DSC 1×10: Despite Yourself

Uma volta emocionante e dramática ao universo do Espelho 

Sinopse

A Discovery está cercada por detritos de uma batalha espacial, perdida próximo ao sistema de Orgânia, quando encontra uma nave vulcana. Ela ameaça atirar contra a nave, mas é alvejada por outra nave federada, a Cooper.

Saru, com uma análise de assinatura quântica, confirma que as naves, os detritos e tudo mais parecem ser incompatíveis com a assinatura padrão encontrada no universo deles. Aparentemente, eles saltaram para uma realidade paralela.

Os detritos são de naves klingons destruídas. Mas tudo parece muito estranho. Lorca então despacha Tyler numa cápsula operária para resgatar o núcleo do computador de uma incursora destruída. No espaço, o oficial de segurança volta a ter uma crise de estresse pós-traumático, a despeito de os corpos a bordo da nave serem — estranhamente — de um andoriano e um vulcano. Apesar da crise, ele consegue trazer de volta o núcleo de computador.

Michael Burnham consegue acessar os dados e confirma a hipótese de que eles estão mesmo num universo paralelo em que as pessoas são as mesmas, mas a Federação não existe, e os humanos fundaram um Império Terráqueo fascista, sob a liderança de um misterioso Imperador.

O capitão Lorca decide que, para sobreviver, a Discovery terá de se passar por sua contraparte do universo do espelho, o que leva a tripulação a trocar os uniformes, repintar a designação da nave no casco, redecorar interiores e deixar no comando aparente a capitão Tilly — neste universo ela não é uma simpática cadete, e sim uma líder sanguinária.

Investigando mais os dados descobertos, a tripulação também descobre que eles não são os primeiros a cruzar a fronteira entre os universos — a USS Defiant (NCC-1764) aparentemente viajou do futuro de seu universo original para o passado do universo espelho. Isso significa que deve haver um meio de romper a barreira entre os universos sem um motor de esporos — algo que a Discovery não tem no momento condição de usar, por conta da crise catatônica do tenente Stamets.

Fica decidido que Lorca, Michael e Tyler vão buscar as informações sobre a Defiant que poderiam ajudá-los a voltar para casa — e há pressa, pois a Federação ficou sem o algoritmo que quebraria a camuflagem dos klingons.

Para isso, eles vão se passar por suas contrapartes deste universo. Michael era capitão da Shenzhou, e havia presumidamente sido morta por Lorca, um rebelde que tentou dar um golpe de estado no Império.

O plano é dizer que Michael não morreu, mas fingiu sua morte para poder capturar Lorca, a quem ela agora levará de volta ao Império, reassumindo o controle da Shenzhou — agora capitaneada por Connor.

Tyler continua a ter suas crises e, num encontro com L’Rell, ela diz que ele tem outro nome e usa uma oração para tentar fazê-lo lembrar. O tenente está muito confuso e busca ajuda com o doutor Culber, a fim de investigar o que os klingons fizeram com sua mente. Exames mais detalhados, contudo, revelam que Tyler foi “reconstruído” cirurgicamente e não é quem parece ser. Ao ouvir do médico que ele não poderia acompanhar Michael na missão à Shenzhou, ele simplesmente o mata, torcendo seu pescoço.

O trio então se teletransporta para a Shenzhou, onde Michael ainda passa pela situação dramática de ter de matar Connor — o ex-alferes não está muito disposto a perder seu posto de capitão e tenta assassiná-la no turboelevador.

Lorca é levado para uma câmara da agonia, onde é torturado agressivamente, e só resta a Michael tentar encontrar nos computadores da nave as informações que podem levar a Discovery de volta a seu universo. Seu único consolo é estar ao lado de Tyler, o homem que ama, sem desconfiar que ele não é quem parece ser…

Comentários

“Despite Yourself” é um incrível passeio de montanha-russa para os fãs de Star Trek, além de propelir adiante a história da complicada tripulação da USS Discovery.

E você que pensou que as atribulações entre os comandados do capitão Gabriel Lorca estavam aplainando? Com uma série de surpresas e guinadas, tudo virou de ponta-cabeça. Já começamos com Stamets catatônico, mas em menos de uma hora terminaremos com Lorca preso e torturado numa cabine da agonia, Culber morto e Ash Tyler praticamente se revelando como Voq — algo que já era suspeitado pelos fãs mais atentos desde a introdução do personagem, em “Choose Your Pain”.

Se parece muita coisa, é porque é mesmo. Some-se a isso o fato de que Culber foi morto por Tyler, e que Michael é obrigada a matar Connor numa luta desesperada dentro de um turboelevador, e temos aí um episódio cheio de tensão e reviravoltas. Em boa parte, cortesia da primeira visita da nova série ao já tradicional “universo do Espelho”, introduzido no episódio “Mirror, Mirror”, da segunda temporada da Série Clássica.

Vamos combinar que o próprio conceito desse universo alternativo em que os humanos são assassinos sanguinários fascistas nunca foi para ser levado muito a sério. Ele é basicamente uma brincadeira, do tipo “não seria legal se houvesse, num outro universo, pessoas iguais a nós, mas completamente diferentes em personalidade?”. Claro que um conceito desses não para em pé se analisado com lupa — por sinal, nunca parou, desde 1967.

Ainda assim, o fator “diversão” é alto, e nada impediu que “Mirror, Mirror” se tornasse um dos episódios mais queridos da série original. Da mesma maneira, as séries derivadas que se aventuraram a explorar esse universo quase sempre se deram bem. Ou seja: a aposta de Discovery era relativamente segura e potencialmente traria grande entretenimento.

E foi isso que tivemos em “Despite Yourself”, que, a despeito de seus momentos genuinamente angustiantes, é possivelmente o episódio em que o humor orgânico funciona melhor, dentre todos os segmentos de Discovery até este ponto da série. Tente não rir com a cadete Tilly tentando se passar por uma capitão agressiva e criminosa. Eu não consegui. A personagem ganha aqui seu melhor veículo para brilhar até agora.

Outros momentos divertidos envolvem as peculiaridades do Império Terráqueo, como os personagens fazendo a saudação com a mão e gritando “Longa vida ao Império!”, e um ponto especial para os fãs de longa data da franquia vem quando o episódio menciona o fato de que a USS Defiant foi parar no universo do Espelho antes dele, algo que descobrimos no episódio “In a Mirror, Darkly”, da quarta temporada de Enterprise, que por sua vez esclarece um mistério não respondido de “The Tholian Web”, da Série Clássica, que por sua vez não tinha nada a ver com o universo do Espelho para começo de conversa. OK, esses roteiristas definitivamente conhecem a franquia em que estão trabalhando — o que é ótimo — e não têm medo de soltar referências obscuras que podem até mesmo ser confusas para telespectadores de primeira viagem — o que é melhor ainda. Vê-se aí uma apreciação pelo cânone digna do troféu Mike Okuda de qualidade.

Mais intrigante ainda para os fãs é a exibição de um diagrama da própria Defiant, no que pode ser um prelúdio para que a Discovery encontre mais adiante uma nave da classe Constitution — a mesma a qual pertence uma certa nave estelar chamada Enterprise (NCC-1701). O design exibido é quase um rascunho, com alterações relevantes às formas originais, mas preservando bastante a identidade clássica. Trata-se de uma versão atualizada, mas bastante respeitosa, da nave de ficção científica mais famosa de todos os tempos. (Millenium Falcon que me perdoe.)

