Impressões iniciais da premiere de Discovery

Nesta terça-feira à noite ocorreu o evento “tapete vermelho” (no caso era azul) para a série Star Trek Discovery, uma premiere no Arclight Theatre, em Hollywood. Com participação apenas de convidados especiais e a imprensa foi apresentado o piloto da série (em duas partes), que durou cerca de 2 horas. A imprensa e quem mais assistiu a premiere não tiveram permissão para fazer comentários a respeito do conteúdo, mas temos as primeiras reações e opiniões superficiais de sites como TrekMovie, TrekCore e de outras pessoas, além de imagens dos convidados presentes.

A festividade começou às 20:0 horas (nos EUA) e pôde ser vista na página oficial do Star Trek: Discovery Facebook.

Sem emitir qualquer opinião que contivesse spoiler ou um review mais técnico, os sites e as pessoas que se fizeram presentes apenas deixaram suas impressões iniciais da série, além de entrevistas e imagens do evento.

O site Trek Movie, por meio do seu editor Anthony Pascale, pode acompanhar de perto todo o evento e assistir o piloto.

“Estreia em 2 partes: verdadeiramente cinematográfica e mergulhada na sabedoria de Jornada. Muita ação e backstory”, disse Anthony, acrescentando, “…. alguns elementos com certeza suscitam debate, mas esperamos que a maioria dos fãs esteja pronta para mais”, disse o editor.

A galera do TrekCore também esteve por lá e colheu algumas impressões das pessoas que assistiram o piloto.

“Saru é ótimo. Muito mais do que apenas “detectar a morte” visto nos trailers”.

“Burnham é realmente o centro desta série – e SonequaMG tem o que é preciso”.

“O trabalho VFX é realmente impressionante. Tudo nos trailers definitivamente está em progresso nas versões dos efeitos”.

“Qualquer preocupação com o diálogo stilted em teasers pode esquecer; definitivamente é afetado pela edição de anúncios”.

“Se você gostou da música tema, espere até vê-la emparelhada com a sequência de créditos de abertura”.

Mas não foi só a imprensa que esteve presente. Várias celebridades de Jornada estiveram no evento. Veja a imagens abaixo.

Gates McFadden e Jonathan Frakes

 

Essa é para ficar na história de Jornada.

Nichelle Nichols e Sonequa Martin Green

 

A velha e a nova geração Star Trek

O casal Trimble responsável pela campanha de manutenção da série original na sua terceira temporada, até o cancelamento em 1969.

Nana Visitor

 

Roxann Dawson, Connor Trinneer e Nicole de Boer

 

40 Comments on "Impressões iniciais da premiere de Discovery"

  1. Confesso que eu estava esperançoso por algum comentário do tipo “Star Trek está de volta!”. Mas ok. Muito legal o evento com todas as gerações presentes. Abraços. 🖖

  2. Aquela foto da Nichele com a Sonequa é sensacional. Até o Bill estava lá que legal, já imagino ele sugerindo a algum dos produtores que acha que há espaço para ele reviver o Kirk na série. Rs. Abraços. 🖖

  3. Pessoal repare em uma coisa, nas fotos a Sonequa sempre aparece ao lado da Nichelle e se coloca, nas duas fotos, um passo atrás da atriz veterana, em uma atitude humilde e respeitosa, deixando a nossa eterna Uhura em maior destaque. Estou gostando cada vez mais dessa Sonequa. Abraços. 🖖

  4. Ninguém dos Jêi Jêi Trash Movies foi convidado? Será? Talvez para deixar bem marcado que “Aqui é Cânon pô!”. Abraços. 🖖

  5. João Luiz Silva Cruz | 21 de setembro de 2017 at 7:37 am |

    Agora vem o suspense, o pessoal que foi não pode comentar muito, o que é uma estratégia interessante pois aguça ainda mais os fãs para estreia.

