assim, as críticas que questionam sua trekicidade são sem propósito e desrespeitosas. Todos tem direito à opiniões diversas da maioria (graças a deus) e a possiblidade de postar a mesma aqui no site, ele conseguiu devido à quantidade de horas, energia e tudo mais que sempre dedicou à divulgação da franquia. Respeitem e se reservem o sagrado direito de discordar, sem desmerecer. Eu entendo seu ponto de vista. Passei a admirar ST por sua filosofia humanista, seu viés e contextualização histórica(Meus ep preferidos são o 2.23 e 3.21) e realmente estas caracteristicas passaram um pouco longe do novo roteiro. No mais, o filme é realmente superior a tudo feito em ST nos últimos 10 anos, o que não é muito difícil, mas bem vindo….

  30. 1. É Um trabalho de boa qualidade o que o locutor deste podcast realiza junto a comunidade trekker Brasil. É Fato.
    2. Opinião é que nem mulher, tem pra todos os gostos. Sem machismo, sendo macho.
    3. O filme me agradou em 80%, tem algumas imperfeições, mas nada muito relevante. Me enche os olhos saber que a franquia se reergueu pelas mãos de um diretor competente. Já o assiti duas vezes…e virão outras.
    4. Magnólia e Barton Fink… perdoem, mas com respeito, já que GOSTO É GOSTO, prefiro Cidadão Kane (Welles), A felicidade não se compra (Capra) e Crepúsculo dos Deuses (Wilder)…opinião de quem já viu 42 primaveras…heheheh, aí o negócio é mais embaixo.
    5. J.J ABRAHMS respeitou em termos muito aceitáveis o legado do Nosso Pássaro.
    6. Quem não gostou do filme, expresse isso e vá assitir X-MEN ou quem sabe As Vinhas Da Ira, de John Ford. Abraços.

  31. “Os dois roteiristas vinham do lamentável Transformers”. É fato, e aqui se fundamenta a prevenção “questão filosófica, conceitual” que referi. Faltou também você referir que o diretor é J.J. Abrams, que habitualmente utiliza a dupla de roteiristas em suas séries e filmes.

    Mas em suma, acho que gastar 1 hora de seu tempo e energia para traçar um panorama negativo do filme, no momento em que a franquia goza de uma visibilidade e aceitação inéditas por público e crítica, é defender com exagero um status quo que levou a “verdadeira” Jornada nas Estrelas à morte.

  32. Luiz Castanheira | 16 de maio de 2009 at 7:14 pm |

    “Luiz, sempre gostei dos seus textos e foi com eles que aprendi a gostar de DS9. Te admiro independente da sua opinião ser contrária à minha quanto a este filme.”

    Sem problemas.

    “Notei uma coisa estranha: você só está respondendo aos que estão contrários à sua opinião. Não há resposta aos que concordaram com você… Faz parecer um julgamento e você se defendendo rsrsrsr. Não precisamos chegar a este ponto.”

    Na realidade eu não estou fazendo exatamente isto não. Estou tentando esclarecer o que se relaciona diretamente a mim. Minhas críticas são dirigidas ao filme, como devem ser.

    “Agora voltando ao ponto. Gente, concordo que sempre há espaço para falar mal ou bem do filme, mas sem querer ofender ninguém, o que já está sendo dois pés no saco é essa estória de “mexeram no meu cânon”. Isso já encheu mesmo! (Ok, é só eu não ler, correto?). Eu já ouvi religiosos extremos dizerem que não se pode alterar nada da bíblia porque o que está ali é canônico. É incrível, mas não consigo deixar de notar semelhanças…”

    Por exemplo: relacionar Canon X Não Canon com as coisas que eu falo não é possível. E, de novo, os únicos que podem se ofender são os que realizaram o filme.

    ” Outra coisa que já encheu é comparações xulas desse Star Trek com Star Wars. Quem conhece a série se sente ofendido com essas comparações, pois apesar de grandes produções, SÃO DIFERENTES!!! Está para nascer o vilão trekker que chegue aos pés de Darth Vader OU do senador Palpatine, galera. Nem Khan nem ninguém. rsrsrs (Vai ter trekkie do alto clero querendo me escomungar agora rsrsrs). ”

    Diferente pra mim quer dizer sem chance de comparação. Exatamente isto.

    Abraço
    Castanha

  33. Luiz Castanheira | 16 de maio de 2009 at 7:18 pm |

    “Mas em suma, acho que gastar 1 hora de seu tempo e energia para traçar um panorama negativo do filme, no momento em que a franquia goza de uma visibilidade e aceitação inéditas por público e crítica, é defender com exagero um status quo que levou a “verdadeira” Jornada nas Estrelas à morte.”

    Faço com a mesmo naturalidade com que fiz exatamente o contrário por tantos anos. Ou seja , dar a minha opinião. E, note, ela não depende dos outros, só de mim e da obra em questão.

    Abraço
    Luiz

  34. Luiz Castanheira | 16 de maio de 2009 at 7:28 pm |

    “4. Magnólia e Barton Fink… perdoem, mas com respeito, já que GOSTO É GOSTO, prefiro Cidadão Kane (Welles), A felicidade não se compra (Capra) e Crepúsculo dos Deuses (Wilder)…opinião de quem já viu 42 primaveras…heheheh, aí o negócio é mais embaixo.”

    Na realidade, eu citei os dois filmes por não serem de fácil entendimento, o que também não quer dizer que difícil = bom. Não foi por “qualidade”. Repare o contexto.

    A ironia, mais uma vez, é que estou fazendo um listão de trezentos filmes: 100A , 100B e 100C.

    Na lista A constam Kane e Crepúsculo e na lista C consta Felicidade. Quanto a Vinhas da Ira, estou entre A e B. Deve ficar na B.

    Bye
    LC

  35. Post 28

    Gostando ou não de Star Wars(Eu gosto) um dos maiores vilões do cinema de todos os tempos e generos é Darth Vader. Quer gostem os Trekkers ou não. Alias Star Wars tem muito mais fãs e é muito mais conhecida justamente pq abraçou o grande público. Se tornou popular e rende continuações, séries, desenhos e muito mais graças a sua popularidade.

    E é justamente isso que a Paramount, JJ e equipe estão tentando fazer com ST 2.0. Popularizá-la. Torná-la atraente para mais e mais fãs e não só para um bando de xiitas que admiram a série faz 43 anos e a criticam faz 40 anos. Se nós que somos os mais interessados, ficarmos metendo o pau, só pq Spock beijou Uhura ou pq a Narada parecia o interior de uma caverna cheia de estalagtites, o estúdio bota ela de volta ao limbo por 6 ou mais anos. (Foi exatamente por isso que Enterprise foi cancelada. Por causa das críticas intermináveis de meia dúzia de fãs).

    E por que vcs acham que a Paramont não fez quase nenhuma divulgação? É só algum figurão ler esses comentários que desiste na hora. Se os fãs, que são os maiores interessados passaram um ano ou mais, metendo o pau, sem nem assistir nada, baseado apenas em comentários e uns 3 minutos de trailers. Ninguém em sã conciência gasta dinheiro pra ouvir um monte de gente falando mal.

    E o pior é que depois do filme estrear, alguns continuam metendo o pau ao invés de fazer uma boa propaganda boca a boca. Resultado? O número de salas com o filme, depois de apenas uma semana já caiu e vai continuar a cair.

    Life Long and Prosper \\//_

  36. Nossa, sendo um leitor, e somente leitor do Trek brasilis há 3 anos, nunca vi tanta animosidade desde as flame wars homericas antes do TB 2.0 (vejam a ironia), o que fez a moderação adotar regras bem mais rígidas em relação á isto. Não que eu concordasse com todas, mas tristemente, acredito que seria a hora da moderação agir.
    Uma flame war poderia ser até interessante(risos), mas isso está mais para um massacre.
    Rafael

  37. O filme é em si, do início ao fim, um grande e completo PARADOXO:

    Tudo que ele tem de RUIM é que, ainda que funcionasse bem em QUALQUER filme, NÃO funciona com STAR TREK.

    Tudo que ele tem de BOM é que, ainda que NÃO funcionasse bem em QUALQUER filme, funciona SIM com STAR TREK.

    Ou seja, em suma, exemplificando: tentaram inserir coisas que são super-legais em Star Wars e Battlestar Galactica, entre outros, mas que em STAR TREK não tem nada a ver mesmo.

    Algo como um chocolate com menos adição de açúcar e gordura que NÃO necessariamente resulta num chocolate mais gostoso, mas sim mais amargo e mais áspero.

    OU, pelo contrário, um chocolate com mais adição de açúcar e gordura que NÃO necessariamente resulta num chocolate mais gostoso, mas sim doce demais e mais gorduroso.

    Já diziam que dizia George Lucas: more fast and more intense.

    Enfim,

    VIDA LONGA E PRÓSPERA! 🙁

  38. “E o pior é que depois do filme estrear, alguns continuam metendo o pau ao invés de fazer uma boa propaganda boca a boca. Resultado? O número de salas com o filme, depois de apenas uma semana já caiu e vai continuar a cair.”

    Como já previra. Isso só demonstra que Jornada precisava mesmo de uma recauchutada geral. Ela só vai sobreviver a partir de agora graças a isso. Se dependesse de boa parte do fandom, permaneceria morta e enterrada.