O episódio também deixa claro o que os produtores quiseram dizer com “segundo capítulo”. Ao chegarem ao universo do Espelho, e sem previsão imediata de retorno, os tripulantes da Discovery claramente encontrarão novos desafios e perigos, quase que abrindo um parêntese no arco geral da temporada, que é a Guerra Klingon.

Contudo, e isso também fica claro neste episódio, a história geral da série continua. Vários eventos que acontecem em “Despite Yourself”, como as crises de Transtorno de Estresse Pós-Traumático de Tyler e a busca da verdade sobre o que os klingons fizeram com ele, estão sendo desenvolvidos desde antes e nada têm a ver com o fato de a nave ter ido ao universo do Espelho. Por sinal, são desenvolvimentos importantíssimos e muito bem trabalhados aqui por todos os envolvidos — Shazad Latif tem um desempenho espetacular transmitindo toda a insegurança e o desespero de Tyler, e a cena que ele faz com Mary “L’Rell” Chieffo — um misto de agressão e sensualidade, ódio e paixão — é realmente especial. O mesmo se pode dizer da morte de Culber, totalmente inesperada, quase como um soco no estômago da audiência. (Pobre Wilson Cruz!)

Tivemos aí barba, cabelo e bigode — além do desempenho dos atores, o texto efetivo e afiado de Sean Cochran e o brilhante trabalho de direção de Jonathan Frakes. Não surpreende, dado o histórico do bom e velho Will Riker com a franquia, à frente e atrás das câmeras. Frakes parece saber conduzir as cenas sem ser espalhafatoso ou chamar atenção demais, deixando o drama falar por si. Ele sabe quando a cena pede movimentos de câmera e quando a melhor coisa a fazer é deixar os atores se moverem e conduzirem a trama adiante sem distrações. Excelente.

Por fim, o retrato do universo do Espelho nunca foi tão apavorante. Ele continua exagerado, meio “over”, como de costume, mas com um nível acentuado de perigo para os personagens. Talvez pela natureza da própria série, que já mostrou que ninguém está à salvo da guilhotina.

O que nos leva a Michael Burnham. Eu a deixei para o final porque ela tem um papel completamente passivo aqui. A sensação que fica é que ela está sendo manipulada — por Lorca, num nível, e por Tyler, em outro — e caminha sem saber para o que parece ser uma armadilha, enquanto tenta obter as informações cruciais para levar a Discovery de volta a seu universo, emulando a capitão da Shenzhou do Espelho. A primeira armadilha, por sinal, é do Connor terráqueo, que tenta matá-la no turboelevador da Shenzhou. Sonequa Martin-Green vende muito bem a angústia de ser obrigada a agir como uma selvagem para sobreviver. A tensão a que ela é submetida aqui é brutal, e terminar o episódio vendo-a agarrada a Tyler, enquanto Lorca agoniza sob tortura, é perturbador — um teaser perfeito para nos deixar na beira da cadeira à espera do próximo episódio.

No frigir dos ovos, “Despite Yourself” não é um clássico, mas é diversão garantida, alternando com sucesso entre momentos de drama agudo e de humor leve — o que nunca é algo fácil de se conseguir — e propelindo adiante a saga da Discovery.

Avaliação

Citações

Tilly – This is Captain Tilly. What the heck… heck-hell? What the hell? Hold your horses!
(“Aqui é a capitão Tilly. Que diach… diacho-diabos? Que diabos? Peguem leve!”)

Burnham – Destiny didn’t get me out of prison, Captain. You did.
(“O destino não me tirou da prisão, capitão. Você me tirou.”)

Tilly – Is that how you treat your long-lost captain? If you greeted me that way I’d cut out your tongue and use it to lick my boots.
(“É assim que você trata sua capitão perdida? Se você me cumprimentasse assim eu cortaria sua língua e a usaria para lamber minhas botas.”)

Trivia

  • Este é o nono episódio da franquia a envolver o “universo do Espelho”, que apareceu pela primeira vez em “Mirror, Mirror”, da Série Clássica. Deep Space Nine fez cinco episódios com a temática, e Enterprise, um duplo.
  • Pela primeira vez em Discovery vemos um diagrama do que seria uma nave da classe Constitution, como a Enterprise clássica. É a Defiant, vista pela primeira vez em “The Tholian Web”. Há pequenas mudanças, mas o desenho básico foi preservado. De acordo com o co-produtor-executivo Ted Sullivan, o visual da nave é resultado de alterações sofridas no universo do Espelho.
  • Quando Lorca finge ser o engenheiro-chefe da Discovery, ele faz um sotaque escocês, numa homenagem especificada no roteiro a Montgomery Scott, o engenheiro milagreiro da Série Clássica.
  • O episódio abre o que os produtores chamam de “segundo capítulo” da primeira temporada da série. Este segundo capítulo terá ao todo seis episódios.
  • Uma das maiores preocupações com este episódio foi de como lidar com a morte de Culber. Ela vem na esteira de uma série de mortes de personagens gays em séries de televisão americanas nos últimos anos. Para evitar uma reação adversa do público, os produtores consultaram a GLAAD, organização ativista de direitos LGBT, e receberam o apoio para a história. No pós-show de Discovery, After Trek, o produtor-executivo Aaron Harberts, ele mesmo gay assumido, e sua colega Gretchen Berg também anunciaram que Culber não estaria 100% morto e que o personagem interpretado por Wilson Cruz ainda voltaria a aparecer.
  • O episódio tem a direção de Jonathan Frakes, ator que interpretou o comandante Riker, e dirigiu dois filmes de Star Trek, além de episódios de A Nova Geração, Deep Space Nine e Voyager.
  • A equipe de cenografia cometeu um erro na cena em que Burnham vem a bordo da ISS Shenzhou. Ao fundo, alguns tambores têm o símbolo da Frota Estelar, em vez do símbolo do Império Terráqueo.

Ficha técnica

Escrito por Sean Cochran
Dirigido por Jonathan Frakes
Exibido em 07/01/2018
Produção: 110

Elenco:

Sonequa Martin-Green como Michael Burnham
Jason Isaacs como Gabriel Lorca
Doug Jones como Saru
Anthony Rapp como Paul Stamets
Mary Wiseman como Sylvia Tilly
Shazad Latif como Ash Tyler

Elenco convidado:

Wilson Cruz como Hugh Culber
Mary Chieffo como L’Rell
Sam Vartholomeos como Danby Connor
Emily Coutts como Keyla Detmer
Patrick Kwok-Choon como Rhys
Julianne Grossman como computador da Discovery
Sara Mitich como Airiam
Ali Momen como Kamran Gant
Oyin Oladejo como Joann Owosekun
Ronnie Rowe Jr. como Bryce
Chris Violette como Britch Weeton
Romaine Waite como Troy Januzzi

TB ao VIVO

202 Comments on "DSC 1×10: Despite Yourself"

  1. Na continuidade da minha esperança para as futuras temporadas desta incrível série: que não mudem nada, nem uma só pessoa. Roteiristas, diretores, produtores, atores, nada. E palmas para o Frakes, fez um bom trabalho, estava torcendo por ele. Abraços 🖖

  2. claudio luiz marques silveira | 8 de janeiro de 2018 at 9:38 am |

    Episódio de tirar o folego.Acho que agora encontraram o caminho realmente.Sem medo de ser feliz, Discovery vai fazendo história em Star Trek.

  3. Fabiano Correia | 8 de janeiro de 2018 at 10:25 am |

    Esse episódio foi incrível
    incrível pelo visto a maioria aqui assim como eu acertou o destino da Discovery

  4. Ronaldo Adriano | 8 de janeiro de 2018 at 10:46 am |

    Uallll para este episódio. Não consegui piscar o olho até o final.