  6. João Luiz Silva Cruz | 21 de setembro de 2017 at 7:39 am |

    PS: Gates McFadden envelheceu bem hein?

  7. Adorei ver a velha guarda de ST sendo homenageada! Estou feliz pelos comentários positivos e sigo na expectativa.

  8. Faz sentido. Sentido de honradez e humildade.

  9. KKKK, gostaria de ver essa!

  10. Ricardo Pinheiro | 21 de setembro de 2017 at 10:29 am |

    Ouso dizer q está + bonita agora, aos 68 anos.

    Alguns diriam “quase uma MILF”, mas aí eu seria desrespeitoso c/ a Dra. Crusher. 😀

  11. Ricardo Pinheiro | 21 de setembro de 2017 at 10:34 am |

    Vamos ver se os trekkers chatos (e como tem, socorro!) vão se render à série ou não… Ainda tem gente q fica dizendo “Ah, tinha q ser depois da Voyager!” Mas o grande público n lembra quem é o Picard, qto + a Janeway. Ah, povo chato.

    Se o Luiz Castanheira, q é o trekker + chato q conheço (e olha q eu respeito muito a opinião dele), está dando uma chance pra Discovery… Pq n baixar a guarda? Calma, povo, é um seriado de TV, n é caso de vida ou morte… É algo + sério do q isso! 😀

  12. Muito bonito ver os veteranos da franquia ao lado dos novatos.

  13. Chega a ser comovente ver o casal Trimble nesse evento.
    Um grande acerto convidá-los.

  14. João Luiz Silva Cruz | 21 de setembro de 2017 at 4:05 pm |

    Dá pra quebrar a cama tranquilo.

  15. Carlos Pimentel | 21 de setembro de 2017 at 4:56 pm |

    Cheguei a ter lágrimas nos olhos ao ver a Nichelle Nichols, Gates McFadden e Nana Visitor. E pra arrebatar a última foto mostra uma sensível união de fãs das versões de Jornada. Representa muita coisa para nossa vida viu….

  16. O Casta é gente boa! E ele sempre criticou com argumentos convincentes. Todo trekker das antigas é um tanto exigente. E vamos combinar que tudo o que veio depois de DS9 esteve abaixo da média do que fora produzido até então. E no caso da Kelvin Timeline, bem, é melhor tratar isso como um sonho louco. Abraços. 🖖

  17. Ricardo Pinheiro | 21 de setembro de 2017 at 7:01 pm |

    Por isso q eu digo q respeito ele, toda crítica é bem embasada.

    Sim, VOY e ENT foram abaixo, mas não tão abaixo. E a Kelvin Timeline… Bem, eu gosto dela, no geral. Serviu pra trazer alguns fãs novos (como minha esposa). E no cinema n dá pra pedir muita profundidade nos tempos atuais (nos anos 1980 dava – lembremos q o Picard mudou muito nas suas características qdo foi p/ o cinema).

    Enfim… Q venha DSC logo.

  18. Premiere com toda pompa e circunstancia!! Faltaram os atores e produtores da kelvin time line? Por que?
    Estreia na Netflix e nos gibis tb, que serão canon e talvez sirvam pra manter a chama acesa durante a pausa após os episódios de novembro…..

  19. Quanto aos novos filmes, eu também fui tolerante e defensor. Fui ao cinema. Lembro que no caso do Into Darkness fui três vezes. Apoiei, enfim. Também consegui de certa maneira trazer minha esposa para a causa, ela foi ao cinema comigo, e gostou. Eu até me acostumei com as migalhas pseudo trekkers que o Abrahms nos jogava. Claro que os filmes da Kelvin Timeline tiveram seus méritos, conseguiram um público legal, certa renovação da base de fãs, e eu gostei principalmente dos atores. Mas cara, quando a TNG voltou à Netflix, eu fui lá e revi Inner Light. E revi tudo. E agora estou revendo DS9. E, nossa, parece que caiu a ficha do que de fato é Star Trek. Bem, é isso. Abraços. 🖖

