TNG 1×07:The Last Outpost (O Último Guardião)

Novos inimigos criados para A Nova
Geração sofrem com caracterização

Publicado originalmente por Salvador Nogueira

Sinopse:

Data Estelar: 41386.4.

A Enterprise persegue uma nave Ferengi que roubou um conversor de energia T-9 de um posto avançado da Federação. A perseguição os leva até a órbita de um planeta desconhecido do Império T’Kon, onde as duas naves são mantidas imóveis, com suas energias rapidamente sendo drenadas.

Cada nave culpa a outra, mas as evidências logo mostram que o planeta é a fonte da drenagem de energia.

Ao se teleportarem para a superfície do planeta, humanos e Ferengis se encontram pela primeira vez. Juntos, encontram o Portal, guardião do Império, que os submete a um teste.

O comandante Riker responde corretamente ao desafio e a Enterprise é poupada. A pedido dele, os Ferengis também são libertados.

 

Comentários:

“The Last Outpost” trata-se de um episódio historicamente importante no contexto de Jornada nas Estrelas: é o primeiro a mostrar os Ferengi. Embora eles já tivessem sido mencionados em “Encounter at Farpoint”, foi só neste episódio que eles fizeram sua primeira aparição.

O objetivo inicial era criar uma nova raça de vilões, exclusivamente para A Nova Geração. Tão evidente era esse intuito que a definição original dos Ferengi os classificavam como antropófagos, ou seja, comedores de humanos!

Claramente, o objetivo não foi atingido. Os personagens caricatos e a atitude abobalhada dos Ferengi vista nesse episódio tirou completamente a possibilidade de que a audiência os levasse a sério como vilões de valor e competência comprovados.

Entretanto, a crítica à sociedade atual camuflada no interior da cultura Ferengi (a política mercantilista e a busca incessante por lucros) acabaria vingando, sendo refinada ao longo da série e principalmente em Deep Space Nine, com a introdução de um personagem regular da raça (Quark), que tornaria os Ferengi simpáticos e interessantes.

Tirando a péssima caracterização dos novos alienígenas, trata-se de uma boa aventura, que mostra mais uma vez o lado explorador da série, visto pela primeira vez com intensidade no episódio anterior, “Where No One Has Gone Before”.

Apesar dos diálogos e situações ainda meio automáticas e forçadas, os personagens já começam a interagir de forma mais natural. A aproximação entre Geordi e Data começa a aparecer. Ainda assim, o humor fácil continua sendo priorizado, fazendo com que o pobre Data se enrole com um prendedor de dedos.

O fim do episódio, com vários personagens de dedos presos, é típico da Série Clássica, mostrando como ainda eram um pouco prosaicos e nostálgicos os produtores. Até a idéia de enviar os prendedores de dedos aos Ferengi já havia sido feita na série original, quando Scotty manda os Pingos para a nave Klingon!

Na área dos efeitos especiais, a situação é conflitante. As tomadas exteriores da Enterprise e da nave Ferengi são muito boas. Entretanto, a composição do céu do planeta e a cenografia de sua superfície deixam a desejar.

O episódio também traz à tona interessantes elementos culturais, quando faz citação ao filósofo Sun Tzu.

Sun Tzu foi um estrategista chinês que viveu por volta de 320 a 400 a.C. Sua obra, o livro A Arte da Guerra, é o mais antigo documento conhecido abordando as questões que envolvem estratégias de campanha.

A frase citada no episódio, “Triunfará aquele que souber quando lutar e quando não lutar”, é um dos cinco princípios essenciais estabelecidos por Sun Tzu para a vitória.

Os outros quatro são “Triunfará quem souber lidar com forças superiores e inferiores”, “Triunfará quem tiver seu exército animado pelo mesmo espírito em todos os seus níveis”, “Triunfará quem, tendo se preparado, espera pegar o inimigo despreparado” e “Triunfará aquele que tem capacidade militar e não sofre com a interferência de seu soberano”.

