Morre Dario de Castro, dublador de Archer, aos 72

É com pesar que noticiamos o falecimento do grande Dário de Castro. Dono de uma das mais belas vozes masculinas da dublagem brasileira, ele faleceu às 21h desta quinta-feira (15). Castro estava internado devido à covid-19, teve um infarto e não resistiu, segundo colegas.

Nascido em 28 de novembro de 1948 no Rio de Janeiro, Dário começou na dublagem em 1978. Ao longo dos anos, foi consolidando-se como um dos principais profissionais do meio, dando a voz a atores como Tony Curtis, Liam Neeson, Wiliam Hurt, Joe Pesci e Russell Crowe. Dentre seus personagens mais lembrados, estão o capitão John Smith de Pocahontas, Eu Sou o Máximo na série de animação homônima, Space Ghost em Space Ghost De Costa a Costa, Doutor Barata PhD em Monstros vs Alienígenas, dentre tantos outros, em mais de quatro décadas de carreira.

Dentro da franquia de Jornada nas Estrelas, Dário de Castro interpretou o capitão Jonathan Archer, protagonista de Star Trek: Enterprise para a Netflix. Ademais de sua voz combinar perfeitamente com a fisionomia de Scott Bakula (como já visto anteriormente na série de ficção científica Contratempos, Quantum Leap), Dário reforçou, apenas com seu trabalho vocal, o caráter heroico do capitão da primeira nave estelar com motor de dobra a explorar novos mundos, pesquisar novas vidas e civilizações, audaciosamente indo e nos levando onde ninguém jamais esteve.

Em 03 de maio de 2020, junto com Philippe Maia (Charles “Trip” Tucker), Aline Ghezzi (Hoshi Sato), Duda Espinoza (Malcolm Reed) e Rita Lopes (diretora), Dário de Castro participou de um TB Ao Vivo sobre a excelente dublagem da série. Relembrando esse trabalho, ele disse:

“Nessa série Enterprise, o lance dessa série, é que a gente fez num espaço de tempo, assim pequeno. Dublamos, assim, em quatro meses dublamos sei lá quantos episódios. E quando veio essa série, alguém lá lembrou que eu já tinha feito ele e o Nando [Lopes] me chamou pra fazer e a Rita [Lopes] também. Foi o seguinte: ali, ele era um capitão, era mais fácil dublar ele ali do que em outros gêneros que ele já fez. Era um capitão, uma fala previsível, dominador em alguns aspectos, porque ele tinha a liderança, mas não me trouxe, assim, nada de surpreendente. Entendeu? A não ser a grandeza da série, né? A série é uma série muito marcante, que tem muitos fãs, é muita gente que gosta, é um gênero que é muito assistido por muita gente”.

Não apenas os vários fãs, dentre eles os de Jornada e Contratempos, mas aqueles que conviveram com ele no meio da dublagem sentiram sua partida. Com seu falecimento, muitos colegas dubladores e empresas da área lamentaram através das redes sociais.

Guilherme Briggs, trekker e intérprete do Spock nos filmes da Kelvin timeline, postou em seu twitter:

A Cinevideo, na qual atuava como diretor de dublagem, postou a seguinte homenagem, usando desenho feito pelo dublador Daniel Simões

Dário é considerado uma grande referência no meio da dublagem. Seu discípulo Wirley Contaifer, dublador do atual Homem-Aranha do cinema (interpretado pelo ator Tom Holland), escreveu em sua página no Facebook:

Yuri Calandrino, que deu voz ao agente temporal Daniels também em Enterprise, postou em seu Instagram um texto emocionado, relembrando sua trajetória como dublador e a parceria com Dário.

Destacamos o trecho em que Calandrino, que é trekker, relembra com carinho a dublagem de Enterprise e a emoção de, finalmente, ter contracenado com o amigo e ídolo:

“E na vida profissional, marcou quando dublamos Enterprise, onde ele fez o Capitão Archer e eu fiz o Agente Daniels, que contracenava só com ele. Uma vez, encontrei ele gravando o Archer e falei: “Finalmente tô fazendo um personagem que contracena com você!”. E ele ficou todo bobo. Quando tive a oportunidade, mostrei uma cena pra ele e ele adorou e me agradeceu por mostrar.
A tristeza pela partida dele é grande. É como perder um líder, uma voz insubstituível.
O que posso dizer é: Descansa, Guerreiro. E muito obrigado por tudo!!! Que Deus te abençoe e te receba!”

Mariângela Cantú, que dublou a Uhura em alguns episódios da Série Clássica pela VTI – Rio também o homenageou em seu perfil pessoal do Facebook em postagem pública. Mariângela relembrou, assim como Calandrino, o engajamento de Dário com a classe dos dubladores e seus costumeiros atrasos no horário de trabalho.

“Meu amigo Dario partiu para uma nova jornada. Nunca ninguém lutou tanto por uma categoria como o Dario de Castro lutou pela dublagem. Foi presidente da associação dos dubladores onde deixava de pagar as contas de casa pra pagar as da associação. É como se tivéssemos perdido nosso líder, nosso chefe, nosso protetor. Como dublador, uma das vozes mais linda que já conheci. Como o Capitão John Smith em Pocahontas e Space Cost, também dublava Liam Neeson, Russell Crowe, William Hurt e tantos outros. Sempre chegava atrasado. Sempre. O que lhe rendeu a frase ‘Antes Dario do que nunca!’ Mas isso compensava pelo excelente trabalho na dublagem. Era metódico, vaidoso e extremamente cavalheiro.”

Cantú, no entanto, faz também uma observação que, ao mesmo tempo que nos entristece, serve de alerta a quem ainda não acredita na pandemia do coronavírus: “Mas [Dario] também não acreditava nessa doença maldita que o levou. Foi internado com covid, teve um infarto em decorrência da doença e, após alguns dias internado, não resistiu. Hoje o céu está em festa e a dublagem em profunda tristeza. Vai em paz, amigo!”

É uma história cautelar sobre a importância de seguir os protocolos sanitários. O Trek Brasilis recomenda o isolamento e o distanciamento sociais. Saídas, só as extremamente necessárias, e sempre com máscara (de preferência PFF2 ou N95) e com álcool em gel para higienização das mãos. E, evidentemente, adesão à vacinação, quando chegar a sua vez. Como vemos em Star Trek, só a ciência salva.

Como último depoimento, trazemos uma única frase curta, porém de grande impacto emocional, dita pelo dublador Philippe Maia ao nosso editor do Trek Brasilis, Salvador Nogueira, que resume o sentimento de todos que admiram Dário de Castro: “Ele era meu herói”

A equipe do Trek Brasilis despede-se e envia seus sentimentos a cada amigo, familiar e fã de Dário de Castro, que também perdeu o seu herói para essa doença terrível que nos aflige atualmente. Consola-nos saber que seu legado se mantém em cada episódio de Jornada nas Estrelas: Enterprise, em cada frase de Liam Neeson em Star Wars, nas aparições do Caçador de Marte nas animações da DC e tantos outros trabalhos de excelência.

Agradecemos por todos esses anos de dublagem. Descanse em paz, capitão!

Assista ao TB Ao Vivo com os dubladores de Enterprise:

 

Be the first to comment on "Morre Dario de Castro, dublador de Archer, aos 72"

Leave a comment

Your email address will not be published.


*