  20. Trato como deve ser tratado, um mundo paralelo.

  21. De fato, ninguém da Bad Robot ou do elenco da Kelvin timeline esteve presente.
    Mas tivemos a Terrey Farrel e Adam Nimoy. https://uploads.disquscdn.com/images/cd9c575b1f610e0c21741a635ceff26f0a836e16e161abfcce451e8be26643f5.jpg

  22. A Gates McFadden também deu um aceno positivo para a estreia. Ela ficou maravilhada com os efeitos, a dinâmica dos episódios. Ela agora é diretora e produtora. Vai ver está tentando uma cavada pra dirigir algum episódio.

  23. Creio que é pq a Kelvin Timeline é do filme que foi criado pela a Paramount e ela não se dá nada bem com a CBS.

  24. Eu me considero um trekker extremamente chato e ortodoxo… mas estou abrindo mão de tudo para ver a série primeiro para depois comentar, quero muito me surpreender positivamente com a série.

  25. kkkkkkk

  26. mas o visual da nave Shenzou lembra muito a kelvin time line , propositalmente eu acredito , para aproveitar e chamar atenção do público novo que conheceu ST de 2009 pra cá….por isso achei que convidariam os atores e produtores da era JJ….. kkkkkkkkkkkkkkkk

  27. Fabiano Correia | 22 de setembro de 2017 at 3:51 pm |

    Espero que essa série seja boa
    Apesar das dúvidas sobre o canon

  28. Ricardo Pinheiro | 22 de setembro de 2017 at 4:01 pm |

    Pelo menos você está “baixando a guarda”, esperando o melhor.

    Eu estou animado, são 12 anos sem Star Trek na TV, e está voltando! E o melhor, no Netflix. Isto significa que vai ser possível assistir DSC, se quiser, no buzão.

    Quanto às “incoerências visuais”, acho que o cânone visual não tem tanta importância, se o cânone de histórias for mantido. Explico: Uniformes azuis (como os de Enterprise), os deltas nos uniformes (contradizendo a TOS) e outros elementos visuais não são lá tão relevantes assim, na minha concepção. Mas é claro, eu gosto muito de ver o phaser original, o tricorder e o comunicador, nos vários vídeos que eu já vi.

    Enfim, vamos lá, venha logo DSC.

  29. Ricardo Pinheiro | 22 de setembro de 2017 at 4:09 pm |

    Ouvi o Salvador Nogueira falar no Seção 31 (*) sobre a teoria dele, de que eles podem vir a rebootar a Série Clássica no final de Discovery… Eu acho plausível pensar nisso. E honestamente, não me incomodo. Novos Kirk, Spock e McCoy na TV? Pra mim não é o problema. O problema é não contar uma história que não seja “Star Trek”.

    Um exemplo: Patrulha Estelar (Uchuu Senkan Yamato) foi produzida entre 1974 e 1983. 3 séries e 4 longa metragens em animação. Legiões de fãs. No Japão, a música de abertura é cantada em escolas, tal a relevância do anime. Brigas homéricas na Justiça japonesa, entre o Leiji Matsumoto e o Yoshinobu Nishizaki, pelos direitos. Levou muitos anos. O 2o faleceu em 2010, mas a família ganhou os direitos, finalmente. O filho assumiu a produção, e resolveram fazer 2 longas (um 20 anos depois e um live action). E começaram a fazer um remake, Star Blazers 2199. 26 episódios, em essência a mesma história (Iscandar, ida até lá, etc e tal). Está ESPETACULAR, eu adorei. No Japão, passa em cinema, e leva meses para sair mais dois ou três episódios, mesmo com toda a tecnologia. Fizeram mais um longa (Odyssey of the Celestial Ark, encaixa-se na volta deles à Terra) e agora engataram em Star Blazers 2202, a saga do Cometa Império. Estou ansioso para ver.

