Abrams, “Nunca deram esse tratamento à Jornada”

j-j-abrams-3.jpgO site Canadian Press postou uma rápida entrevista com o produtor e diretor J. J. Abrams, que teceu alguns comentários a respeito do novo filme de Jornada nas Estrelas. O produtor falou da dificuldade em atender ao que os fãs querem realmente ver e sobre o novo tipo de Jornada que ele pretende adotar nessa produção.

Embora Abrams seja um admirador da franquia de Guerra nas Estrelas, ele explicou porque resolveu entrar no projeto de Jornada. “Foi uma oportunidade de levar o que eu acho que tem sido um mundo criticado por soar insensível e tratá-lo de um modo que fizesse dele algo que eu quisesse ver. Levar os personagens, o poder de reflexão, as personalidades, o senso de aventura, a idéia de humanidade trabalhando em conjunto, o sentido de comentário social e inovação, enfim, todo esse material. Levar isso e aplicá-los de modo que sinta algo genuinamente eletrizante”, disse Abrams continuando. “É uma chance de ver o que Kirk e Spock fariam agora. O que é emocionante sobre isso é o quão grandioso é o elenco (original), o quão consideravelmente talentosos e divertidos todos eles são”.

Sobre o objetivo do filme explicou, mais uma vez o produtor. “O propósito todo foi tentar fazer esse filme para os fãs de filmes e não apenas para os fãs de Jornada, necessariamente”, repetiu Abrams. “Para você que é um fã, nós pegamos um desses escritores que é um trekker devotado, e assim fomos capazes de ter a certeza de que estávamos servindo para as pessoas que são completamente apaixonadas pela franquia. Mas não estamos fazendo esse filme somente para esse contingente”, disse o produtor.

Continuou Abrams falando sobre o fandom. “Você não pode realmente fazer um filme para eles. Assim que você começa a imaginar o que acha que eles querem ver, você estará com problemas. Você tem de fazer um filme de várias maneiras para o que você mesmo quer ver, fazer um filme em que acredite. Desse modo, não tem como predizer uma audiência que, na verdade, não tenha um entendimento dela”.

A respeito da nova postura que Jornada terá sob o seu comando, disse. “Eu sinto que isso será tão diferente do que você espera e tão diferente do que tem visto de Jornada. Ao mesmo tempo, estar sendo verdadeiro com o que veio antes, honrá-la. Eu diria que os efeitos especiais para Jornada nunca foram feitos assim antes. Eu posso dizer apenas que para a idéia do universo de Jornada, nunca foi dado esse tipo de tratamento”, finalizou.

Fonte: Trek Web e Trek Movie.

8 Comments on "Abrams, “Nunca deram esse tratamento à Jornada”"

  1. Como sempre bastante vago.

    Mas o que fica claro é que, para o bem ou para o mal, esse filme será diferente de tudo o que vimos na franquia até hoje.

  2. Luís Henrique Campos Braune | 5 de maio de 2008 at 2:52 pm |

    Sem dúvida e espero que fique tudo na medida certa.

  3. É a franquia com uma abordagem diferente, uma nova capa. Estão dizendo tambem que a essência de Jornada vai ser mantida, e mesmo que tenha um furo aqui uma pisada de bola ali que certamente terá, mas que não comprometa de maneira significativa o filme, ja esta de bom tamanho.

  4. Luís Henrique Campos Braune | 5 de maio de 2008 at 4:52 pm |

    É isso mesmo, furada eles sempre fazem, não conseguem manter a coerencia o tempo todo. Qualquer série ou filme sempre dá uma mancada. Acho que o que importa é isso mesmo: o saldo final geral ser positivo.

  5. Concordo em gênero e grau com o Sr. Madruga !!
    Alguém viu Cloverfield (J.J. Abrams)? A idéia do filme foi bem sacada, colocando o espectador numa perspectiva de quem é surpreendido por um evento de origem desconhecida, onde não sabemos o que houve, de onde começou e do que se trata exatamente. Entre a “idéia” e a execução, se perdeu muita coisa. Tirando os efeitos especiais, o resultado daria um bom episodio de “Além da imaginação”.
    Abrams tem boas “sacadas”! Se ele souber executa-las, realmente poderemos ver algo bom nas telas. O que o Sr. Madruga disse é um fato! “o que fica claro é que, para o bem ou para o mal, esse filme será diferente de tudo o que vimos na franquia até hoje.”

  6. Flávio Fernandes | 5 de maio de 2008 at 5:58 pm |

    Pessoal:

    Acho que pelo o menos ele tem que explicar as mudanças que ocorrerem. Por exemplo: Uma Enterprise mais moderna do que aquela da missão dos 5 anos. O velho Spock, para evitar que Nero mude a “linha temporal” introduz junto com o Jovem Scotty estas mudanças, para que a Enterprise esteja pronta para combate-lo. É algo verossímil e explica a diferença. Pode-se até entender que a missão de 5 anos ocorrerá do mesmo jeito (ou quase do mesmo jeito). Espero que estas explicações ocorram para os fãs. Para o resto do público passará batido, mas para a gente ficará legal. Outra coisa é a personalidade dos heróis. Acho que deve ser extritamente a mesma. Isto não pode mudar, em minha modesta opinião.

    Um abração á todos.

  7. Abrahms mais uma vez parece querer se dissociar dos fãs. Não sei se é uma atitude defensiva, ou se simplesmente já faz parte da idéia de “público geral, venha comigo”.

    É a presença de Nimoy que nos traz segurança de que teremos uma boa história. E isso garantirá a audiência do público Trekker.

    Esse Abrahms não é bobo, se tivéssemos o Shatner, alguém teria certeza de que teríamos uma grande história ???

    A presença de Nimoy dá credibilidade.

  8. Concordo com tigo Marinho.

    Não há como não haver crítica dos fãs, e realmente com a presença de Nimoy neste filme, nos da uma tranqüilizada.

    Mas o meu grande medo é exatamente a questão de querer chamar o grande público. Star trek já é um enorme sucessos.

    Só espero que não detonem uma criação de 40 anos com apelos comerciais.

Leave a comment

Your email address will not be published.


*