  5. Uau, análise antropológica dos humanos do universo do espelho. Alto nível, hein?

  6. claudio luiz marques silveira | 8 de janeiro de 2018 at 11:34 am |

    Vou cantar uma pedra aqui.Pelo jeito que as coisas estão, acho que nesse universo paralelo o imperador do império terrano é a Capitã Georgiou.Que o Lorca é do universo espelho.Acho que ele conseguiu o posto de Capitão na Discovery para voltar e tentar derrubar a “imperatriz”para ser o novo imperador.Agora se for isso mesmo, a grande pergunta é onde está o Lorca do nosso universo???

  7. Episódio incrível! Não só acertei tratar-se do universo e espelho como é também acredito que o nosso capitão Lorca é deste universo! Há vários indícios neste sentido. Repararam na repaginação da USS Defiant?

    Se for chutar, acredito que a Imperatriz é a contraparte da Capitã Georgiou!

    Vai ver ela é até neta da Hoshi Sato, personagem que virou Imperatriz neste universo conforme vimos na série Enterprise!

  8. Eu acredito que o Lorca do nosso universo está escondido em algum lugar.

  9. *Spoiler* ……… Alguém confirma se entendi direito: o Tyler na verdade é o Voq, até aí sem novidade. O Tyler foi mantido como personalidade ativa para garantir a infiltração. A pergunta é: o Tyler tá suprimindo o Voq? Está lutando para não desaparecer?

  10. Ash Tyler é Voq e ponto final. As teorias se confirmaram neste episódio sensacional, onde vimos o personagem lutar com flashbacks onde aparecem cirurgias misteriosas. Os Klingons, além de torturarem seu prisioneiro, fizeram algo mais. Tyler visita a prisioneira L’Rell fica evidente a conexão profunda e amorosa existente entre os dois. Quando ela faz oração em Klingon,Tyler também responde em klingon e a seguir desmaia. L’Rell fica confusa, já que as tais palavras deveriam ter provocado uma reação em Tyler, o que não aconteceu da maneira como ela esperava. Ao visitar a enfermaria para falar com o Dr. Culber, Tyler pede que o médico execute alguns testes para ver se os klingons fizeram algo com ele. O que Culber descobre é preocupante, pois há tecido em torno dos órgãos de Tyler, que poderiam ser a cicatrização para as torturas. Todavia ele vê que os Klingons modificaram não só a aparência física de Tyler, como também adulteraram seu perfil pscológico. Tal informação causa uma reação em Tyler, que mata o médico. O que veremos a seguir?

    A equipe de roteiristas têm meios de nos proporcionar excelentes histórias a partir de agora.

    A propósito, vejo como positivo a produção de Discovery abordar o universo espelho. Não faltarão boas abordagens de personagens e, certamente poderemos rever outros. Georgiou como imperatriz seria excelente!

  11. leonardo da costa ferreira | 8 de janeiro de 2018 at 1:15 pm |

    Ola! Pensei exatamente isso. Georgiou é a imperatriz e, ao mesmo tempo, descendente de Sato. Pelo menos no universo alternativo.

  12. leonardo da costa ferreira | 8 de janeiro de 2018 at 1:23 pm |

    O que dizer? Sentimentos borbulharam ao longo do episódio. Senti euforia (É o universo espelho), raiva (Morreu o médico), surpresa (Tily é a capitã), angustia (Tyler está sofrendo), desejo (Vi relanças da Defiant, uma constituicion), esperança (De que Georgiou seja a imperatriz e descendente de Hoshi Sato de Enterprise) e alegria, muita alegria (Os roteiristas são maravilhosos). Vida longa e próspera para Discovery!!!!!

  13. Se a USS Discovery esta no Império Terráqueo, então onde está a ISS Discovery?! Um tema que demandaria arco de mão dupla a mostrar as desventuras da ISS Discovery no espaço da Federação. Interessante episódio.

  14. Provavelmente está no lugar da Discovery. Ela deve ser subjugada rapidamente, porque como disse o Spock, os civilizados conseguem fingir serem bárbaros, mas os bárbaros não conseguem fingir serem civilizados, com exceção do Lorca que eu aposto ser do universo do espelho. O Lorca do universo regular deve ter morrido na Buran.

  15. Rafael Marques | 8 de janeiro de 2018 at 1:45 pm |

    Galera… Galera… GALERA! Eles estão continuando o episódio de Enterprise no Universo Espelho. UAU! Não sei como existe gente que reclama de fã service, ainda mais um fã service pra fãs de Enterprise que são os mais sofridos de todo o Universo Jornada da TV.

    Então, li os comentários de todos e concordo com quem disse que acha que o Lorca veio do Universo Espelho e agora voltou para casa. Talvez o Lorca original tenham morrido na explosão da USS Buran. Acho que o Lorca, depois de matar a Michael do Universo Espelho já sabia que a Defiant tinha vindo de outro universo e resolveu ir procurar esse outro universo. Isso ainda explica o pq de ele ter querido a Michael na Discovery, mesmo contra ordens do Almirantado: “mantenha seus amigos perto e os inimigos mais ainda”. Ele deu uma sorte (ou não) de voltar com a tecnologia do spore drive. Alguém fez a conta para saber se a idade aproximada da Georgiou dá par ela ser filha da Hoshi?

  16. Acho que neta.

  17. claudio luiz marques silveira | 8 de janeiro de 2018 at 2:05 pm |

    Interessante ressaltar como estão matando personagens sem dó.Já tinham avisado isso, mas ver na pratica é interessante.Eu achava o mêdico da nave um pouco fraco, mas acreditava que ele continuaria crescendo na série.Mais um ponto positivo para os roteiristas que não tiveram medo de ousar.

  18. Pessoal, acho que percebi algo incrível!

    Antes de Kirk a Federação não tinha ciência do universo espelho.

    O que me fez pensar que, se a Discovery voltar para o universo comum, irá refazer os parâmetros da USS Defiant, que saltou 100 anos para o passado, para dentro do universo espelho. Só que irá inverter os parâmetros!

    Ou seja, a tripulação da Discovery saltará entre os universos e no tempo, talvez 100 anos para o futuro, invertendo os parâmetros de viagem da Defiant.

    No final desse arco, a Discovery estará no século XXIV do nosso universo, no mesmo tempo da série TNG!!!

    Logo não haverá quebra da comunidade, com relação ao conhecimento do Mirror Universe pela Federação.

  19. Quem será o próximo a empacotar?

  20. Esse episódio foi muito bom, uma mistura de sentimentos muito legal. Eu já imaginava há muito tempo que o Tyler era um receptáculo do Voq, olha que eu nem fico “vadiando” atrás de teorias por ai. (Esse episódio só confirmou isso). Creio que vai ser tipo o soldado invernal no Guerra Civil, deve ter um conjunto de palavras que “ativa/libera”
    o Voq de vez.

    Sobre o imperador, creio que seja a Georgiou (No caso seria Imperatriz), vai ser um baque muito forte para a Micheal dar de cara com ela. E nesse embalo, talvez a Micheal tenha que matar a Georgiou dependendo do contexto no episódio.

    Além disso, achei bem da hora ver o Império Humano, mostrou o quão tenebrosa a raça humano pode ser perante as outras raças do universo.

    A morte do médico foi impactante, do nada a alma vai lá e mata ele a sangue frio. Só quero ver na hora que descobrirem (O resto dos integrantes da Nave) que quem matou o médico foi Tyler o comedor de Klingon.