  39. Não dou a mínima para o Cânon ( não muito ), eu queria uma boa história.

    Mas não gostei do filme.

    A história, muito fraca.

    Um aspecto positivo é que eu tinha medo que fosse algo mais adolescente do que realmente foi.

    Na minha humilde opinião o filme foi fraco mesmo como filme de ação.

    Não conseguiram portanto nem uma coisa nem outra.

    Gostei dos personagens. Gostei dos atores. Me emocionou a primeira aparição do Mccoy. Isso foi legal e se fizerem um roteiro muito bom poderemos ter uma continuação excelente.

    Fico muito satisfeito com o sucesso nas bilheterias e na mídia em geral. Quero que a franquia prospere, torço que dê certo.

    Confesso, quando vi o filme eu estava com muto sono. Vi na última sessão de um dia exaustivo. Cheguei a cochilar. Isso certamente atrapalhou meu julgamento.

    Eu esperava ver novamente neste fim de semana, para dar mais uma chance ao filme.

    Só que não estou sentindo vontade de revê-lo. Realmente minha decepção foi enorme.

    Mas acho que vou me forçar a ir amanhã. Quem sabe gosto nesta segunda sessão.

    Abraços.

  40. Luiz Castanheira | 16 de maio de 2009 at 8:49 pm |

    “E o pior é que depois do filme estrear, alguns continuam metendo o pau ao invés de fazer uma boa propaganda boca a boca. Resultado? O número de salas com o filme, depois de apenas uma semana já caiu e vai continuar a cair.”

    Quem deve se preocupar com dinheiro não somos nós. Não tenho ações da Paramount. Você tem?

    Abraço
    Castanha

  41. Maria da Conceição G. Simões | 16 de maio de 2009 at 8:52 pm |

    É como eu já disse várias vezes, ST não nos pertence, ela foi e sempre será uma fonte de $$$$$ para todos os envolvidos. Nós, trekkers amamos tudo relacionado com a série, o simples fato de ver os nomes dos nossos heróis novamente na mídia e ter uma oportunidade para que os filmes reapareçam nos cinemas já é válido. A única perfeição de ST está dentro de cada um de nós. Pq cada um de nós vivenciou a seu jeito as estórias até agora contadas. Por isso eu fico muito chateada com tanta negatividade. Vamos curtir um momento único, ter uma estória de TOS que podemos compartilhar tão rapidamente com todos. Já pensaram como seriam os comentários dos filmes se na decada de 60-70 tivéssemos internet? Provavelmente nem com 1 milhão de e-mails do Gene Roddenberry e da fã nº 1 (Bo, sei lá o que) salvariam a série, pq ia ter muita gente “baixando o pau” a cada semana. Mais uma vez eu digo, gostar ou não gostar é normal, é claro, mas fazer tanta crítica ruim e querer que todos concordem é demais. Eu sou trekker há quase 40 anos, sou do tempo que nem se ouvia falar no termo trekker, nem por isso me considero “dona” da verdade trekker. Até um livreto com uma estória de TOS eu escrevi, mas não mostro pra ninguém pq é a minha visão de ST. Vamos continuar conversando sobre aquilo que nos une e respeitar aqueles que gostaram do filme, como eu. Vida Longa e Próspera para todos.

  42. Meio parece nada a ver o que vou postar mas prá jogar lenha na fogueira…

    Lembrando que já postei várias vezes e sou isso sim contrário a boa parte da estória, que poderia ser diferente, respeitando o canon em boa parte e inserindo-se dentro do universo normal de ST sem ter que criar mais um Mirror Mirror!

    Bom, quanto a arrecadação, a posição do site Boxoffice neste momento é de um total de $142,110,837, o que coloca Star Trek na 3.ª posição, atrás de X-Men Origins: Wolverine com $148,290,744 em segundo e Monsters vs. Aliens com $190,851,681 em primeiro.

    Isso quanto ao total, o que deve deixar a Paramount muito contente pois só nesta brincadeira são + de $350,000,000 pelo 1.º e o 3.º da lista, ambos de produção deste estúdio!

    Já na semana, Star Trek está com $37,500,000, ocupando o 2.º lugar, atrás apenas de Angels & Demons que está em semana de estréia!

    Citando o texto do referido site: “Star Trek should lose a little more than 50% of it audience this weekend, which is a respectable drop during the incredibly competitive summer season. Reaching the $200 million mark domestically is looking like a very real possibility for the franchise reboot.”!

    Ou seja, se continuar neste ritmo, $200,000,000 até o próximo final de semana ou antes é plenamente viável e atingível!

    Levando-se em consideração que o filme da franquia que mais rendimento teve foi Star Trek The Motion Picture com um total arrecadado corrigido à valores atuais em $239,115,674, seguido por Star Trek IV The Voyage Home com $212,328,919 e Star Trek II The Wrath of Khan com $192,290,437, creio que a franquia possa-se dizer está momentâneamente a salvo de maiores perigos e com ótimas perspectivas quanto a um ou mais filmes na seqüência.

    Posso discordar de quase todo o filme, mas que o sucesso é inegável, isto o é!

    Live Long And Prosper!

  43. Post 35, Comentário perfeito.

    Star Trek como filme é bom, isso é fato, basta ver a sensação do público ao término da sessão, é um filme agradável e uma ficção cientifica como há muito tempo não vista.

    Star Trek foi muito bem no principal quesito, as atuações e a direção, se falhasse nisso, aí sim, a vaca teria ido pro brejo, mas não, foi uma grata surpresa.

    Quem era Chris Pine? O cara atuou com o coração, conseguiu nos mostrar a transformação do Kirk de uma forma vibrante e carismática. Agora ele é o Capitão Kirk e o público sabe da onde vem sua fama, tanto o lado heróico, quanto o galanteador foram bem apresentados.
    A figura icônica do Spock foi apresentada em dobro, a versão clássica e a nova e ambas se saíram muito bem, Quinto incorporou o Spock original, (aquele momento que a cadeira na medusa se mexe e ele diz: Fascinante! é Fascinante!!!), algumas alterações são em decorrência da nova realidade, mas a essência do vulcano está lá, e o Urban? O que é aquilo?! Fenomenal!

    Enfim… os personagens funcionam? E como, tanto para um fã, quanto para o público leigo, e isso é que importa, e eu continuo meio surpreso com tanta gente dando soco no filme, e justamente os fãs. (copiando o Seinfeld: “mas não que isso seja um problema!”).

    O legado principal de Jornada foi muito respeitado pelo Sr. JJ, os personagens, eles são a alma disso tudo.

    Como não se emocionar com aquele momento no final, em que o Kirk dá um soco no ombro do Spock…ali essa amizade histórica nasceu, e o JJ é um grande colaborador pra isso.

  44. Ahhhh…Filme dificil é “Quero ser John Malkovich”, ou quem sabe “Donnie Darko”, vide contexto de quem fez… Mas certamente Star Trek 5 é o mais bizarro….rsrs EXAGERADOS.
    Mentes, listas, é… obras de arte, riem de nossas parcas filosofias, aliás, pretensas categorizações… pseudo-eruditismo não perpassa genialidade ou seria o inverso… sic…rsrsrs.
    Quanto ao post 38 falou tudo, se dependesse do fandom sacro-canon moribundo, ESTARÍAMOS na lama. Vida longa e Próspera a J.J. ou Q’pla!

  45. ^41 Maria da Conceição

    Muito lucido seu comentário, pois o que estou lendo atualmente aqui e no ‘TREKMOVIE’ é surreal.
    Dá mesmo pra entender que preferem ST morta que ST 2.0. Ainda falam de CANON, querem ST pra si, como queria a BJO TRIMBLE (trekie que ajudou a salvar ST nos anos 60 e depois a queria pra si).
    Gente, o mundo mundou, nos mudamos ST tem que mudar, não falo nem BEM nem MAL, falo de mudanças para evoluir. O que não evolui, MORRE.
    ST estava morta porque não evoluiu, estava parada no tempo com os mesmos ”principios e ideias’ dos anos 60 / 80 (TNG). Os personagens estavam sendo parodia de si proprio, TNG aprofundou isto com histórias chatas, mal elaboradas e ” lugares comuns” como o conceito de vida idílica no paraiso da perfeição humana, que não existe. JJ não é nem será nenhum JOHN FORD, mas assumiu o risco de mudar a franquia; E toda mundança no STATUS QUO, quase nunca é bem vista. Deem tempo a si próprios de analisarem ST 2.0 com uma visão menos critica e mais compreensiva em relação a tudo que esta por vir agora.
    Abraços a todos, ”VIDA LONGA E PROSPERA”

  46. Reginaldo Martins | 16 de maio de 2009 at 11:26 pm |

    Post 35.

    Exatamente isso que eu quis dizer. Comparam Star Trek com Star Wars POR QUE???

    Não vi nenhum caça. Nenhum destroier imperial. Não vi a Força. Não vi nenhum Lord Sith e nenhum cavaleiro Jedi (o Sulu não resistiria nem 30 segundos contra qualquer padawan. Talvez o Spock fosse capaz de lidar com o Obi-Wan SE este estivesse SEM um sabre de luz e se comprometesse a NÃO utilizar a Força).

