Nick Meyer diz o que espera de Discovery

Nick MeyerEm meio aos trabalhos de escrita, o roteirista de Star Trek: Discovery, Nick Meyer, sentou-se com a equipe do site TrekMovie, numa entrevista exclusiva, para discutir suas esperanças para a nova série, e como suas aventuras anteriores em Jornada irão influenciar nesta nova história, e muito mais.

Quais são suas esperanças pessoais para Star Trek: Discovery ?

Meyer: Espero que seja um sucesso. Essa é a minha primeira esperança. Espero que perpetue a condição de Star Trek de ajudar as pessoas a se verem, fazendo-nos capazes de contemplar dilemas que de outra forma poderíamos estar muito próximos para julgar sem preconceito. Eu creio que seja a força da série – por tomar questões polêmicas, renomeando-as e colocando-as em algum outro lugar, que poderíamos pensar sobre nós mesmos e como queremos ser. Espero que a nova série contribua para essa tradição, que seria uma coisa boa.

Seu Star Trek foi um exame de personagem mais íntimo, ou seja, a jornada de Kirk em Star Trek II e Kirk e Spock questionando suas relevâncias em Star Trek VI. É esse exame contínuo da jornada de um personagem da maneira que você se vê escrevendo em Discovery?

Meyer : Essa é a única maneira que eu realmente posso me relacionar com Jornada. Eu não sou um fã de ficção científica, eu não assisti a série quando criança – e não entendia. É apenas na medida em que eu entendo os aspectos humanos terrestres das histórias que eu posso criar ou relacionar com eles. Eu costumava ler essas histórias por CS Forrester sobre o Capitão Hornblower. Eu creio que Star Trek é o Capitão Hornblower, e eu posso fazer isso, basta mudar o nome para algumas espécies exóticas.

Esta é sua quarta viagem para “a fronteira final”, o que o trouxe de volta desta vez?

Meyer : Bem, tenho certeza que me ofereceram dinheiro …

Você não está fazendo isso de graça?

Meyer : Eu não carrego uma caneta comigo no caso de eu acidentalmente escrever algo de graça. O Dr. [Samuel] Johnson dizia que, “um homem é um cabeça-dura que escreve por qualquer motivo que não seja dinheiro”. Fiquei muito lisonjeado, fiquei muito lisonjeado por ser convidado de volta como uma espécie de eminência parda, que é o tipo de coisa que eu sou, ou me tornei, mesmo que eu não me sinta muito eminência parda e então eu olho para a cor do meu cabelo e eu penso, “você ficou muito grisalho”. Então a eminência era talvez uma fantasia, mas aqui eu estou.

Refletindo sobre os três filmes de Jornada que você escreveu e dois que filmou, você os olha de maneira diferente hoje?

Meyer: Eu gosto de pensar que o melhor do meu material foi construído para durar. Você pode olhar para Um Século em 43 Minutos hoje e não parece um filme antigo; Parece muito oportuno, pertinente, inteligente – a história ainda é, ao meu modo de pensar, muito cativante. Por outro lado, quando eu olho para Star Trek VI, eu sou auto consciente sobre as coisas nesse filme, o que me atinge, elas podem não tocar outras pessoas, como uma espécie estranha. Há uma certa qualidade presunçosa para Kirk olhando para os conspiradores e dizendo que “algumas pessoas podem ter muito medo da mudança”. Mas olhe o que a mudança nos tem feito, o mundo em que vivemos agora é uma melhora em relação ao confronto com a União Soviética? Por mais aterrorizante que fosse, ninguém estava voando aviões a jato para a World Trade Tower, correndo com bombas atômicas em malas ou o que quer que venha a seguir.

Além disso, quando eu olho para Spock fazendo a fusão mental Vulcana com Valeris, isso me lembra do afogamento simulado (técnica de tortura). Eu estou pensando, se eu realmente faria isso dessa maneira agora? Então, olhando para trás, isso realmente envelheceu estranhamente. Eu não acho que Khan envelheceu, eu não acho que Um Século em 43 Minutos envelheceu. Eu acho que Revelações é um ótimo filme, e Somersby: O Retorno de Um Estranho.

Você mencionou em seu livro, A View from the Bridge, como você estava hesitante em  assumir O Dia Seguinte, mas viu isso como um desafio.

Meyer: Todo mundo estava hesitante em assumir.

Anos mais tarde, Ronald Reagan disse que seria por isso …

Meyer: ... Ele assinou o tratado com Gorbachev. Pode ser a coisa mais valiosa que eu tenho a ver com a minha existência até agora.

Existe alguma coisa que você tenha escrito que está na prateleira que você ainda gostaria de ver feito em um filme?

Meyer: Há muitos mais projetos que eu escrevi, que eu adoraria ver produzidos, que não foram feitos. Acho que a maioria das minhas melhores coisas não foram filmadas; The Crook Factory, A Ascensão de Theodore Roosevelt, The White Company, Washington, Powerbroker – é uma lista muito longa.

Eu acho que o tipo de escrita que eu faço é sem dúvida fora de moda. Eu não faço o carro explodindo; Minha versão de um filme ”capa e espada” é The White Company com certeza.

8 Comments on "Nick Meyer diz o que espera de Discovery"

  1. Um diretor e roteirista muito bom que merecia ter levado mais projetos para os cinemas.
    Só pelo que fez por Jornada já merece respeito e dá muito crédito à nova série.

  2. GILSON P. DE FARIAS | 27 de fevereiro de 2017 at 9:20 pm |

    St!

  3. Com toda a repercussão da saída do Bryan Fuller até havia esquecido da presença do Nick Meyer na trupe. Precisamos primeiramente de boas histórias, então estamos bem encaminhados.

  4. Sem o Meyer, não acho que Jornada tivesse sobrevivido nos cinemas… ou as coisas teriam sido bem diferentes, de um jeito ruim.

  5. Sem dúvida, ST VI, foi um marco. Sinto, como ele, a enormidade da mensagem desse filme. O confronto final e a despedida. Toda vez que assisto, qdo termina fico algum tempo ainda pensando em tudo. A princípio critiquei o Meyer por causa de certos aspectos da Ira de Khan, até mesmo ele já disse que se fosse hoje teria respeitado mais o cânon, porém só temos que agradecer a ele, pois, pelo que ele disse concluo que a nova série vai ter a cara de ST.

  6. Meyer tinha que estar trabalhando nos novos filmes, não na série.

  7. Ele usa a roupagem Sci-fi para escrever sobre questões humanas.

  8. Nos novos filmes e na série.

Leave a comment

Your email address will not be published.


*