  21. Fabiano Correia | 8 de janeiro de 2018 at 3:54 pm |

    Isso se eles voltarem vivos pois tô achando que todos vão morrer

  22. Fabiano Correia | 8 de janeiro de 2018 at 3:57 pm |

    Acho que vai ser o engenheiro

  23. Nossa, será esse o fim do núcleo gay da série?

  24. Fabiano Correia | 8 de janeiro de 2018 at 4:00 pm |

    Faz parte da “programação” suprimir o Vok

  25. Que trágico!

  26. Fabiano Correia | 8 de janeiro de 2018 at 4:00 pm |

    Acho que o lorca original esta morto junto com a tripulacao da Buran

  27. Fabiano Correia | 8 de janeiro de 2018 at 4:02 pm |

    Bom eu não me surpreenderia se todo mundo nessa série morresse

  28. Fabiano Correia | 8 de janeiro de 2018 at 4:04 pm |

    Essa série é tipo um Rouge one versão star trek

  29. Fabiano Correia | 8 de janeiro de 2018 at 4:26 pm |

    Ou pode ter sido destruida durante a troca

  30. Episódio ótimo no meu entender! A adaptação ao universo espelho da tripulação da Discovery foi o que mais me agradou. Tilly fazendo o papel de capitão ficou sensacional. Acho que ela vai conseguir fazer mais no próximo episódio. A morte do médico me decepcionou. Espero que revertam a situação, gosto do personagem, apesar de entender porque não deram a ele um espaço maior, como sempre acontece com os médicos em Jornada. Tyler a partir de agora é uma incógnita, será que continua bonzinho, volta a ser Voq, ou será morto? E eu acho que o Lorca não é do universo espelho, justamente pelo que disse Spock sobre o fato de que alguém bárbaro não consegue fingir civilidade!

  31. A Tilly fazendo papel de megera será um alívio cômico com toda certeza!

    O médico já era! Acho que não tem volta não.

    Eu acho que destino do Tyler/Voq é morrer, ele é perigoso e instável demais, acredito que não há recuperação, ele está num ponto sem volta. São como duas almas atormentadas em um mesmo corpo. Mas ele ainda vai dar muita dor de cabeça!

    O Lorca é do universo espelho, vimos várias indicações nesse sentido:

    1) Ele tem um lado sombrio, tem uma moral duvidosa e é manipulador. Não mede esforços para alcançar seus objetivos.

    2) Desde a Buran, como bem disse a Almirante Cornwell, ele não é mais o mesmo, ele inclusive tem aqueles cicatrizes misteriosas nas costas.

    3) Ele deliberadamente programou esse salto para dentro do universo espelho, ele já vinha estudando essa possibilidade.

    4) Ele e a Michael do universo espelho já se confrontaram de igual para igual e ele perdeu. O Lorca fugiu para um outro universo. Motivo pelo qual ele se interessou em recutrar a Michael.

    Por fim, o Lorca não quer devolver a tripulação para o seu universo. Ele está manipulando eles para seguir os seus planos de destruir o imperador e tomar o lugar dele. É isso o que ele quer!

  32. Eu sou um vadio. Adoro vadiar atrás de teorias! Hehe

  33. “Assassina de Sorna I…Bruxa de Wurna Menor… e finalmente Capitã Killy”, foi hilário. Realmente a morte do médico foi o ponto fraco da trama deste episódio, o resto muito bom, nota 4.

  34. Eu gostei da morte porque foi inesperada! Mas calma, pode ser que ele ainda exista nesse universo 😉

  35. Gente, cheguei numa conclusão fatídica, o mundo tá tão perdido e cagado que começo a pensar que vivemos dentro de um universo espelho, dentro uma realidade bosta.

    Deve existir um outra realidade mais legal, na qual o Lula é honesto, o Trump e Kin Jon Un são best friends!

    Definitivamente aqui é o universo espelho! Kkkkkkkk

    Preciso de um motor de esporos! Pare o mundo que eu quero saltar! 😛

  36. A gente, repararam em quantos palavrões a Tilly falou neste episódio? Kkkkkk

  37. Eu acho que quando Stamets diz que o “inimigo está aqui” talvez não seja sobre o Tyler, mas sim sobre o Lorca. O Lorca não parece muito surpreso com o universo espelho. Sei lá mas acho que no final do episódio ele estava merecendo o que aconteceu com ele.
    Sobre Tyler, eu acho que ainda não vimos a explicação completa do que se passa com ele, eu cheguei a pensar que a morte do Culber poderia ser mais um delírio dele, mas depois de ver os comentários dos roteiristas eu penso que a explicação vai ser outra para o médico ainda não ter morrido.
    A única conclusão que cheguei é que esse foi outro episódio fantástico.

  38. Éééééé…. Não.

  39. A teoria é minha! Tá registrado aqui!!! Acho que a Defiant não foi mencionada apenas para ser um fã service!

  40. A minha teoria está registada aqui!!! A Defiant não foi só um fã service! Kkkkk

  41. Esse foi espetacular, bom sem defeitos! Foi o Riker quem dirigiu?

  42. E o palácio, o que será?

  43. Percebam que Stamets começou a extrapolar e e passou a ter percepção metafísica.

  44. Para mim o primeiro episódio da série q mereceu nota 4.0. E olha q minha menor nota até agora havia sido 3.0.
    Simplesmente fantástico, um dos melhores da franquia.
    Estava assistindo com fones de ouvido e na hora da morte do medico gritei um sonoro palavrão, acordando até minha esposa…rsrsrs. Tve q dar pausa, respirar fundo e prosseguir. Uma morte completamente inesperada.
    E concordo, matem todo mundo mundo, só não matem a Tilly…😁

  45. Rafael Marques | 8 de janeiro de 2018 at 8:11 pm |

    Tinha um papo de que originalmente Discovery seria uma série de antologias. Fico com a impressão de que essa série sobrevive até mesmo sem a Michael e o Lorca, afinal, do núcleo que consideramos principal, o médico morreu, a chefe de segurança morreu, imagino que Voq/Tyler depois desse episódio vai ter que ser derrotado… acho que só o Saru está a salvo pq ele é a cota alienígena da tripulação

  46. Rafael Marques | 8 de janeiro de 2018 at 8:14 pm |

    Tô com essa sensação também. Eles vão dar um jeito de enviar a tecnologia anti camuflagem pro universo certo e todo mundo morre no final e a segunda temporada acontece com a tripulação da Discovery NCC-1031-A

  47. Rafael Marques | 8 de janeiro de 2018 at 8:18 pm |

    Torço muito para que isso aconteça mas não acho que vão fazer isso. Recentemente eu vi o episódio Mirror, Mirror e acho que o conhecimento do Universo Espelho cabe dentro dele. Se eles consideraram essa informação classificada (seção 31) ou então ela virou uma curiosidade do Banco de Dados da Frota o episódio acontece normalmente. O fato de o Spock ter descoberto o Kirk do Universo Espelho rápido também pode ser um indicativo. Enfim, aquele episódio é muito corrido e se passa principalmente no Universo Espelho sem a presença de um Spock para pesquisar os antecedentes.

  48. João Luiz Silva Cruz | 8 de janeiro de 2018 at 8:23 pm |

    Ótimo episódio, continuação direta dos episódios que vimos em Enterprise (Daqui a pouco vem a patrulha do cânone achar inconsistência…)

    Tudo aponta que o Lorca infelizmente é do MU, fora todas as pistas anteriores é ele quem passa a ideia sobre a Defiant. Muito provavelmente a Capitã Georgiu é a imperatriz e que capitaneia a Defiant. Tyler é VOQ modificado geneticamente, fisicamente e mentalmente, isso que deu a entender (Que puta engenharia dos Klingons), a morte do Dr foi impactante, não esperava.