    Entretanto, vi oficiais da Frota Estelar que falam exatamente como a mitologia da série já estabeleceu, vi a escola vulcana com toda sua lógica, vi os maiores absurdos sendo feitos com o transporte (algo corriqueiro no “canôn” [meu Deus… fui infectado]), vi gente imperfeita se superando diante de um grande desafio, e vi a ENTERPRISE! E as (poucas) batalhas da Enterprise foram BEM ao estilo de Jornada (revejam as batalhas em A Ira de Khan e A Terra Desconhecida), só que com mais… “adrenalina” – coisa que um cruzador equipado com materia-antimateria pode fazer.

    É isso aí. Até semana que vem. Saí de férias e pego o avião amanhã cedo 🙂

    Regis.

  47. Fala, Luiz.

    Cara, achei que o som do nutcast ficou muito baixo. No meu MP4, por exemplo, tá impossível ouvir. No computador, com o som na máximo, tá beleza.

    Sobre os comentários, sei muito bem como é sua visão de Jornada e já esperava que o filme o decepcionasse. Nada de novidade aí.

    Mesmo eu tendo outra visão do novo STAR TREK, concordo contigo em vários pontos, como as terríveis coincidências da trama. Mas, tento entender isso da forma “o destino tinha que ser assim”. Ou seja: alguma espécie de Q moveu os pauzinhos para que os sete servissem a bordo da Enterprise de alguma maneira. É ficção mesmo, logo…

    Abraço e setembro tá chegando.

  48. Tem gente que não está acostumada a ouvir opiniões diferentes, sem partir pra briga.

    Só quem não conhece a história do Castanheira poderia questionar se ele é trekker ou seu conhecimento de cinema.

    Ele tem uma base pra falar. Mas ninguém precisa concordar com ele.
    Na minha opinião, ele pode ter sido muito severo em alguns pontos.

    Primeiro eram os chamados “xiitas” que não aceitavam o novo filme. Agora são os xiitas que não aceitam críticas ao filme.

    Estão tão desesperados pelo “renascimento” da franquia que consideram que qualquer um que tenha restrições ao filme é uma ameaça.

    Parece até o Lula no jornal de hoje, falando que abrir CPI pra investigar a Petrobrás é anti-patriótico.
    Apontar falhas no filme é ser anti- trek, né?

  49. J J A-Brahmas | 17 de maio de 2009 at 10:01 am |

    Adorei o comentário do Castanheiras.
    Analisa a forma e o conteúdo, foi até mais complacente que eu seria.
    Havia também no filme inconsistências implícitas como: por que o Império Romulano do sec XXIV não evacuou Romulus quando viu seu sol ameaçado?
    Por que deixar na mão de um único homem (Spock) a sobrevivência de seu planeta?
    Em vulcano, não havia nenhuma força terrestre para impedir a perfuratris? Nada? Nem um grupo com exposivos ( como os de kirk e cia?), Nada?, Nenhum míssel, nada?
    Comentar sobre a Bavariaprise não preciso, Castanheiras já deu seu recado.
    Sinceramente, eu esperava mais, muuuuito mais, devido ao alarde do fandom, os segredos de JJ, ao $$ gasto na produção e divulgação.
    Quanto mais lembro desse filme mais gosto da “Ira de Khan” e da Terra Desconhecida.
    Valeu Castanhas!!!

  50. J J A-Brahmas | 17 de maio de 2009 at 10:03 am |

    Apenas complementando

    Castanhas, você me deve um cafezinho e uma lavada de calça, quando você bateu no mic por duas vezes derrubei o café que estava tomando em minha calça.

  51. “Apontar falhas no filme é ser anti- trek, né?”

    Calro que não. Mas a insistência com que fazem (algo do tipo “procurar pelo em ovo”) dá a impressão que sim. Aplicadas essas mesmas críticas à própria Série Clássica na época da sua exibição, ela provavelmente não chegaria nem à 3ª temporada. Idem quanto às séries dela derivadas.

    Imaginem se houvesse internet na época das 2 primeiras temporadas da TNG – a repercussão negativa seria tanta que talvez ela não fosse renovada nem para a 3ª temporada.

  52. Luiz Castanheira | 17 de maio de 2009 at 12:31 pm |

    “Fala, Luiz.

    Cara, achei que o som do nutcast ficou muito baixo. No meu MP4, por exemplo, tá impossível ouvir. No computador, com o som na máximo, tá beleza.

    Sobre os comentários, sei muito bem como é sua visão de Jornada e já esperava que o filme o decepcionasse. Nada de novidade aí.

    Mesmo eu tendo outra visão do novo STAR TREK, concordo contigo em vários pontos, como as terríveis coincidências da trama. Mas, tento entender isso da forma “o destino tinha que ser assim”. Ou seja: alguma espécie de Q moveu os pauzinhos para que os sete servissem a bordo da Enterprise de alguma maneira. É ficção mesmo, logo…

    Abraço e setembro tá chegando.”

    Com certeza está baixo, troquei o driver da placa de som (ou o equivalente) duas vezes e nada mudou. Infelizmente.

    E realmente já estamos na metade maio. O tempo voa mesmo.

    Forte Abraço
    Castanheira

  53. Luiz Castanheira | 17 de maio de 2009 at 12:52 pm |

    ” Muito lucido seu comentário, pois o que estou lendo atualmente aqui e no ‘TREKMOVIE’ é surreal.
    Dá mesmo pra entender que preferem ST morta que ST 2.0. Ainda falam de CANON, querem ST pra si, como queria a BJO TRIMBLE (trekie que ajudou a salvar ST nos anos 60 e depois a queria pra si).”

    Nada falei sobre Canon e creio que Jornada nunca morreu, algo que simplesmente não acho possível. E eu deixo o infinitamente clichê, “Jornada renasceu”, para a capa do DVD (risos).

    “Gente, o mundo mundou, nos mudamos ST tem que mudar, não falo nem BEM nem MAL, falo de mudanças para evoluir. O que não evolui, MORRE.
    ST estava morta porque não evoluiu, estava parada no tempo com os mesmos ”principios e ideias’ dos anos 60 / 80 (TNG). Os personagens estavam sendo parodia de si proprio,”

    Esta não é a Jornada do mundo de hoje, é meramente uma revisita a Jornada do passado, com uma estética afeita aos adolescentes do mundo de hoje. Não é a mesma coisa. E é irônico você falar de paródia deles mesmos, após este tratamento Galaxy Quest recebido em tela.

    ” TNG aprofundou isto com histórias chatas, mal elaboradas e ” lugares comuns” como o conceito de vida idílica no paraiso da perfeição humana, que não existe. JJ não é nem será nenhum JOHN FORD, mas assumiu o risco de mudar a franquia; E toda mundança no STATUS QUO, quase nunca é bem vista. Deem tempo a si próprios de analisarem ST 2.0 com uma visão menos critica e mais compreensiva em relação a tudo que esta por vir agora. ”

    É irônico falar de “chato, mal elaborado e lugar comum” após este filme, que no fundo é o que ele é: com piadas óbvias, cópias de outros filmes, mais problemas de narrativa que o dueto de um fanho com um gago, e lotado de clichês de gênero do começo ao fim.

    E eu não preciso ser compreensivo com uma equipe que teve o orçamento que teve (inclusive para divulgação, ALGO QUE JORNADA NUNCA TEVE!) e total apoio do estúdio. Eles tinham que mostrar a Jornada de 2009. O que não fizeram. Quem sabe no próximo…

    Abraço
    Castanheira

  54. Luiz Castanheira | 17 de maio de 2009 at 12:55 pm |

    “Apenas complementando

    Castanhas, você me deve um cafezinho e uma lavada de calça, quando você bateu no mic por duas vezes derrubei o café que estava tomando em minha calça.”

    Ai é com a FOX. Não sei se eles vão pagar não (risos). Valeu pelo humor.

    Abraço
    Castanheira

  55. Luiz Castanheira | 17 de maio de 2009 at 1:00 pm |

    “Ahhhh…Filme dificil é “Quero ser John Malkovich”, ou quem sabe “Donnie Darko”, vide contexto de quem fez… Mas certamente Star Trek 5 é o mais bizarro….rsrs EXAGERADOS.
    Mentes, listas, é… obras de arte, riem de nossas parcas filosofias, aliás, pretensas categorizações… pseudo-eruditismo não perpassa genialidade ou seria o inverso… sic…rsrsrs.
    Quanto ao post 38 falou tudo, se dependesse do fandom sacro-canon moribundo, ESTARÍAMOS na lama. Vida longa e Próspera a J.J. ou Q’pla!”

    Adoro também estes dois. Você até que tem bom gosto…

    E quem disse que é para levar as minha listas a sério. É só para organizar AS MINHAS idéias…

    Não sei quanto a você, mas eu nunca andei na lama. Então…

    Abraço
    Castanheira

  56. Luiz Castanheira | 17 de maio de 2009 at 1:03 pm |

    “Nossa, sendo um leitor, e somente leitor do Trek brasilis há 3 anos, nunca vi tanta animosidade desde as flame wars homericas antes do TB 2.0 (vejam a ironia), o que fez a moderação adotar regras bem mais rígidas em relação á isto. Não que eu concordasse com todas, mas tristemente, acredito que seria a hora da moderação agir.
    Uma flame war poderia ser até interessante(risos), mas isso está mais para um massacre.
    Rafael”

    Nenhuma ironia me escapa (risos). Gostastes, como diria o REF, “da fita”?

