ENT 2×18: The Crossing

Shuttlepod dentro de nave alienígena

Segmento reproduz velha premissa de possessão sem muito destaque

Sinopse

Data: Desconhecida

A Enterprise encontra uma nave imensa no espaço. Antes que a tripulação possa reagir, os motores e as armas são desativados e a nave terrestre é literalmente engolida pelo gigantesco veículo alienígena. As tentativas de contato falham e Archer decide investigar pessoalmente, conduzindo uma caminhada espacial na superfície interior da nave.

A bordo de uma cápsula auxiliar, Archer, Reed e Trip vão até a superfície da nave, de onde podem observar alguns glóbulos luminosos aparentemente vivos, apesar da falta de comunicação. Eles notam que boa parte dos glóbulos começa a se aglomerar em torno da Enterprise. Antes que possam fazer algo, entretanto, Trip é invadido por um deles, o que faz com que outro, semelhante, deixe o corpo do engenheiro.

Trip sendo possuído por entidade não corpórea

Chocado, Archer tenta falar com Trip, mas o oficial está catatônico. Pouco depois, o glóbulo original deixa o corpo de Trip e o que havia saído retorna. Nesse ponto, o capitão decide voltar imediatamente à Enterprise, preocupado com a saúde de seu amigo. No retorno, Phlox faz algumas checagens, mas o engenheiro parece bem.

Archer diz que gostaria de mantê-lo sob observação, mas não pode se dar a esse luxo — precisa dele para recolocar os motores da Enterprise de volta à ativa o mais rápido possível. Trip segue essas ordens, complementando que está bem e que passou por uma experiência incrível — enquanto foi “invadido” pelo glóbulo luminoso, sentiu-se como se estivesse em uma praia que costumava visitar antigamente, na Flórida.

Trip em confinamento sendo observado por Reed, Phlox e Archer

Pouco depois de reiniciar os trabalhos na engenharia, Trip volta a ser invadido por um glóbulo luminoso. Ele imediatamente larga o que estava fazendo, para a surpresa de um de seus oficiais subalternos, e parte para o refeitório. Esse tripulante informa à ponte a condição do engenheiro-chefe. Archer e T’Pol descobrem Trip comendo como um glutão e sabem que o corpo dele está tomado por outra consciência.

Esse “Trip” diz ao capitão que eles são exploradores, com fins pacíficos, e querem apenas experimentar a vida corpórea por algum tempo, para aprender. Ele diz que sua espécie há muito foi corpórea, mas agora consiste em energia pura. Graças à compatibilidade com os humanos, podem aprender como seus ancestrais viviam. Archer pergunta pelo verdadeiro Trip e o alienígena diz que seu amigo está experimentando coisas igualmente incríveis, ao realizar o que ele chama de “a travessia”. Apesar disso, Archer não quer saber de brincadeira e ordena que seu engenheiro seja devolvido e a Enterprise, libertada.

Trip possuído por entidade não corpórea comendo no refeitório

O alienígena concorda, mas sugere ao capitão que abra a mente para novas possibilidades. Archer, entretanto, está impassível. Com a Enterprise libertada e Trip de volta, ele continua insistindo em reparar a nave e partir o mais rápido possível, apesar dos insistentes argumentos de T’Pol em favor dos alienígenas.

Não demora muito e os instintos de Archer se provam corretos. Um dos glóbulos luminosos tenta invadir Phlox e só não consegue em razão da incompatibilidade com a fisiologia denobulana. O capitão é informado do ocorrido, mas logo outros tripulantes são tomados. O primeiro deles é Malcolm Reed, que começa a agir estranhamente e tenta verificar as “diferenças anatômicas” entre homens e mulheres com dois “espécimes” da nave, o segundo deles T’Pol.

Reed possuído no quarto da T'Pol

Archer insiste para que Reed seja libertado e, quando seu desejo não é satisfeito, ele decide colocar o oficial de armamentos em isolamento em seus alojamentos. Mas a onda de invasões continua, até que Mayweather é perseguido por um dos glóbulos luminosos e descobre que eles não podem entrar na “passarela”, região localizada nas naceles de dobra.

O capitão, então, ordena que T’Pol se prepare para deslocar toda a tripulação para a passarela de estibordo, enquanto eles elaboram um plano para recuperar os oficiais “possuídos” e deixar aquela região. A vulcana sugere que a única maneira de contra-atacar é descobrir os planos dos alienígenas. Para isso, ela propõe se submeter a uma tentativa de invasão — ela acredita que, com sua disciplina mental, possa ser capaz de manter sua mente sob controle, tendo ainda algum acesso aos pensamentos alienígenas.

