• SAREK

    Conforme recente notícia, veiculada aqui mesmo no trekbrasilis, contrataram a atriz que interpretará Amanda (mãe de Spock e esposa de Sarek).

    Não está bem claro para mim se a contratação ocorreu recentemente ou se apenas a divulgação da mesma é que foi liberada agora.

    Se a primeira hipótese for a verdadeira, acredito que veremos Amanda somente no segundo bloco de episódios da primeira temporada (após o episódio 9).

    Foi uma brincadeira do ator que interpreta Sarek (no primeiro After Trek) ou realmente teremos uma cena de luta envolvendo ele e outro vulcano?

    Sinceramente espero ver mais vulcanos, andorianos e tellaritas nos episódios da série. Tomara que a guerra klingon não seja motivo para o subaproveitamento destas espécies icônicas da série clássica e de Enterprise.

    Também gostaria de, em uma próxima temporada, ver a USS Enterprise – comandada por Pike e Number One e com o oficial de ciências Spock. Se escolhessem bem o elenco e escrevessem um bom roteiro – com a qualidade dos atuais – teríamos um momento de grande apelo junto aos fãs e um laboratório para testar a receptividade de um novo elenco interpretando a tripulação clássica.

    Seria simplesmente fascinante.

  • Nelson Pieka Rivaldo

    Velho, eu vivi pra ver isso! Uma resenha do Trek Brasilis feita em tempo real com a série!
    Obrigado Grande Pássaro da Galáxia! Obrigado CBS e Netflix!
    E parabéns, Trek Brasilis! Vocês são demais, caras!

  • João Luiz Silva Cruz

    Primeira resenha depois de vários anos, impecável análise.
    No geral eu gostando da série, e só pelo fato de a gente tá discutindo vários aspectos já é um sinal de DSC veio para inovar.

  • Gordura do Ultra

    Adorei a analise , bom ver que conseguiu ver a essencia Star Trek , eu mesmo notei a atirtude de Michale similar ao do Spock , também acho que a série acertou em inovar na narrativa e nos acontecimentos , senão provavelmente considerada mais do mesmo ou inferior , como ocorreu na primeira temporada da Nova Geração

  • Melissa

    Fico pensando,se em algum momento da trama,não toparemos com algum jovem oficial da futura enterprise,seria uma surpresa interessante

  • Leandro Henrique Pereira Neto

    Excelente resenha no formato clássico do Trek brasilis inclusive com as trivias.

  • Edson Santos

    A premissa dos Klingons é a mesma do Estado Islâmico e quem se encaixaria na Coreia do Norte seriam os Romulanos

  • Victor Agmc

    Que ótimo ver o trekbrasilis revitalizando as resenhas dos espisódios de StarTrek agora com a chegada de Discovery… aliás, esse conteúdo clássico das resenhas, que é excelente, deveria estar em destaque neste site, migrando para a parte nova do mesmo, muita gente não chega a ver as resenhas porque faz parte do conteúdo clássico.

  • Victor Agmc

    Essa série foi profética, por tentar dialogar com a nossa realidade, ao lançar mão de um argumento escrito ainda em 2016, a trama acabou por acertar na mosca.

    O impesse que o mundo está vivendo agora em 2017, especificamente, entre os EUA e a Coréia do Norte que pode perigosamente sair do controle de descambar numa guerra nuclear, e o dilema que ronda um ataque preventivo, tem muito em comum com o dilema vivido pela Capitã Georgiu, eu mesmo comentei isso lá na Coluna do Mensageiro Sideral! rsrs 😉

    E fica a lição, o mundo ocidental, com várias das maiores democracias do mundo, com vários países signatários da carta de direitos humanos, deveriam todos, a todo custo, renunciar a guerra como forma de sulocionar os seus conflitos. Mesmo assim um país tem o direito de atirar primeiro?

    Já diria Sócrates, “é preferível sofrer a injustiça do que praticá-la”. Então que o outro atire primeiro então.