    Abraço
    Castanheira

    P.S.: Até o momento ninguém me ofendeu. Tudo inofensivo. Tranquilo quanto a isto.

  57. Ufa! Ainda bem que não fui o único a desgostar do filme aqui. Isso prova que eu não estou sozinho no universo!!! Aliás, não entendo por que atacam de forma ferrenha quem discorda do rumo do novo filme por aqui, porque na verdade, se estamos aqui no TB discutindo sobre esse filme e, se o TB existe por causa de 43 anos de Jornada, por que criticar este filme e defender o que veio antes é ser dinossauro? Bradam “viva Star Trek 2.0” ou “Star Trek 1.0 precisava mesmo de uma mudança, estava muito parada, precisava de mais ação”. Não foi aquele ST que recrutou tantos Trekkers mundo afora e manteve a franquia por quatro décadas? É ser herege ir contra o novo filme? É não conhecer a franquia?!? Por favor, não vamos fazer dos debates aqui uma caça às bruxas! Cada cabeça uma sentença! O mundo seria muito esquisito se todos tivessem a mesma opinião e, eu por exemplo, não posso ficar irado se eu não gostei e o restante adorou ou vice-versa, mas, o mais importante é que agora a Paramount vai fornecer verba para ST continuar. Porém, não quero ver apenas ST, mas enxergar a essência de ST! Eu, particularmente, não acredito no potencial da dupla de Transformers para dar continuidade no projeto e até reconheço que exagerei quando critiquei J.J. pois este seguiu o roteiro! Alguém sugeriu em outro fórum a contratação de Ridley Scott e eu acho soberbo, porém improvável, mas… é isso!

  58. Francisco Oliveira | 17 de maio de 2009 at 5:35 pm |

    O importante é que teremos uma sequencia e todos nós , os que gostaram e os que detestaram ST iremos nos reencontrar em breve para novas discussões .
    Aliás ,entre um grande filme canônico mas fracassado nos cinemas e este recomeço cheio de controvérsias com amplo sucesso de arrecadação eu fico com o segundo .

    Abraço , Francisco Oliveira

  59. Vamos apenas não dar tanto desnecessário embate para uma mera opinião ok? Calma povo, Jornada venceu, pronto. Ou ponto. Abraços.

  60. J J A-Brahmas | 17 de maio de 2009 at 7:07 pm |

    Venceu? Jornada? Quem venceu foi JJ e um filme mediano para ruím. Teria vencido se fosse um filme que unisse o fandom.

  61. Marcus Adriano | 17 de maio de 2009 at 7:13 pm |

    Pena que o Castanheira não tenha gostado do filme. O conheci em encontros que ele promovia no bairro de Ramos, Rio de Janeiro e gostei muito dele. Me pareceu um cara bem sensato e maneiro. Na época, TNG passava “slowly” no finado canal USA e sempre tinhamos novos episodios lá nesses encontros.
    Acredito que a maioria das criticas tenham sido positivas, nada é unânime (até porque “toda unanimidade é burra”…). Eu gostei do filme. Não ficará marcado pelo roteiro, gostei da maioria das atuações. Se é um filme de verão, que seja. Quem conseguir aproveitar, legal. Eu aproveitei e espero ver outros vezes e aproveitar novamente.

    Abraços

  62. Castanheira, com esse podcast e mais aquele artigo “Depenando o Grande Pássaro”, você desperta a ira dos fãs!
    Toma cuidado quando andar na rua, haha…

  63. Castanha, meu velho, ainda não ouvi, mas tenho certeza que vou me divertir!

  64. Castanheira, não sei se você vai ler este post, mas não elogio o filme do JJ, pois concordo com a maioria dos seus comentários, principalmente as ”coincidencias” demais. Estas”coincidencias demais” aconteceram até no HOMEM ARANHA 3. Mal dos roteiros fracos de hoje. Peço apenas uma maior compreensão com o MAL MENOR que este filme é. Precisavamos dele para colocar ST de novo nas telonas, precisavamos dele para agora poder pedir um tratamento melhor para ST. A PARAMOUNT quer liberdade sem o CANON restritivo,(você não disse isto, isto é algo que me ficou claro desde a primeira sinopse do filme) quer algo mais proximo de SW, ou seja, mais apelo ao publico que atualmente MANDA na midia em geral.
    Se não concordamos com a nova ‘linha temporal’ temos mesmo que nos manifestar e manifestar com vontade para saberem nossa posição.
    Mas não da mais para seguir a linha RICK BERMAN, que enterrou a franquia. Quando falei de ”parodia de si próprios” e histórias mal elaboradas, você sabe que me refiro a tentativa de transformar o PICARD no KIRK ‘pegador’, como em INSURRECTION, ao ‘pegar’ a mocreia de 300 anos, ou em NEMESIS com um KHAN sem passado e sem futuro. Piorando a coisa, copiaram a morte do ‘amigo’ do capitão para salvar a nave em ”perigo”.
    Castanheira admiro seu conhecimento e dedicação a ST, mas dá um tempo e veja a nova ST com mais simpatia. Abraços

  65. Marcus Adriano | 17 de maio de 2009 at 10:35 pm |

    Pode ter atrapalhado tb a grande expectativa dos fãs quanto ao filme. As criticas pre-lançamento foram muito boas e a expectativa aumentou mais. Como o filme é bom e não maravilhoso, muitos acabam não gostando. Vejam o filme de alma “limpa”.

  66. Jesus, Maria e José! Eu só consigo sorrir! Existem outros fãs neste mundo que desgostaram desse filme!

    Que crítica boa! Concordo com tudo que foi dito.

    Acompanhem-me: por que Blade Runner e 2001 são marcos?

    Porque eles conseguiram atravessar aquela crosta chamada mediocridade. Eles nos entregaram novos conceitos até então desconhecidos numa ficção científica (estou me atendo apenas a esse gênero mas o que digo serve para todos os outros em quaisquer mídias). Eles revolucionaram nossa forma de pensar sci-fi e, por isso, ganharam notoriedade e respeito.

    O filme medíocre não consegue arrebentar a já falada “crosta de mediocridade”. Com isso, torna-se comum… mundano… esquecível.

    Para mim, a franquia Star Trek não deveria ser mundana. Ela tem (ou tinha), como charmosa qualidade, a vontade de debater.

    Star Trek – The Movie, apesar de seus tropeços, mostrou-nos que homem e ferramenta (máquina), criador e criatura, podem ser confundidos e, até, mesclados. Ser consciente de si mesmo não depende de metabolismo ou circuitos. Inclusive, há um debate sobre o que é a religião. São conceitos simples, eu admito… mas tornam a experiência mais
    agradável. Você pode assistí-lo com 11 anos e percebê-lo como um filme de ação moroso… mas aos 20, você, ao reassistí-lo, descobre mais signos dentro dele.

    Este Star Trek XI não oferece segunda leitura. Não há significado algum. Ele se propõe a ser um filme de ação e isso, para J.J., é o bastante.

    Agora… se você acha que Star Trek se resume a correrias e explosões… então está bem servido com esse filme.

  67. Em tempo: daqui a pouco vão comentar sobre Jornada nas estrelas no Manhattan Conection – GNT.

  68. Fico contente que ST XI ja tenha superado ST IV em arrecadacao e espero mesmo que ela continue faturando!

    Nao espere uns $600,000,000 como o Titanic, mas que uns 200,000,000 ou mais sao bem vindos, isto o sao, ate para que ST continue ativo junto a Paramount!

    Live Long And Prosper!

  69. Luiz Castanheira | 18 de maio de 2009 at 12:35 am |

    ” Castanheira, não sei se você vai ler este post, mas não elogio o filme do JJ, pois concordo com a maioria dos seus comentários, principalmente as ”coincidencias” demais. Estas”coincidencias demais” aconteceram até no HOMEM ARANHA 3. Mal dos roteiros fracos de hoje. Peço apenas uma maior compreensão com o MAL MENOR que este filme é. Precisavamos dele para colocar ST de novo nas telonas, precisavamos dele para agora poder pedir um tratamento melhor para ST. ”

    JURO, que só agora entendi. Mas, honestamente, não sei bem como a gente vai “pedir algo”.

    ” A PARAMOUNT quer liberdade sem o CANON restritivo,(você não disse isto, isto é algo que me ficou claro desde a primeira sinopse do filme) quer algo mais proximo de SW, ou seja, mais apelo ao publico que atualmente MANDA na midia em geral.
    Se não concordamos com a nova ‘linha temporal’ temos mesmo que nos manifestar e manifestar com vontade para saberem nossa posição. ”

    Na realidade eu sou extremamente agressivo neste ponto. Muito mais do que os realizadores e aparentemente mais do que boa parte do fandom pré-existente.

    Por mim só teria uma mensagem de “Quanto mais as coisas mudam, mais elas permanecem as mesmas” na tela e ia direto para a nova aventura.

