TAS 1×10: The Terratin Incident

Uma civilização lilliputiana ameaça a Enterprise

Sinopse

Data estelar: 5577.3

Com o objetivo de atualizar dados de radiação e expansão de volume, a USS Enterprise é enviada para investigar os restos da supernova Arachna, que explodiu. Logo a tenente Uhura começa a captar interferências em registros superiores do subespaço. O sinal desconhecido tem origem na estrela Cepheus. A princípio, a transmissão parece ser formada por sinais aleatórios, mas Spock identifica a palavra “Terratin” em intersat, um código não utilizado há dois séculos. Uma busca nos computadores da nave não encontra nenhuma referência a “Terratin”.

Sob os protestos do dr. McCoy, o capitão Kirk ordena que a nave siga para Cepheus. Uma pesquisa mais minuciosa de Spock revela que a fonte do sinal é um planeta classe M, de núcleo fundido, manto e crosta cristalinos, mas não há nada nos registros sobre as erupções vistas na superfície.

Assim que a Enterprise está para assumir órbita padrão no planeta, Spock detecta um distúrbio, como se um impulso tivesse atravessado a nave, de natureza e origem desconhecidas. Desconfiado, o oficial de ciências sugere que posterguem a órbita padrão, mas todas as áreas da nave reportam situação normal e Kirk determina que prossigam.

Enquanto o tenente Arex realiza uma análise mais detalhada do planeta, uma forte luz fere seus olhos. Logo, todos os tripulantes são afetados por uma intensa luminosidade branca, que não parece ter tido efeito nenhum sobre a nave ou sua tripulação, exceto pela conexão com os cristais de dilítio, que se romperam no motor de dobra, deixando a Enterprise apenas com impulso.

Gabler informa Scott sobre um novo problema: as ferramentas estão grandes demais para serem manuseadas. Kirk pergunta a Spock se ele está encolhendo. Relatos de que a mobília do refeitório parece ter crescido de tamanho chegam ao capitão. Ou a tripulação está menor, supõe Spock. Por segurança, o capitão ordena que a nave deixe a órbita do planeta, mas, apenas com impulso, eles não conseguem escapar de sua influência.

Em seu laboratório, o dr. McCoy confirma a teoria de Spock: a tripulação está contraindo, o espaço entre as moléculas está diminuindo, mas o peso de cada um mantém-se inalterado. Apenas matéria orgânica é afetada. Cálculos determinam que não mais poderão operar a nave quando chegarem à altura de 1 cm, em 32 minutos. O limite para o encolhimento é aproximadamente 0,16 cm.

Kirk se teletransporta para o planeta para tentar se comunicar com alguma inteligência que possa ajudá-lo, com retorno automático programado para 10 minutos. Chegando à superfície, o capitão volta à sua altura original e logo precisa enfrentar erupções vulcânicas que destroem seu comunicador. Buscando refúgio, ele encontrar uma cidade diminuta, mas o retorno automático é acionado e ele volta à Enterprise.

A bordo da nave, o capitão encontra a tripulação tão diminuta que é difícil localizá-la, contudo, o efetivo da ponte de comando foi transportado para o planeta. Ele, então, contata a cidade na superfície, ameaçando destruí-la caso os tripulantes capturados não sejam devolvidos em um minuto. O líder de Terratin contata a Enterprise, desculpando-se pelos danos causados. Terratin foi fundada por descendentes de uma antiga colônia da Terra e agora o planeta está morrendo. Impossibilitados de usar os meios de comunicação convencionais, a única forma de obter ajuda foi afetando a altura das pessoas a bordo da nave. Em um ato de boa fé, o líder libera o grupo capturado e ainda fornece cristais de dilítio para a nave. Kirk transporta a cidade para bordo para ser realocada no planeta Verdanis e, para expressar a gratidão do líder e seu povo, todos são declarados cidadãos honorários de Terratin.

