Armin Shimerman fala da introdução dos Ferengis

No início de A Nova Geração, a espécie Ferengi foi criada para ser a principal antagonista da série. Eles fizeram sua primeira aparição no quarto episódio da primeira temporada, “The Last Outpost”. O ator Armin Shimerman, nesta nova entrevista com a Gamespot, acredita que esta introdução não correspondeu ao que queria Gene Roddenberry.

Anos antes de se tornar membro regular da série Deep Space Nine como Quark, Armin Shimerman foi escalado para interpretar Letek, que liderou uma equipe Ferengi em “The Last Outpost”. Falando ao Gamespot para promover a recém anunciada expansão do jogo Star Trek Online focado em DS9, o ator revela que sentiu um fracasso pessoal deste Ferengi, observando:

O que nos foi dito sobre os Ferengi e o que acabamos fazendo foi como mudar da noite para o dia. Os ferengi seriam os novos klingons. Eles nunca foram feitos para serem uma raça cômica; eles foram feitos para serem ferozes e ameaçadores. E infelizmente, eles me contrataram para fazer um dos líderes Ferengi, e eu falhei miseravelmente.

Meu desempenho final não era nada do que Gene Roddenberry queria. A essa altura, ele estava bastante doente e não estava no set. Mas eu o conheci brevemente – talvez não mais do que 30 segundos – quando ele olhou para a minha maquiagem e olhou para a minha fantasia.

“The Last Outpost” foi um desastre. E ninguém sofre mais desse erro do que eu.

É claro que os ferengi não foram totalmente abandonados, aparecendo em mais de uma dúzia de episódios de A Nova Geração ao longo das sete temporadas. No entanto, foi em Deep Space Nine onde eles sofreram uma mudança total, com a introdução do personagem Quark, e Shimerman queria voltar a ser este novo ferengi.

Eu fiz o teste para o papel três vezes, e passei com muita angústia.

Quando eu descobri o papel, convenci meu agente a fazer testes. Eu fui um dos primeiros atores a fazer um teste para o Quark. Seis boas seis semanas se passaram e não ouvi nada. Eu continuei chamando meu agente pelo feedback. Mas, eventualmente, achava que não ia acontecer e fiquei de coração partido.

Seis semanas depois, meu agente ligou e disse que eu tinha um retorno de chamada. Eu fiz o teste com meu bom amigo Max Grodenchik [que acabou sendo escalado como irmão de Quark, Rom]. E dez dias mais tarde, eu tinha um teste final com Rick Berman e Michael Piller. O que mais tarde descobri é que eu e os outros atores sentados no corredor acabamos nos tornando frequentadores da série. Vinte e quatro horas depois, fui notificado de que ia ser regular na série. E tenho orgulho em dizer que fui o primeiro a ser chamado.

Eu estava em êxtase. Eu estava fazendo Hamlet naquela noite e meus pés não tocaram o palco.

Shimerman revelou que ele criou um objetivo pessoal para reabilitar o Ferengi em Deep Space Nine:

Eu não deixei isso para atrás por anos. Era como a espada de Dâmocles pendurada na minha cabeça. Todo o meu trabalho em Deep Space Nine, nas primeiras quatro temporadas, foi eu tentando erradicar a performance original da mente de todos. Foi minha agenda pessoal para corrigir o erro que cometi – ter um personagem unidimensional e torná-lo um personagem tridimensional.

Para o ator, o que ajudou a evolução de Quark foi a química entre o ferengi e Odo, mas isso se deve a uma parceria antiga com Rene Auberjonois.

Sempre houve uma relação entre Quark e Odo, porque foi escrito no roteiro. A boa notícia para René e eu é que havíamos trabalhado juntos antes. Fizemos uma peça em Los Angeles chamada “Floresta Petrificada”, embora não tivéssemos compartilhado tempo no palco. Tínhamos amigos em comum, um amor enorme e compartilhado pelo teatro. Mas também, arbitrariamente, colocavam nossas cadeiras de maquiagem uma ao lado da outra. Então nós conversávamos. E nosso vínculo cresceu exponencialmente por causa do tempo que passamos juntos.

Os fãs são muito gentis sobre a relação entre Quark e Odo. Mas nós realmente não nos lembramos de muitas cenas entre nós dois – não na medida em que os fãs se lembram disso … vai longe um pouco, quando se trata de coisas assim.

Shimerman disse ainda que foi contra os roteiristas quererem passar Quark como totalmente covarde. Ele conseguiu convencê-los a adicionar a caracterização de Quark sua improvisação e dar um ar mais de conflito interno.

Logo no início da primeira temporada, houve um episódio chamado “Move Along Home”, onde o Quark é coagido em um jogo em que ele literalmente aposta na vida dos membros da equipe. Eles escreveram que eu era um tipo de criatura covarde, muito parecido com o Ferengi em A Nova Geração. Então eu fui contra isso. Eu tentei deixá-lo tão perturbado e em conflito sobre o dilema na frente dele quanto qualquer um ficaria. E isso, para mim, foi a primeira vez que tive influência nos escritores, onde eles viram a qualidade que Armin Shimerman estava trazendo para os ferengi.

Em entrevista ao TrekMovie no ano passado, o showrunner Ira Steven Behr revelou que ele era contra a ideia de incluir um Ferengi como um dos personagens principais de Deep Space Nine, mas eventualmente encontrou um gancho para fazer isso funcionar:

Eu não era fã dos Ferengi e achava que era um erro. O momento que clicou para mim foi quando eu fiz a história em “Babel”, que foi o primeiro episódio real que eu escrevi em Deep Space Nine. Nós começamos com Rom sendo o Ferengi que não queria que seu filho fosse para a “HU-mon School” e francamente eu pensei que não funcionava para mim. Eu não gostava que o Ferengi fosse o desagradável cara da linha dura.

O que eu tive foi uma cena de Quark com O’Brien ou Odo e Quark dizendo: “Meu irmão não conseguiu consertar um canudo que estava dobrado”, e essa linha me fez pensar, e se isso fosse uma série sobre irmãos, sobre esses dois irmãos? Você tem o irmão bem sucedido e o irmão perdedor. E comecei a pensar nos Ferengi em termos humanos, termos humanos do século XX. E isso ficou legal para mim. E isso tornou-se meu empurrão. Não que eles fossem muito cômicos – embora eles fossem cômicos – mas mais importante é que eles eram seres humanos do século 20 e nós poderíamos escrever o relacionamento deles como tal.

Com este tom mais pessoal e mais leve, Behr e os outros escritores foram capazes de detalhar os Ferengi ao longo de sete temporadas, dando-nos grandes momentos.

Shimerman vai reprisar o papel de Quark em “Victory is Life”, a próxima expansão de Star Trek Online que será lançada em junho deste ano.

Fonte: TrekMovie

Be the first to comment on "Armin Shimerman fala da introdução dos Ferengis"

Leave a comment

Your email address will not be published.


*