    ” Mas não da mais para seguir a linha RICK BERMAN, que enterrou a franquia. Quando falei de ”parodia de si próprios” e histórias mal elaboradas, você sabe que me refiro a tentativa de transformar o PICARD no KIRK ‘pegador’, como em INSURRECTION, ao ‘pegar’ a mocreia de 300 anos, ou em NEMESIS com um KHAN sem passado e sem futuro. Piorando a coisa, copiaram a morte do ‘amigo’ do capitão para salvar a nave em ”perigo”. ”

    Honestamente, eu acho que eu não tinha como entender o que você escreveu. Agora eu entendo. Tudo tranquilo.

    ” Castanheira admiro seu conhecimento e dedicação a ST, mas dá um tempo e veja a nova ST com mais simpatia. Abraços” ”

    Ver com a simpatia de um mal necessário? Não… Acho que não…

    Abraço
    Castanha

  70. Luiz Castanheira | 18 de maio de 2009 at 12:50 am |

    ” Castanheira, com esse podcast e mais aquele artigo “Depenando o Grande Pássaro”, você desperta a ira dos fãs!
    Toma cuidado quando andar na rua, haha… ”

    Não é mesmo? (risos) Vou ver se o Penteriche relança aquele cast do City On The Edge Of Forever para ver se equilibra a coisa (risos histéricos).

    Mas vem coisa positiva ai: Caprica, Recap de BSG, talvez o meu TOP 19 SCIFI (FINALMENTE – Que série será ??? – Façam as suas apostas!) e um ainda muito secreto: “Jornada Nas Estrelas: Onde tudo realmente começou!”

    E ainda:

    – Feliz pra dedéu após o show com Iommi e Butler!

    – Meu Raciocínio Lógico III acabou de completar UM MIL DOWNLOADS. Ainda não arrumei editora, mas é um começo. Definitivamente é um começo.

    Abraço
    Castanheira

  71. Caros colegas

    Para todos aqueles que GOSTARAM de Star Trek XI assim como eu gostei, para aqueles que não precisam se esconder atrás de clichês baratos e preconceitos, embrulhados com uma etiqueta onde se lê “crítica”, a todos esses eu gostaria de lembrar que hoje, 17/05/09 STAR TREK XI ESTÁ PARA ULTRAPASSAR A MARCA DOS 150 MILHÕES DE DÓLARES.

    Na semana que antecedeu o lançamento, apostei aqui que o filme atingiria essa marca em um prazo curto de tempo. Assim, é com satisfação que vejo tal fato se realizar em pouco mais de uma semana de exibição. Cabe lembrar que esses números são relativos apenas aos EUA. Mundialmente, o filme já ultrapassou esse valor.

    Tal fato é mérito do produtor e diretor JJ Abrams, tão acintosamente desconsiderado em meio aos “fãs”. Mesmo aqui no Trekbrasilis, em nenhum momento vi uma matéria sequer que traçasse seu perfil e contasse a história de sua carreira, de modo que pudéssemos comentar qual seria sua influência na franquia (e, por favor! não me venham com aquela conversa fiada “porque você não sugeriu essa biografia na época, ricardo?”…isso não era lição de casa minha).

    O que ocorreu, desde o inicio, na verdade muito antes do filme sequer começar a ser rodado, foi um processo de apedrejamento da produção por boa parcela dos “fãs”. Afinal, o JJ Abrams tinha que pagar caro por se meter com Star Trek…quem ele pensa que é para entrar no nosso quintal! Foi assim que o JJ Abramas virou a Geni dos “fãs”…tão odiado, mas tão necessário. O fato curioso é que criticas contra o filme, hoje, são EXATAMENTE AS MESMAS DAQUELA ÉPOCA. Então eu me pergunto: será que existe uma parcela de pessoas com poderes de clarividência ou tudo não passa de má-fé e reacionarismo?

    O que nós temos que olhar daqui pra frente é isso: esses 150 milhões não tem origem na audiência de Nemesis, Inssurrection ou Generations. Se fosse isso, esses filmes não teriam sido um estrondoso fracasso. Se esses que se dizem “fãs” tivessem tanta influência, o pseudo-sucesso da falsa Mona Lisa trekkie, chamada “Primeiro Contato”, não contabilizaria apenas 1/3 da atual bilheteria. A bilheteria atual não se deve a nenhum daqueles que enterraram a franquia. Star Trek se renovou sim e uma nova geração de aficionados surgiu. Vai haver uma continuação… e outra depois desta, todas com o mesmo resultado na boca do caixa. Apostar contra isso, escapando com a óbvia falácia de que se trata simplesmente de uma “empolgação momentânea”, é algo que o tempo vai tratar de esclarecer.

    Se existe clichês, eles estão em argumentos como “esse filme não é Star Trek”. STAR TREK É MARCA REGISTRADA DA PARAMOUNT, LOGO, POR MAIS REDUNDANTE QUE POSSA PARECER, STAR TREK XI É STAR TREK, PONTO. Coisas como “Não…para mim, Star Trek é aquilo que sinto no coração quando vejo uma lágrima cair e nascer uma estrela” são muito bonitas mas não muda a realidade dos fatos.

    Quanto a grudar nas falhas do roteiro, teriam os tais “fãs” coragem ou honestidade suficiente para falar das virtudes do filme? Me apontem um roteiro, um único roteiro, que não tenha falhas. Não adianta apelar para Cidadão Kane, Metropolis ou Dançando na Chuva, querem transformar Star Trek em um clássico? “Ah…mas se o Scorcesi tivesse dirigido…”não, não adianta sofismar.

    Ademais, querer desqualificar Star Trek XI (que claramente sempre foi uma franquia de entretenimento) taxando-o de ser um “filme para adolescentes” é uma tese fraca, muito fraca. Quer dizer que se esse filme fosse para a terceira idade, então seria um bom filme? O preconceito pode ser impressionante. Argumentos como “a sabedoria dos velhos” e “a inexperiência dos jovens” são generalizações ingênuas: existem velhos e jovens de todos os tipos.

    Obrigado a qualquer um que tenha tido a paciência de ler até aqui. Não responderei a nenhum cometário sobre meu post, mesmo porque os moderadores nunca cansaram de recitar a ladainha “não se comenta os comentários”. Ou este tópico se tornou uma sessão de cartas, com perguntas e respostas, ou a moderação jogou essa regra na lata do lixo.

  72. Só remendando:

    Onde escrevi Scorcesi, quis dizer Scorsese.

    Obrigado

  73. Luiz Henrique | 18 de maio de 2009 at 2:54 am |

    Não ouvi o cast, mas pela discussão aqui apresentada dá pra imaginar o nível das críticas. No meu caso, o importante mesmo é que foi um excelente filme o que eu vi, fã de ST desde os anos 70, e encantou minha filha de 11 anos de idade, que deixou a sala perguntando quando sai a continuação. Parabéns a todos que participaram da obra, rejuvenesceram Jornada de um modo que eu jamais imaginei e ganharam mais uma pequena fã. Só isso já valeu!

  74. Oi, Luiz!

    Eu pus pra baixar o nutcast no dia que vc o upou enquanto ia a uma peça de teatro (obrigações de aluna) e quando voltei, não resisti a ouvi-lo.

    Eu parecia uma maluca rindo de umas partes e complementando algumas falas suas, quando vc dava algumas pausas. Pra falar a verdade, mamis deve estar achando que sou maluca sim, mas o nutcast foi ótimo de ouvir. Bem-humorado e ao mesmo tempo bem crítico.

    Eu também não gostei muito do filme, uma coisa que acho boa nele é que ele até que passa rápida, não fiquei com vontade de ficar toda hora consultando o celular, mas não gostei do negócio principalmente por causa dos personagens, como já disse no fórum. Mal escritos, criados, desenvolvidos e, principalmente Kirk e Spock mal interpretados em diversas partes e em algumas outras, Pine e Quinto tentando imitar o que fora feito anteriormente. Não me liguei tantos nos enormes furos de roteiro, pq simplesmente não me importei com aquelas pálidas sombras do que seriam pessoas. Quer dizer… só me importei com McCoy, Pike e um pouco com a Uhura, que eu já disse que foi uma as coisas que mais gostei – espero que seja desenvolvida no futuro e bem.

  75. Leandro Martins | 18 de maio de 2009 at 5:42 am |

    @71: Vinha muito bem até querer inventar dar piti classe “Então as coisas são assim aqui” contra a Moderação, Ricardo. Mas talvez uma boa lição de casa seja você rever as normas de uso com mais atenção.

  76. Nada de piti Leandro. Também não tive intenção de ir contra a moderação. Foi do meu entendimento que comentar os comentários sobre o comentário era algo que fugia às regras. Em alguns casos, como no post 11, isso foi feito de forma bem agressiva.

    Reconheço o trabalho do Salvador Nogueira junto à promoção da franquia durante todos esses anos, embora não concorde com sua critica ao filme. Quando se tem uma posição considerada polêmica, é comum gerar reações dos outros, bem como contra-reações. Normal…eu mesmo já fui chamado aqui de trollista, pseudo-intelectual, bajulador do JJ Abrams, etc. Isto porque estamos vivendo tempos engraçados, onde em um site de Jornada você pode ser duramente criticado por defender…Jornada. Mas faz parte da diversidade de opiniões e eu, em respeito à moderação, fiquei sempre na minha. Se não foi o caso nessa situação, então peço desculpas, devo estar fraco mesmo em hermenêutica.

