Mulgrew fala sobre a não sexualidade de Janeway

Falando durante um painel no Denver Comic Con, a atriz Kate Mulgrew, nos seus comentários a respeito da série Voyager, revelou que tinha uma posição bastante forte sobre não sexualizar a capitã Janeway, o primeiro personagem principal do gênero feminino na história da franquia de Jornada. Ela até acredita que sua negativa acabou levando à introdução da personagem Sete de Nove, interpretada pela sensual Jeri Ryan.

“Esse momento se torna evidente quando Jeri Ryan chegou. Esse foi um momento interessante porque – tem havido muita controvérsia a respeito disso gerada sobre mim – e novamente infeliz “, explicou Mulgrew durante seu painel. “Quando você é a primeira capitão feminina, você torce desesperadamente que isso seja suficiente até o dia em que não acontece. Porque os homens gostam – como deveriam, como todos vocês devem e eu amo e adoro cada um de vocês – eles amam o sexo. E eles precisam disso. E eu disse ‘Não’ para tudo isso”.

Continuando Mulgrew sobre a produção querer o personagem com algum tipo de relacionamento amoroso na série: “Eu disse: – Não vou dormir com Chakotay, não vai acontecer”, lembrou ela. “Eu disse que precisariam arrumar uma outra coisa para isso, então eles conseguiram que essa garota muito bonita entrasse. Ela interpretou um personagem maravilhoso. E sim, eu não estava preocupada com isso porque eu esperava – como tenho certeza de que Hillary Clinton esperava. Todos esperamos. A esperança é eterna, de que podíamos fazê-lo por nós mesmas, mas ainda precisamos de sexo. Então, acaba sobressaindo.”

Mulgrew conta que foi obrigada a ser firme para ganhar o papel, com a desistência da atriz francesa-canadense Genevieve Bujold, devido ao preconceito de alguns do estúdio para com o personagem.

“Ela durou um dia! Como resultado dessa dança estranha durante os primeiros seis meses, pelo menos dez rapazes da administração – Paramount, UPN – estavam a beira do palco e apenas me observavam”, lembra Mulgrew. “Eles apenas assistiam. Era incrivelmente enervante. Mas eu entendia o que isso significava. E eu disse a mim mesmo: ‘Vocês querem jogar esse jogo? Então eu vou jogar com vocês e vamos ver ganha isso. E vou ser eu”.

“Algo em mim despertou depois que Bujold desertou, era que eu falharia e então eles trariam outro homem”, Mulgrew continuou. “Eu pensei: – Não, não, não, nós não podemos ter isso. Nós simplesmente não podemos, devemos seguir em frente. E assim fizemos. E adivinhe quem me levou à Casa Branca depois do final da primeira temporada? Uma mulher chamada Hillary Clinton”.

Fonte: ComicBook

13 Comments on "Mulgrew fala sobre a não sexualidade de Janeway"

  1. Ser um Líder não é tão fácil…..

  2. Nem um pouco…

  3. Adoro a sete de nove, mas deve ter sido difícil pra todo mundo trabalhar com aquela mulher do lado…. o profissionalismo tem que ser monstruoso rs

  4. GILSON P. DE FARIAS | 11 de julho de 2017 at 9:36 pm |

    Eu amo essa série! E claro que amei a interpretação da Mulgrew! E sei que a entrada do personagem fêmea borg, foi por baixa de audiência.

  5. ralphpinheiro | 12 de julho de 2017 at 9:31 am |

    Achei interessante dizer que havia gente do estúdio que torcia para ela fracassar no teste e assim voltar com mais um personagem masculino no comando. Mas acho que a ideia básica era essa de trazer uma mulher forte para o comando e assim sair da mesmice. Se não fosse ela, fatalmente seria outra. Mas a entrada da Jeri deu um fôlego a série que estava em baixa, e isso não foi só por causa de seu belo corpo, mas porque ela soube trabalhar bem o personagem.

  6. Isso é verdade. Além de expandir o conhecimento sobre os borgs, a Sete ainda ampliou as possibilidades ao se relacionar com a Naomi e depois com os outros meninos borgs resgatados. A série melhorou muito e isso é fato. Mas realmente ela acertou em evitar algum relacionamento, não por outro motivo, mas simplesmente pq o enredo não necessitava disso.

  7. Acho que assisti outra série chamada Voyager e não esta deste artigo…na série que eu assisti a Janeway teve relacionamentos amorosos várias vezes e não só com Chakotay…exploraram sua sexualidade e relacionamentos!! tenho certeza que isto está lá, rsrsrsrs, a Set de nove entrou pra ser a sexy do seriado e atrair mais público, acabou sendo bem mais que isso e deu certo no enredo com epísódios excelentes. Me corrijam se estou enganado…. 🙂

  8. Fosse hoje, a Janeway seria lésbica e teria um caso com a Sete kkkk

  9. ralphpinheiro | 12 de julho de 2017 at 6:50 pm |

    Várias vezes? Com Chacotay nunca chegou a ter algo mais sério, sempre levaram em banho maria. Houve um breve interesse num alien quando ela ficou sabendo que seu companheiro na Terra havia se casado, mas durou um episódio, temos também um romance que demorou mais quando ela estava sem memória num planeta. Quanto a Jeri está correto.

  10. Houve flertes com Chakotay. Nunca evoluiu. Não teve um rolo com personagem de holodeck também?

  11. hahahahaha!

  12. Aqui, o fato dã capitã ser um personagem pouco
    sexualizado é uma coisa, o fato da capitã se fechar para a possibilidade de um novo relacionamento afetivo é outra coisa.

    A sexualidade faz parte da natureza humana e cada um tem a sua. Alguns a vivenciam intensamente outros não fazem da sua sexualidade um fator tão importante para as suas vidas.

    Sinto que a personagem perdeu em complexidade, em camadas ao não explorar esse lado. Talvez se a série trouxesse a tona algum conflito que justificasse essa postura, a personagem seria mais rica.

    Muitas mulheres, ao ocuparem uma situação de poder, chefia ou comando, no intuito de se impor e para fazer frente a ideia machista de que a mulher é o sexo frágil se tornam mais duronas e assumem uma personalidade forte.

    Muitas mulheres se fecham para a possibilidade de construirem novos relacionamentos amorosos, não querem se sentir vulneráveis. Isso acontece com os homens também.

    A ser capitã, muitos obstáculso foram vencidos, mas a que custo? Que cicatrizes foram deixadas para trás? A inocência da juventude se perdeu?

    Seria interessante que a série da capitã tivesse explorado esse mote, quando a gente entra na psiquê da personagem, quando a gente entende o porque dele ser assim, ele se torna rico. O público compreende as suas escolhas e a personagem ganha a admiração do público.

  13. David Gaertner Curitiba | 17 de julho de 2017 at 8:51 pm |

    Kkkkk

Leave a comment

Your email address will not be published.


*