Archer, Mayweather e T'Pol com outros tripulantes na passarela

Após alguns protestos, Archer concorda. T’Pol tem sucesso em sua tentativa e descobre que os alienígenas, na verdade, estão numa nave condenada. Eles estão vagando pelo Universo à procura de corpos que possam ocupar para escapar de seu veículo moribundo, uma vez que não podem ser diretamente expostos ao espaço por muito tempo. Diante disso, surge a ideia de “expulsar” os alienígenas asfixiando os corpos dos oficiais possuídos.

O único homem disponível para executar os procedimentos necessários é Phlox, que está na enfermaria e é imune a “invasões”. Ele chega a atender um “chamado” de Hoshi, que está sob controle alienígena, mas supostamente teria sido “danificada” — quebrado uma perna. Tudo não passa de uma armadilha, mas ele consegue neutralizar a ação da oficial possuída e receber as instruções para liberar dióxido de carbono por toda a nave e expulsar os invasores.

T'Pol se comunicando com entidade não corpórea

Archer transmite as informações remotamente para Phlox, que usa um traje de atividade extraveicular para evitar ser afetado pela perda de ar a bordo. Mas ambos não contam com a intervenção de Trip, que estava possuído e que, de alguma forma, não foi detectado pelo sistema de varredura desenvolvido por T’Pol e Phlox para identificar os “invadidos”. Ele sai correndo da passarela e vai atrás de Phlox. Os dois entram numa briga, mas o médico consegue vencê-la e executar os procedimentos.

Com isso, todos os alienígenas são expulsos e os oficiais voltam ao normal, depois de serem ressuscitados por Phlox. Archer, então, ordena que sejam disparados torpedos contra a nave dos invasores, que é destruída pelo impacto, neutralizando definitivamente o perigo.

Comentários

“The Crossing”, mais uma vez, reafirma a natureza de Enterprise enquanto série de ação, embora o faça sem inovação ou mesmo um tema original. Esse mesmo episódio já foi visto em Jornada nas Estrelas antes diversas vezes e em raras ocasiões produziu algo interessante. O único diferencial deste aqui é que ele pressupõe ser o “primeiro” dos encontros de oficiais da Frota Estelar com formas de vida alienígenas não corpóreas.

Na verdade, a premissa cozinha dois velhos episódios da Série Clássica, “Return to Tomorrow” e “The Lights of Zetar”. Enquanto o primeiro ainda manteve certo grau de dignidade e qualidade dramática (havia um drama real entre os alienígenas que queriam tomar emprestados os corpos de Kirk e cia., supostamente para construir corpos androides definitivos), o segundo foi catastrófico, por não mostrar motivações claras nem dar tridimensionalidade aos inimigos.

Title Cars Enterprise The Crossing

Infelizmente, “The Crossing” mostra um grau de profundidade mais próximo deste último. A boa notícia é que, principalmente em razão de boas atuações do elenco principal e dos espetaculares efeitos especiais, o segmento acaba se saindo melhor do que o clássico, prejudicado pela baixa tecnologia televisiva da época.

É raro ver um episódio de Enterprise (ou mesmo de Jornada nas Estrelas) que consiga equilibrar o uso de todos os personagens. Aqui, esse tênue equilíbrio é obtido, mas a um custo — nenhum dos tripulantes acaba ganhando um real destaque ou desenvolvimento, com todas as atuações diluídas no tempo de tela disponível.

Hoshi possuída atacando Phlox

Talvez o único personagem a receber um tratamento ligeiramente relevante é Phlox, que tem a primeira oportunidade, aqui, de participar na condição de herói de ação, tendo que imobilizar uma Hoshi possuída em vias de disparar uma pistola de fase contra ele e executando o plano de asfixiar os tripulantes dominados, realização que exigiu também uma briga com um Tucker possuído.

Archer apresenta também os traumas resultantes de seus dois anos no espaço enfrentando alienígenas hostis. O capitão generoso e ingênuo começa a dar lugar a um líder afiado e desconfiado. Apesar disso, o roteiro exagera um pouco na dose, mostrando um Archer que é incapaz de acreditar nas boas intenções de um alienígena, mesmo quando vários sinais parecem apontar nessa direção. Embora seja uma boa coisa o abandono da personalidade de “escoteiro” dos primeiros episódios da série, talvez essa transição precise de alguma suavidade. Aqui, em vez de soar como um bem executado desenvolvimento do personagem, acaba parecendo mais uma conveniência do enredo. De toda maneira, não seria preciso muita reforma para tornar tudo um pouco mais convincente.