  77. J J A-Brahmas | 18 de maio de 2009 at 9:42 am |

    Post 71
    ” O fato curioso é que criticas contra o filme, hoje, são EXATAMENTE AS MESMAS DAQUELA ÉPOCA. Então eu me pergunto: será que existe uma parcela de pessoas com poderes de clarividência ou tudo não passa de má-fé e reacionarismo?”

    Isso não é verdade. Nunca lí nada antes do lançamento do filme, sobre a tecnobaboseira do transporte (usada ao ridículo), sobre inconsistências de roteiro, romance de Uhura, sobre as falas dos atores etc
    O que havia frequentemente era sobre a Bavariaprise construída no chão só para o jovem Kirk ve-la de motocicleta, criticas do design ( que não havia ainda sobre a Bavaria Engenharia), críticas sobre kirk dirigir etc…
    As críticas atuais são sobre a superficialidade do filme, podia ser melhor, foi clima de video clip de 2 hs, só isso.
    Para mim, esse filme ficou entre Star Trek III misturado com Nemesis.
    É bom lembrar que muitos que chutam cachorro morto hoje (no caso BB), deliravam quando um novo filme ou série aparecia na telinha ou telona, segurar a peteca por 18 anos não é bolinho, será que esse reboot dura tanto?

  78. Leandro Martins | 18 de maio de 2009 at 10:19 am |

    @76 – Beleza então, Ricardo, e vamos seguir em frente. A intensa crítica do filme por uma parcela do fandom eu vejo como algo previsível e inevitável. Fandom é sempre um grupo praticamente impossível de se agradar como um todo devido ao maior envolvimento com o tema, e ainda assim o filme conseguiu satisfazer a maioria dos fãs de Jornada, como dá para se constatar aqui mesmo no TB — apesar dos colegas que não gostaram, o número daqueles que gostaram é claramente superior, para não falar nada da crítica e público leigo, onde a aprovação do filme está ainda mais alta.

  79. É isso ai, concordo contigo: vamos em frente!

    PS: Você está devendo uma análise sobre o que achou da frota nesse filme hein?

  80. Maria da Conceição G. Simões | 18 de maio de 2009 at 1:41 pm |

    Só um pequeno adendo, alguém aqui já era velho ao se tornar fã de ST? Naquela época Gene Roddenberry estipulou que ST era só para os mais velhos? Então eu fui penetra nesta estória, comecei a gostar de ST aos 14-15 anos + ou -, pq minha irmã, que tinha 18-19 anos gostava dos filmes e me contava sobre eles. EU GOSTO DE STAR TREK!!! Mesmo Spock’s Brain tem seu mérito, então Viva Star Trek, seja quem for o dono da franquia!!!!

  81. Luiz Castanheira | 18 de maio de 2009 at 3:03 pm |

    ” Caros colegas

    Para todos aqueles que GOSTARAM de Star Trek XI assim como eu gostei, para aqueles que não precisam se esconder atrás de clichês baratos e preconceitos, embrulhados com uma etiqueta onde se lê “crítica”, a todos esses eu gostaria de lembrar que hoje, 17/05/09 STAR TREK XI ESTÁ PARA ULTRAPASSAR A MARCA DOS 150 MILHÕES DE DÓLARES. ”

    Algo que não quer dizer absolutamente nada per se (ver acima).

    ” Na semana que antecedeu o lançamento, apostei aqui que o filme atingiria essa marca em um prazo curto de tempo. Assim, é com satisfação que vejo tal fato se realizar em pouco mais de uma semana de exibição. Cabe lembrar que esses números são relativos apenas aos EUA. Mundialmente, o filme já ultrapassou esse valor. ”

    Ainda sem ações da Paramount por aqui (ver acima).

    ” Tal fato é mérito do produtor e diretor JJ Abrams, tão acintosamente desconsiderado em meio aos “fãs”. Mesmo aqui no Trekbrasilis, em nenhum momento vi uma matéria sequer que traçasse seu perfil e contasse a história de sua carreira, de modo que pudéssemos comentar qual seria sua influência na franquia (e, por favor! não me venham com aquela conversa fiada “porque você não sugeriu essa biografia na época, ricardo?”…isso não era lição de casa minha). ”

    Nesta altura do campeonato o diretor de Mamma Mia virou Ingmar Bergman então. Encomendemos um perfil ao som do ABBA para brindar a ocasião.

    ” O que ocorreu, desde o inicio, na verdade muito antes do filme sequer começar a ser rodado, foi um processo de apedrejamento da produção por boa parcela dos “fãs”. Afinal, o JJ Abrams tinha que pagar caro por se meter com Star Trek…quem ele pensa que é para entrar no nosso quintal! Foi assim que o JJ Abramas virou a Geni dos “fãs”…tão odiado, mas tão necessário. O fato curioso é que criticas contra o filme, hoje, são EXATAMENTE AS MESMAS DAQUELA ÉPOCA. Então eu me pergunto: será que existe uma parcela de pessoas com poderes de clarividência ou tudo não passa de má-fé e reacionarismo? ”

    As coisas não acontecem no vácuo. Você acompanha com atenção a história de uma produção e a medida que os fatos surgem você vai montando um retrato da coisa. Você queria que eu ou os demais simplesmente se surpreendessem com a produção? Um ou outro aspecto va lá, mas no balanço global já se sabia o que esperar. Qual é a novidade transcendental disto?

    ” O que nós temos que olhar daqui pra frente é isso: esses 150 milhões não tem origem na audiência de Nemesis, Inssurrection ou Generations. Se fosse isso, esses filmes não teriam sido um estrondoso fracasso. Se esses que se dizem “fãs” tivessem tanta influência, o pseudo-sucesso da falsa Mona Lisa trekkie, chamada “Primeiro Contato”, não contabilizaria apenas 1/3 da atual bilheteria. A bilheteria atual não se deve a nenhum daqueles que enterraram a franquia. Star Trek se renovou sim e uma nova geração de aficionados surgiu. Vai haver uma continuação… e outra depois desta, todas com o mesmo resultado na boca do caixa. Apostar contra isso, escapando com a óbvia falácia de que se trata simplesmente de uma “empolgação momentânea”, é algo que o tempo vai tratar de esclarecer. ”

    Se você sabe por fato qual é a proporção de novos fãs e de velhos fãs neste bolo, por favor divulgue a sua fonte. Se for só chute… Tanto faz.

    ” Se existe clichês, eles estão em argumentos como “esse filme não é Star Trek”. STAR TREK É MARCA REGISTRADA DA PARAMOUNT, LOGO, POR MAIS REDUNDANTE QUE POSSA PARECER, STAR TREK XI É STAR TREK, PONTO. Coisas como “Não…para mim, Star Trek é aquilo que sinto no coração quando vejo uma lágrima cair e nascer uma estrela” são muito bonitas mas não muda a realidade dos fatos. ”

    Ver o cast e acima.

    ” Quanto a grudar nas falhas do roteiro, teriam os tais “fãs” coragem ou honestidade suficiente para falar das virtudes do filme? Me apontem um roteiro, um único roteiro, que não tenha falhas. Não adianta apelar para Cidadão Kane, Metropolis ou Dançando na Chuva, querem transformar Star Trek em um clássico? “Ah…mas se o Scorcesi tivesse dirigido…”não, não adianta sofismar. ”

    Star Trek é um clássico da TV. Uma das mais amadas e influentes atações da história da humanidade. Eu falei de todos os aspectos do filme no meu cast. Expliquei cada vírgula.

    Eu citei o Paul Greengrass pelo simples motivo de que aparentemente a segunda palavra mais citada aqui é ação (a primeira é canon) e ele é o maior diretor de ação com alta exposição do cinema de hoje. Raramente eu falo as coisas a toa.

    ” Ademais, querer desqualificar Star Trek XI (que claramente sempre foi uma franquia de entretenimento) taxando-o de ser um “filme para adolescentes” é uma tese fraca, muito fraca. Quer dizer que se esse filme fosse para a terceira idade, então seria um bom filme? O preconceito pode ser impressionante. Argumentos como “a sabedoria dos velhos” e “a inexperiência dos jovens” são generalizações ingênuas: existem velhos e jovens de todos os tipos. ”

    Na realidade “filme de adolescente” para indicar filme de adolescente ruim (ver acima). E a lógica do seu parágrafo está completamente errada (ver acima). Sobre a minha idade psicológica e mental só posso dizer que me sinto com 16 anos após o show de ontem (ver acima).