    O problema disso tudo é que perderemos mais personagens, Lorca e Tyler na minha visão podem ser os próximos, perder dois importantes personagens será muito ruim para a série.

  49. João Luiz Silva Cruz | 8 de janeiro de 2018 at 8:49 pm |

    Parece que tem uma novela sobre o Mu em no qual é contado que a Dinastia Sato durou 100 anos, talvez os roteiristas aproveitem isso. Será quem vem aí a Phillipa Georgiu Sato?

  50. O palácio da imperatriz. Rs.

  51. SIM! Pegará outra direção na próxima temporada, certeza.

  52. Eu me baseei muito no que Brian Fuller pretendia para série Discovery e também no fato de que a USS Defiant pode ser a chave. Se invertermos o fenômeno que trouxe a Defiant para o universo espelho, ela não só retornará para o nosso universo, como fará uma viagem no tempo para 100 anos no futuro.

    Aliás, se a Defiant ainda existir, ela poderá ser tomada pela tripulação da Discovery!

    Eu até acredito que ela irá aparecer, do contrário porque mostrariam a Defiant com um visual novo?

  53. Imperatriz Georgiou!

  54. Ele poderia dirigir todos!!!

  55. Rafael Marques | 8 de janeiro de 2018 at 9:19 pm |

    Faz sentido: só num universo espelho a Ministra do Trabalho seria condenada por não seguir a Lei Trabalhista e o Presidente do Detran-MG perderia a carteira de motorista.

  56. Infelizmente? Estou adorando o Lorca espelho infiltrado no nosso universo!!!

  57. E se a tripulação mesmo sabendo da verdade ainda sim preferir continuar a trabalhar com o Lorca espelho? Tudo pode acontecer!

  58. Rafael Marques | 8 de janeiro de 2018 at 9:25 pm |

    Concordo com você. Só espero que a patrulha do cânone reconheça que os produtores foram cuidados criando a história do Lorca: ele não age como um Capitão da Frota tradicional exatamente porque ele não é um capitão da Frota.
    Além disso, um item “5” pra você, Vitor:

    5) O Lorca coleciona armas, monstros e se diz que é estudioso em Guerra.

  59. João Luiz Silva Cruz | 8 de janeiro de 2018 at 9:26 pm |

    Infelizmente porque provavelmente perderemos esse grande personagem para a próxima temporada…Mas vamos esperar para ver o que acontece.

  60. Perfeito!!!

  61. André Pinheiro | 8 de janeiro de 2018 at 9:30 pm |

    Quase acertei minha teoria de por quê o Stamets chamava a Tilly de capitão, imaginei que ele tivesse indo para o futuro nessas viagens, ou se vendo tudo meio junto, passado, presente e futuro. E na verdade ele ia pra outro universo, mas não muda meu pensamento que no futuro do universo deles Tilly será uma capitão.

  62. João Luiz Silva Cruz | 8 de janeiro de 2018 at 9:31 pm |

    E queria deixa escrito algo aqui: Tilly > T’pol > 7 de 9.

  63. André Pinheiro | 8 de janeiro de 2018 at 9:31 pm |

    Uma coisa que não gostei, começou essa bobiçada de Xenobia, homofobia, fascismo e mais um monte de baboseiras que estamos bem longe na realidade.

  64. Tipo um sistema de cotas para aliens na Frota? Será que sofrem preconceito? Injustiça social? kkkkk
    Pensando bem, há tantos humanos, mas só um alien na ponte! Kkkkk

  65. André Pinheiro | 8 de janeiro de 2018 at 9:35 pm |

    Não sei se foi citado, mas esse MU que eles estão não é o TOS, e acredito que a maioria esperava isso (pelos comentários). Quando eu vi aquela baboseira de fascismo, xenofobia eu pensei que seria o universo de TOS só que era a visão que as outras raças tinham da federação. O que seria foda, pensar que a gente está vendo sempre o ponto de quem achamos ser os mocinhos e fazer tudo bonitinho, mas na real as vezes estamos cegos pelas nossas fé, ideologias e talz. Seria interessante, mas não caberia ali, por entre o rebeldes estar os Vulcanos e talz.

  66. André Pinheiro | 8 de janeiro de 2018 at 9:39 pm |

    Caras, eu não achava que o Lorca fosse do MU, mas pelos motivos que vocês citaram me fez repensar. E se for assim mesmo como dito seria sensacional.

  67. Eu me sinto representado pela Tilly, vivo faltando coisas que não devo, falo sem pensar, dou altos foras!!!

  68. O que vocês acharam dos traços da nova Defiant, da repaginação do desing clássico das naves de TOS?

    https://i.imgur.com/QLSYMzy.png

  69. David Gaertner Curitiba | 8 de janeiro de 2018 at 9:58 pm |

    Episódio nota 10

  70. David Gaertner Curitiba | 8 de janeiro de 2018 at 10:06 pm |

    Imagino se com o Stamets não ocorrerá o mesmo que aconteceu em Onde Nenhum Homem jamais esteve….Mas de forma diferente, por ser o MU

  71. João Luiz Silva Cruz | 8 de janeiro de 2018 at 10:08 pm |

    Não sei, parece que tá bem fiel, com exceção do objeto abaixo da nacele, que me parece ser um tubo de torpedo/feizer

  72. A seção disco não é um todo uniforme, tem umas partes segmentadas, repare!

    O disco defletor (antena) está mais protuberante e destacado.

    As junções das nasceles de dobra tem dois segmentos, e entre os dois segmentos parece haver um foguete, ou canhão.

    As nasceles, por sua vez, parecem ser um pouco mais finas e alongadas, porém continua com seu formato arredondado.

    O todo parece muito harmônico no entanto.

    Bom, foi o que eu recebi!

  73. Hidalgo Dos Anjos | 8 de janeiro de 2018 at 10:25 pm |

    O que significa MU?

  74. João Luiz Silva Cruz | 8 de janeiro de 2018 at 10:29 pm |

    É verdade, o Disco tem uns segmentos, mas acho que essa discussão vai entrar na famigerada questão visual datada.Não me incomodo com pequenas diferenças, o problema seria se viesse uma nave quadrada kkkk.

  75. Fato, sou super favorável a uma atualização, desde de que se mantenha fiel ao espírito original. Acho que estamos diante de uma atualização que agradará a maior parte dos fãs! 😉

  76. João Luiz Silva Cruz | 8 de janeiro de 2018 at 10:38 pm |

    Mirror Universe

  77. O interessante foi o jeito sutil que eles arrumaram para prepararem o nosso espírito, como se nos dissessem delicadamente: Olha, sim, repaginamos a classe Constitution!

  78. Fato! Aliás sou super favorável a ter uma atualização, desde que seja fiel ao espírito original.

    O interessante foi o jeito sutil que a série arrupu para prepararem o nosso espírito, como se nos dissessem com esse desenho o seguinte: Olha, sim, repaginamos a classe Constitution!

  79. O som de uma vaca mugindo!? rsrs

  80. Kkkkkkkkkkkk

  81. É parece que ele está numa trip Gary Mitchell metafísica.

  82. Eu realmente espero que seja diferente, eu não gostaria que ele tivesse o mesmo destino de Gary Mitchell. Eu gostaria de ver Stamets e Culber na série para a segunda temporada.