Comentários

Paul Schneider escreveu “The Squire of Gothos” e “Balance of Terror”, um dos episódios mais aclamados da Série Clássica. A ideia original de “The Terratin Incident” surgiu da mente de Gene Roddenberry e a possibilidade de trabalhar um conceito semelhante ao livro As Viagens de Gulliver encantou Schneider. No livro de Jonathan Swift, publicado em 1726, o herói visita diversas terras fantásticas, incluindo Lilliput e seu povo diminuto.

Considerando as limitações técnicas da época, esse episódio é adequado para o formato de animação. E é difícil não pensar em outra série exibida na mesma época, de 1968 a 1970: Terra de Gigantes, criada por Irwin Allen.

“The Terratin Incident” é uma história interessante e original e que apresenta uma origem curiosa para a colônia de humanos, mas o episódio sofre do mesmo mal que vários outros da Série Animada: uma conclusão apressada e uma resolução simples. Mais uma vez, o teletransporte é a solução fácil. O problema é compreensível devido à complexidade de algumas histórias que a série pretendia contar e seu tempo reduzido de 24 minutos. Considere-se, ainda, que muitos dos roteiristas não eram nativos da animação e vinham de séries dramáticas live action.

Kirk parece um tanto fora de personagem em seu impulso de ameaçar o planeta, disparando um tiro de aviso. Mesmo com a tripulação da ponte tendo sido sequestrada. O mesmo pode-se dizer de Sulu. A enfermeira Chapel também tem seu momento, para o pior, ao tropeçar e cair dentro de um aquário. Como consequência, ela acaba ouvindo a frase extremamente machista “Chega de pensamentos independentes para você, mocinha” do capitão.

Avaliação

Citações

“Jim, you don’t mean you’re going to abandon the mapping mission to check out some meaningless signal?”
“Meaningless at the moment, Bones. But it was sent twice. Odds against that occurring in a totally random transmission are too high to ignore.”
(Jim, vai abandonar a missão de mapeamento para checar um sinal insignificante?)
(Insignificante no momento, Magro. Mas foi enviado duas vezes. As chances de isso acontecer em uma transmissão aleatória são poucas para ignorarmos.)
McCoy e Kirk

“Brigde to Engeneering. Scotty, how are your engines?”
“Purring like happy kittens, Captain.”

(Ponte para Engenharia. Scotty, como estão os motores?)
(Ronronando como gatinhos felizes, capitão.)
Kirk e Scotty

“Mr. Scott! More trouble with the circuit work.”
“What now, Gabler?”
“All the tools, sir. They’re too big for us to handle.”
“You sound like you’re blathering, man.”

(Sr. Scott! Mais problemas com os circuitos.)
(O que foi agora, Gabler?)
(Todas as ferramentas. São grandes demais para manusearmos.)
(Parece que está de brincadeira, homem.)
Gabler e Scott

Trivia

  • Esse foi o 14º episódio produzido para A Série Animada e o 11º exibido.
  • Herb Hazelton, George Jensen e Robert Kline, da equipe de animação, fizeram uma ponta sem falas no episódio como tripulantes da Enterprise.
  • Para um dos habitantes de Terratin foram usadas as mesmas células de animação de Carter Wilson (“The Survivor”).
  • Em “One Little Ship”, episódio de Deep Space Nine, o explorador USS Rubicon e sua tripulação são encolhidos.
  • O episódio foi adaptado por Allan Dean Foster no livro “Star Trek Log 4” publicado pela Ballantine Books em fevereiro de 1975.

Ficha Técnica

Escrito por Paul Schneider
Dirigido por Hal Sutherland

Exibido em 17 de novembro de 1973

Título em português: “Uma Questão de Tamanho”

Elenco

William Shatner como James Tiberius Kirk
Leonard Nimoy como Spock
DeForest Kelly como Leonard McCoy
George Takei como Hikaru Sulu
Nichelle Nichols como Uhura/Briel
Majel Barrett como Christine Chapel
James Doohan como Montgomery Scott/Arex/Gabler/Líder de Terratin

Revisitando

Enquete

Revisão de Nívea Doria

Episódio anterior | Próximo episódio

Be the first to comment on "TAS 1×10: The Terratin Incident"

Leave a comment

Your email address will not be published.


*