Phlox em The Crossing

Tirando isso, pouco sobra para comentar a respeito dos personagens, ou mesmo do enredo. Claramente, foi um episódio sob medida para economizar em despesas de cenário e de elenco convidado. As únicas cenas feitas fora da Enterprise foram realizadas com fundo verde, depois substituídas por um ambiente criado em computador.

Talvez esse seja mesmo o maior destaque do episódio. As tomadas da NX-01 sendo “engolida” por essa nave espacial, as cenas da caminhada espacial de Reed, Trip e Archer e as “invasões” dos corpos dos tripulantes são apresentadas de forma efetiva e até mesmo empolgante, em alguns casos.

Enterprise sendo engolida por nave alienígena

Por outro lado, esse aspecto adrenalina talvez tenha subido demais à cabeça da produção. O ato final de Archer — a destruição sumária da nave alienígena, sem choro nem vela — parece destoar totalmente da tradição de Jornada nas Estrelas e nem mesmo com a velha desculpa de que “estamos no século 22 e os humanos são menos sensíveis e ‘evoluídos'” é possível contentar aos fãs mais apegados à filosofia e à ideologia da franquia, tal qual foi concebida.

Avaliação

Citações

“You claim to be an explorer, Captain — open your mind to new possibilities.”
(Você diz ser um explorador, capitão — abra sua mente para novas possibilidades)
Tucker possuído

“You are very beautiful. Are you aware that you are the most attractive woman on board this ship?”
“Do you think it is appropriate for you to be here at this hour?”
“Would you mind taking off your clothing? I would like to learn more about your anatomy.”
“Have you been drinking?”
“If we are to engage in mating it would be easier if you disrobed.”
(Você é muito bonita. Está ciente de que você é a mulher mais atraente nesta nave?)
(Você acha apropriado estar aqui a esta hora?)
(Você se importaria de tirar suas roupas? Eu gostaria de aprender mais sobre sua anatomia.)
(Você bebeu?)
(Se vamos iniciar um acasalamento seria mais fácil se você se despisse.)
Reed possuído e T’Pol

“Start working on a way to find out who’s themselves and who’s not.”
(Comece a trabalhar num jeito de descobrir quem é si mesmo e quem não é.)
Archer

Trivia

  • A versão original do roteiro tinha um personagem chamado de tripulante Rooney. Ele acabou sendo trocado por Rostov, interpretado por Joseph Will, que fez sua terceira aparição na série. Matthew Kaminsky antes interpretou Cunningham, em “Singularity”. Aqui, o nome do tripulante não é mencionado, mas provavelmente se trata do mesmo.
  • As filmagens principais ocorreram entre os dias 8 e 16 de janeiro de 2003.
  • Aparentemente, os criadores de Enterprise não concordam na avaliação do resultado final deste episódio. Para Rick Berman, “The Crossing” era “um episódio de ficção científica bem pesado com o qual estou muito feliz. Esse é o que tem as ‘aparições’ que vão lembrar as pessoas das [nuvens alienígenas] da Série Clássica“. Já Brannon Braga afirmou, após a exibição, que “ele não tinha carne suficiente. Teve alguns efeitos legais, mas poderia ter um ritmo melhor e talvez ser sobre alguma coisa. Não pareceu ter a profundidade que normalmente procuramos.”

Ficha Técnica

História de Rick Berman & Brannon Braga & Andre Bormanis
Roteiro de Rick Berman & Brannon Braga
Dirigido por David Livingston

Exibido em 2 de abril de 2003

Títulos em português: “A Travessia”

Elenco

Scott Bakula como Jonathan Archer
Jolene Blalock como T’Pol
John Billingsley como Phlox
Anthony Montgomery como Travis Mayweather
Connor Trinneer como Charlie ‘Trip’ Tucker III
Dominic Keating como Malcolm Reed
Linda Park como Hoshi Sato

Elenco convidado

Steven Allerick como Cook
Alexander Chance como tripulante 1
Valerie Ianniello como tripulante mulher
Matthew Kaminsky como tripulante 2
Joseph Will como Rostov

Enquete

Edição de Mariana Gamberger
Revisão de Nívea Doria

Episódio anterior | Próximo episódio