Marina Sirtis não aprova filme Star Trek de Tarantino

Marina Sirtis faz sua estréia em West End na nova peça Dark Sublime, pelo Trafalgar Studios. A peça explora divisões intergeracionais, questões LGBT, relacionamento artista e fã.

Numa entrevista ao site Digital Spy, Marina comentou, entre outros assuntos sobre Star Trek.

Agradecendo aos fãs

Falou dos fãs e de seu agradecimento por eles comparecerem a sua peça.

“Isso realmente me deixa humilde, agradecida, um pouco confusa, os fãs de Star Trek são os fãs mais leais do universo. Uma vez que eles te amam, eles te amam para sempre e eles querem ver você em tudo que você faz. Eu só posso ter meu pensamento em torno dele, na verdade.”

Sirtis lembrou o tempo em que não acreditava muito na durabilidade da série A Nova Geração, quando começou a primeira temporada.

Obviamente, na época em que estávamos gravando não tínhamos ideia, o que provavelmente é uma coisa boa ou seria muito estranho, mas, em retrospecto, descobrimos que não estávamos apenas e uma série de TV para essas pessoas – nós éramos mais do que isso, éramos algo que os ajudava.

O fato de sermos inclusivos e sem julgamento, e pessoas que talvez não tenham encontrado um lugar para pertencer na vida, encontraram um lugar para pertencer ao fandom de Star Trek …

Eu acho incrível, e eu não uso essa palavra com muita frequência, mas é realmente um privilégio estar em uma série que fez isso.

Sobre a série Star Trek: Picard

Ao comentar sobre a série Star Tre: Picard, que tem como protagonista Patrick Stewart, Sirtis ficou animada.

 Estou animada. Estou animado para ver Patrick como Picard novamente, porque eu acho que ele foi brilhante nesse personagem.

Revelando que se tivesse a oportunidade de voltar para Star Trek, aceitaria prontamente.

Se eles me perguntarem, eu adoraria estar nessa série. Mas tenho que ser honesta, o telefone ainda não tocou, então eu não estou prendendo a respiração. Mas eu adoraria fazer isso – contanto que não tenha que usar esse traje espacial novamente, porque ganhei um pouco de peso desde então, e não gosto de ir para a fazenda gorda perder tudo de novo!

 Mas Sirtis sabe que a série não terá o mesmo formato de antigamente, e que iremos ver algo bem diferente do que já foi visto antes na franquia e com o personagem.

Os tempos mudaram. Quando Gene Roddenberry, o resto de que Deus o descanse em paz, ainda estava por perto, uma coisa que ele insistiu foi que não haveria nenhum conflito dentro do elenco. Claro, isso é um anátema para os atores porque você diz: ‘O que ?! O que você quer dizer com não? conflito?’ Porque o conflito é drama”.

Eu acho que o que vai ser diferente com a série de Patrick é que não será esse o caso. Não vai ser de todos os corações e flores como A Nova Geração. Acho que provavelmente haverá um pouco mais de conflito.

Quando Patrick nos disse que estava ressuscitando o papel, ele mencionou que não estaria interessado em fazer isso se fosse uma cópia em carbono. O que o interessava era que ele queria que fosse mais um reflexo da sociedade, uma vez que é agora.

Opinião sobre um filme Trek de Tarantino

Falando sobre os filmes de A Nova Geração, Sirtis mencionou Star Trek: Nemesis que fracassou em 2002, cuja bilheteria total foi um pouco mais de 43 milhões de dólares, comparado aos 92 milhões de First Contact.

É show business e Nemesis ganhou dinheiro suficiente, fim da história. É por isso que não fizemos mais nada. Acho que a Paramount sentiu que seguiríamos nosso curso e que era isso. Lembre-se que fizemos sete anos de televisão e a equipe (da série) original só fez três, então tem isso.

Fora os filmes do universo Kelvin, existe um filme em potencial Trek de autoria do cineasta Quentin Tarantino, que pode estar na mesa de negociação. Mas Sirtis não vê com bons olhos isso e nem se animaria e vê-lo no cinema.

Por favor, Deus, espero que isso nunca aconteça!. Não! Eu não sou uma grande fã, então eu não gostaria nada disso. Eu só vou deixar isso assim, e deixar você preencher as lacunas.

Foi perguntado se via a possibilidade de haver algum projeto com parte do elenco de A Nova Geração.

Para ser honesto, acho que nunca haverá um spinoff de Troi. Eu não acho que isso vai acontecer.

A razão pela qual eu adoraria fazer isso não é só porque eu gostaria de ressuscitar Troi, porque na verdade eu a interpretei. No que diz respeito a um desafio de atuação, não é um, na verdade. Eu a interpretei por muito tempo.

Mas eu adoraria trabalhar com meus companheiros novamente, porque essa foi a melhor época da minha vida. E se um novo filme Trek reformular uma Troi mais jovem? Acho que Mila Kunis seria uma boa Deanna Troi. Eu acho que ela é uma adorável atriz. Ela tem o tipo certo de olhar, e isso não seria muito difícil para ela interpretar esse papel.

Be the first to comment on "Marina Sirtis não aprova filme Star Trek de Tarantino"

Leave a comment

Your email address will not be published.


*