  83. João Luiz Silva Cruz | 8 de janeiro de 2018 at 11:38 pm |

    O que me conforta é que provavelmente o Brasil do MU é uma potência 😀

  84. Com certeza alguém vai descobrir o que é, e não vai seguir o conselho dele. Provavelmente, Michael Burnham, Tyler e Lorca vão achar esse palácio.

  85. João Luiz Silva Cruz | 8 de janeiro de 2018 at 11:54 pm |

    Fiquei com essa sensação também, porém ainda guardo certa esperança que apesar do Lorca ser do MU ainda continue na série.

  86. Provavelmente deve ter sido apenas um erro, mas na versão dublada as 27:53 o Lorca em português usa o termo “imperatriz” ao invés de “imperador” … Interessante…

  87. Caraca! Que episódio! Tive vários sentimentos: alegria/euforia, surpresa, empolgação, apreensão, admiração (da luta no turbo elevador), emoção (ao ver a Defiant e lembrar de TOS e de ENT) e nervosismo em quase todo o tempo. No final só me restou ansiedade para que chegue logo a próxima segunda-feira!!!!
    Vou dormir feliz e viajar em várias possíveis teorias, incluindo a possibilidade da Imperatriz ser parente de Hoshi Sato.

  88. Só mais uma coisa: pessoal do TrekBrasilis, eu percebi a sutil mudança “a la” Universo Espelho no logo do site! 😉

  89. É errado eu achar os uniformes mirror muito mais legais?

  90. Luiz Henrique Mendes | 9 de janeiro de 2018 at 4:01 am |

    Muito muito bom!!! Que ep legal! 😆😆😆

  91. João Luiz Silva Cruz | 9 de janeiro de 2018 at 7:03 am |

    Que nada, eu achei muito foda. E quero um para mim.

  92. João Luiz Silva Cruz | 9 de janeiro de 2018 at 7:10 am |

    O Salvador faz parte da equipe da Netflix, talvez não seja um erro…e sim um “spoiler” haha

  93. O Salvador tá infiltrado em tudo! Vai ver ele é da seção 31 kkkkkkk

  94. Já quero fazer cosplay de mirror universe

  95. Já nos acostumamos com atuações tão boas que a gente até esquece de enfatizar isso. Fica até difícil escolher mas meu voto vai para a atriz que faz a Tilly.

  96. Nessa foto aí lembra um pouco o Tyler.

  97. Está cada vez mais na cara que o nosso querido Lorca é o do MU. E acho que não tem mais nenhum.

  98. Na cena final só faltou o Mudd apertando o botão para dar aquele “choque” no Lorca. Rs.

  99. Na cena final só faltou o Mudd espelho apertando o botão para dar aquele “choque” no Lorca. Rs.

  100. Estou ficando cada vez mais com pena dos fundamentalistas…

  101. João Luiz Silva Cruz | 9 de janeiro de 2018 at 7:50 am |

    Ri demais da cara do Lorca quando apareceu ela na tela.

  102. Por causa de Discovery o pessoal do TB vai precisar mudar o critério das avaliações. É preciso acrescentar uma estrela. Abracos🖖

  103. João Luiz Silva Cruz | 9 de janeiro de 2018 at 8:09 am |

    Me pergunto o que sobrou para essa galera para criticar? Mas vão achar algo com certeza, hoje em dia ser tóxico é ser “cool”.

  104. Meu klingon interior que vive em mim curtiu!

  105. Hoje tem live do Trekbrasilis no YouTube, não?

  106. Eu acho que foi a Imperatriz que mandou o Lorca para a câmara da agonia. Acredito que a notícia já chegou até ela!

  107. HAAAOUSHAISHAHAHUASSHAS. Gargalhada Klingon (Com voz abafada estilo novos Klingons).

  108. Também penso que a Philipa do MU seja a misteriosa imperatriz, mas não tinha pensado que a personagem possa ser ser uma descendente da Hoshi Sato.
    Seria interessante.

  109. Frakes em plena forma como diretor, espero que dirija outros episódios.
    Se o Lorca não for do MU com certeza já esteve por lá antes.
    Será que o médico está realmente morto? Acho que existe tecnologia médica para curar pescoços quebrados por klingons infiltrados no século XXIII.
    Voltando ao Frakes, foi o episódio melhor dirigido. Sem pontas soltas, mantendo o clima tenso durante todo o tempo e com a câmera sempre bem posicionada.
    Um bom diretor e que conhece a fundo Jornada faz toda a diferença.

  110. Longe nada! Mais perto que os pelos nas suas narinas em relação ao seu nariz…..isso é provocativo ao mesmo tempo que nos faz refletir, ou apenas enxergar pros mais desavisados…..

  111. David Gaertner Curitiba | 9 de janeiro de 2018 at 12:19 pm |

    Ou estão assistindo aos mesmos episódios pela milionésima vez ou largaram mão ….Mas ainda bem Que, falando nisso, ninguém criticou o fato da minha foto estar com cosplay do Kylo…curto SW TB e estava com receio…rsrsrs

  112. David Gaertner Curitiba | 9 de janeiro de 2018 at 12:19 pm |

    Hater gonna hate….Não tem jeito

  113. David Gaertner Curitiba | 9 de janeiro de 2018 at 12:20 pm |

    Sou médico, mas quero um uniforme prateado! Lindíssimos os uniformes

  114. David Gaertner Curitiba | 9 de janeiro de 2018 at 12:21 pm |

    Se tiver algum evento me avisa, que agora que fiz cosplay do Kylo, adorei a ideia!

  115. André Pinheiro | 9 de janeiro de 2018 at 1:15 pm |

    Não, foi falha minha. Opressora, fascista e xenófoba.

  116. Jotape Ferreira | 9 de janeiro de 2018 at 1:30 pm |

    Episódio realmente muito bom. Tô gostando bastante dessa abordagem do universo Trek feita em Discovery.

  117. Fabiano Correia | 9 de janeiro de 2018 at 1:32 pm |

    Dado as tensões políticas atuais não me surpreenderia se em breve o império terráqueo surgisse

  118. Fabiano Correia | 9 de janeiro de 2018 at 1:40 pm |

    Ele tem que fazer uma série de star trek
    Ia ser uma das melhores

  119. J Frakes-cinante !!! Fascinante!!!

  120. Eu acho q a Imperatriz é a almirante psiquiátrica kkkkkkkkk

  121. Rafael Marques | 9 de janeiro de 2018 at 5:02 pm |

    Eu estou esperando que a Defiant de Discovery seja parecida com a Enterprise dos filmes do JJ, com algumas modificações feita no Mirror Universe. Tô baseando essa opinião pelo fato de que ambas são classe Constitution e os produtores de Discovery usaram os Klingons do JJ. Imagino que a identidade visual da Defiant seja a identidade visual do JJ.

  122. Pois é. Sigam-me os bons!
    @caal1365

  123. Renan Cariolando Feitosa | 9 de janeiro de 2018 at 6:59 pm |

    Aposto no refit do MU

  124. Os caras vão reclamar da falta dos cavanhaques no universo espelho.

  125. O Tyler do universo espelho deve estar infiltrado entre os rebeldes transformado em Klingon albino. Rs.

  126. Gente, rebeldes, império, isso é uma brincadeira com Star Wars?

  127. Ou até poderão manter o Lorca infiltrado, tendo somente a audiência como testemunha. Ou cúmplice?

  128. Certeza que o Trump é do espelho.

  129. A morte do médico foi bem impactante por demonstrar o enorme perigo que é ter aquele Klingon na tripulação, e só a gente sabe. Deu a maior tensão quanto ele estava sozinho com a Michael.