Citações:

Worf – “I say, ‘Fight’, sir. There’s nothing shameful in falling to a superior enemy.”
(“Eu digo ‘lutar’, senhor. Não há vergonha em cair frente a um inimigo superior”)
Picard – “And nothing shameful in a strategic retreat either.”
(“E nada vergonhoso em uma retirada estratégica também”)

Picard – “Merde.”

Ferengi – “And they shamelessly clothe their females, inviting others to unclothe them. The very depth of perversion.”
(“E eles vergonhosamente vestem suas fêmeas, convidando outros a despi-las. A mais profunda das perversões.”)

Trivia:

 Armin Shimerman, que neste episódio interpreta o Ferengi Letek, posteriormente ganharia fama como o Ferengi Quark, da série Deep Space Nine. Armin, por ter atuado neste episódio, considera-se como o primeiro Ferengi da história de Jornada. Ele ainda apareceria na Nova Geração algumas vezes, como o Ferengi Bractor no episódio do 2º ano “Peak Performance” e como o próprio Quark em “Firstborn”, episódio do 7º ano.

 Darryl Henriques, que aqui interpreta o Guardião do Portal T’Kon, participou do filme para cinema Jornada nas Estrelas VI – A Terra Desconhecida, como o Embaixador Romulano Nanclus.

 Os atores Tracey Walters e Mike Gomez, que aqui interpretaram Ferengis, voltariam a aparecer na série no episódio do 6º ano “Rascals”, como os Ferengis DaiMon Lurin e Berik.

 A insígna Ferengi, criada por Michael Okuda, quer dizer “um cão comendo o outro”, segundo ele, e “é verde como a inveja e o dinheiro”, completa.

 O design da nave Ferengi, feito por Andrew Probert, foi inspirado num caranguejo em forma de ferradura que ficava na mesa do roteirista do episódio, Herbert Wright.

Ficha técnica:

História de Richard Krzemien
Roteiro de Herbert Wright
Direção de Richard Colla
Exibido em 19/10/1987
Produção: 007

Elenco:

Patrick Stewart como Jean-Luc Picard
Jonathan Frakes como William Thomas Riker
Brent Spiner como Data
LeVar Burton como Geordi La Forge
Michael Dorn como Worf
Gates McFadden como Beverly Crusher
Marina Sirtis como Deanna Troi
Wil Wheaton como Wesley Crusher
Denise Crosby como Natasha “Tasha” Yar

Elenco convidado:

Armin Shimerman como Letek
Jake Dengel como Mordoc
Tracey Walter como Karyon
Darryl Henriques como Portal
Mike Gomez como DaiMon Tarr

5 Comments on "TNG 1×07:The Last Outpost (O Último Guardião)"

  1. Neste episódio os ferengis parecem com os macacos de 2001 Uma Odisseia no Espaço e o cenário é típico de TOS. Ainda bem que ao longo dos anos TNG evoluiu muito.

  2. E lá se vão anos….

  3. É interessante notar como os Ferengi foram imaginados inicialmente como inimigos sérios e perigosos para a Frota, mas acabaram tornando-se uma válvula de escape cômico para a série da NOVA GERAÇÃO.

    No final da primeira temporada os ROMULANOS reaparecem – com suas testas levemente modificadas – para assumir esse lugar de maquiavélicos e perigosos inimigos … enquanto os roteiristas desenvolviam o conceito de BORGs – que também acabou desandando posteriormente …

  4. O episódio ia bem até aparecer o primeiro ferengui. A Marauder ferengi era muito bonita, foi apontada pelo Worf com um poder de fogo similar a Enterprise-D, depois foi catalogado no TrekKer Magazine que ela só tinha lazers de alta intensidade e desruptores de primeira geração em relação aos klingons. Em suma, não tinha um vigésimo do poder de fogo da classe Galaxy. Uma pena, pois até o nome Marauder éra lindo.

  5. Antonio de Pádua | 14 de fevereiro de 2012 at 7:34 pm |

    Me lembro dos chicotes ferengis que depois nunca mais vi (não sei se aparecem novamente em algum episódio que perdi)

Leave a comment

Your email address will not be published.


*