    Sentenciado à morte por ingestão de cicuta por supostamente corromper a juventude com a sua filosofia, Sócrates que poderia seguir para o exílio, uma pena alternativa menor, preferiu desafiar o Tribunal que o julgou, sendo, por fim, condenando a morte.

    É dificil, mas dar a própria vida, para fazer prevalecer os seus princípios, é uma escolha muito difícil. A tensão do episódio foi muito boa. Não, há uma resposta fácil. Esse episódio, para mim, representou um real teste do Kobayashi Maru.

  • Victor Agmc

    Salvador, suspeito que há um gancho sutil com os eventos da série Enterprise e que eu ficaria muito feliz se fossem explorados no futuro. Há um arco de espisódios na quarta temproada de Enterprise em que os Klingons acabam se contaminando com o DNA daqueles humanos geneticamente melhorados do século XX (a mesma linhagem de humanos melhorados que deu origem ao Khan).

    Veja que T’Kuvma deseja a pureza racial e que quer fazer os klingons mais fortes e puros, quer se isolar. Vê a diversidade que a Federação presenta (humanos, vulcanos, telaritas, andorianos) como exemplo de fraqueza e deflarga a sua guerra contra federação que a considera impura.

    Esse desejo de pureza seria um reflexo, ou melhor, a tentativa de se expurgar um trauma decorrente daqueles eventos vistos em Enterprise, quase que uma vingança? Aonde os Klingons foram contaminados pelo DNA de humanos geneticamente modificados, o que acarretou na diferenciação do formato das suas testas (lisas e enrugadas)?

  • Salvador Nogueira

    Sim, pensei isso na hora. Não é mencionado em tela, então por ora é uma especulação. Mas sim, o encaixe é quase perfeito com a noção de que “não vemos klingons há cem anos”. Depois do acidente com o DNA augment, os klingons se retraíram e ficaram isolados por um século. Faz sentido para mim. 🙂

  • Salvador Nogueira

    Os romulanos na série clássica foram inspirados no Império Romano e depois criaram um paralelo deles com os chineses (daí Shinzon, por exemplo). Mas não com a Coreia do Norte. Coreia do Norte nem era assunto depois da Guerra da Coreia, em 1953. Nunca foi um player digno de nota, até agora.

    Agora, não preciso lembrar ninguém de que é uma franquia de 50 anos, e é FICÇÃO, né? Os klingons originalmente eram os soviéticos, e no século 21 nem soviéticos nós temos mais para manter o paralelo… 😛

  • Victor Agmc

    Eu adoraria ver um flashback desses eventos do passado na série Discovery, seria uma bela homenagem a série Enterprise.

    No etanto, creio que, por eles terem alterado muito a parte visual dos Klingons, um “flashback” seja algo complicado de se fazer.

    Mesmo assim os roteiristas e produtores são muito inventivos e eles podem pensar em algo.

    Aliás, adoraria ver algum ator de Enterprise fazendo uma pontinha em Discovery.

    Não sei se a medicina do século XXIII já permite aos humanos chegar aos 130 ou 140 anos de idade, todavia, T’Pol, com a sua longividade vulcana, pode perfeitamente aparecer na série! rsrs

    PS: já quero a resenha dos espisódios 2 e 3!!! hehe

  • Não esqueça da frase “átomo por átomo”. Achei citação direta com a Eugenia Klingon.

  • Salvador Nogueira

    E na minha cabeça de “fã que insiste em arrumar continuidade”, eu fico me perguntando se os klingons cabeludos, que vimos em ENT, já não são eles mesmos um produto de eugenia com mistura de DNA de outras espécies… E aí, depois da zoeira toda com o “Divergence”, em que a estratégia de engenharia genética falhou miseravelmente, rolou um backlash contra qualquer alteração no DNA klingon, levando a um processo de isolamento e purificação genética, representado pelo movimento “Remain Klingon”, que por sua vez trouxe de volta a aparência ancestral dos klingons, que seriam originalmente carecas. Claro que, depois de TOS, alguma outra merda precisa acontecer para eles voltarem a ser cabeludos — talvez um offshoot que nunca aderiu ao “Remain Klingon” assuma o poder –, para que as coisas se alinhem perfeitamente.