    É claro que eu gostaria de ver séries em novos tempos, como depois da Voyager, um desenho animado q nem Star Wars Rebels, uma minissérie do Khaaaaaaaaaan, muito material novo sobre Star Trek. Mas se reiniciarem a Clássica, eu vou ver feliz da vida. Lembremo-nos: ST não nos pertence, pertence à CBS. E eles fazem o q der na telha c/ ela. Inclusive lográ-la ao esquecimento. Ou produzir algo, como ST: Discovery, por exemplo.

    Doctor Who estava parado há 17 anos quando deram continuidade em 2005 (sim, eu ignorei o filme de 1997), e hoje a série é uma febre na Inglaterra (palavras de um amigo que mora lá – e olha que ele não é fã), e no mundo todo. Pq não DSC pode ser essa retomada? Olha, espero muito que sim. O futuro que nos aguarda, eu espero muito que eu me agrade dele. Que venha DSC!

    (*) Aliás, o Salvador se saiu muito, mas muito bem. A resposta dele a respeito do site de boatos (que é tão relevante que eu esqueci) foi fenomenal.

  30. Todo esse aparato é para dar credibilidade a série e óbvio atrair público trekker e os novos. Aguardem dia 25.

  31. Que ótimo! Se ela busca uma oportunidade então deve estar na companhia da pessoa certa, vai ver o Frakes está dando uma forcinha. 🖖

  32. Sim, e considero esta uma grande sacada do Abrahms. Mas que podia ser um mundo paralelo melhor do que foi acho que nisso todos nós concordamos. Abraços! 🖖

  33. Oi. Não ouvi este debate, mas a ideia de um novo reboot me parece estranha. Limitaria a franquia ao invés de expandi-la. Além disso, com TOS sendo explorada no cinema, isso daria uma briga de engravatados….

  34. Perceba: Se a Kelvin Time line tivesse dado certo, certamente ocorreria o contrário. Fariam uma série TOS baseada neste universo.

    O reboot do universo clássico passou a ser o caminho mais lógico.

    Até lá, a TOS (Kelvin Time Line) no cinema estará encerrada e enterrada.

  35. Ricardo Pinheiro | 23 de setembro de 2017 at 12:43 am |

    Acho difícil q tenhamos ST 4 (ou 14) no cinema em um futuro próximo.

    ST é o fenômeno da cultura pop que conhecemos porque tem fãs apaixonados, mas só nós n bancam uma série q custa 8 milhões/episódio. Tem q atrair o gde público, q hj em dia n lembra da TNG, DS9 ou VOY, qto + ENT. Minha mãe (q n gosta de nada disso) é capaz de reconhecer o Sr. Spock numa foto. E eles querem pegar esse público, como minha mãe e as gerações + novas, q só viram ST a partir de 2009 nos cinemas.

    Portanto, eu acho q eles limitam agora pra expandir depois. Lembre-se, são 12 anos s/ ST na TV. Nesse intervalo de inoperância da CBS/Paramount, SW pegou quase todo o espaço disponível.

    E pensando no dinheiro (e não tem jeito, é tudo por causa do dinheiro), é melhor recomeçar por algo mais confiável, como a época de Kirk, Spock e McCoy. Só que eles terão que fornecer material inédito para encher o CBS All Areas, não adianta por reprises de The Big Bang Theory e outras séries antigas + DSC.

    Logo, sonho com material novo, como minisséries, quem sabe um desenho animado, outra série, telefilmes, essas coisas. E o reboot da TOS eu acho plausível, para pavimentar o caminho e estabelecer um novo rumo para os próximos 50 anos.

    Mas para isso, DSC tem que dar uma baita audiência. Eu espero q dê e farei minha parte.

  36. Ricardo Pinheiro | 23 de setembro de 2017 at 12:46 am |

    A Terry Farrell é outra q a idade chega e ela… Continua linda.

Leave a comment

Your email address will not be published.


*