    ” Obrigado a qualquer um que tenha tido a paciência de ler até aqui. Não responderei a nenhum cometário sobre meu post, mesmo porque os moderadores nunca cansaram de recitar a ladainha “não se comenta os comentários”. Ou este tópico se tornou uma sessão de cartas, com perguntas e respostas, ou a moderação jogou essa regra na lata do lixo.” ”

    Acho que na realidade era algo como “não se discutem com as pessoas, se discutem as suas idéias”… Mas talvez eu esteja errado…

    Abraço
    Castanheira

  82. Bom gente, não sou nenhum xiiita e nem um J.J. lover sou apenas um fã como tantos outros. Não desejo aqui polemizar, apenas colocar um opinião sincera a qual espero seja respeitada. Dito isto, afirmo aqui após ter visto o filme por 3 (três) vezes , q infelizmente não me agradou, não reconheci Spock em Quinto, mesmo com a aparência e maquiagem e td Montgomery Scott também nunca esteve presente na película apenas um “clown” com o mesmo nome, história fraca, muito fraca, o tal romance Spock Uhura, pior ainda, trilha sonora ruim, mas devo ressaltar q o filme tem seus méritos
    tem cenas realmente boas de espaço e das naves, elogiável o Mackoy de Urban, muito bom mesmo, Um vilão mal explorado e absolutamente fraco, apenas conveniente a história, nem vou comentar sobre o roteiro, ruim demais. Mas apesar de tudo, é um bom filme, bom como entretenimento fique bem claro, não são duas horas sofríveis, mas não são duas horas de um verdadeiro jornada. O filme serviu ao q se destinava, a um reboot da série, mas podia ter sido sim muitas vezes melhor. Fico feliz por poder ter podido ver mais uma vez filme de um nas telonas. Quanto a discussão entre xiitas q adoram incondicionalmente JJNARDA e os q adoram o antigo, ambos me parecem corretos e errados ao mesmo tempo, temos q abraçar o novo sim, mas sem relegar o já foi feito antes e nisso o filme cumpriu um pouco a sua missão, mas reintero, poderia ter sido bem melhor.

  83. Leandro Martins | 18 de maio de 2009 at 3:34 pm |

    @79 – Bwhaha, tudo a seu tempo — uma matéria destas para ficar boa vai ter que ser na época do DVD, para podermos ver com mais detalhes as demais classes federadas existentes.

    @80 – Eu sou da classe Band’82, e tinha nove anos na ocasião. É sempre bom haver a chance para crianças desta idade criarem interesse em Jornada, e a chance que este filme possibilita não é diferente.

  84. “Star Trek é aquilo que sinto no coração quando vejo uma lágrima cair e nascer uma estrela.”

    hahaha! adorei…

  85. Waldomiro Vitorino | 18 de maio de 2009 at 5:57 pm |

    Acabei de ouvir o podcast. Concordo com praticamente tudo que o Castanheira disse. Realmente é um filme bem deficiente, mas pra mim, o “coeficiente de diversão” dele me fazem achá-lo ótimo, e essa é minha opinião sobre esse filme! Extremamente divertido, me emociona bastante. Portanto, verei mais vezes no cinema, comprarei o dvd duplo, esperarei ansiosamente a sequência…

  86. Ótimo podcast, Castanheira, como de costume. Queria ver também um review escrito. O último que você fez, sobre Nemesis, foi excelente.

    Concordo com a maioria do que disse. É um filme genérico de ação, bem esquecível, e juvenil no que o termo tem de menos abonador. É divertido, sem dúvida, mas acho triste que muitas pessoas se contentem apenas com algo “divertido”. Penso, todavia, que a produção estabelece um setup promissor para um próximo filme – desde, claro, que se preocupem mais com roteiro e desenvolvimento de personagens do que com tiros e explosões.

    Pessoalmente, preferiria enfoque em mini-séries e seriados. Desde que devidamente realizados com competência e inteligência, a exemplo de BSG 2003. Cinema não é o melhor habitat para a franquia.

    Grande abraço!

  87. Off topic:

    Achei impressionante a postura de herói do pai do Kirk em Star Trek, e agora então está confirmado…ele será Thor, o deus do trovão!

  88. Não concordo com a crítica, mas aceito seu ponto de vista. O que me espantou de verdade é o tamanho que este post tomou, tudo para que o autor afirme seu ponto de vista como único verdadeiro. Acho que não existe uma verdade, e, felizmente, existem mais pessoas satisfeitas com o filme do que o contrário. Acho uma questão de bom gosto e educação não colocar sua opinião acima da dos outros, como faz parecer pela respostas que coloca a cada afirmação contrária à sua.

    De resto, que venham mais filmes de Star Trek.

  89. J J A-Brahmas | 19 de maio de 2009 at 1:24 pm |

    ” existem mais pessoas satisfeitas com o filme do que o contrário”
    Não sei de onde se tiram as estatísticas disso. Se for da bilheteria está enganado, porque para não gostar do filme teria que necessariamente ve-lo. Alguns, como o autor da crítica o fez 2 vezes, até para ter certeza do que fala. Muitos que não gostaram nem se dão ao trabalho em ler trekbrasilis ou postar nele, já que muitos foram chamados de xiitas etc.
    De qualquer forma, não sei de onde se tiram esses números tão absolutos.
    Sempre achei que o grito seria da bilheteria, mas este é o paradoxo, para criticar deve assisti-lo, para assisti-lo deve-se pagar…. e para falar mal, alguns assistiram até mais de uma vez, seja por justiça, ou porque acompanhou amigos ou familiares etc…
    Quanto a crítica em sí, o que vale mais , a crítica do filme ou a crítica da crítica, sei não, mas acho que elas tem origens democráticas semelhantes.

  90. Leandro Martins | 19 de maio de 2009 at 1:49 pm |

    Claro, J J A-Brahmas, continue ignorando que o boca-a-boca está positivo, a bilheteria está sólida mesmo após a estreia, os comentários em fóruns mostram claramente um número maior de usuários que gostaram do filme, avaliação do filme pelos usuários do Box Office Mojo está acima de 90%, no RT acima de 85%, e poraí vai.

    Não gostou do filme? Beleza. Mas querer acreditar que a maioria do público que o viu não gostou é puro wishful thinking, de colocar os dedos no ouvido e ficar gritando LALALALALÁEUNÃOESTOUOUVINDO.

  91. J J A-Brahmas | 19 de maio de 2009 at 1:53 pm |

    “Star Trek” não é páreo para “Wolverine” no Brasil
    fonte IG

  92. J J A-Brahmas | 19 de maio de 2009 at 1:54 pm |

    Imbecil!

  93. Luiz Castanheira | 19 de maio de 2009 at 2:03 pm |

    ” Não concordo com a crítica, mas aceito seu ponto de vista. O que me espantou de verdade é o tamanho que este post tomou, tudo para que o autor afirme seu ponto de vista como único verdadeiro. Acho que não existe uma verdade, e, felizmente, existem mais pessoas satisfeitas com o filme do que o contrário. Acho uma questão de bom gosto e educação não colocar sua opinião acima da dos outros, como faz parecer pela respostas que coloca a cada afirmação contrária à sua.

    De resto, que venham mais filmes de Star Trek.”

    Na realidade, as pessoas podem, e devem, escrever o que quiserem, e, quanto mais melhor, em minha opinião. E é a coisa mais normal do universo eu participar do talk back sobre algo que eu produzi. Especialmente quando se deixa implícito que eu disse algo que eu não disse e mesmo simplesmente esclarecer o que não foi devidamente entendido.

    E, ser minoria, em qualquer coisa que eu faça, nunca me impediu de contiruar sendo eu. Então…

    Abraço
    Castanheira

  94. Leandro Martins | 19 de maio de 2009 at 2:04 pm |

    @92 – Ora, mas frente a argumentação, que reação ponderada e racional.

  95. Luiz Castanheira | 19 de maio de 2009 at 2:07 pm |

    Acho que alguma mensagem foi comida aqui, que eu me perdi…

    Abraço
    Castanheira

  96. Waldomiro Vitorino | 19 de maio de 2009 at 3:58 pm |

    Pra mim tudo isso é pura diversão, rapaziada! Eu me pergunto como é que tem gente que fica ofendida dentro de um forum bacana como esse aqui?

    Abraços a todos e vamos continuar nossa conversa apaixonada!

  97. O filme está realmente forte lá fora, mas fraco aqui dentro, com Wolverine liderando e Anjos e Demônios crescendo, tomando a frente, graças à divulgação de Star Trek no Brasil. Não há um poster gigante de Star Trek nos shoppings enquanto Wolverine continua com o seu e, Anjos e Demônios também foi bem mais divulgado. Em algumas emissoras de TV a cabo passam o trailer longo, enquanto ST só passavam aqueles spots. AD já tem até seu antecessor sendo exibido nas telinhas (a cabo) como forma de divulgação para o último; Wolverine fez marketing até depois da estréia, com o trailer ainda passando! Star Trek, por aqui, só teve 15 minutos de fama na propaganda e… como diz o ditado: “Propaganda é a alma do negócio!”

  98. Fernando Rodrigues (Odo) | 21 de maio de 2009 at 1:12 am |

    Tem certas coisas aqui que mesmo após anos de TB eu não consigo entender.

    Eu entendo e respeito quem gostou do filme (afinal, gosto é algo extremanente pessoal); eu particularmente não gostei.

    Mas eu não entendo quando usam como argumento – e, em alguns casos, único argumento – de que o filme não pode ser criticado porque “salvou Jornada”. Ou que é bom exclusivamente porque atrai um novo público.

    Quanto ao primeiro argumento, não é o momento de dizermos que a franquia está ou não salva. Não sabemos o que pode acontecer no futuro próximo. Um próximo filme pode ser ou não melhor, pode mesmo ser ou não produzido. Só daqui a alguns anos poderemos olhar para trás e dizer “sim, a partir de ST XI a franquia renasceu das cinzas – novamente – e gerou x continuações ou novas séries”.