  130. João Luiz Silva Cruz | 9 de janeiro de 2018 at 7:16 pm |

    Haha, não teve cavanhaque mesmo, é uma falha que com certeza compromete o cânone!

  131. João Luiz Silva Cruz | 9 de janeiro de 2018 at 11:16 pm |

    Trailer do próximo episódio
    https://streamable.com/8r2p5

    Somente uma palavra: CARALEO

  132. João Luiz Silva Cruz | 9 de janeiro de 2018 at 11:22 pm |

    Olha o trailer kkkk

  133. João Luiz Silva Cruz | 10 de janeiro de 2018 at 9:06 am |

    Erramos, vai ter cavanhaque no proximo. O cânone está salvo!

  134. Fabiano Correia | 10 de janeiro de 2018 at 10:28 am |

    Cara o universo espelho e assim mesmo xenofobico,fascista,escravagista bárbaro e tudo que a de ruim

  135. Aquele cavanhaque!!!

  136. Vi no Aftertrek que uma das cenas mais impressionantes do episódio, aquela quando o Tyler abre a cela da L’rell, teve contribuição fundamental do diretor Frakes. E quem afirmou isso foi a própria atriz, e o Frakes nem estava presente então não se tratou de um elogio gratuito. Palmas de pé. 👏👏👏👏👏

  137. João Luiz Silva Cruz | 11 de janeiro de 2018 at 9:48 am |

    Ele manda bem mesmo, fez um bom trabalho. E tem no histórico First Contact que eu considero um dos melhores de ST.

  138. Renato Naville Watanabe | 11 de janeiro de 2018 at 10:50 am |

    Acho que o Lorca é do Universo Espelho (MU) mesmo. Faz cada vez mais sentido. Ele tentou dar um golpe no Imperador (ou Imperatriz) e nesta tentativa acabou matando a Michael do MU. Ele passa a ser procurado no MU por traição e dá algum jeito de ir para o Universo Prime. Ele destrói a U.S.S. Buran e mata toda a tripulação, incluindo o próprio Lorca do Universo Prime. Nisso, o Lorca do MU consegue tomar o lugar do Lorca do Universo Prime e assume o comando da Discovery. Já no comando da Discovery, consegue pegar a Michael do Universo Prime para a tripulação, com o intuito de levá-la para o MU. O que ele pretende com a Michael eu não sei. Talvez simplesmente substituí-la para que ele não seja mais perseguido no MU.

  139. Ele quer a Michael como aliada para tomar o poder, pois sabe como ela é forte e destemida. E conta com o fato de que essa Michael não ser inimiga dele.

  140. leonardo da costa ferreira | 11 de janeiro de 2018 at 2:18 pm |

    Os produtores tem soltado frases do tipo: Culber ainda tem participações, Georgiou pode voltar, a segunda temporada terá mais exploração e contato entre raças. Pensando e escrevendo ao mesmo tempo. Existe alguma chance de no fim dessa temporada acontecer algum tipo de reset? Grande ou pequeno?

  141. Quê, quê, quê? Pára com essa conversa. O episódio Mirror de TOS aconteceu quase 10 anos de Star Wars estrear. Sabe quem copiou quem, né?

  142. Ricardo Pinheiro | 11 de janeiro de 2018 at 3:58 pm |

    Que nada, eles lá no canto deles devem estar dizendo: “Tá vendo? Eu não disse que isso não é Star Trek?”

    Hoje eu cortei outro podcast sobre ST da minha lista. O golpe final foi quando o apresentador disse que “assiste Discovery apenas como uma obrigação, e não como uma série de Star Trek”. E ele ficou encrencando com a cena da Michael Burnham e a Sylvia Tilly correndo na seção disco da Discovery: “Mas naquela nave não tem uma academia não? Não tem uma esteira para ela correr?” Eles falaram do episódio 6, “Lethe”. E reclamaram horrores.

    Cara, honestamente, isso é lá problema pra reclamar? Ah, cansei. Vou ficar c/ o Dobra 9 e o Odocast, q são melhores nesse aspecto.

    PS: Waldir, vi q vc comentou num desses podcasts q são de ST e odeiam ST, e q vc teve estômago para ouví-los falando a respeito do episódio 9 de Discovery. Então, pra poupar os meus ouvidos, eles mudaram a opinião sobre a série? Pq eu ouvi o 1o deles, a respeito do episódio duplo e desisti ali.

  143. Depois do episodio do Mudd melhorou muito. Ate com esses klingons bizarros eu ja me acostumei

  144. João Luiz Silva Cruz | 11 de janeiro de 2018 at 6:31 pm |

    Pode acontecer tudo, inclusive voltar para premissa do projeto que seria uma antologia, só que mantendo o mesmo elenco. Não dá para saber.

  145. João Luiz Silva Cruz | 11 de janeiro de 2018 at 6:35 pm |

    Duas coisas estão fritando a minha cabeça, qual a real intenção do Lorca (Considerando que ele seja mesmo do MU) e qual a real intenção da L’rell ao colocar o Tyler/Voq na Discovery. Algo me diz que no primeiro caso não é simplesmente querer tomar o poder ndo império e no segundo caso não é simplesmente querer roubar a tecnologia da Discovery (Ainda mais agora que já era o motor de esporos)

  146. Legal que está começando a curtir a série. Acredito que já foi assimilado. Rs. Abraços🖖

  147. Cara, sobre seu PS, não tenho como afirmar nada sobre o que ocorreu depois pois nunca mais voltei lá. Mas naquele podcast em especial (creio que foi o único deles que ouvi) eles já estavam conseguindo começar a ver a série de forma positiva. Creio que muitos fundamentalistas vai aceitar cada vez mais. Quando afirmei que tenho pena dos fundamentalistas tenho pena mesmo, não é ironia, pois por esta visão rancorosa não estão conseguindo curtir uma das melhores séries que já vi. Abraços 🖖

  148. Renan Cariolando Feitosa | 11 de janeiro de 2018 at 10:47 pm |

    Na minha imaginação, é o seguinte: no MU, logo após lorca matar a burnham, foge de lá para o PU, da mesma forma que sugeriu no último episódio (do jeito que a defiant chegou no MU), chegando no Universo Prime, ele fica na dele, descobre sobre quem ele seria neste universo, e então toma posse de seu papel, talvez o Lorca original tenha morrido de fato na Buran, ao desenrolar da guerra, ele objetiva tomar a tecnologia dos esporos e também da camuflagem dos klingons, logo que ele completa esses objetivos, decide que é a hora de voltar para o universo espelho, com tecnologia suficiente para dar o tão aguardado golpe e se tornar o imperador, agora munido da tecnologia de esporos e camuflagem, porém não saiu como ele esperava, o stamets ficou daquele jeito, então ele tem mais algum plano b, ele precisa usar a discovery por mais algum tempo e por isso ainda não se revelou..

  149. Tenho 47, assisti ao citado Mirror da TOS, só que foi há muito tempo e não lembro bem. Falava-se em império e em rebeldes?

  150. Ficou lindo!!!

  151. kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk

  152. Dante Guimaraens Guazzelli | 12 de janeiro de 2018 at 8:26 am |

    Não sei se alguém já falou sobre isso, mas acho que eles estão explorando o universo do espelho como metáfora para tratar do aumento da intolerância e da extrema-direita no mundo. A fala da Michael sobre as motivações do Império Terrano deixa isto claro.

