Por onde anda… Julie Newmar?

Se você se recorda do episódio Friday’s Child, da série original, vai lembrar de Julie Newmar, a atriz convidada especial que interpretou Eleen, uma alienígena grávida, que teve a assistência de McCoy. Em uma recente convenção este ano, a Creation Entertainment Official Star Trek, Julie esteve presente e aos 77 anos a conhecida vilã, Mulher Gato, do seriado Batman concedeu uma entrevista, destacando sua carreira e a participação em Jornada.

A entrevista foi realizada pelo StarTrek.com

O carinho dos fãs de Jornada por você é palpável. Como é a sensação de ser o objeto dessa afeição?

“É incrível. Essa convenção é uma festa de amor, de verdade. As pessoas vêm até você dizer-lhe, em 100 formas diferentes, o que viram, o que me lembro, o que eles apreciaram e, em essência, eles estão dizendo que te amam. É uma sensação maravilhosa.”

Seu episódio de Jornada foi ao ar há quase 43 anos atrás …

“Oh, querida. Será que é tanto tempo?”

Você fez apenas um episódio e ainda está aqui …

“E as pessoas ainda querem saber sobre ele. Eu sou perguntada o tempo todo, porque as pessoas ainda querem falar sobre isso e, realmente, as pessoas têm para me dizer, porque eu estou realmente interessada. O que me lembro é que estava grávida (a personagem) de nove meses e correndo ao redor das colinas de Vazquez Rocks (fora de Los Angeles), que agora é invadida por loteamentos. Eu apenas pensei que era mais uma série, mas vai muito além de qualquer um de nós, para além de qualquer um de nós.”

Quando foi a última vez que você realmente viu o episódio?

“Alguém me enviou uma cópia do mesmo e fiquei espantada. Fiquei muito impressionada com o desempenho de Bill Shatner. Ele é o astro, ele merece ser. E, estranhamente, fiquei muito surpreendida com o meu próprio desempenho. Eu gostei. Não é que eu geralmente não gosto do meu desempenho, é que você quer crescer com tudo o que você faz. Então você está sempre assimilando novas formas de fazer o que você faz. Isso é crítico. É um fator crítico. Esse desempenho foi muito cedo em minha carreira e eu estava e ainda estou aprendendo definitivamente, mas fiquei satisfeita ao ver que eu era tão boa quanto fui. Eu não acho que eu já disse isso antes! (Risos).”

Você concorda que o episódio comporta até bem, apesar das rochas de espuma, dos figurinos e dos efeitos loucos primitivos?

“Oh, eu sei. Oh, meu Deus. Mas é sempre a história, não é? É o comprometimento que as pessoas têm na história, nos personagens, amar ou odiar os personagens. E é isso aí. Tenho certeza que lhe dei um tapa no fundo da alma, o médico (DeForest Kelley).”

Quando você participa de convenções, provavelmente é Jornada, Batman e The Twilight Zone que as pessoas geralmente querem falar com você. Mas quando você anda na rua e as pessoas te reconhecem, acontece essas mesmas coisas que eles querem falar com você?

“Eu tenho que ser honesta e dizer que é sempre sobre o Batman ou, realmente, eu devo dizer que é sempre sobre a Mulher Gato. E eu tenho que fazer o ronronar e lembrar-me das linhas do diálogo. Tudo bem. Eu amei esse papel e ser perguntada sobre isso só me dá a chance de amor uma nova pessoa.”

Você fez um episódio de Jornada e um punhado de episódios de Batman, mas quais são alguns de seus mais de 100 filmes de TV, e créditos que você se sente pessoalmente mais orgulhosa?

“Eu amei um episódio do seriado The Monkees que eu fiz. Interpretei um personagem chamado April em “The Monkees Get Out the Dirt.” Você mencionou The Twilight Zone, e eu fiz o diabo em um episódio (“Of Late I Think of Cliffordville”, com Newmar como a Senhora Devlin). Aquelas eram aparições. Também fiz uma série que eu gostava muito chamada My Living Doll (que passou na CBS de 1964-1965). Fiz uma personagem chamada Rhoda the Robot. O seriado era em preto e branco e foi pouco antes de Batman e Jornada. Foi um tour para mim e provavelmente a obra mais importante que eu fiz. Eu ainda não consigo encontrar todas as séries. Nós fizemos 26, eu acho que foi isso, e encontrei cerca de 12 delas. Eu adoraria ver o resto dos seriados e eu sei que eles estão na garagem de alguém em algum lugar. Esse foi uma série maravilhosa, maravilhosa e foi provavelmente o meu melhor trabalho.”

E saltar do passado ao presente, o que está fazendo hoje em dia?

“Eu estou muito ocupada, o que é bom. Eu participo de algumas convenções e realmente gosto de escrever neste momento, porque eu trabalho para mim e isso é um verdadeiro deleite. Uma vez que você está com mais de 50 anos, se você pode, você deve trabalhar para si mesmo. Funciona melhor assim. Eu tenho o meu site e atualizo o tempo todo. E estou escrevendo quatro livros, na verdade. Eu fui passando de um para outro, e agora estou terminando este. Estou muito satisfeita com ele. É realmente uma continuação do primeiro livro que eu escrevi, mas com a inclusão de minhas fotografias favoritas de todos os tempos. É um livro do tipo “como conseguir”. É sobre como fazer sua vida tão doce, tão maravilhosa, tão bem sucedida. Isso é o que a vida é. E é o último livro de “como conseguir” que você vai precisar. Você não vai precisar de outro depois disso. O título é The Conscious Catwoman Explains Life on Earth (A Mulher-Gato Consciente explica a vida na Terra), que é um pouco irônico. O livro é sério, mas divertido, e há muitas fotos deliciosas. Eu irei auto-publicá-lo, porque eu quero exatamente do jeito que eu quero, e você será capaz de comprá-lo na Amazon no próximo ano.”

Detalhes sobre o episódio você pode ver aqui na seção Conteúdo Clássico.

7 Comments on "Por onde anda… Julie Newmar?"

  1. Bem, Batmam é bem mais atual… Vão perguntar a ela sobre isso. Mas e daí? Bem, Jornada é muito legal, construtivo. Gostei do tapa no DeForest. Câncer no estômago não? Coitado… 43 anos atrás foi quando foi ao ar, mas se eu me encontrasse com ela ia dizer: “Oh my God, is Julie (preposisão adequada aqui)Friday’s Child”. Vida longa e próspera Jornada.

  2. “Uma vez que você está com mais de 50 anos, se você pode, você deve trabalhar para si mesmo.”

    Gostei da idéia!

  3. As pedras de espuma são superadas boas histórias, porém, devo confessar que, na época da TV Excelsior eu não via nada disso.
    Ela teve sorte em trabalhar em seriados dos anos 90, que foram marcantes.

  4. Anos 90… Tai uma década de ouro!

  5. Correção: anos 60, desculpem. Não havia percebido que digitei errado.

  6. Acabei de rever este episódeo dias atrás e nem imaginava que ela era a Mulher Gato… que coisa e eu via tanto o Batman!!

    Santos descuidos, Batman!!

    Agora, que o tapa quer ela deu no DeForest pareceu de verdade, pareceu. Doeu até em mim….

  7. Linda de morrer!!!!!!

Leave a comment

Your email address will not be published.


*