    Quanto a atrair um novo público, se enquadra na minha maior crítica ao filme: se a idéia era reimaginar, porque envolver viagens no tempo e referências à situações anteriores da franquia? Se era tão importante o novo publico, porque não começar do zero? “Esta é uma nova Jornada, esqueça tudo o que você viu antes” e pronto. Para mim o maior pecado do filme é tentar agradar gregos e troianos, não assumir riscos. O filme ganharia MUITO se a esdrúxula estória do Nero não fosse necessária!

    Concordo com o Tio Castanha em tudo o que disse. E entendo bem porque ele “desperdiçou 1 hora falando do filme”. Ele o fez por amar Jornada e amar cinema, e gostar de falar sobre o assunto. Extamente os mesmos motivos que me levaram a, também preparar um podcast sobre o filme (http://www.love.bruises.nom.br/?p=313), ainda mais longo que o do Castanha – ainda que o dele seja melhor.

    Eu sinto MUITA inveja de quem gostou do filme. Sinto mesmo. Eu gostaria muito de ter gostado tanto assim do filme, e não ter saído do cinema constrangido. É divertido? Sim. Mas vazio.

    E números de bilheteria significam única e exclusivamente que a Paramount está enchendo os cofres – e mais nada. Já houve inúmeros casos de filmes ruins que faturaram horrores nas bilheterias (Independence Day, alguém?).

    De minha parte, depois de longos anos acompanhando a franquia, assistindo filmes e episódios, lendo livros e quadrinhos, e escrevendo sobre o assunto, lhes digo que se a franquia seguir o caminho que este filme aponta, terá comigo o mesmo destino de Voyager e Enterprise: simplesmente, deixarei de assistir.

  99. Post 98: Acho que a questão é exatamente essa – não aceitação de um FATO e a busca incessante de argumentos que o contradigam. Citando o post de um colega lá no FTB:

    “Mas acredito que a bilheteria, a grande maioria de críticas positivas, e a maior parte de fãs e não fãs que gostaram do filme falem por si sós.”

  100. Fernando Rodrigues (Odo) | 21 de maio de 2009 at 12:10 pm |

    Post 99: “Mas acredito que a bilheteria, a grande maioria de críticas positivas, e a maior parte de fãs e não fãs que gostaram do filme falem por si sós.”

    Eu só acho – e esta é uma opinião, até onde eu sei, apenas minhas – que perdeu-se a oportunidade de realizar um filme infinitamente melhor, a partir do momento que se decidiu misturar reboot com respeito à fatos pré-estabelecidos.

    E se a maioria dos fãs, não-fãs e da crítica do filme, bom para eles. Como eu disse, eu sinto inveja de vocês, por não ter gostado do filme tanto quanto vocês.

  101. Odo, sempre achei que o caminho escolhido por Abrams & cia foi o mais difícil. Dentro da proposta de atrair um novo público, optar por uma viagem no tempo que criaria uma nova linha de tempo, envolvendo novamente romulanos depois do fiasco de Nêmesis, era um convite à catástrofe… contudo, me surpreendi porque a coisa toda funcionou (para mim, pelo menos), e a experiência de assistir a Star Trek foi equivalente à que tive, pela última vez, em Primeiro Contato.

  102. Luiz Castanheira | 21 de maio de 2009 at 5:41 pm |

    Eu não sei se o meu sotaque parece tão forte para você, Fernando, quanto o seu para mim. Mas é “kind of cute”… (risos)

    Acho que eu só não trasheei mais o filme por que eu mesmo, já vendo que o filme era bem raso e pouco ambicioso, me fiz distante, discutindo mais generalidades, no fundo.

    Por exemplo, toda a questão do quanto o incidente com a Kelvin impactou os acontecimentos futuros pouco povoou a minha mente. E agora sinto que se eu começar a pensar a respeito o filme tem AINDA MAIS problemas do que eu já havia mencionado. De todo modo, vou ficar, ao menos por hora, nas generalidades mesmo.

    Alguns insights seus são muito bons com relação a um grave problema do roteiro, o de pendurar as coisas tempo demais, me parecendo cada vez mais querer confundir do que contar uma história que merecesse ser de fato contada.

    Spot on nas questões dos arcos de personagens e na total ausência de lastro dramático para os mesmos. Claramente, muito pouco esforço foi gasto nisto.

    Na realidade, o uso do tema de Courage lembrou muito o final do filme de Speedy Racer. Não existe significado além do óbvio, creio eu. Nem no clássico monólogo via Spock Prime (Inspiração no novo multiverso da DC?).

    Em suma, uma interminável lista de lavanderia.

    Abraço
    Castanheira

  103. Então vão lá dirigir Star Trek e mostrar como se faz um filme! Eu imagino algo pior que Nemesis, triste ouvir críticas bobas para filmaço!!!

  104. Fernando Rodrigues (Odo) | 22 de maio de 2009 at 5:59 pm |

    Triste alguém achar que algo que considera bom não possa ser alvo de críticas… e depois o xiita sou eu…

  105. Luiz Castanheira | 22 de maio de 2009 at 7:11 pm |

    “Então vão lá dirigir Star Trek e mostrar como se faz um filme! Eu imagino algo pior que Nemesis, triste ouvir críticas bobas para filmaço!!!”

    Mais uma para a capa do DVD (risos)…

  106. Bem…
    Longe de mim bater boca, mas se alguem escreve algo aqui, deve estar preparado para criticas tb.
    Vi o filme, gostei em parte dele, até mesmo pq o canon original pra mim ainda tem (e sempre terá) um lugar no meu coração (e prateleiras), mas a franquia precisava de um renascimento para trazer mais fãs. E isso, aparentemente, está sendo feito.
    Não estou julgando se bom ou ruim, mas os comentários positivos sobre o filme estão aí.
    Obrigado Luiz pela disposição de deixar seu comentário gravado, mas a gravação ficou muito baixa e morosa. Infelizmente só consegui ouvir os 20 primeiros minutos. Desisti do restante… A impressao que tive, foi de que vc estava realmente com repulsa ao filme. De qq forma, foi educativo. Vida longa e prospera a todos!

  107. Luiz Castanheira | 26 de maio de 2009 at 11:26 am |

    “Bem…
    Longe de mim bater boca, mas se alguem escreve algo aqui, deve estar preparado para criticas tb.
    Vi o filme, gostei em parte dele, até mesmo pq o canon original pra mim ainda tem (e sempre terá) um lugar no meu coração (e prateleiras), mas a franquia precisava de um renascimento para trazer mais fãs. E isso, aparentemente, está sendo feito.
    Não estou julgando se bom ou ruim, mas os comentários positivos sobre o filme estão aí.
    Obrigado Luiz pela disposição de deixar seu comentário gravado, mas a gravação ficou muito baixa e morosa. Infelizmente só consegui ouvir os 20 primeiros minutos. Desisti do restante… A impressao que tive, foi de que vc estava realmente com repulsa ao filme. De qq forma, foi educativo. Vida longa e prospera a todos!”

    Como sempre estou…

    O material é não editado e realmente eu deveria falar grudado ao microfone o tempo todo. Fora isto, a dupla de roteiristas já admitiu que terá ajuda para o próximo. Vamos ver se melhora…

    Abraço
    Castanheira

  108. Luis Estrazulas | 29 de maio de 2009 at 2:31 pm |

    Meu caro Castanheira….

    Também sou trekker veterano, Vi “Jornada” pela primeira vez no inicio dos anos 70. Concordo que o filme não foi o melhor, mas acho que o diretor fez o que tiha que ser feito.
    O elenco original sobrevivente está muito velho, como reiniciar a franquia sem atores novos, se eles fizessem tudo igual, chegaria em um ponto da estória que teriam que refilmar o ST I, II, III… Do jeito que foi feito, dá para mudar almas coisas, não esquecam que estamos no ano 2009, e não nos velhos e bons anos 60 e 70.

    O que eu não gosto, não só nesse filme, mas na maioria dos filmes de hoje em dia, principalmente os de ação, é a maneira horrivel como são filmados, com cameras soltas, parecendo reportagem de guerra, cameras girando de um personagem para outro. Esse tipo de filmagem parecem feitas por amadores.

    Movimento de camera não é camera balançando, rodando e correndo, a ponto de me tontear.

    Será que estou ficando vélho?

    Concordo com quem disse que a Enterprise aparece pouco no filme, e não lhe é dada tanta importancia… Mas temos que lembrar que ela é a mais nova nave da frota e ainda não fez a sua reputação sob o camando do Capitão Kirk.

    Gostei do filme, mas entendo o Castanheira, e respeito aopinião dele.

    Abração a todos

    Luis F. Estrazulas
    Porto Alegre – RS

  109. Luiz Castanheira | 29 de maio de 2009 at 9:54 pm |

    Quero agradecer a divulgação da galera do TB. Até hoje já foram 311+ downloads. Um recorde pessoal para os meus nutcasts. Quem sabe os próximos sejam com opiniões mais positivas (risos).

    ” Todos somos milagres… Cada um de nós. E, juntos, faremos coisas assombrosas. ” [I.S.B.]

    Peldor Joi
    Luiz

Leave a comment

Your email address will not be published.


*