  153. Curioso, algo semelhante ocorre com Game of Thrones. Há uma campanha “matem todo mundo, só não matem o anão”. Rs.

  154. Eu posso fazer cosplay do Picard pois não tenho nem um fio. Q’apla!

  155. Sergio Carvalho | 12 de janeiro de 2018 at 11:40 am |

    Lembrei da cena do Lorca com a Almirante. Ele dorme com o Phaser sob o travesseiro e usou como desculpa o trauma de guerra. Mas um habitante do MU com certeza faz isso, já que a possibilidade de ser agredido durante o sono é grande. Se não me engano o Archer do MU em Enterprise também fazia isso.

  156. David Gaertner Curitiba | 12 de janeiro de 2018 at 12:22 pm |

    Jolan tru.
    Obs: quando teremos romulanos em Discovery????
    Rsrsrs

  157. Star Trek Discovery S01E11 – Preview
    https://www.youtube.com/watch?v=qoK0IS67qBM

  158. Bem isso eu mesmo estou. Rs. Não milhares de vezes, mas já revi a TNG e a DS9. Agora estou na primeira temporada da VOY.

  159. O que foi mais legal da morte do Culber, pra mim, foi a clareza do perigo de ter o Tyler na tripulação. Antes via o cara como tipo o problemático meio desajustador que, mesmo na hipótese de ser Klingon (confirmada 99% agora) poderia ser um Klingon que iria se adaptar e até compreender melhor os humanos e tal. Mas caraca, depois daquilo, deu arrepio a cena dele com a Michael. A letalidade do cara é intensa. Agora pra mim Tyler = morte.

  160. David Gaertner Curitiba | 12 de janeiro de 2018 at 11:22 pm |

    Não não, quis dizer que pro pessoal mais ortodóxico, digamos assim, só meia dúzia de episódios prestam e se encaixam nos padrões deles. Eu tb acabo de ver Voyager e tô começando TNG.

  161. Nem o mais otimista dos trekkers poderia supor que teríamos uma série de tamanha qualidade.

  162. David Gaertner Curitiba | 13 de janeiro de 2018 at 1:14 pm |

    Como falam em alguns locais do interior daqui do Paraná…tô garrando um ódio desse Tyler!

  163. David Gaertner Curitiba | 13 de janeiro de 2018 at 1:15 pm |

    Cara, assisti ao episódio ontem e não percebi…..bora ver de novo

  164. Sim, o imperio vem desde TOS. Rebeldes aparecem nos “episodios-espelho” de DS9, mas o contexto nao tem relação com a Aliança de SW 😉

  165. E um detalhe interessante… Se eles usarem a mesma sistemática q a Defiant usou para vir do PU para o MU, ao retornar ao Prime eles podem cair em outra época também, certo? Ou seja, pode acontecer de tudo na segunda temporada.

  166. Eu mencionei isso e acredito que pode ser um plot para uma segunda temporada. Se eles refizerem os parâmetros da viagem da Defiant, invertendo-os para voltar para casa, eles irão saltar no tempo e entre universos. Provavelmente 100 anos para o futuro.

  167. Muito interessante. Será que a chefe de segurança era do MU?

  168. Pessoal não sei quanto a vcs, prefiro esse Universo Espelho ao Universo da Kelvin timeline! Aí descobrimos que J.J. Abrams é o imperador do MU! kkkkkkk

  169. Pois é, mas aí eles iriam cair em q época? Pós TNG? DS9? VOY? Será q os produtores iriam por este caminho?

  170. Não sabemos, mas estas três séries são quase que contemporâneas.

  171. No esboço original Discovery funcionária para contar antologias, ou seja, várias histórias de jornada, em épocas diferentes, com outras tripulações. Talvez eles mantenham a tripulação da Discovery mas ela possa vir a viajar no tempo.

  172. Estão reclamando que não há barriga de fora e nem minisaias.

  173. Éééééé…. Não.

  174. João Luiz Silva Cruz | 13 de janeiro de 2018 at 3:28 pm |

    Até imagino quem, já cortei porque o nível de toxidade ali é alto…

  175. João Luiz Silva Cruz | 13 de janeiro de 2018 at 3:32 pm |

    Essa é boa, a pessoa não pode escolher onde se exercitar porque se não fere cânone. Troféu joinha para o cidadão.

  176. Já está desenhado: Burhan é o braço direito [email protected] Impera… E por isto, consegue se aproximar [email protected] Burnham vai levar Lorca para perto [email protected] dando ocasião para ele poder (tentar) matá[email protected]

  177. Em inglês não há gênero. Então o suspense fica para depois. Agradeçam Portugal.

  178. Discovery é Star Trek em sua quintessência, quem não enxerga isso nunca soube o que é Star Trek!

  179. Luiz Jorge Dias | 13 de janeiro de 2018 at 6:20 pm |

    Qual estúdio de dublagem faz a versão brasileira de Discovery? Tenho gostado bastante do trabalho deles…

  180. Ronaldo Adriano | 14 de janeiro de 2018 at 2:16 am |

    Os “tambores” podem ser da Defiant, talvez.

  181. Jotape Ferreira | 14 de janeiro de 2018 at 12:03 pm |

    Episódio muito bacana.

  182. Salvador Nogueira | 14 de janeiro de 2018 at 3:35 pm |

    Acho que foi a RioArt.

  183. Luiz Jorge Dias | 14 de janeiro de 2018 at 11:50 pm |

    Obrigado

  184. Rafaela Oliveira | 18 de janeiro de 2018 at 12:51 pm |

    A série só melhora a cada episódio!

  185. Rafaela Oliveira | 18 de janeiro de 2018 at 12:52 pm |

    kkkk boa!

  186. Ricardo Pinheiro | 22 de janeiro de 2018 at 7:59 pm |

    Péra aí, o Sarek tinha cavanha! O cânone está salvo sim!

  187. Ricardo Pinheiro | 22 de janeiro de 2018 at 8:01 pm |

    Vivemos em tempos muito acelerados, onde todo mundo quer o novo clássico de forma imediata, e tem a sua série, e nada mais. Privacidade (no pior sentido) e imediatismo. Lamentável.

    Enquanto isso, vamos curtindo Discovery q tá bom pra kct.

  188. Ricardo Pinheiro | 22 de janeiro de 2018 at 8:03 pm |

    Eu vi ENT toda. Depois fui pra TOS. Aí o Netflix colocou tudo de ST, e fui ver DS9 c/ minha esposa. Estamos fechando a 2a temporada de VOY, e eu vendo a TOS aos poucos.

    E todas as outras séries q nós viamos… Tudo parado! 😀 ST tem maior prioridade.

  189. Ricardo Pinheiro | 22 de janeiro de 2018 at 8:03 pm |

    Eu acho os uniformes de DSC muito bacanas. Mas os do Universo Espelho são animais.

  190. Ricardo Pinheiro | 22 de janeiro de 2018 at 8:04 pm |

    2a temporada, talvez, ou talvez nem tenha. Falar em romulanos na sala dos roteiristas de DSC é como xingar a mãe.

  191. David Gaertner Curitiba | 22 de janeiro de 2018 at 8:05 pm |

    Serio? Credo….

  192. David Gaertner Curitiba | 22 de janeiro de 2018 at 10:57 pm |

    Credo! Mas por que?

  193. David Gaertner Curitiba | 22 de janeiro de 2018 at 10:58 pm |

    Verdade

  194. Ricardo Pinheiro | 23 de janeiro de 2018 at 2:22 am |

    Se colocarem romulanos agora na série, vai mandar o episódio “Balance of Terror” pro espaço sideral.

    Ok, Enterprise arrumou uma maneira de colocar os primos dos Vulcanos dentro do contexto, mas é melhor evitar.

Leave a comment

Your email address will not be published.


*