    Ou, alternativamente, eles só mudaram o visual dos klingons e ponto final. Heheheh

  • Victor Agmc

    Seria interessante que esse visual representasse uma ou apenas algumas casas do império Klingon. Se aqui na Terra, nós seres humanos, nos vestimos e nos portamos de de diversas maneiras, o que varia de acordo com a cultura local, é lógico pensar que no império Klingon aconteceria o mesmo. Mas também acho que eles só mudaram o visual e pronto.

  • Ou mudaram o visual e ponto final, ou quem sabe, explode outra bomba eugênica e eles viram roqueiros.

  • Esta seria a forma mais fácil. Mas como T’Kuvma quer unir as casas e – como visto com o Voq Snow (o Albino) – Klingons possui um senso de racismo – colocar casas eugênicas não traria o resultado esperado para a história. Quem sabe ainda veremos esta questão mais trabalhada para frente.

  • Salvador, ao deparar-me com tal resenha e seu formato isso me remeteu a uma bela época, em que assistia aos episódios semanais e ia voando ler o que o pessoal do TB havia achado. Ficava feliz quando ocorria de eu gostar muito de um episódio e, nossa o TB deu cinco estrelas! Estou entendendo deste treco! Isso ocorreu muito em TNG e DS9, quando foram apresentadas por aqui pela primeira vez, nem sei em que ano. Valeu pela volta no tempo, e sem necessidade de contornar o sol ou algum outro artifício. Abraços 🖖.

  • ralves58

    Caí de paraquedas aqui, vindo da leitura dos reviews do IMDB para a serie… E confesso que estou estranhando “todo mundo” gostando…

    No IMDB, a maioria dos reviews é negativa, por conta das alteracoes impostas à serie… As reclamacoes vao das menores, como a alteracao radical da fisionomia dos Klingons ou a tecnologia visivelmente mais avançada da Federacao (em comparacao à epoca de Kirk e companhia — um exemplo sao as comunicacoes 3D), ate as que me parecem as mais importantes, como a personagem volcana impetuosa e recheada de emocoes (pelo menos a atriz que faz a Michael Burnhama, a interpreta dessa maneira), volcanos que “atacam primeiro” e uma historia com pouco (ou nenhum) uso do cerebro e sim muita correria, lutas e “pew pew laser” pra todo lado (ou seja, tudo o que Gene Roddenberry detestava, que era ficcao cientifica com lutas físicas, explosoes e tiros de laser).

    Analogia com a Coreia do Norte? Achei que foi forçar a barra, duvido que os roteiristas tenham pensado nisso. Ainda mais uma Coreia do Norte que apenas rosna e blefa, para consumo do seu publico interno, porque o país mesmo nao oferece nenhum perigo real ao mundo Ocidental (mas, enfim, esse seria outro assunto).

    Assisti aos dois primeiros episodios de ST: Discovery e me decepcionei por conta disso… Foi apenas mais um sci-fi de tiros de laser e explosoes. Como um gringo resumiu bem, é Star Wars usando os personagens de Star Trek. Para mim, nem isso, os dois primeiros episodios estao mais para uma historinha Marvel/DC Comics, como Guardioes das Galaxias.

    Os dois primeiros episodios da satira The Orville captaram melhor o espirito trekkie (principalmente o segundo episodio) do que Discovery nos dois primeiros episodios.

  • Góris Faria

    Bom, como sempre, chego atrasado na discussão, com todo mundo falando do episódio 4 e eu no 1 ainda.
    Errrr…
    Odiei o visual dos Klingons.
    Pronto, falei.
    Achei que durante o episódio ia passar a gostar, mas é muito feio e muito diferente de tudo que eu acompanhei e curti.

    Mas achei um bom início para a série e curti o visual, realmente uma produção caprichada.

    E que venham mais episódios.